sexta-feira, 30 de abril de 2010

Nana, sempre Nana

Ontem fui ver o show do Dori (Caymmi), no Espaço Tom. Os irmãos, Danilo e Nana, cantaram também.

Lindo, o show! Lindas as composições do Dori. E o que dizer da Nana? inigualável, sempre.

Um pouquinho dela aqui pra vocês:

segunda-feira, 26 de abril de 2010

(In) Justiça à brasileira: o caso Maristela Just

Maristela foi assassinada com um tiro covarde.

21 anos depois se consegue marcar o julgamento: se ele não acontecer até o mes que vem, o crime prescreve! isso mesmo -não é só a vítima que deixou de existir, o crime também.

Em países onde se dê mais valor à vida humana, um assassinato não prescreve nunca! pego 50 anos depois, o criminoso é mandado para a cadeia e cumpre a pena.

Aqui, não: se conseguir enrolar durante 20 anos, premia-se a esperteza: não houve mais crime nenhum, diante da lei! nada mais pode ser cobrado a quem puxou o gatilho contra Maristela.

Vamos esperar que essa aberração não se consuma, e que a familia de Maristela possa ter, finalmente, o direito de ver a justiça sendo feita!



Depois de 21 anos, caso Maristela Just finalmente será julgado

POSTADO ÀS 17:40 EM 26 DE ABRIL DE 2010
Nos próximos dias 13 e 14 de maio, haverá o julgamento do assassinato da estudante universitária Maristela Just pelo seu ex-marido, o comerciante José Ramos Lopes Neto, ocorrido em abril de 1989. A família, que já luta há 21 anos para que o processo seja devidamente julgado, está mobilizando toda a sociedade a voltar sua atenção ao caso, que prescreveria no próximo mês de julho. O processo será julgado na 1a. vara do Fórum de Jaboatão dos Guararapes, onde será submetido a júri popular.

O acusado, filho do renomado advogado criminalista pernambucano Gil Teobaldo, disparou na noite de 4 de abril de 1989 três tiros fatais contra a ex-mulher de 25 anos, um tiro na cabeça do filho de 2 anos e um outro no ombro da filha, então com 4 anos, além de ter deixado baleado o cunhado Ulisses Ferreira Just, quando o mesmo tentava socorrer a irmã e os sobrinhos. Os três feridos permanecem até hoje com sequelas graves, tendo o caçula o lado esquerdo do corpo paralisado e o cunhado, que tinha 27 anos à época, um projétil alojado na coluna de forma irreversível. O crime aconteceu na casa dos pais da vítima, no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, e o acusado, mesmo após ter sido preso em flagrante e confessado a autoria dos crimes, permanece em liberdade desde 1990, aguardando o julgamento do processo.

Desde que foi informada a respeito da data oficial do julgamento, a família Just disponibilizou diversas informações e documentos sobre o caso, que hoje circulam na Internet através de e-mails, blogs e redes sociais. Foram criados ainda um blog oficial sobre o caso e um canal no Twitter, a fim de esclarecer melhor os fatos à sociedade. A campanha vem apresentando resultados significativos, com a manifestação de apoio de diversas autoridades e entidades pernambucanas, que, junto aos amigos da família, demonstram sua solidariedade e empenho em levar o caso ao conhecimento de um número cada vez maior de pessoas.

Sendo assim, pedimos que, se possível, ajude-nos a divulgar a situação e apoiar a família em sua luta por justiça.

Atenciosamente,

Fernando de Holanda Cavalcanti

domingo, 18 de abril de 2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

terça-feira, 13 de abril de 2010

Uma mensagem de Carmem Gilson

Acontece amanhã, 11 anos depois, no II Tribunal do Júri, mais uma tentativa de julgar o caso do Ricardo Gilson, morto em 1999, no Hospital Penal do Complexo Frei Caneca. Mais uma porque, ao longo desse tempo, o julgamento já foi marcado e desmarcado várias vezes.

Conheço Carmem há muitos anos, dessa batalha dura e cotidiana das mães que buscam justiça para seus filhos. E só quem vive sabe!


Compartilho com vocês a mensagem da Carmem.

Já não falo como mãe ,mas como cidadã brasileira que vive numa terra que chamo de" malboro"terra sem respeito a dignidade humana,com leis de um código ultrapassado,as quais ninguém respeita.São 11 anos q. espero por esse julgamento, enquanto os assassinos estão soltos,inclusive uma médica q. vai sentar no banco dos réus, estão todos trabalhando normalmente,e pagos por nós cidadãos .O assassinato de um filho aos 22 anos, essa monstruosidade nenhuma lei apaga.A SAUDADE DÓI MUITO NA ALMA...Fico pensando q. quando meu filho me escrevia para dar notícias do q. se passava no manicômio judiciário,lugar onde nunca deveria ter entrado,pois, não era louco,se despedia nas suas missivas com um beijo e até logo,entretanto,na sua última carta ele se despediu com um abraço e adeus.Tenho q.encarar os olhares de deboche,para me intimidar, certos da impunidade,é como sentir uma espada atravessando meu coração.Já é a terceira vez q. vou ao tribunal , um verdadeiro calvário e espero q.seja a última e q.sejam condenados.Termino com a frase q. vai na minha blusa:"A NAÇÃO QUE MATA SEUS FILHOS,É UMA NAÇÃO SEM ESPERANÇA".

Agradeço seu carinho,sei q. você também é uma mãe que passou e passa pelos mesmos problemas.

Um beijo carinhoso,
Carmen Gilson.


COMPLEMENTO

O júri aconteceu, finalmente! Carmem Gilson escreve contando o resultado. Um abraço carinhoso, Carmem. Agora você vai poder ir adiante, acredite!
Leiam a mensagem da Carmem:

o julgamento começou às 10:30h e acabou às 6:00h do dia 15.O promotor está de parabéns!!!!foi brilhante na sua acusação.Lembrou-me com saudades,quando meu pai fazia júri (era promotor) e qdo estava convencido da culpabilidade dos réus,ninguém escapava da condenação.A médica foi absolvida,pq.o Dr. Rescalle ao estudar o processo, verificou erro na denuncia do MP.Ele disse,caso fosse o promotor , isso não teria ocorrido.Fui comunicada por ele da decisão,antes do julgamento.Mas fiquei firme segurando na mão de DEUS ,certa q. seria feita justiça,devido a atuação do Dr.Rescalle.
.O advogado de defesa tentou denegrir minha imagem, só faltou me chamar de "vagabunda".Fiquei até pensando q.era eu q. estava no banco dos réus.Mas, isso faz parte da encenação de quem não tem argumento.No final foram condenados 2 agentes:Jorge Paixão e Eustáquio de Souza, o tal de Nivaldo de Melo foi absolvido por erro dos jurados, q. responderam a todos os quesitos a favor da acusação, porém qdo. chegou no último não entenderam a pergunta e absolveram.O promotor ainda tentou anular, mas o juíz não aceitou, alegando q. já estava feito.Os réus foram condenados 15 anos,exonerados do serviço público.Qdo. você pensa q. já foi tudo resolvido,entra em ação o nosso famigerado código penal.Pelo fato de estarem respondendo em liberdade,não são presos e nem perdem o emprego.Ainda cabem 2 recursos e só então caso a câmara criminal os condenem (desembargadores) é q.serão efetivamentes presos.Mas já estão c/ a ficha suja.Na verdade foi uma vitória, diria parcial, ganhei mas não levei.Mas o primeiro passo foi dado.Melhor do q. tivessem sido absolvidos.Agora o adv.deles vai correr atrás, e terei um pouco de descanso(porém sempre acompanhando de perto).Comparo a um jogo de futebol:estou nas quartas de final,depois semifinal e finalmente final.Mas segundo as mães é mais difícil deles ganharem.Ainda vai levar um tempo,qto. não sei... Esse é o país em q. vivemos ,onde PSICOPATAS iguais aos q. mataram sua filha ,teriam q. estar em um MANICÔMIO JUDICIÁRIO E NÃO SAIREM DE LÁ, PARA Q. NÃO COMETAM NO FUTURO MAIS CRIMES,E NÃO O MEU FILHO.SABEMOS QUE O PSICOPATA TEM AUSÊNCIA DE SENTIMENTOS. SÃO DE ALTA PERICULOSIDADE.
Li as mensagens no seu blog e muito me confortaram,ainda existem pessoas q. sentem a dor do outro,muito obrigada.
Ainda estou muito abatida, cansada.Não é fácil encarar várias horas,sob tensão de um júri popular. Faz apenas 1 ano que perdi minha mãe e dia 22 agora seria seu aniversário.É barra!!!.
Fiquei muito contente c/ seu email e sua solidariedade.Esqueci de te dizer q. ganhei uma medalha 'CHICO MENDES DE RESISTÊNCIA" EM MARÇO, como reconhecimento pela minha luta.Alegra o nosso coração tão sofrido.Mas tenho c/ lema VIVER UM DIA DE CADA VEZ.

com carinho,
bjs.
Carmen.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Encerrando o assunto

Essa semana fui surpreendida com a notícia de que um programa de televisão ia entrevistar o assassino Guilherme de Pádua! o apresentador pretendia encontrar uma justificativa no fato de que a jornalista Gloria Maria o havia entrevistado para o Fantástico! Sim, mas essa entrevista é anterior ao julgamento. É de 1996. Todos os criminosos costumam ser entrevistados antes do julgamento, para contar as versões que lhes vierem à cabeça. E o assassino em questão, contou muitas.

Diante da nossa lei, enquanto acusado, a pessoa pode dizer o que quiser para se defender: mentir, caluniar, tudo isso se considera que faça parte do direito de defesa. E Guilherme de Pádua usou e abusou desse direito.

Caso julgado, fatos comprovados, a conversa é outra! agora está sujeito a processos criminais e civeis. Portanto, diante da anunciada entrevista, tratei de contatar meus advogados, Arthur Lavigne(criminal) e Paulo Cesar Carneiro (civel), disposta a entrar com todas as medidas cabíveis, no caso de qualquer desrespeito envolvendo a memória da minha filha!

Esse assassino cruel teve amplo direito de defesa, foi julgado e condenado por homicidio duplamente qualificado no Tribunal do Juri. Portanto, não posso admitir que, 18 anos depois, a título de divulgação pessoal, venha querer fazer seu júri particular no programa do Ratinho.

A iniciativa do programa foi um insulto a mim e a todas as mães de filhos assassinados. Se deu algum IBope, sr Ratinho -que o lucro lhe seja leve!

COMPLEMENTO

Pude perceber é que Ratinho tem muito ressentimento contra a TV Globo. Eu não sou a TV Globo. Sou mãe que perdeu uma filha, barbaramente assassinada. Dar palco ao psicopata assassino não atinge a TV Globo, Ratinho: só atinge a mim, aos meus sentimentos mais profundos e a toda a nossa familia!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

sexta-feira, 2 de abril de 2010

E por falar na Miriam Brandão...

Um dos seus assassinos, o Wellington, teve a pena extinta e virou pastou: já é dono de 3 igrejas!!!!

Sequestrou, incendiou viva uma criança de 5 anos, e hoje ganha a vida contando seu feito! aliás, Guilherme de Pádua também! com todo respeito aos fiéis iludidos, parece que se tornou final de carreira para psicopatas assassinos, virar pastor!

Bem que Jesus podia voltar à terra e expulsar de novo, a chicotadas, esses vendilhões do templo!


COMPLEMENTO:

Aqueles que não vestem a carapuça não deviam se sentir ofendidos: quem ofende os pastores sérios são esses criminosos que se utilizam de uma carreira respeitável para acobertar sua psicopatia e lucrar com os crimes cometidos.

Foi gente semelhante a eles que Jesus expulsou do templo a chicotadas!