quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Sobre a dança clássica indiana


Só por essa pequena amostra, a gente percebe o quanto a dança clássica indiana exige de quem a executa. São 7 estilos, e seu aprendizado não é só uma questão de técnica: pede uma integração perfeita entre corpo, mente e espírito.

Ela nasceu junto com o teatro, e seus princípios técnicos e estéticos estão compilados no Natya Shastra, escritura que teria sido composta pelo próprio deus Brahma.

Todas as posturas tem um significado, expressam uma relação com a mitologia, a filosofia, as crenças espirituais da cultura hindu. Os mitos, as lendas, as sagas dos deuses são representados através da dança, como forma de orientação e educação do povo.

Vejam o que encontrei a respeito dos ensinamentos contidos no Natya Shastra sobre um desses estilos: "contam-se vinte e quatro movimentos para a cabeça inteira, quatro para o pescoço, seis para as sobrancelhas, vinte e quatro para os olhos, cinquenta e sete para as mãos, nove movimentos de pálpebras, seis movimentos de nariz, seis de lábios, sete de queixo, etc."

Enfim, o corpo inteiro dança!

21 comentários:

Denise disse...

Oi Gloria, gosto muito do que você escreve.
Gostaria de ter seu e-mail para enviar mensagens e te contar algumas histórias que eu acho interessantes e talvez você goste.
Entrei em um site com seu nome, mas, ele está em construção.
Se você quiser se comunicar comigo, meu nome é Denise, tenho 31 anos e nenhuma pretensão em ser atriz ou me tornar uma celebridade. Gosto do anonimato, o que eu mais gosto na minha vida é de ser mãe, ter um trabalho "normal" chegar em casa e encontrar minha filha andando de bicicleta e brincando.
Tenho interesse, apenas, em mandar mensagens e me corresponder com você, por admiração.
Meu endereço é denimussi@hotmail.com.

Obrigada.
Fique com Deus, sempre.
Beijos no seu coração.

Denise.

Carlos disse...

Acredito ser um alerta do quanto vamos tomar contato com a cultura da Índia, através de uma telenovela. E tudo com muita alegria, como é comum no seu trabalho.

Fritz disse...

GLoria,
Muito sucesso p vc nesse seu novo trabalho... Gostaria muito de saber um e-mail seu para q eu posso mandar um material sobre uma Psicografia de JOsé Medrado pelo espirito de Janete CLair, uma grande amiga sua!
Agradeço a compreensão.
Bjo e muito sucesso!
fritzpaixao@hotmail.com

edson disse...

Nessa dança ja percebemos que tem um ar teatral,agora o curioso e que existem varios movimentos para determinadas partes do corpo, incrivel mesmo, como voce disse o corpo todo dança...A cada dia me surpreendo mais com a cultura indiana...Gloria voce ja foi a India alguma vez?

Millene disse...

Querida Glória, você poderia me transmitir algum e-mail pra contato? Millene

well disse...

Nunca havia entrado em um blog. Achei o seu e quis desejar um ano legal, mas no outro dia havia muitas mensagens e eu achei que devia respondê-las. Entrei no site do Hélio e li o livro dele. Pensei que tivesse acontecido novamente e pior, pelo que escrevi. Graças a Deus o meu erro foi melhor. Você não sabe como fiquei. É muito fácil para um covarde usar o computador para ofender. Difícil é ser homem e se assumir. Mas um erro é um erro. É besteira se justificar. Não peço desculpas, não fiz por maldade (daqui isso não sai). Peço tolerância, algo maior. Eu mesmo já estou me punindo. Mas antes queria dizer duas coisas: Li muito sobre a Índia há 2 anos. Ao falar de trânsito você a definiu: Tudo se mistura, funciona e convive, e bem! (e há milênios!): sagrado e profano, luxúria e pudor, opulência e pobreza, ritual e farra, tabu e balacobaco. A Índia deu um nó na minha cabeça e sempre que via seu site ficava imaginando como você ia lidar com isso (é coisa demais e uma puxa outra). Mas nunca entrei para falar de Índia, de trabalho. Meu negócio é outro. Glória, o computador é estranho a gente nunca sabe o que tem do outro lado. Aqui só uma pessoa sabe que te escrevo. E olha só como as coisas se encaixam na “novela” da vida real: Esbarrei com você há 18 anos no Rio. Você acabou influenciando (involuntariamente) minha decisão profissional (lembra do filme do Capra?), te devo essa. Como alguém que também sofreu muito com a dor da ausência (lembra da Clara?), a gente se identifica, se solidariza e se protege (entende?). Meu objetivo sempre foi te arrancar um sorriso. Aí eu me divertia. Brincava com os pontos, frases malucas. Glória. Glória Perez. Uma mulher que devemos admirar e respeitar, sempre. Glória Perez, um abraço real de 1... de 2 amigos virtuais.

Carina disse...

Gloria, parabéns pela profundeza de sua pesquisa... a riquissima cultura da Índia é expressada pela suas artes.
Um histórinha do surgimento da dança:
- A tradição hindu acredita que a dança é fruto de uma revelação divina. Assim, Brahma, o criador,desejou realizar essa revelação à pedido dos deuses, que solicitavam um passatempo visível e audível, que lhes permitisse compreender a verdadeira natureza da felicidade.
Assim Brahma constitui o Natya Veda, tratado das artes, e neste encontramos o Natya Shastra, tratado da dança-teatro.
Brahma, com ajuda de seu arquiteto divino, atribuiu a cada deus a proteção de uma das partes do teatro. A atriz principal era Saraswati ( deusa da sabedoria e das artes), ator principal era Indra ( o chefe dos deuses), o mantra OM protegeria toda a apresentação, e Shiva todos os dançarinos, além de revelar o dinãmico e poderoso aspecto viril da dança. A peça foi um sucesso!!!
O sábio Bharat, o produtor da peça, prevendo o benefício que essa peça traria ao mundo, pediu a Brahma, que o Natya-Veda fosse levado ao conhecimento do homen comun, para que ele, fazendo uso dessa arte, pudesse ascender seu amor pela eternidade!!!

Você conhece o estilo Kathakali, teatro dança do sul da Índia - Kerala???

Convido-a para visitar meu blog recém criado com muita alegria, entusiasmo e paixão pela cultura indiana!!

Amanhã comemora-se o Shivaratri em toda a Índia!

OM NAMA SHIVAIA!!!

Que as bênçãos de Shiva protejam seu trabalho!!

www.pordentrodaindia.blogspot.com

Com carinho,
Carina

Gabrielle Stricker do Valle disse...

Olá Glória! Tenho 14 anos e até hoje lembro-me de O Clone e seus personagens. Estava comentando com minha irmã (30) sobre porquê a Globo não exibe-a de volta em "Vale a Pena Ver de Novo". Tenho certeza de que não sou a única que pensa nisso, afinal, O Clone foi a melhor novela que vi até hoje. Após ela, perdi o total interesse pelas novelas, pois não se igualavam ao humor e a crítica exibidos através das personagens.
Tenho, inclusive, o CD da novela, que ganhei de aniversário na época em que a novela era exibida e escuto-o com freqüência. Minhas músicas preferidas são as árabes, por causa da batida e das letras. Tenho certeza de que a trilha sonora também não pode ser equiparada a nenhuma outra que eu já tenha ouvido.
Não sei se a senhora teria algum "controle" sobre isso, mas ficaria extremamente grata se O Clone voltasse.

Meus mais sinceros agradecimentos pela atenção,

Gabrielle Stricker do Valle

Gabrielle Stricker do Valle disse...

obs.: pude observar através dos posts e comentários que está pesquisando (ou viajando) sobre a Índia... Curioso... Meu ex-diretor do curso de inglês é indiano. ^^

Patty Silveira scraps disse...

Gloria,


Estou adoraaaaaaando suas "aulinhas" sobre a India, rs, sei que esta fazendo um estudo para novela, mas estamos aprendendo junto com voce!!!!

Beijoooooooooooooos

Ricardo Zanon disse...

Gloria, já posso imaginar o quão belo será essas imagens sendo exibidas na sua próxima trama! Será um festival de cores, dança e alegria!
Beijos

*Muito além da percepção mundana* disse...

Oi Gloria, consegui postar novamente, ebaa.

Achei isso aqui bem interessante para que as pessoas entendam mais sobre a beleza a arte e o significando da dança clássica indiana, é muito belo.

A história nos conta que a origem da dança se deu juntamente com o teatro através de uma escritura chamada Natya Shastra. Natya é a junção de drama com música e dança, Shastra quer dizer escritura.
É dito que o Natya Shastra foi composto pelo próprio Deus Brahma, o senhor da criação, e que para sua composição foram extraídos textos dos quatro Vedas. Por tal motivo, o Natya Shastra também é chamado de Natya Veda, já que Brahma incorporou todas as artes e a ciência que havia nos Vedas. Do Sama Veda ele retirou a música, do Rig Veda, a poesia e a prosa, Yajur Veda o gestual e a maquiagem, e finalmente, do Atharva Veda, a representação dramática.
A dança indiana é baseada na tradição “Guru-shishya parampara”, ou seja a relação Guru-discípulo, e graças a essa tradição se mantém desde sua criação até os dias de hoje.
Originalmente, a dança era apresentada dentro dos Templos, em uma sala especialmente construída e chamada de Natyamandapa, e era executada por mulheres chamadas de “Devadasis”. Deva significa Deus e dasi, serva. Portanto, a dança era considerada como uma oferenda aos Deuses, assim a comida, as flores, etc.
Atualmente existem sete estilos de dança consideradas clássicas no Índia. São eles o Bharathanatyam, do estado de Tamil Nadu, o Mohiniyattam e o Kathakali, de Kerala, o Kuchipudi, de Andhra Pradesh, Odissi, do estado de Orissa, Manipuri, de Manipur e Kathak, que engloba o Norte da Índia, principalmente nos estados do Rajastão e Uttar Pradesh.
A dança clássica indiana é dividida em Nritta (dança pura ou abstrata) e Nrittya (dança expressiva).
Nrita é composto de movimentos baseados no ritmo e na música e não possui significado, tendo um caráter puramente decorativo e abstrato. Os itens de dança pura, como são chamados, possuem complicados padrões rítmicos e diferentes medidas de tempo nos ciclos métricos. Em Nritta, a ênfase é nos movimentos puros da dança, criando padrões no espaço e no tempo sem nenhuma intenção específica de projetar qualquer emoção. Os movimentos são criados pelas várias partes do corpo para produzir beleza estética.
A unidade básica da dança é chamada Adavu, que quer dizer “combinação”, e no caso da dança pura, combina passos e gestos chamados de Nritta Hastas.
Nrittya, por sua vez, é composto de Hastas e Abhinaya, que são usados para contar estórias através da expressão das mãos, do rosto e do corpo. A palavra Hasta quer dizer mão e os principais Hastas usados em Nrittya são os Asamyukta (simples) e os Samyukta (compostos).
Abhinaya é uma síntese de vários aspectos do processo dramático e normalmente esta palavra é traduzida com “atuar”. Há quatro tipos de Abhinaya citados nas escrituras: Angika, Vacika, Aharya e Satvika.
Angika se refere às expressões do corpo, Vacika à fala, Aharya à caracterização e Satvika se refere ao comportamento das personagens, à expressão da graciosidade e à emoção propriamente dita.
Rasa e Bhava são os principais componentes de Abhinaya. Rasa quer dizer sabor e Bhava, sentimento ou emoção. As principais expressões do rosto são chamadas de Nava Rasas e são compostas de: Sringaram (amor), Veeram (heroísmo), Karuna (tristeza ou compaixão), Adbhuta (maravilhamento), Raudram (ira), Hasya (humor ou comédia), Bhayanaka (medo ou pavor), Bibhatsa (nojo) e Shanta (paz).
Os estilos de dança indiana como praticados nos dias de hoje têm chamado a atenção da comunidade global. Não é possível mais vê-los como uma arte regional, principalmente quando percebemos que sua estrutura não é atada a tempo ou localidade e sim à essência do Ser, que é o mesmo em cada parte do universo.
Sentimentos não pertencem a determinados lugares, comunidades ou tradições, nem sequer se referem a determinadas épocas. Sentimentos e emoções estão ligados ao ser humano desde o início de sua existência e, apesar do crescimento tecnológico, sempre será o mesmo.
*O conhecimento necessário ao aprendizado da dança indiana não é conhecimento que se possa registrar inteiramente em livro, é uma forma viva de conhecimento que se constrói a partir da relação pessoal entre mestre e discípulo. Esse sistema de ensino tem garantido ao longo dos séculos a preservação da força e da pureza da dança indiana.



bjo

Mara Ligia

Anônimo disse...

Oi Glória!
Se você se interessou pelo texto enviado pela Maria Ligia e quiser complementar essas informações, ele foi escrito pela Patricia Romano e está disponível em nosso site de dança indiana:
http://www.freewebs.com/natyadharma/danaclssicaindiana.htm - Nossa filial em Curitiba.
Lá você encontrará outros links interessantes sobre o assunto.
Um beijo,
Iara Romano

Bela disse...

Gloria, sempre fui sua fã e, se já tinha ficado maravilhada com O Clone, que falava de uma das minhas paixões, o mundo árabe, quase surtei de felicidade ao saber que o próximo cenário de uma novela sua é a Índia, outra grande paixão. Sou aprendiz de dança indiana, em particular a Odissi (uma das danças clássicas), e espero ver muitas cenas encantadoras de dança na novela! Bjão e que a novela seja um sucesso!

*Muito além da percepção mundana* disse...

Oi Gloria, seria legal mesmo vc conhecer a Patricia Romano, ela ensina essas danças, ela tem textos e ensinamentos maravilhosos, eu n a conheço, encontrei o site dela, de onde eu tenho retirado e lido tudo sobre a dança Indiana.
Vale a pena vc conferir!

bjo
http://www.ishtar.art.br/danca_indiana.html

Mara Ligia

Patricia Romano disse...

O Mohiniyattam é o único dos sete estilos de danças clássicas indianas que é dançado (ainda) apenas por mulheres. Este estilo nunca foi dançado por homens e a origem de seu nome vem de uma das encarnações do Deus Vishnu, em sua forma Mohini (a encarnação do encantamento)

Anônimo disse...

Glória, que felicidade saber que vc trará outra cultura para a Tv brasileira, eu amo a dança, e adorei a dança indiana, cada movimentos e gestos tem um significado, é de uma tamanha riqueza..., não tenho nem o que comentar!
Aproveitando esta mensagem, ontem ouvi comentários de que vc está na India a procura de brasileiras descendetes de indianos para participar da sua nova novela, eu sou brasileira, mas com descendência em ciganos, tenho toda a característica física da mulher indiana, gostaria de saber se vc ainda está selecionado? E como eu faço?
rosadonilo@gmail.com

Ai Gloria, sei que é feio mandar esse tipo de mensagem pelo o blog, nem precisa aceitar!

Obrigada
Grande Abraço e fique com Deus!
Cynthia

Ana Paiva disse...

Oi Glória. Fico muito feliz que irá ao ar uma novela para tratar desta cultura tão rica. Eu também sou bailarina classica indiana...somos tão poucas aqui no Brasil, e todas apaixonadas não só com esta arte mas com este incrível país cheio de tradições que nos preenche a alma e nos ensina tanto sobre a boa conduta. Espero que a novela também possa retratrar tantas belezas destas tradições para tentar resgatar no coração dos brasileiros coisas simples, mas de extrema importância como o auto-respeito, como viver em harmonia com as diferenças e respeitar e saber a importância de tudo neste universo. Todas nós bailarinas clássicas tivemos que ir à Índia estudar...vivenciar da cultura, tradição e protocolos Guru professor e sem dúvida nenhuma acredito que todas nós voltamos com esta alma indiana e vontade de espalhar um pouco disto pelo mundo. Seria um prazer colaborar de alguma forma. Além de ser bailarina, meu Guru de dança indiano vem ao Brasil pelo menos uma vez por ano...ele é um bailarino fantástico que aprendeu pela antiga tradição o estilo clássico Kuchipudi desde os 3 anos de idade. E hoje aos 26 já tem doutorado nesta arte. Caso tenha interesse conheça o meu blog e também o seu site www.sandeepbodhanker.com
Muita força e sorte no seu trabalho!
Namastê!

Camila disse...

Parabéns pela iniciativa Glória, faço faculdade de dança e fico muito feliz quando a TV resolve mostrar a dança dentro de um contexto, em novelas e etc.Vou gostar muito de assistir e de fazer parte do corpo de baile caso eu passe no teste !!!!


um grande beijo

Camila Andrade
camila_andraderodrigues@hotmail.com

Camila disse...

Glória,
Venho para desabafar... Não sei se você está envolvida diretamente nesse processo, mas tinha me inscrito para a seleção do núcleo de bailarinos para a novela porém passei mal justamente hoje no dia, gostaria muitissimo de saber se terá outra possibilidade de tentar, queria muito participar, de coração ...

Dani Vitor disse...

Glória querida!
Como sempre, seus trabalhos emplacam antes mesmo de começar! :)
É bacana perceber como as pessoas já estão agitadas com a novela, que começará hoje!
Adoro seu trabalho e fico imensamente feliz por ver na TV a divulgação desta cultura tão linda!
Sou escritora e me inspiro em ti pra, quem sabe um dia, escrever trabalhos profundos como os teus!
Obrigada!
Beijinhos mega! Muita luz e sucesso pra ti! ;)