terça-feira, 13 de abril de 2010

Uma mensagem de Carmem Gilson

Acontece amanhã, 11 anos depois, no II Tribunal do Júri, mais uma tentativa de julgar o caso do Ricardo Gilson, morto em 1999, no Hospital Penal do Complexo Frei Caneca. Mais uma porque, ao longo desse tempo, o julgamento já foi marcado e desmarcado várias vezes.

Conheço Carmem há muitos anos, dessa batalha dura e cotidiana das mães que buscam justiça para seus filhos. E só quem vive sabe!


Compartilho com vocês a mensagem da Carmem.

Já não falo como mãe ,mas como cidadã brasileira que vive numa terra que chamo de" malboro"terra sem respeito a dignidade humana,com leis de um código ultrapassado,as quais ninguém respeita.São 11 anos q. espero por esse julgamento, enquanto os assassinos estão soltos,inclusive uma médica q. vai sentar no banco dos réus, estão todos trabalhando normalmente,e pagos por nós cidadãos .O assassinato de um filho aos 22 anos, essa monstruosidade nenhuma lei apaga.A SAUDADE DÓI MUITO NA ALMA...Fico pensando q. quando meu filho me escrevia para dar notícias do q. se passava no manicômio judiciário,lugar onde nunca deveria ter entrado,pois, não era louco,se despedia nas suas missivas com um beijo e até logo,entretanto,na sua última carta ele se despediu com um abraço e adeus.Tenho q.encarar os olhares de deboche,para me intimidar, certos da impunidade,é como sentir uma espada atravessando meu coração.Já é a terceira vez q. vou ao tribunal , um verdadeiro calvário e espero q.seja a última e q.sejam condenados.Termino com a frase q. vai na minha blusa:"A NAÇÃO QUE MATA SEUS FILHOS,É UMA NAÇÃO SEM ESPERANÇA".

Agradeço seu carinho,sei q. você também é uma mãe que passou e passa pelos mesmos problemas.

Um beijo carinhoso,
Carmen Gilson.


COMPLEMENTO

O júri aconteceu, finalmente! Carmem Gilson escreve contando o resultado. Um abraço carinhoso, Carmem. Agora você vai poder ir adiante, acredite!
Leiam a mensagem da Carmem:

o julgamento começou às 10:30h e acabou às 6:00h do dia 15.O promotor está de parabéns!!!!foi brilhante na sua acusação.Lembrou-me com saudades,quando meu pai fazia júri (era promotor) e qdo estava convencido da culpabilidade dos réus,ninguém escapava da condenação.A médica foi absolvida,pq.o Dr. Rescalle ao estudar o processo, verificou erro na denuncia do MP.Ele disse,caso fosse o promotor , isso não teria ocorrido.Fui comunicada por ele da decisão,antes do julgamento.Mas fiquei firme segurando na mão de DEUS ,certa q. seria feita justiça,devido a atuação do Dr.Rescalle.
.O advogado de defesa tentou denegrir minha imagem, só faltou me chamar de "vagabunda".Fiquei até pensando q.era eu q. estava no banco dos réus.Mas, isso faz parte da encenação de quem não tem argumento.No final foram condenados 2 agentes:Jorge Paixão e Eustáquio de Souza, o tal de Nivaldo de Melo foi absolvido por erro dos jurados, q. responderam a todos os quesitos a favor da acusação, porém qdo. chegou no último não entenderam a pergunta e absolveram.O promotor ainda tentou anular, mas o juíz não aceitou, alegando q. já estava feito.Os réus foram condenados 15 anos,exonerados do serviço público.Qdo. você pensa q. já foi tudo resolvido,entra em ação o nosso famigerado código penal.Pelo fato de estarem respondendo em liberdade,não são presos e nem perdem o emprego.Ainda cabem 2 recursos e só então caso a câmara criminal os condenem (desembargadores) é q.serão efetivamentes presos.Mas já estão c/ a ficha suja.Na verdade foi uma vitória, diria parcial, ganhei mas não levei.Mas o primeiro passo foi dado.Melhor do q. tivessem sido absolvidos.Agora o adv.deles vai correr atrás, e terei um pouco de descanso(porém sempre acompanhando de perto).Comparo a um jogo de futebol:estou nas quartas de final,depois semifinal e finalmente final.Mas segundo as mães é mais difícil deles ganharem.Ainda vai levar um tempo,qto. não sei... Esse é o país em q. vivemos ,onde PSICOPATAS iguais aos q. mataram sua filha ,teriam q. estar em um MANICÔMIO JUDICIÁRIO E NÃO SAIREM DE LÁ, PARA Q. NÃO COMETAM NO FUTURO MAIS CRIMES,E NÃO O MEU FILHO.SABEMOS QUE O PSICOPATA TEM AUSÊNCIA DE SENTIMENTOS. SÃO DE ALTA PERICULOSIDADE.
Li as mensagens no seu blog e muito me confortaram,ainda existem pessoas q. sentem a dor do outro,muito obrigada.
Ainda estou muito abatida, cansada.Não é fácil encarar várias horas,sob tensão de um júri popular. Faz apenas 1 ano que perdi minha mãe e dia 22 agora seria seu aniversário.É barra!!!.
Fiquei muito contente c/ seu email e sua solidariedade.Esqueci de te dizer q. ganhei uma medalha 'CHICO MENDES DE RESISTÊNCIA" EM MARÇO, como reconhecimento pela minha luta.Alegra o nosso coração tão sofrido.Mas tenho c/ lema VIVER UM DIA DE CADA VEZ.

com carinho,
bjs.
Carmen.

32 comentários:

Anônimo disse...

ACABEI DE LER SEU BLOG. E MAIS UMA VEZ CONSTATEI O QUANTO A JUSTIÇA É FALHA NESTE PAÍS. ESTA MÃE É REALMENTE UMA GUERREIRA, POIS MESMO COM O SEU FILHO MORTO A 11 ANOS, NÃO SE DEU POR VENCIDA E FOI A LUTA. DESEJO A ESSA MÃE E A TODOS QUE AINDA TEM CORAGEM PARA ENFRENTAR A IMPUNIDADE, SORTE E QUE DEUS AS AJUDEM NESTA BATALHA.
VALÉRIA MELO.

Anônimo disse...

Olá Gloria,
Tenho muita esperança que meu contato contigo não seja em vão. Gostaria de saber, como faço para passar uma idéia, história que com certeza viraria história de novela. Posso estar sendo pretenciosa, mas garanto que ouvindo minha história ficará surpresa e motivada, como eu.
Depois de tantas desgraças na minha vida, becos sem saídas, lágrimas, tristezas, enfim ... por favor, se puder me mandar seu email para que eu possa lhe passar minha idéia, minha história, e com a esperança de que goste. Desculpa incomodo!
Um bjo
nina27sc@hotmail.com

the disse...

Tenho um filho que tambem foi vitima de violencia mas mesmo tendo lesões irreverciveis ,posso ter o prazer de sentir seu cheiro
Amo-o muito!
Conheço Carmen Gilson nessa luta incomensurável, partiipando dos movimentos pela dignidade e justiça pelo seu filho assassinado e,como mãe trazendo sua colaboração aos atos publicos
Não posso entender , me faltam até palavras , mas aqueles que escolheram suas profissões para defender os cidadãos ,agem de forma brutal tirando a vida de um jovem , que não era bandido, mas que precisava tratamento de recuperação
Jovem ,bonito, inteligente,sencivel,foi vitima do Estado que deveria agir sem truculencia e dentro da lei
Acredito na condenação desses assassinos pois a JUSTIÇA ja se faz injusta pelo tempo decorrido
Amanhã espero que haja UMA VITORIA DA SOCIEDADE pois so assim poderemos combater tanta VIOLENCIA
Carmen receba meu sincero abraço e saiba que vc e tantas outras mães ,assim como o cidadão brasileiro,merecem essa vitoria ,que não será sua mas de sua luta e de toda uma sociedade
THEREZA MOREIRA (AFAVI)

the disse...

Tenho um filho que tambem foi vitima de violencia mas mesmo tendo lesões irreverciveis ,posso ter o prazer de sentir seu cheiro
Amo-o muito!
Conheço Carmen Gilson nessa luta incomensurável, partiipando dos movimentos pela dignidade e justiça pelo seu filho assassinado e,como mãe trazendo sua colaboração aos atos publicos
Não posso entender , me faltam até palavras , mas aqueles que escolheram suas profissões para defender os cidadãos ,agem de forma brutal tirando a vida de um jovem , que não era bandido, mas que precisava tratamento de recuperação
Jovem ,bonito, inteligente,sencivel,foi vitima do Estado que deveria agir sem truculencia e dentro da lei
Acredito na condenação desses assassinos pois a JUSTIÇA ja se faz injusta pelo tempo decorrido
Amanhã espero que haja UMA VITORIA DA SOCIEDADE pois so assim poderemos combater tanta VIOLENCIA
Carmen receba meu sincero abraço e saiba que vc e tantas outras mães ,assim como o cidadão brasileiro,merecem essa vitoria ,que não será sua mas de sua luta e de toda uma sociedade
THEREZA MOREIRA (AFAVI)

Fafafe disse...

Ela falou certo! A saudade dói na alma. Só DEUS msm pra dá forças.

Um beijo Glória...

the disse...

Tambem tive um filho vitima de violencia,que não morreu mas ficou com sequelas irreverciveis
Sei o que é a dor de ter um filho perfeito e o tiro deixarem-no aleijado mas,mesmo assim,ainda posso sentir o cheiro da minha cria,amo-o muitissimo!
Conheço Carmen e tantas outras mães lutadoras e por elas tenho o mais profundo respeito, pela luta coragem,,mulheres as quais me integro,porem,fico triste por termos tantas lutas para exigirmos ou implorarmos por JUSTIÇA , LUTA PELA DIGNIDADE , e aqueles que deveriam salvaguardar a sociedade sem truculencias e dentro da lei, quedeveriam estar a serviço da sociedade e que por ela são pagos, se tornam assassinos de pessoas de bem, doentes sim,mas nÃo bandidos
Deixo aqui o meu abraço a todas as mães e em particular para essa amiga de lutas,de muita coragem... CARMEN GILSON
Que amanhã tenhamos a VITORIA DA SOCIEDADE, pois so com JUSTIÇA teremos um páis mais humano e menos violento
THEREZA MOREIRA (AFAVI)

kati disse...

Gloria, gostaria de um endereço eletrônico para o qual eu pudesse mandar um email sobre animais abandonados. Suas novelas sempre ajudam muito causas sociais e penso que como vc tambem gosta de animais poderiamos lutar para ajudar um pouco que fosse esses pobres seres. Eles sentem medo, frio, fome, solidão, muita sede, sentem tudo como nós. A diferença é que quando estão machucados na rua não sabem pedir socorro e são muitas vezes ainda chutados pois estão com aspectos feios e mal cheirosos. Assim como qualquer um de nós ficaríamos se vagassemos pelas ruas por dias. Desculpe incomdar por aqui, mas foi uma forma que encontrei de te contatar.
Obrigada
Ana Zanella
anazanella@certto.com.br
ana_claudia_pt@hotmail.com

Rosana Llobera disse...

Boa noite Glória! Já enviei este email para outro tópico do seu blog, tenho a esperança que através dele, você e quem passa por esta dor infinita de ter um ente querido assassinado e infelizmente não se fez justiça, você fez um trabalho maravilhoso na novela "Caminho das Índias" com o personagem do Gagliasso, o esquizofrênico "Tarso", onde foi feito o laboratório no Hosp. Nise da Silveira, meu irmão Guido Llobera foi assassinado em out/2008ele era esquizofrênico e estava em tratamento neste hospital, após uma crise, ele ficou internado numa ala chamada "Curta Permanência", onde não tem triagem, ficam juntos pacientes mulheres, homens e menores de idade, um absurdo! O mais revoltante que o agressor do meu irmão era usuário de crack e ex presidiário por roubos, ninguém ouviu o ataque, nem médicos, enfermeiros, assist. sociais, meu irmão foi encontrado caído no banheiro com traumatismo craniano, ficou um mês no CTI e faleceu com 30 anos e para aumentar a negligência do hospital, deram alta médica para este assassino, que está na rua podendo cometer este crime novamente com mais uma pessoa indefesa. Gostaria também de convidá-los para conhecerem o site que fizemos para ele: centrodeconvivencia.com e o blog: centrodeconvivenciaguidollobera.blogspot.com
Estamos com um Centro de Convivência Guido Llobera, um espaço com tudo o que meu irmão gostava: dança, saúde, lazer... um lugar para acolher, receber e ajudar o ser humano, um lugar com profissionais que amam o que fazem. Obrigada por mais este espaço!

Roberta disse...

Que absurdooooooooo!!!!!!!!!!!! Desconhecia esse caso... Que Deus console essa mãe e a justiça seja feita!

Juliana disse...

Injustiça é a palavra sempre...estou inconformada com um julgamento aqui na cidade de Ribeirão preto esta semana. O menino Pedro Henrique de cinco anos foi morto por padrasto e mãe no ano passado. Eles nunca foram presos e foram condenados a sete anos de prisão em regima semi-aberto. Esta criança morreu vítima da síndrome da criança espancada. Tinha edema cerebral, punho quebrado e os vizinhos relatavam que sofria sempre agressões do padrasto. Era uma criança doce, e penalizados os vizinhos fizeram várias denúncias ao Conselho Tutelar da Cidade, mas nunca nada adiantou. Ainda assim o juiz não acatou a denúncia do M.P. que tipificou o crime como torutra. Para o Juiz houve "maus tratos". Por Deus, uma criança vinha sendo torturada física e psicologicamente até que uma surra a levou a morte. Quando vejo pais como esta mãe e Glória que lutam por justiça por seus filhos, penso que onde quer quem estejam este filhos sentem-se amados e esta criança??? A própria mãe alegou que ele havia ingerido produtos de limpeza, por isso passara mal, versão totalmente descartada pelos legistas. Será que quando estas atrocidades não são anunciadas massantemente pela mídia, não podemos mesmo acreditar na Justiça?A reposta é: não nunca. Peça a Deus diariamente que nos proteja e que não tenhamos que ...nunca mesmo depender de uma decisão da Justiça.

marcela disse...

Quanta barbaridade , quanta hipocrisia ...Pensar que um médico faz um juramento prometendo salvar qualquer vida acima de todas as coisas . É a justiça que falha , são as universidades que formam negligentes ...e pensar sobre tantos outros milhoes de casos onde a justiça é barbaramente atropelada ...se Deus quiser esses pscicoprofissionais vão pagar por isso , que o juri seja coerente , assim seja como foi com casal Nardoni ...é preciso entender que essas vitimas tiveram suas vidas interrompidas brutalmente , ainda sendo tão novos , me dói tanto pensar no sofrimento de Carmen , as vezes por mais que eu tento animar e acreditar em um Brasil menos incorreto , eu fico descrente

Bianca Sodi disse...

há 11 anos esperando um julgamento, além da dor de perder um filho, ainda ter que passar por isso. Só no Brasil mesmo.

ALICE CAMARA disse...

ESSE PAÍS TEM QUE MUDAR. OS CRIMINOSOS TEM QUE PAGAR PELO CRIME COMETIDO E NÃO FICAR SOLTOS POR AÍ, POR CAUSA DE TANTAS BRECHAS NO NOSSO SISTEMA JUDICIÁRIO. AQUI NO BRASIL A JUSTIÇA DEMORA SER FEITA E MUITAS VEZES NEM FEITA É...
FORÇA NA SUA LUTA CARMEN. GLORIA TE ADMIRO MUITO NA SUA LUTA ETERNA...

Harley Moreira disse...

Oi Gloria,

Sou estudante de jornalismo da Universidade Estácio de Sá São Paulo e, gostaria de convida-la para participar de um documentário que estou produzindo.Se houver um e-mail ou telefone que eu possa entrar em contato posso lhe passar mais detalhes.

Desde já agradeço a atenção.

Harley Moreira


harley_moreira@hotmail.com

Artes da Marga disse...

Oi Glória!
"Filho é uma jóia que Deus coloca em nossas mãos e recomenda que cuidemos dela". Coloquei essa frase no meu blog. Mas não coloquei que essa jóia às vezes é roubada e com brutalidade pq isso nunca imaginamos. Perder o filho e assistir a impunidade é mais uma dor para qualquer mãe. Muito triste.
Abraço
Margarida

Valesca disse...

Glória,
Certamente vc sabe do caso dos meninos que sumiam misteriosamente em Luziânia(GO)...
Leia isso:
Adimar(o assassino)Já tinha sido condenado antes a 14 anos de prisão (pena depois reduzida para dez anos e dez meses) por violência sexual contra duas crianças em Brasília, em 2005, mas foi posto em liberdade em 23 de novembro de 2009, após cumprir dois sextos da pena. O alvará contrariou parecer de três psicólogas que o consideravam "psicopata perigoso", com "sinais de sadismo" e de "perversão sexual", que o tornavam inapto ao convívio social.

È o que acontece todos os dias,num país com leis penais tão benevolentes.Posso imaginar a dor dessas mães de tal forma,que chega doer em mim.

Um beijo para vc.

Odele Souza disse...

Glória,

Segui o link para saber mais sobre a história de Carmem e seu filho.

Como não se comover com a luta, com a persistência dessa mãe para ver condenados quem foi responsável pela morte de seu filho?

Como não se entristecer por ver mais um exemplo de IMPUNIDADE neste nosso país tão carente de justiça e respeito aos direitos humanos das pessoas de bem? Por enquanto, direitos humanos, só os assassinos têm.

O filho de Carmem morrreu, mas quem ficou orfã foi ela. Fomos nós. Somos todos órfãos da justiça. Mas que essa orfandade não faça conformados, resignados, desesperançados. Um dia isto haverá que mudar. Temos que continuar tentando essa mudança.

Anônimo disse...

OLÁ GLORIA SOU MAIS UMA VEZ, JAYRO MOURA, DO MARANHÃO! ESTOU AQUI PRA DIZER MAIS UMA VEZ MINHAS IDÉIAS Q VIRARIRIAM NOVELAS DE MUITO SUCESSO!
VISITE MEU BLOG JAYROMORASIL.BLOGSPOT.COM!
SOU SEU FÃ NUMERO UM E PESSO PERMISÃO PARA FAZER UMA POSTAGEM SOBRE VC! OK? DESCULPA O INCOMODO MAIS PR FAVOR ME AJUDA!!!!!!!!!!11

Bya Alburquerque disse...

Bom dia. Eu também tenho a minha luta, mas não como mãe, e sim como filha. A minha história está no blog Depoimentos / Filhas do Silêncio www.filhasdosilencio2.blogspot.com
Gostaria que você conhecesse a minha história e tirasse algum proveito dela, pois tenho certeza absoluta e sei, que há muitas mães, nesse momento, lutando contra esse tipo de violência. Obrigada e um grande abraço.

Anônimo disse...

ola gloria ! chorei muito na morte da daniela, e voce esta certa ! o brasil relamente nao tem justiça, so pro ladrao de galinha. bjx

maria disse...

ola gloria adoro suas novelas! e chorei muito qdo a daniela foi morta. acho que eles deveriam ter cumprido toda a pena, mas no brasil nao tem justiça, so pro ladrao de galinha. bjux

Palewa disse...

O que tenho para falar para a Carmem e para vc Glória é que a vida é injusta mesmo. Lidar com pessoas más, mesmo com aquelas que não cometem assassinato, é sempre uma experiência traumática. Eu que o diga... nunca perdi um filho, mas já vi coisas muito ruins bem de perto e que me afetaram muito. Os mortos não podem clamar por justiça, somos nós vivos que temos essa responsabilidade. Por isso que me revolto, um guerreiro de verdade nunca aceita o que é inaceitável. Eu amo meu filho, mas se pudesse voltar no tempo não teria posto filho nesse mundo louco. Nem sempre podemos proteger um filho, né? Filhos não são nossos filhos, são filhos da vida. Vieram através de nós, mas não nos pertencem.
O que devemos ter sempre em mente é que existem épocas em que os combates se prolongam além do necessário, exaurindo nossas forças e enfraquecendo nosso entusiasmo. Uma guerra prolongada sempre termina também destruindo um vitorioso. Mas ainda assim, sei que a vida ensina a todos, mesmo que isto exija tempo. Nunca olho uma injustiça com indiferença.
Uma vez li que Hitler pode ter perdido a guerra, mas que ainda assim terminou ganhando algo. O homem do século XX criou o campo de concentração e ressuscitou a tortura, e isso ensinou a todos como é possível fechar os olhos para as desgraças dos outros, não é mesmo? Muitas vezes o que nos resta é mesmo aguentar as consequências e as punições imerecidas. Mas jamais devemos usar a mesma arma para atacar um adversário. Não devemos ser também covardes! Um dia descobrimos que lutamos sem o mesmo entusiasmo de antes. Continuamos fazendo tudo que fazíamos, mas cada gesto parece que perdeu o sentido, tudo parece inútil... mas saibam que sempre teremos um retorno, basta ter paciência e aguardar. Eu sou uma pessoa que procuro dar antes que me peçam, pois muita gente não consegue pedir ajuda. Ao nosso lado sempre tem pessoas cujo coração está frágil, que começam a viver amores doentios, que tiveram perdas terríveis, que estão com fome de afeto e tem vergonha de demonstrar isto. E digo a vcs, Glória e Carmem, aqueles que olham a miséria com indiferença são os mais miseráveis! Eu não julgo mais o mundo na base do certo ou errado e sim na base da atitude mais apropriada para aquele momento. Eu respeito o sofrimento do próximo e não tento compará-lo com o meu. Muitos desistem, não se aborrecem, não choram, não fazem mais nada; apenas esperam o tempo passar perdendo a capacidade de reagir. Eu, porém, não. Sou como vcs duas! E isto prova que nossas almas continuam vivas! Tudo: vitórias, derrotas, entusiasmo e desânimo, faz parte de um bom combate.
Nossas leis são fracas sim, há muito para se mudar ainda de fato, mas por enquanto temos que lutar com as armas que temos. Recuar quando preciso e atacar de novo num melhor momento. Descansar, dar uma trégua a nós mesmos para recuperar a energia para voltar mais forte para o campo de batalha. A luta contra a impunidade e a injustiça é sempre uma luta desigual. Fazer justiça nesse país é quase como dar murro em ponta de faca, haja paciência e coração! Espero que Carmem encontre um bom caminho para seguir na sua luta e que não perca as forças. Sempre aparecerá alguém para apoiá-la Carmem, esteja certa disso. E devemos nos alegrar pelo simples fato de não sermos perversos como esses psicopatas frios e desprovidos de emoção. Quem não é capaz de sentir nada pelo outro, não pode ser considerado um ser humano. Não são gente, são apenas criaturas do mal. E eu torço muito para que a maldade deles ainda os atinjam, que um dia ainda possam provar do próprio veneno. Sei que são incapazes de sentir, mas ao menos ficam frustrados quando são pegos... então que assim seja! A vida dá muitas voltas, aguardem... valerá a pena!

Um forte abraço para Glória e Carmem.

Palewa Merçon

palewatayssa@yahoo.com.br

Artes da Marga disse...

Oi Glória!
Voltei, li o que ela escreveu depois. Ouvir desaforos durante o júri só por querer justiça, para ela não foi pior do que aconteceu ao filho. Nada é pior. É a mais pura resistência mesmo e a medalha Chico Mendes veio para lhe dar nova força depois desse início de vitória.

Um bj prá Carmem

Sayonara Salvioli disse...

.. E a injustiça campeia!... Em tantas famílias, para tantas mães!
Pelo menos houve a condenação (embora não satisfatória ou abarcadora). O problema é o eufemismo da Lei, que ameniza as circunstâncias do crime e emperra a consumação de penalidades que deveriam ser asseguradas.
O que mais espanta é a falta de comoção humana diante de perdas tão brutais. Ora, os que dirigem órgãos, fazem e executam leis, invariavelmente, não são também pais e familiares de outros jovens? Como imputar a outros realidades e injustiças que não aplicaríamos a nossos filhos?
Tudo isso indigna enormemente! Se somos mães e trazemos no peito a insígnia de um amor sem igual, como fazer para sobreviver numa sociedade de lágrimas que não respeita filhos alheios?
A única coisa que nos resta, infelizmente, é apoiar Carmen Gilson com nosso carinho e nosso aplauso, ante seus sentimentos e sua luta pela justiça a um filho assassinado.
Sabemos que é seu amor de mãe que a sustém na jornada difícil das protelações e minimizações legais. Desejo, assim, a ela uma força renovada, continuada, para que possa sempre estar firme ao erguer o peito contra o inaceitável.
Abraços para Carmen e para você, Glória, sempre tão presente e solidária.

Sayonara Salvioli disse...

.. E a injustiça campeia!... Em tantas famílias, para tantas mães!
Pelo menos houve a condenação (embora não satisfatória ou abarcadora). O problema é o eufemismo da Lei, que ameniza as circunstâncias do crime e emperra a consumação de penalidades que deveriam ser asseguradas.
O que mais espanta é a falta de comoção humana diante de perdas tão brutais. Ora, os que dirigem órgãos, fazem e executam leis, invariavelmente, não são também pais e familiares de outros jovens? Como imputar a outros realidades e injustiças que não aplicaríamos a nossos filhos?
Tudo isso indigna enormemente! Se somos mães e trazemos no peito a insígnia de um amor sem igual, como fazer para sobreviver numa sociedade de lágrimas que não respeita filhos alheios?
A única coisa que nos resta, infelizmente, é apoiar Carmen Gilson com nosso carinho e nosso aplauso, ante seus sentimentos e sua luta pela justiça a um filho assassinado.
Sabemos que é seu amor de mãe que a sustém na jornada difícil das protelações e minimizações legais. Desejo, assim, a ela uma força renovada, continuada, para que possa sempre estar firme ao erguer o peito contra o inaceitável.
Abraços para Carmen e para você, Glória, sempre tão presente e solidária.

Um Irmão e uma Mãe disse...

Prezada Glória.

Boa tarde, solicito, se possível, que noticie e publique o endereço do Blog que fiz, sobre o caso de minha irmã Camilla, acredito que as pessoas devam saber do acontecido, uma vez que a mídia foi tão omissa na cobertura deste caso.

http://camillapeixotobandeira.blogspot.com/

Se possível que você o acompanhe, seríamos eternamente agradecidos.

Muito Obrigado.

José Godolphim.

Nathália Just disse...

Glória,

Gostaria de poder trocar um email com você, pois se fosse possível queria você me ajudasse a reavivar o caso da morte da minha mãe que ocorreu um pouco antes do caso da sua Daniela. Minha mãe aos 25 anos também morrei assassinada em 1989 pelo meu pai que não aceitava a separação após 2 anos já divorciados. Além de matá-la ele ainda tentou matar meu tio, eu e meu irmão. Apesar de nossas seqüelas físicas, estamos todos vivos! Agora após longos e sofridos 21 anos de impunidade, sem ele sequer ter sido preso, o caso irá a juri popular também, provavelmente agora dentro dos próximo mêses de maio e junho em Recife, Pernambuco. Por terem se passado tantos anos o caso acabou caindo no esquecimento. Em 1992 quando o Globo Reporter fez uma edição especial registrando o caso da morte da Dany, também foi exibido o caso da minha mãe, Maristela Just, mas algum tempo depois nunca mais se falou em nada. Eu e minha família estamos lutando para que o caso reapareça e que com a ajuda da mídia e da população a justiça enfim seja feita. Gostaria de poder contar com a sua ajuda através da grande popularidade do seu blog. O que você puder fazer será de tamanha ajuda!

Qualquer coisa entre em contato comigo, (11)8417-7852 (11)2495-7852
natijust@hotmail.com
muito obrigada

Policial disse...

Infelizmente enfrentar a fase processual é muito difícil. O advogado de defesa tem que ser cínico, apelativo, desafiador, muitas vezes grosseiro... nem tudo que é legal é justo, nem tudo que é justo é ético! O advogado do réu sabe muito bem que o cliente é culpado, mas tem que defender ainda assim né? Meu tio foi advogado criminal e conseguiu botar de novo nas ruas vários delinquentes. Eu não aceitava isso, ficava com muita raiva dele. Mas hoje aprendi a ver as coisas com racionalidade e não com emoção. Claro que para os parentes de uma vítima ter essa imparcialidade é impossível, mas isso não mudará as coisas. Eu se fosse advogada criminal jamais pegaria casos assim, mas hoje não julgo e condeno quem faz esse trabalho. Não haveria paz e tranqüilidade se os julgamentos fossem realizados sem leis antecipadamente organizadas e se os réus – por mais graves que fossem os crimes cometidos – pudessem ser condenados sumariamente sem defesa. Mesmo assim, teimam alguns, em lançar sobre os advogados criminais o repúdio, como se eles fossem os co-autores das barbáries de todos os dias. As leis é que são fracas e a culpa disso não é do advogado de defesa, não é também da família do acusado. Erram aqueles que imaginam que a familia sempre compactua, que sempre é conivente com a conduta delituosa do ente querido. Muitas vezes a família tenta afastar o criminoso do caminho errado, infelizmente em vão. Quem já foi injustamente acusado de alguma prática criminosa terá maior facilidade de compreender que, realmente, não há Justiça sem a presença do advogado e a ampla proteção da defesa, com o direito de utilizar-se de todos os recursos legais. A Legislação Brasileira é que é cheia de falhas; permite vários recursos e deixa brecha para várias interpretações, o que na maioria das vezes confunde até os próprios magistrados, o que dificulta em muitos casos uma tomada de decisão mais rápida e eficiente por parte da justiça. Alguns dizem que a justiça tarda mais não falha. Logo, observo que em muitos casos ela tarda e ainda falha. Pois, existem muitos casos no Brasil de pessoas que foram condenadas e após cumprirem a pena foi provado que este era inocente...

Palewa

Tetsuo disse...

Estimada Gloria,
Esta é a primeira vez que me manifesto neste blog, apesar de acompanhar este site ha bastante tempo. Admira-me profundamente o seu empenho em fazer com que as leis neste Brasil, principalmente as criminais/penais, fiquem mais justas e racionais. Assim, ciente da bagagem e da experiência que você adquiriu nestes anos de luta, após a tragédia que ocorreu em sua família, gostaria a título de sugestão, lembrar-lhes que ainda este ano, mais precisamente no mes de agosto, o Advogado de Defesa Dr. Podval estará atuando mais uma vez num crime que merecia todo o empenho da justiça brasileira na sua elucidação, mas por razões obcuras, permanece na penumbra e abafado da opinião pública. Me refiro ao assassinato do Ex-prefeito de Santo André Celso Daniel (PT) vide post do Jornalista Noblat >> http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/04/17/carta-aberta-sobre-morte-de-celso-daniel-284590.asp
Que bom não seria para a justiça e para a moralização da política brasileira se houvesse, neste próximo caso do Dr. Podval, uma atuação do Ministério Público tão eficaz como ocorreu no Caso Isabella.
Se a defesa pública não faz a sua parte é de pessoas influentes assim como você, Glória, que necessitamos para transmitir até a população a realidade dos fatos.
Beijos e minha admiração pela sua carreira e seu trabalho de utilidade pública. Abs!

Palewa Merçon disse...

Eu respeito a dor de Carmem e espero que ela aceite a conduta do advogado de defesa como um "mal necessário" para que os réus sejam finalmente punidos. Acredito que se passar a pensar assim, terá mais forças para encarar a situação, sairá menos machucada. Sei que é desagradável, um verdadeiro show de horror, que a defesa sempre pega pesado e muitas vezes são desrespeitosos. Mas os nossos sentimentos de indignação quanto a isso não mudará a realidade das coisas. Sei que incomoda a forma como fazem a defesa, mas não tem outro jeito. Eu também tenho meus pensamentos de revolta e vingativos nessas circunstâncias, mas também aceito que no momento em que se anseia por justiça, sem valorizar os procedimentos e personagens que levam a ela, é que se cometem as injustiças. Como foi o caso da agressão ao advogado de defesa do casal Nardoni, o Dr.Podval. Ao retornar ao Fórum após o almoço, sofreu uma agressão. Muitas pessoas se manifestaram contra essa atitude, mas observei um número de pessoas maior que acharam que o advogado mereceu isso. Apesar da gravidade do crime justificar a comoção,não posso aceitar que alguém com um mínimo de civilidade ache uma atitude como essa justificada.Isso mostra o quanto ainda estamos socialmente atrasados. Os que covardemente hostilizam familiares de réus e agridem fisicamente advogados de defesa não tem consciência de seus próprios direitos. Façam como a Glória Perez, ora! Façam algo realmente útil como ela fez em 1994.Devemos cooperar é para que o bem triunfe sobre o mal. Algazarra e sentimentos negativos não resolve nada. Se realmente estamos preocupados com a Justiça, temos que ir até Brasília! Carmem não se ofenda tanto com a defesa, apenas continue firme. A defesa normalmente falha porque está defendendo o que "não deveria ter defesa", nas tem que ser assim por mais que seja difícil aceitar com tranquilidade. Eu também já me senti mal diante de advogados de adversários, sei que ficamos pior por já estarmos o suficiente feridos. Não merecemos mais essa, mas isso faz parte. Muita paz para você e que seja o mais preservada possível desse tipo de situação.

palewatayssa@yahoo.com.br

Ong DCM disse...

OLÁ. SOMOS ONG DEFESA E CIDADANIA DA MULHER, EM PRAIA GRANDE/SP. ATUAMOS EM DIVULGAR INFORMAÇÃO E AJUDA ÀS MULHERES BRASILEIRAS DE BAIXA RENDA E EM SITUAÇÃO DE RISCO E VIOLÊNCIA. TEMOS UMA CAMPANHA DE DIVULGAÇÃO EM BLOGS. GOSTARIAMOS DE ATINGIR A MARCA DE 10 MIL BLOGS ATINGIDOS COM NOSSO TRABALHO. GOSTARIA DE PEDIR SUA AJUDA PARA ACESSAR NOSSO BLOG, COMENTAR NO POST E CONHECER NOSSO TRABALHO: www.ongdcm.blogspot.com

OBRIGADA ANA SILVIA AMORIM (PRESIDENTE)

EQUIPE ONG DCM
ongdcm@hotmail.com

claudia disse...

favor ler o livro pelas portas do coração de zibia gaspareto. poderia dar uma bela novela pois o tema espiritualista está em alta e não teria uma pessoa melhor qualificada para esse desafio.bjs
claudia