domingo, 27 de setembro de 2009

Entrevista para a revista ÉPOCA

Como as entrevistas editadas ficam sempre menores, aqui vai a íntegra das respostas que foram mandadas por mail:
- O que faz quando uma novela termina? Já começa a pensar em outra?
claro que nao! só penso em descansar, em cuidar da minha vida, sem nem pensar nisso! e a um determinado momento algum tema captura você, e aí voce sabe que começou a gestaçao de uma proxima novela. Acredito nisso: a gente nao escolhe os temas, eles nos escolhem
- Sempre que uma novela novela sua começa, algumas pessoas dizem a mesma coisa: "que mistura, que confusão", etc. Mas depois é sempre o mesmo desfecho: o sucesso vem e público e crítica adoram. Como você lida com essa crítica inicial (e mesmo com as que não mudam)?
chega a ser bandeiroso, nao é? uma verdadeira militancia! Vc precisa ver o que eles diziam quando fiz Explode coraçao: tratavam a internet como uma invençao de lunatica. O que me espantou mais nao foi nem isso, foi o fato de terem abominado a ideia da rede! como eu lido com esse tipo de "critica"? rio e guardo para os meus netos rirem mais tarde!
- Quando você descobriu o linfoma, já estava escrevendo a novela? Em algum momento achou que não conseguiria continuar?
foi por acaso. Percebi o aumento de tamanho da tireoide e o médico recomendou a retirada. Era uma cirurgia muito simples, a recuperaçao se dava em 24 horas. O que ninguem esperava é que houvesse um linfona enclapsurado nela. É claro que me assustei diante da palavra "maligno", e da possibilidade da quimioterapia. Pra minha geraçao a palavra câncer ainda tem o peso de uma condenaçao, e a quimioterapia de uma sessao de tortura. Quando cheguei ao dr Daniel Tabak, nem precisei falar, ele adivinhou a primeira pergunta:-vc quer saber quanto tempo vai viver, nao é? com o que vc tem, vai viver tanto tempo quanto viveria se não tivesse nada! Entao eu descrevi minha rotina de trabalho, e perguntei se teria condiçoes de continuar escrevendo a novela. Ele respondeu que nao só eu podia continuar, como era essencial, para o sucesso do tratamento, que continuasse, e mantivesse a mesma rotina. A partir dai, entrei em contato com muitas pessoas que enfrentaram a mesma situaçao sem abrir mao de suas ocupaçoes. Pensei: se foi possivel pra elas, haverá de ser possivel pra mim tambem! E graças a Deus foi!
- Como foi sua rotina de tratamento e em que estágio você está agora?
fiz 6 aplicaçoes, e fiquei no grupo dos que nao tem nenhuma reaçao colateral maior, mais extensa. É claro que durante uma quimio você conduz seu trabalho com mais dificuldade. Mas conduz. É o que importa. Escrevia meus capitulos durante as sessoes, e isso nao era nada incomum: as outras pessoas ali tambem resolviam seus problemas pessoais e profissionais enquanto tomavam suas aplicaçoes.
- Você tem crença religiosa? Isso a ajudou quando descobriu o linfoma?
fui criada entre uma avo profundamente religiosa e um avo anarquista. Fiquei no meio. Diria que tenho um comportamento cristao.
- Você acredita na ideia de que o câncer é uma doença psicossomática?
nao faço ideia. Nao perguntei isso ao dr Daniel.
- Você perdeu cabelos? Isso e outros efeitos colaterais do tratamento mexeram com sua vaidade?
isso foi o de menos. Cabelos nascem de novo. Quando o que está em jogo é sua cabeça vc nao pensa em cabelos!
- Gloria Perez virou referência entre as famílias de vítimas da violência. Várias vezes entrevistei pessoas que foram até você e com quem você ficou ligada, como a Cleyde, mãe da Gabriela (uma grande figura que, infelizmente, se foi) e elas falavam muito em você, na sua força. Estar com essas pessoas é bom para você ou apenas faz sua dor aumentar, lembrando-se de sua filha?
Nao fujo da minha realidade. Pela minha história de vida me tornei referencia para que outras maes resistam e lutem por justiça, e estou sempre disponivel para ouvi-las e participar de seus movimentos. A ideia da campanha de assinaturas, que utilizou um dispositivo da constituiçao para conseguir a primeira emenda popular da historia do pais, (a inclusao do homicidio qualificado entre os crimes hediondos), foi uma semente que deu muitos frutos. Apontou um caminho, uma direçao, um meio para que a sociedade civil possa fazer mudanças, que tem sido utilizado por muitas outras maes depois de mim. O problema está no pouco respeito que nossas autoridades demonstram pela vontade da sociedade civil. A Cleyde conseguiu juntar as assinaturas tambem, levar para o congresso, e até agora nao vimos a emenda popular que deveria ter nascido dali!!!!!!
- Li recentemente sobre assassinos que te sugeriram uma "senha" ou coisa parecida para matarem o assassino de Daniella na cadeia. É verdade? Em algum momento isso lhe pareceu tentador? A morte seria o melhor desfecho para ele?
Nunca me pareceu tentador participar de assassinatos.
- A outra assassina, Paula Thomaz (pelo que sei, posso estar errada), ainda mora no Rio de Janeiro. Você teme cruzar com ela nas ruas, ou com os pais dela. Teria alguma reação?
Espero que Deus me poupe de mais essa!
- Você tem algum tipo de "comunicação" com seus filhos falecidos? Não digo comunicação espiritual, mas outras coisas: você conversa com eles, há presença deles no seu dia-a-dia?
Há a presença deles na minha alma. Um filho nao se apaga nunca. Faz parte de você, estando ou nao estando mais nesse mundo!
- Já pensou em escrever mais, para o teatro ou para o cinema
penso muito, quero muito e está em tempo de me dedicar a outros projetos
- Você diria que suas novelas têm uma mensagem em comum? Qual seria? O que você sempre está buscando ao criá-las (além do entretenimento)?
sempre achei que se um folhetim tem a capacidade de fazer com que um pais inteiro discuta com quem vai casar a mocinha, seria ótimo usar essa força para beneficiar pessoas, por isso introduzi, nas novelas, essas campanhas que hoje se institucionalizaram sob o rótulo de merchandising social. A primeira grande campanha que fiz foi em Carmem, na Manchete, por volta de 86/87. Esclarecia sobre a AIDS e combatia o preconceito que cercava os que tinham adquirido o virus. O porta-voz da campanha era o Betinho.
- O que as diversas culturas em que você sempre mergulha para fazer seu trabalho te ensinam?
que nosso umbigo nao é a janela mais ampla pra se enxergar o mundo! que a minha maneira de viver, de ver as coisas, é só mais uma!
- Que cultura você gostaria de mostrar ao Brasil em uma futura novela?
nao tenho nada em mente e nem necessariamente me atenho a retratar culturas. Essa é uma lenda recente, só porque, antes falei dos muçulmanos em O Clone. Minhas outras novelas nao tem nada a ver com culturas diferentes. Pelo contrario, o que há em comum entre elas é que falam dos novos conflitos humanos, introduzidos pelo desenvolvimento de novas tecnologias. Conflitos que as geraçoes anteriores a nos nao conheceram, e que temos que aprender a viver sem nenhuma referencia no passado (como barriga de aluguel, transplante de coraçao, etc etc) Nao tenho formulas, aliás tenho pavor de formulas. Se vc me perguntar o que meus trabalhos tem em comum eu te diria que é um empenho em trazer para o público alguma coisa diferente!

. - Você tem temperamento centralizador ao escrever? Costuma escrever quase sempre sem colaboradores?

nunca escrevi com colaboradores. nao porque seja centralizadora, simplesmente porque nao sei dividir fantasia
Voce acha que sua vida daria uma novela?

a vida de ninguém merece ser contada como uma novela. Novela é folhetim. E como folhetim, deve privilegiar sempre o sensacional, o que seria um desrespeito a qualquer vida.

34 comentários:

Matheus Braga disse...

Parabéns...Bela Entrevista !!! Lindas Palavras: "...Há a presença deles na minha alma. Um filho não se apaga nunca. Faz parte de você, estando ou não estando mais nesse mundo!..." Abrs. Matheus Braga...!!!

www.matheusbraga.com.br /
www.montenegroeraman.com.br

Sayonara Salvioli disse...

Glória querida,

Adorei suas respostas. Precisas, e ao mesmo tempo englobadoras, vão no cerne das questões! Também fica clara a sua verdade sempre presente, o seu poder de expressar o que pensa e faz, por ser sobretudo uma pessoa cristalina e autêntica. Vemos claramente que seu talento existencial não se limita à criatividade na ficção, indo muito além, atingindo a compreensão do humano e dos fatos, numa boa concepção do sentido da vida e de como lidar com ela e com as pessoas. Vou comprar a revista.

Abraços :)

Biju disse...

Glória, sempre achei você o MÁXIMO. Deus te abençoe e te dê bastante saúde pra você viver muitos anos felizes e produtivos! Beijo, Flávia

odeteronchibaltazar disse...

Parabéns!
Vc sempre muito inteligente.
Adoro suas novelas.
Admiro sua gana de viver. Viva você!

Paula Rego disse...

Glória querida,
Sou sua fã desde sempre e já externei isso algumas vezes via Orkut, via amigos em comum (como o querido Ricardo Zanon), mas aproveito minha vinda ao seu (sempre maravilhoso)blog para dizer que sou sua fã de carteirinha!Por toda a sua história de vida e sua luta, por toda a sua garra, otimismo e determinação e por mais outros mil motivos, você é um exemplo a ser seguido!Lindíssima matéria e fiquei especialmente emocionada em ver que, após um ano, os jornalistas ainda lembram com ternura e reconhecimento da minha doce madrinha Cleyde Prado Maia, mulher de fibra e que não à toa, era sua amiga pessoal. Tenho pavor de que ela caia no anonimato depois de tanta luta. Tenho horror a saber que o projeto de iniciativa popular ainda está engavetado. Queria ter a força de vida de vocês para tentar fazer alguma coisa, em nome dela, em memória à ela. Deus há de me ajudar.
E que bom que você existe para também relembrá-la e não deixar que o nome dela se esvaia. Nunca, jamais, as vítimas de violência devem ser esquecidas.
Parabéns pela sua luta e pela sua fibra.

Um beijo carinhoso,
Paula Rego - afilhada de Cleyde Prado Maia.

Anônimo disse...

Querida Glória!
Sou pedagoga e formada também em Comunicação Social. O meu trabalho de conclusão foi sobre ètica jornalística no caso Daniela Perez.
Na época analisei as principais coberturas jornalísticas( Mídia impressa) e tenho o material caso queiras utilizá-lo em seu novo site em homenagem a ela. Meu marido recentemente também se curou de um linfoma.
Força! Beatriz Zepka(Porto Alegre)

Nina Araújo disse...

Ah, Glória, Glória, suas respostas abrilhantam qualquer entrevista!! Bárbara!! Adorei aquela pergunta sobre "centralizadora" he,he,he...Aff, que perguntinha...abafa!! E aí você diz: "não "sei dividir fantasia"...e precisa? Tudo que você É remete à uma eterna, "divisão",doação, um constante ato de ir ao encontro de tantos corações, e ensinar, e propor reflexões...Belas respostas, e eu Adoro Você, viu?
beijos poéticos de Nina.

Paula Ferraro disse...

Glória:
Adorei suas respostas.
Para quem não te conhece pessoalmente, confirmam a pessoa maravilhosa que você é e a grande alma que vc tem.
Cada dia mais, sou sua fã.
Paula Ferraro
São Paulo - SP

Paula Ferraro disse...

Glória:
Adorei suas respostas.
Para quem não te conhece pessoalmente, confirmam a pessoa maravilhosa que você é e a grande alma que vc tem.
Cada dia mais, sou sua fã.
Paula Ferraro
São Paulo - SP

Artes da Marga disse...

Oi Glória!
Conseguir colocar homicídio qualificado entre os crimes hediondos foi a sua maior parcela para amenizar um pouco o sofrimento das pessoas que passam pelo que vc passou. Mas é uma pena assassinos ficarem livres em tão pouco tempo e me parece com a ficha limpa.
Bj
Margarida

Jacque Rodrigues disse...

Glória, sou sua fã. Adoro o jeito que você escreve.
Espero um dia chegar lá..

www.jacquerodrigues.zip.net

Parabéns pelo seu talento.
Jacqueline Rodrigues

Sayonara Salvioli disse...

Glória querida,

Muito bom isso: "nosso umbigo nao é a janela mais ampla pra se enxergar o mundo!(...)a minha maneira de viver, de ver as coisas, é só mais uma!" ADOREI! Tremenda lição!...

Beijos :)

Anônimo disse...

Oi Gloria querida,

Bela entrevista.Parabéns.
Beijos
Lourdes Farias, Vitoria Es

Viviane Salmito disse...

Glória meus parabéns por esta entrevista!!!
Cada dia lhe admiro mais por essa mulher , essa mãe e essa excelente profissional!!!
Que Deus lhe proteja sempre!!!!

Ersatz disse...

Muito bacana! A entrevista da Trip também foi linda. Sempre generosa e dilacerante ainda que serena. Como essa aqui e como a outra postada na íntegra no início da novela e que foi publicada na Folha de SP. É isso. Não pára não! Continue mesmo a nos brindar com suas preciosidades. Forte abraço.

Renata disse...

Ser brasileiro é muito doentio.
Nao suporto mais ver a cara da impunidade, da sacanagem, do desrespeito e da ignorância.
Admiro muito a senhora por ser uma lutadora incansável.

RACHEL BELLI disse...

Olá Glória!
Sábias palavras na sua entrevista! És uma mulher admirável!
Que Deus te abençõe e te proteja sempre!

Grande abraço!

Fabiane & Marcio disse...

Adorei a entrevista !Vc surpreende pela lucidez !!Te adoro querida !

Anônimo disse...

Olá Glória, td bem?
Fico feliz por sua saúde está bem, parabilizá-la por ser essa mulher forte que é.
Mas, além disso, estou aqui para fazer um pedido:
Faça uma continuação de Caminho das Índias, para que Raj fique com a Duda, por favor! Assisti toda a novela por causa desse casal, e no fim deu tudo errado. Ah, mas se aceitar essa idéia que os personagens sejam os mesmos, ou seja, Rodrigo e Tânia, fizeram um casal belissímo...e outra não foi justo o Raj não saber da existência de seu filho, e também Maya não saber que Bahuam tentou sequestra-la em seu casamento com Raj.
Por favor, faça Caminho das Índias 2.....
Abraço

George Souza disse...

Oi Glória sou seu grande fã e moro em Salvador,como vc é uma das melhores autoras para mim,eu quero te sugerir um tema pra uma futura novela sua,que é o Candomblé,é uma religião fascinante,digna der ser mostrada em uma novela sua,abração e continue firme em tudo.

Pedro Henrique disse...

Glória o diretor ideal pra você é o Wolf Maya.; Eu comprei em DVD as minisséries Desejo e Hilda Furacão, que obras magnificas! E vi na época a novela Barriga de Aluguel. A direção dele é maravilhosa! Pow ele pode muito bem dirigir você e o Aguinaldo Silva, sem problema nenhum! Enfim, a consciência é sua.
Grande beijo de um super fã.

Claudinha disse...

Fica com Deus!!!

Claudinha disse...

É exatamente o que estou tentando te dizer... Na parte que vc diz que um tema captura vc. Eu tenho um recado para vc!
Bjs, fica com Deus. Estou orando por vc.

marcelo disse...

AH MEU DEUS...

O QUE VAI SER DE MIM SEM ESSA NOVELA?
EU ESTAVA TAO ACOSTUMADO COM ELA..
MORRO DE SAUDADES...
GLÓRIA VC É A DAMA DA TELEDRAMATURGIA, CONSIDERO A SENHORA AO LADO DE GILBERTO BRAGA, OS DOIS MAIORES AUTORES DESTE PAIS. PARABENS POR CAMINHO DAS INDIAS, UMA NOVELA MARAVILHOSA, QUE ME ENCANTOU, UMA NOVELA MUITO MAS MUITO BONITA.

Matheus Costa disse...

Não tinha lido a entrevista na revista! Da mesma maneira vocÊ esclarece de um modo parecido na sua entrevista no fantástico, e que eu vi... Sempre mostrando sua determinação, que nos ensina, e muito, você nem imagina! Você nos mostra que é forte, mas não imponente, e sim vulnerável, como todos nós. O engraçado é que sempre repito comigo sua frase que você disse na entrevista do fantástico, toda vez em que penso desistir, ou fraquejar, lembro que você disse quando a Patricia Poeta te perguntou de onde vem sua força, e você responde que a gente só começa a ter essa força e a ficar forte diante das situações, quando a gente não as nega, quando a gente aceita a realidade como ela vem, algo aconteceu, estamos com um problema e temos que enfrentar da melhor maneira possível, e não fraquejar, se perguntado "por que isto me aconteceu", lembro sempre disso, e sigo... Você é um, não digo exemplo, porque ninguém pode ser exemplo pra outra, mas sim, você é a determinação em pessoa, e faz com nós, que te acompanhamos, aprendamos a lidar mais com ela.
beijos, Glória... Curta bem as férias.

Nina Araújo disse...

Glória, à propósito, e ainda sobre o meu comentário da entrevista, sempre esqueço de dizer que você para mim, é Bentinho...um velho poeminha meu...ó:

Bentinho


Bentinho escolheu ser sóbrio
braço forte, olhar fecundo
e andar com brilho próprio
menestrel , rico, profundo
fez na vida escolhas densas
pouco egóico, nunca raso
não quis ser oportunista
ou cínico compenetrado
politicamente incorreto
nem ao céu nem ao lago
quis respirar com calma
comer certo e ter saúde
encontrou ódio amiúde
solavanco, riso, trama
mas alimentou sua alma
para ser cipó e rama
manjar doce, fel ameno
flor -de-lótus, praça, bola,
cajado dalgum poeta
ouvinte de vagalume
íntimo da lua estrelada
voz que traduz a estrada
pelo gps do mundo.


Nina Araújo.


Você é Bentinho e eu "adoro isso"!!!(como diz Leda Nagle...hehehe)
beijos de Nina.

Nara disse...

Glória, vc é referência de coragem, força e determinação. De vez enquando Deus nos manda alguém como você para nos fazer refletir...Obrigada e S A Ú D E!!!
Escreva uma novela que aborde o outro lado da vida e como os dois lados se relacionam, que tal, heim!!!

sergio disse...

Olá Glória, sou seu fã, gostei muito da sua entrevista. Você é a melhor autora de novelas do Brasil.Sinto muita saudades da Daniella, quando vejo as fotos dela na internet não consigo resistir ao choro. A saudade machuca muito. O que me conforta é saber que ela está ao lado de Deus.Você é uma pessoa FANTÁSTICA.

Odele Souza disse...

Também acho que um filho não se esquece nunca, não se apaga nunca.Ele ele/ela onde estiver, como estiver...

Beijos.

denise tasca disse...

Eu tb estou com a sina "das culturas". Como não escrevo novelas, mas cozinho é Quando vou cozinhar ja me perguntam: pra que país vamos hooje ... arabe japonesa, chinesa, mexicana ... agora na fase de refinamentos belgas .... Tudo bem .. .a gente não é só isso! Eu vi vc em Paris ... tão chic ... este ano foi a primeira vez que fui para Paris ... amei tanto que sei que não foi a única vez. Voltei de lá de braços com Sartre e Simone. escrevi no blog www.deniseoltramari.zip.net sobre essa viagem. Tenho emoções. Sei que vc gosta de emoções. Quando soube que vc estava doente, perdi o chão. Como sou boba, como sou fraca. QUando a gente fica doente a gente luta, a gente vence, a gente reage. Eu sinto medo de sentir medo. Depois de tudo, a doença é uma lata que vc poe num canto e nunca mais olha pra ela. Eu te amo muito. Amo todas as Simones, Fridas, Glorias, Denises do mundo! Rainha! Muitos beijos e abraços carinhosos hoje pra vc! Tb cultivo orquídeas. Sempre flores lindas me espreitam de suas hastes e afugentam as sombras!

Rodolfo Leonardo Silva Brasil disse...

valeu minha gata ,,,espero mais entrvista assimmm,,beijao de seu fã desde pequinininho

Francisco Filipe disse...

Olá Gloria Perez, me chamo Filipe Lima participo de um projeto social que envolve jovens e adolescentes da comunidade, com peças, literatura e múscica. Esse ano trabalhamos com o tema sobre o continente asiático e especialmente as Índia. E no final de novembro finalizaremos o projeto.
E nessa culminância queria enriquecer o projeto e com sua participação. Por favor você poderia gravar um pequeno vídeo de 10 segundos, mandando "um abraço para os alunos nota dez da equipe Misturadão de Coelho Neto, Maranhão". Eu queria parabeniza-los com sua presença. Aproveito a oportunidade para reitarar apreços de consideração e cidadania. Agradeço se possível, meu e-mail é : ffilipelima@ymail.com.

CCMaia disse...

Sempre visito seu blog, um refreco para a alma. Cada vida neste mundo é importante, serviu de exemplo para alguém, assim penso eu. Através de seu talento você chegou a muitas almas, o melhor de tudo é que você é um exemplo iluminado.

Tem uma coisa que é particularmente importante para mim. Na sua maravilhosa entrevista à revista Época, você menciona que percebeu o aumento do tamanho da Tireóide. Percebeu como? Era visível? Porquê os médicos optaram por retirar? O que eles viram na eco? Desculpe perguntar e acredite, essa informação é importante para mim.

Francis disse...

Autenticidade: "Quando quem está em jogo é a cabeça, não se pode pensar em cabelos". Então saúde sempre!