segunda-feira, 21 de julho de 2008

Escrevendo novelas: a pesquisa

Tudo começa aqui, na pesquisa. Pelo menos para mim. Meu método é antropológico: se a novela vai retratar um universo, vou até ele, conhecer, sentir, conviver, sem intermediação de terceiros. Assim é com todos os temas que venham a ser abordados.

Depois desse primeiro momento, quando começo a escrever capítulos, o trabalho é levado adiante pelas pesquisadoras. Cada uma delas fica responsável por um dos temas, e segue mantendo contato com os grupos retratados.

Eu não tenho colaboradores, mas não saberia trabalhar sem minha equipe de pesquisadoras. Aí estão elas: Giovana Manfredi, Bianca Medeiros e Sandra Regina.

Uma coisa que considero essencial é aproximar os atores do universo que vão representar. Hoje foi dia de levar o Bruno Gagliasso no CPRJ, onde ele curtiu o ensaio da banda Harmonia Enlouquece, fez amizades e ouviu experiências fundamentais para a composição de sua personagem.



67 comentários:

Gio disse...

ADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOORO!!!

:-)

Anônimo disse...

Muito lindo essa homenagem as pesquisadoras ,aproveito a oportunidade para falar também da minha admiração pela giovana , que além de ser uma otima pesquisadora ,roteirista ,poetisa e um ser humano incrível..
Beijos
Isabella barros
Isa

Alexandre Gati disse...

nossa, que interessante saber como funciona uma mente tão iluminada...que consegue fascinar tantas pessoas...parabéns pelo seu trabalho, sempre...e também a todos que estão com vc.....
Qdo possível, adoraria ter a oportunidade de fazer um teste...fiquei sabendo, por alto, que teria um núcleo com personagens drags e transformistas, não tenho certeza...mas se for real, coloco-me a disposição, afinal, sou ator/transformista a 12 anos, e recentemente, tirei minha DRT, pois sempre levei muito a sério esse trabalho e gostaria de expandir para os lados de TV...Infelizmente, qdo vc esteve fazendo ´América´, não tive a oportunidade de participar como figurante, pq infelizmente, fiquei sabendo apenas depois, quando já era tarde....e por isso estou escrevendo, para que não se repita e que eu possa, se possível, ter a oportunidade de, ao menos, enviar meu material para sua análise...Muito obrigado pela sua atenção, fique com Deus....
Desculpe escrever tanto, mas não sei um e-mail..rs...
bjo...e sucesso....sempre....

Ivan disse...

Oi Glória.
Vim desejar boa sorte,e que todos os Deuses lhe abençoem nesta jornada. Tenho certeza que vai ser um grande sucesso.
Um pequeno pedido: Será que não teria um papel pra maravilhosa Renée de Vielmond em sua novela? Estamos com saudades da interpretação desta grande atriz.
Sucesso!!!
Om Shanti.

saul disse...

oi gloria nao sei que vc vai ler este comentario,mas espero que leia te adoro muito tenho 15 anos e aprendi a ver novela com voce mesmo muita gente disendo que novela e coisa futil de pobre sem cultura nao acho, aprendo muito com novela com seu universo com sua sensibilidade enfim , minha novela favorita foi o clone e espero que caminhos das indias seja melhor de coraçao desejo toda sorte do mundo neste trabalho nao porque sou seu fã mas porque tem muito brasileiro que trabalha feito um condenado nao tem dinheiro pra ir no teatro ou cinema e seu unico momento cultural e a novela das oito , sem parecer mentira ou pucha saco , quero um dia trabalhar com voce e garanto que vamos ter grandes trabalhos ,nao sei que voce acredita em acaso mas sinto que eu vou surpriender o mundo com tua ajuda;
SAUL DE CARVALHO ISAIAS
SEMPRE VOU POSTAR GLORIA,
POIS O BRASILEIRO PRECISA DE ENTRETERIMENTO DE QUALIDADE

edson disse...

Gloria esse e o segredo do seu sucesso voce vai atras do assunto na teoria e na pratica,esta no convivio com o assunto abordado e muito importante para a confecção do personagem, suas pesquisadoras devem ser otimas, mas deveria dar a chance para nos homens ser pesquisadores,rsrsrs, to bricando, tudo de bom pra voce e essas mulheres que a acompanham....Sucesso.....

Fábio disse...

Opa, não sou muito fã de novela... Quer dizer, não sou muito fã de uma novela QUALQUER. "A Favorita" é uma que acompanho desde muito tempo sem me interessar por nada. Mas o carinho e a dedicação que você tem mostrado no blog me agrada bastante! Espero que continue dessa maneira...

Thavinho Henriques disse...

Glória, que alegria estar aqui postando, depois de algum tempo!!
O blog agora estah mais rápido. hehe
Como eu adorei ler sobre esse universo da pesquisa que vc usa nas suas criações!! e o principal: ressaltou e deu credibilidade às suas pesquisadoras!!

Glória, não te conheço pessoalmente, mas sei que vc é uma mulher incrivel! não digo isso para "encher sua bola" pq não preciso disso!
Gosto muito de vc!
Beijão¬¬

loucos por carros disse...

Presada senhora Glória Peres,Sou admiradora do seu trabalho, e gostaria de sugerir um assunto para a sua nova novela, trata-se da profissão do optometrista, perseguida por oftalmologista que pagam muito para silenciar a globo com relação a este assunto, foi o que fizeram com a novela duas caras que mostrou um pouquinho o profissional optometrista.Sei que voçê se envolve com as causas sociais, e de acordo com a Organização Mundial de Saúde, a OPTOMETRIA, é a principal barreira contra a cegueira no mundo.À profissão é reconhecida em mais de 180 países, e aqui no Brasil já há profissionais graduados em optometria, mais são marginalizados e impedido de levar um atendimento da saúde da visão com baixo custo para a população carente de assistencia médica.

Anônimo disse...

Caso tenha uma resposta para esse comentario o meu e-mail:neideclimaco@hotmail.com

espero ansiosa por sua resposta bjs neide

Lipe disse...

Uma aula ensinando como se escreve...
Exemplo de mulher e de profissional!
Mais uma vez passando e elogiando.
E me deixando a disposição com livretos da India.
Beijos

Lipe




felipeantoniosilveira@gmail.com

Lucad disse...

Ola querida Gloria!
Não vejo a hora de começar sua novela, alias a nossa novela!

Acompanho seus textos e pelo que ja li, vem aí uma super produção. Cheia de luxo e diálogo interessantes. Sei que não haverá como a gente não comparar com a ótima O CLONE, principalmente sobre a ambientação, os ótimos atores e tudo mais... ah, a Vera Fischer vai ta na sua novela?

Beeejo de um goiano que te ama.

Auri York Lucad

Cinara disse...

Hoje estava vendo um documentário sobre Calcutá e é impressionante como algumas atrizes têm muita semelhança com os habitantes daquele lugar. Vcs poderiam convidar a Sônia Braga, Denise Milfont, Patrícia França eCamila Pitanga para a novela. Ficaria muito verossímel essas grandes atrizes representarem indianas na novela. Em relação a atores, relamente não temos muitos no mercado que se aproximam do estereótipo dos homens indianos. Talvez o Du Moscovis, com alguma caracterização, Roberto Bonfim, Perry Salles, Taumaturgo Ferreira

Anônimo disse...

O Bruno Gagliasso arrasa. O papel é difícil? Joga no colo do Bruno que ele faz.

Pablo

Anônimo disse...

A midia já começou a divulgar notícias sobre a novela na internet. Já vi matérias na Folhaonline, que tiveram como fonte esse blog. É ótimo, já vai preparando ¨terreno¨ e criando expectativa.

Pablo

Bárbara disse...

Parabéns pela iniciativa, Glória! Como sempre, vc tem a coragem de quebrar preconceitos e mostrar a realidade do nosso país. Tenho Fobia Social, que é uma doença bastante incapacitante, que ja me fez perder muitas oportunidades na vida. Mesmo não sendo esse o problema mental abordado na sua próxima novela, fico feliz e esperançosa em ver a esquizofrenia, transtorno ainda pouco conhecido e explorado em nosso país, representado em um personagem!

Boa sorte! Aguardo ansiosa!

Anônimo disse...

Oi!

Concordo com a Cinara, "realmente não temos muitos no mercado que se aproximam do estereótipo dos homens indianos". Dos escolhidos, ainda não vi nenhum que se pareça mesmo à um indiano, quem sabe depois da caracterização. Ao contrário das atrizes!

Ana

Mateus disse...

oi gloria,
como esta?

voltando a Wai, Mahableshwar e Goa.
bem foi durante meus 4 meses em Wai(maharashtra) que pude entender o comportamento da sociedade hindu. cachorros, vacas, galinhas,cabras,bufalos,camelos,elefantes!!!....todos ao lado de homens andando de maos dadas, mulheres de rostos cobertos, o ar carregado de milhoes de odores: insenso, diesel,temperos, perfumes, flores, fezes....a multidao gigantesac que se espreme e se locomove , o transito lento e engarrafado de carros ,onibus, rikishas, bicicletas, animais..........uuuuhhhhh!!!!!!!TODO AQUELE BARULHO...rssrsrsrs eu adorava todo aquele clima efervecente de estilo Vaudeville.
mas o mais importante e o espito festeiro, da maioria, que descobri.
é claro que existem milhoes de charlatoes tentando te empurrar coelho por lebre mas sem duvida alguma nesse periodo em Wai conheci pessoas maravilhosas, que trago vivas em meu coraçao.

Mahabeshwar,
bem foi nessa hillstation que vivvi talves o momento mais cinematografico da minha vida..rsrsrsrs.
fui mandado pela primeira familia para acompanhar meu irmao de 10 anos no que deveria ser supostamente um camping com raffiting,escalada, trilhas...fui.
chegando la vi que se tratava de uma especie de escoteirismo para cianças entre 7 e 10 anos,eu tinha 18, e na verdade era um campo para educar crianças em ferias , no melhor estilo militar hindustao...rsrsr.
fui falar com os superiores para desfazer o mal entendido no que fui negado veementemente de sair do "programa" tendo que continuar la por 10 dias, que era a duraçao do programa.
fiquei deseperado e pedi para ligar para minha host family e tb fui negado da ligaçao, proibido de sair do camp.
na hora do almoço despistei os chefes dizendo q ia ao banheiro e fugi do lugar, mas era muito afastado do centro da estaçao, entao corri muito pra chegar ao lugar onde poderia fazer ligaçoes.
detalhe: la nao havia transporte como rikishas ou onibus somente cavalos e bicicletas.
liguei para minha host mom e e la entendeu a situaçao e disse que um parente q morava ali proximo iria me buscar no fim da tarde.
fiquei super feliz comprei um cornetto e sentei na principal e unica praça de Mahableshwar.
claro q virei o centro das atraçoes,
eles adoram estranjeiros.
mas 30 min depois de ter deixado o camp uma tropa apareceu na praça para me levar de volta e ai eles foram grossos.tentei explicar a posiçao da minha host mother e dizer que tudo estva resolvido e eu nao voltaria para o camp, mas eles nao aceitavam e um deles ,na verdade um homem de 50 anos, começou a me agredir fisicamente em frente de toda a praça e ninguem se manifestava em meu favor pois o homem tinha estatus, fiquei humilhado e depois de colocar o agressor para falar com minha host mom pelo telefone ela mesma decidiu que era melhor eu voltar para o camp e na manha seguinte ela me buscaria pois ela propria se assustou com a agressividade do " comandante".
voltei ao camp, arrasado, ja era fim de tarde e eu ainda tive que pagar castigo por ter fugido!!!!
na manha seguinte acordei cedo e me pus a esperar a chegada de minha mae.ela nao chegou tive que companhar as crianças pelo corregozinho e escalar um barranco mais baixo do q eu..rsrsrsrs e a host mom nao chegava.voltamos a sede para almoçar e dessa vez tinha um plano com objetivo claro:
pegar um cavalo correr ate o fim da hillstation onde eu poderia pegar um trem e sair dali.
foi o q fiz, embora todos me vigiassem sai correndo enquanto comiam e aluguei por 200 rupias...(rsrsrsrs aquele tiozinho deve ter ficado muito feliz 200 rupias!!!) um cavalo e parti em direçao a saida do lugar.quando passava de novo pela praça central todos me reconheceram e começaram a abanar as maos e gritar batendo palmas e me encorajando...foi muito engraçado...nas logo em seguida vi que qlgo estava errado e que logo atras vinham os comandantes do acampamento em disparada tb...foi um sufuco!!!
quando estava á uns 2 kms da saida eles finalmente cercaram meu cavalo
e me tiraram de cima dele a força...foi patetico eu agarrava o pescoço do cavalo...
efim um casal de medico e rotarianos tomaram minhas dores por ver oq aconteciam e me livraram do acampamento.APRENDI Q O STATUS (CASTA) CONTA MUITO ENTRE OS INDIANOS.so fui liberado porque os medicos eram ricos e o comandante teve q se submeter a eles.

Alice ainda mora aqui disse...

Admiro muito o trabalho de confecção de uma história e, provavelmente, esta é a etapa mais interessante. Estou debruçada sobre um projeto que envolve Machado de Assis. E a fase de pesquisa é tão instigante que parece nos transportar para um universo paralelo... Quem sabe um dia não estarei em seu time de pesquisadoras? (rs)

besos
Carol

Anônimo disse...

OI glória!Sem puxar sardinha para seu lado, mas p mim voê é a melhor autora de novela do País! Suas novelas tem início, meio e fim!É verdade que a Carla Perez vai participar de sua novela? se for verdade eu ia adorar vê-la nas novela, principalmente agora que se formou em teatro! bjos do seu admirador!

Anônimo disse...

Oi!

Então, elas é que ficam com o lado bom do trabalho. Brincadeirinha! Ter de conhecer aprofundadamente, para cada nova novela, um novo mundo(ou vários?!), não deve ser "brinquedo não"!

Em relação ao título da novela:

Hoje, as Índias Ocidentais correspondem às Caraíbas; já as Índias Orientais, ao Paquistão, Bangladesh, Myanmar, Sri Lanka, as Maldivas, Tailândia, Cambodja, Laos, Singapura, Laos, Brunei, Filipinas, Timor-Leste, Malásia e Indonésia; e temos também a própria Índia.

Na Idade Moderna, as potências europeias denominaram as regiões da América, Índias Ocidentais (graças à Colombo), e as regiões do sul e sudoeste asiático, Índias Orientais; para simplificar as suas trocas comerciais. O nordeste brasileiro chegou mesmo a estar sob o domínio da Companhia Holandesa das Indías Ocidentais.

Vasco da Gama, partiu à procura do caminho marítimo para as Índias. À procura das regiões de onde os mercadores árabes traziam, especiaria, tecidos e tantos outros materiais, que os tornavam (aos árabes) muito poderosos. À procura dos vários reinos das regiões para lá do rio Indo.

O termo "índia" provém precisamente do nome sânscrito do rio Indo(actualmente localizado no Paquistão) - "Sindo".

A "República da Índia" também é usualmente conhecida pelo seu nome hindu "Bhārat" (que significa "ser mantido").

Mas também, "Caminho das Índias" é só um nome provisório!

Bom trabalho,
Ana.

Renata Rocha disse...

Oi Glória, suas pesquisadoras são maravilhosas e imprescindíveis para o sucesso de suas obras, afinal você escreve sozinha.
Das três só não tive ainda o prazer de conhecer a Bianca. Já a Gio e a Sandra são maravilhosas e merecem todo o reconhecimento.

Anônimo disse...

Nossa! É impressionante as milhoes de pesquisas que são feitas antes de começar em pensar a escrever um folhetim. Assisto televisão desde os oito meses, serio...minha mãe me diz que somente assim ficava quieto, pois então me apaixonei por esse universo e virei fanático por novelas...Me envolvo, sofro, sorrio, choro...e não tenho vergonha de falar. Fico muito chateado quando a novela começa boa e no meio o autor ou o diretor ( como no caso de América)perdem a mão. Amo novela das oito, pois parece que a Globo deixa para esse horario novelas mais tensas e mais consistentes. Fico muito feliz em saber que voce é a próxima autora da da vez...sou seu fã Amei o Clone, muitas pessoas criticaram mais gostei muito...sem contar America....amei....Show de bola!! Gosto tb do Manoel Carlos e suas Helenas e to curtindo João Emanuel Carneiro( A Favorita ) ta muito boa a novela...cada capítulo um surpresa... Bom falando de Camimhos das Indias, ouvi falar e procurei na net...fiquei encantado ( confesso que nem sabia que ese blogger existia )com o sistema de castas, com as religiões e os "intocáveis" que cultura louca....bom mas comparado com a nossa, onde todas as classes se misturam...acredito que isso deve soar estranho para eles tambem..bom é isso...pretendo sempre deixar um comentario da novela....acho que importante...afinal de contas eu sou um pontinho do público...rs...rs..era pra ser apenas um comentario e virou um testemunho...rs..rs...rs..
Obrigado por esse canal...
bjs
Matheus Stanislavsky
maligh@bol.com.br

Carolina V. disse...

Oi, Gloria!! Adoro ler as novidades aqui no seu blog. Espero ansiosa pela estréia de Caminho das Índias! Parece que será excelente! Ah, amei saber que Aninha Lima estará nela! Acompanhei a estréia dela na TV em Desejo Proibido e gostei bastante do trabalho. Sucesso sempre pra você!! Beijos

André Felippe Mendes Freitas disse...

>> Este post fala extamente do que eu havia dito a algum tempo atras, a sr. se lembra? Para mim é o momento mais importante de um trabalho pois, é quando a gente conhece o nosso objeto para mais tarde lapidá-lo e transformá-lo em arte. E nisso sei que és fora de série. Sucesso... Espero anciosamente pela sua novela porque elas são diferentes e, me desculpe se ofendo, elas são provocativas, incomodam o telespectador que com isso meio que sê vê obrigado a regir, já que se sente deslocado. Com isso ele transforma sua existência, o mundo. Bom, pelo menos foi isso o que acontceu em suas novelas passadas, não é mesmo?
Até logo... Saúde e Paz == c",) aFelippe ==

Barbara disse...

Oi gloria !!!
Estão falando que a Malu Mader vai estar nessa novela ,eu queria saber se é verdade.
obrigada !!

ana disse...

Canto VII

(Na Índia)

1

Já se viam chegados junto à terra,
Que desejada já de tantos fora,
Que entre as correntes Indicas se encerra,
E o Ganges, que no céu terreno mora.
Ora, sus, gente forte, que na guerra
Quereis levar a palma vencedora,
Já sois chegados, já tendes diante
A terra de riquezas abundante.

(”Os Lusíadas”, Luís de Camões)

Hamilton disse...

Oi Glória, meu nome é Hamilton, sou musicoterapeuta e achei de grande importância a temática abordada na próxima novela. Moro em Juiz de Fora - MG e coordeno aqui uma banda formada exclusivamente por pacientes psiquiátricos, 'Os Impacientes'. Tivemos a oportunidade de tocar no projeto Loucos por Música no último ano, ao lado de Sandra de Sá, Alcione, Frejat e Sérgio Lorozza. Temos um cd gravado com músicas próprias e estamos trabalhando na produção do segundo. Se possível, queria poder lhe mandar o material, você pode me enviar um endereço? grato e parabéns pelo novo trabalho.

Anônimo disse...

"Além do Indo jaz, e aquém do Gange,
Um terreno muito grande e assaz famoso,
Que pela parte Austral o mar abrange,
E para o Norte o Emódio cavernoso.
Jugo de Reis diversos o constrange
A várias leis: alguns o vicioso
Mahoma, alguns os ídolos adoram,
Alguns os animais, que entre eles morri. "

("Os Lusíadas", Canto VII -17)

jbrum disse...

Gloria,
Que tal trazer Marcos Winter e Cristiana Oliveira juntos na novela?
Estou com saudades de ve-los atuando juntos.

Larissa disse...

Prezada Glória Perez,

Lí, com prazer, a notícia sobre sua ida a uma Universidade para colher informes sobre Psicologia, em busca de embasar material destinado a uma novela onde será abordada a temática inclusão social de portador de transtorno mental.

Trabalhamos com essa problemática desde a década de 80, e desde 2002, eu que sou psiquiatra e uma colega, a psicóloga Ermelinda Salem, professora da Universidade Federal do Amazonas, iniciamos um trabalho junto aos pacientes abandonados do Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, em Manaus/AM, denominado Programa Encontro que foi, gradativamente, delineando a Tecnologia Social Encontro.

Caso lhe pareça interessante conhecê-lo, poderemos enviar em arquivo eletrônico,uma cartilha que elaboramos sobre a Tecnologia Social Encontro iniciada em um hospital psiquiátrico (manicômio ainda não desativado), e reaplicado em uma comunidade urbana e em uma comunidade indígena no interior do estado do Amazonas. Também confeccionamos e distribuímos gratuitamente uma Revista em quadrinho de nome “Dizem que sou Louco” que narra a história de uma pessoa que vivencia uma internação psiquiátrica e do encontro dela com a nossa equipe. Esta revista integra o material que utilizamos para realizar uma estratégia denominada “Educação em Saúde Mental”.

Como sempre nos emocionamos com propostas que podem contribuir para a inclusão social do portador de transtorno mental e acreditamos na seriedade da sua proposta, expressamos nossa satisfação por vermos a possibilidade de um tema tão carente de mais defensores ser abordado com a amplitude que seu trabalho profissional alcança no país. Sem dúvida, será de uma contribuição imensa, para quebrarmos medos e preconceitos em relação a essas pessoas, tão sofridas e incompreendidas.

Colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais.

Cordialmente,

Ana Maria Marques
Presidente do ISAT

e-mail: isat.apoio@hotmail.com

Anônimo disse...

*Alguns os animais, que entre eles morri

Correcção: "Alguns os animais, que entre eles moram."

Ana

mateus disse...

Goa,

estava na india fazia 2 meses e a primeira gde viagem apareceu...GOA !!!!
junto a outros 20 e poucos intercambistas do mundo todo
passamos maravilhosos 15 dias em goa...sem palavras.
toda aquela mistura entre hinduismo e cristianismo, a colonizaçao portuguesa, o estilo de vida diferente de todo o resto hindustao.a pinga feita de caju, cocos, castanha de caju, peixes...
foi muito impressionante.as feiras de artesanato, os remanescentes dos ocidentais que se mudaram para la durante o movimento hippie...lindo criacinhas correndo nuas pelos campos com flores nos cabelos, uma tentetiva de subexistencia menos predadtoria e consumista.foi um veu qur se abriu pra mim.
nao posso deixar de lembrar os bares a beira mar porem dentro ainda da mata preservada. dentro todos havia o TITO'S...rsrsrsrs...lembro a primeira vista do local. um bar no meio da areia cercado por troncos retorcidos de madeira e iluminado por flores gigantes de tecido representando orquideas...maravilhoso!!!!!e a musica? joao gilberto, caetano veloso, samba, bossa nova...CAIPIRINHA!!!!sei q ali começou as psy transe mas como tudo muda hoje aki a gente pode ver oq virou.
nao sei se vc conheceu goa mas é o unico lugar na india onde vc lembra muito do brasil n sentido mais liberal.
espero de alguma forma estar contribuindo, se precisar perguntar algo pode me escrever.
bjsss,
ate breve.
namaste.

gutemberg disse...

Primeiramente queria te dizer que adoro vc Glória, vc é sensacional não sou como autora, mas também como mulher!
Achei muito legal essa homenagem as suas pesquisadoras!
Te desejo muito, mas muito sucesso para vc é sua novela, das quais eu amo, e amei mais ainda quando soube da data da estréia que era em janeiro, assim vou poder acompanhar o começo já que depois em março volto para o seminário, e não vou acompanhar tão "devotamente"!
Bjo e sucesso!

Ersatz disse...

Também o ator inicia sua trajetória na pesquisa. E esta começa muito cedo. Como a essência artística é o humano, e como não se pode medir nada que é humano, também não se pode medir ou limitar a pesquisa do ator, do autor e do artista em geral. Os temas, as tramas, as linhas de atuação e as sutilezas que surgem na comunicação artística, são frutos da observação daquele que oferta arte. Há uma pesquisa infinda, sempre alerta, do ator em ver, ser, estar e receber impressões e emoções a cada minuto. Uma discussão, uma conversa inocente, tudo é material de criação. Tudo pode ser arte de qualidade. Tenho a impressão, e disse isso a Giovana quando li seu relato emocionado e emocionante sobre Jaipur, que ninguém pode escrever tão bem sem se fazer muitas perguntas. E acho que isso vale também ao ator. São as perguntas simples que nos levam a ser, defender, entender, criticar e viver quem não nos cabe num primeiro olhar. São as perguntas que fazemos que apuram nosso olhar, nossas escolhas e nos transformam em algo que pode ser identificado como de qualidade. A qualidade artística está, enfim, diretamente ligada a qualidade da observação humana de quem a produz. E principalmente por isso, pela escolha da equipe, pela parceria com Schechtman na direção, pela ciência de como abordar um tema, pela escolha das trilhas é que faço coro aos muitos que postam aqui e outros além que sabem e esperam ver em sua novela mais uma grande obra.

Ewerson Luiz disse...

Acho isso maravilhoso compartilhar todas as fases da novela com o público. É muito importante mostrar que por trás de uma grande obra existe muita pesquisa e estudo.Recentemente assistir uma entrevista sua falando que estava ainda definindo os atores da sua próxima novela.Hehehe... Eu sou de Recife tenho 28 anos, estudo jornalismo,trabalho profissionalmente na área de teatro na função de ator à 11 anos.Sei que é um pouco ousado meu comenário mais gostaria que você mandasse um e-mail para que eu pudesse mandar minha trajetória.E quem sabe! Eu não seja um biotipo do seu imaginário!Meu e-mail é ewersonluiz_pe@hotmail.com. BJS!!

Dj Vivi Reis disse...

Como faço para encaminhar para vocês um video que pode ser útil na pesquisa? Meu email é vivireis@hotmail.com
Abraço!

Ithamar disse...

Olá;

Sou ator, tenho 41 anos e gostaria de saber como posso enviar meu material de trabalho pra sua apreciação.

Obrigado.

Anônimo disse...

Ola Gloria

Estou adorando seu blog

Sua Novela vai ser um Sucesso

Falando nisso voc� viu A Modelo e atriz

Let�cia Birkheuer

Num ensaio como indiana

Ela estava linda me deixando mais

ansioso para ver sua novela

J� que sua novela falara da �ndia

Bjos e boa sorte
Sucesso

Fonte :
http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL687624-9798,00-LETICIA+BIRKHEUER+E+CAPA+E+RECHEIO+DA+EDICAO+DE+AGOSTO+DA+REVISTA+VIP.html

*Muito além da percepção mundana* disse...

È lindo ver essa homenagem a esse trabalho que é a pesquisa, que eu acho fascinante, vejo a dedicação delas, o amor pela profissão, pude ver um pouquinho da Gio nessa agora e da Sandra em Amazônia, a paixão dela pela dança, e a Gio, a paixão pela escrita e a busca insesante de mais e mais informações, é muito legal tudo isso.
Com certeza assistirei essa novela com outros olhos, para mimm não será só mais uma novela que eu me emocionarei, será a que eu me emocionarei mais, será A NOVELA.
Pois como acompanho desde janeiro, fico naquela ansiedade, parece quando li o caçador de pipas, quando fui ao cinema, nos primeiros cinco minutos já estava lá eu, chorando....

Sua novela já é SUCESSO, porque não tem como não ser!

Parabéns!

Mara Lígia :)

Anônimo disse...

Gloria Bem que vc poderia chamar a Camila Morgado para fazer Caminhos da India, pois ela ta longe da tv desde America eu amei a Mey otima vilã mais vc pode dar um papel mais ameno para ela.
Estou ancioso por sua novela.

Mateus disse...

PS.
foi em Wai que pela primeira vez vi um casamento de uma garota (uma criança) e um homem aparentemente bem mais velho.confesso q aquilo nao me chocou.
tb tenho q falar do pujah que uma amiga intima da minha host mom fez em mim logo q cheguei em Wai.um ritual lindo com fogo ,oleo, insenço,agua, cinzas e cor.
foi tb la que comi pela primeira vez o doce feito de castanhas e folhado a prat e ouro...uummmmm.
ate mais,
abç.

Nelson Goldenstein disse...

Prezada Gloria,

Fico meio sem graça, hesitante e sem saber se volto a procura-la, ou não, pois não quero que pense que a estou procurando para benefícios pessoais. Mas, como vc disse que nos procuraria entre quinta e sexta passada, achei que minha disponibilidade despertara seu interesse. De qualquer forma, resolvi voltar pelo seu blog, sem importuna-la diretamente, pois tenho certeza de que minhas contribuições podem ter um papel relevante em sua novela, não só como veículo de transmissão, mas também pela utilidade para o seu enredo.
Na verdade, o que me move é a certeza de que posso contribuir com conhecimentos vivos, experienciais, naquilo que te descrevi antes como “reconhecimento da esquizofrenia na perspectiva da primeira pessoa”. Trata-se de uma perspectiva não alcançável apenas pelo contato afetuoso com os usuários de nossos novos serviços. Estes novos serviços são fundamentais para devolver um lugar social, assim como para ajudar no processo de reconstrução do Eu psicótico. Mas, gostaria de ter a oportunidade de mostra-la também o que o individuo vivencia antes, durante e depois de um surto esquizofrênico, e que raramente eles conseguem relata espontaneamente, sobretudo no convívio social. Trata-se de vivencias tão absurdas e insuportáveis, que explicam boa parte da inabilidade social, do afastamento e auto reclusão, dos freqüentes comportamentos de alto risco, dos episódios de auto agressividade com tentativas de suicídios (taxas elevadíssimas), e que usualmente são mal interpretadas (quando nem sequer reconhecidas) pela família e sociedade, gerando agitação e hetero agressividade, medo, exclusão social e confinamento definitivo.
É isso.
Com afeto,
Nelson Goldenstein

9607 2563

Ely disse...

Bom dia !!!
Venho reforçar o convite para que você e /ou a sua equipe venham a Juiz de Fora ...
Pedro Paulo é um compositor maravilhoso, na minha opinião um gênio da música....ele é o lider da Banda Os Impacientes e um dia me disse:
" Ely, a maior injustiça social que as pessoas cometem comigo é quando dizem que sou um doente mental, afinal de contas eu faço música que é a forma mais sublime de expressão, principalmente do amor...então não é justo !!!! "

Alexandre Tadeu Coutinho de Lima disse...

Gloria, sei que vai falar da esquizofrenia, porem gostaria que você conhecece o bipolar que tem característias de esquizofrenia - que é o meu caso.

O texto abaixo eu fiz num momento que eu estava com raiva de ler autores que tem a doença e que causam um esteriótipo específico. O texto esta do mesmo jeito desde quando eu o escrevi e se eu quisesse eu o teria melhorado, porém acho que ele expressa o que eu eswtava sentindo no momento.

O texto abaixo não é a minha vida inteira, e sim um resumo de alguns dos problemas que eu tive e estou tendo. Inclusive eu estou no meio de um dilema moral, mas que eu julgo ser necessário ser feito da maneira que eu estou pensando.

As veses o sistema não ajuda. Uma vez eu precisava de um remédio porém eu não tinha dinheiro para pagar, cada caixa custava R$300,00, então tentei o SUS e com posse da receita especial fui tirar o remédio, porém a farmácia negou, disseram que o remédio era somente para esquizofrenicos e não para bipolares, pois a esquizofrenia é mais grave. Eu tive que me consultar com um novo médico e mentir que eu era esquizofrenico para conseguir o remédio(atualmente penso que não era uma mentira, pois os meus sintomas quase se igualam ao dos esquizofrenicos e o remédio serve para os dois casos. Sem o remédio a crise pode ser tão séria quanto).

Se quizeres falar comigo este é o meu e-mail: azvisualbr@yahoo.com.br

“Bom, eu tive indícios de minha doença aos 8 anos de idade, aos 11 anos tive os primeiros sintomas de depressão e das esquisitices. São muitos fatos que eu poderia relatar…

Fui diagnosticado inicialmente como um possível esquizofrênico e só recentemente fui classificado bipolar, apesar de eu ter sintomas de esquisofrenia. Desde a primeira consulta com um psiquiatra até o atual diagnóstico já passaram uns 10 anos, sendo que os primeiros sintomas começaram a mais de 20 anos.

Tive vários problemas com esta doença, e das inúmeras insanidades/loucuras que eu sofri 5 delas me tiraram totalmente da realidade.

Eu já tive delírios auditivos: conforme o pensamento que eu tinha eu ouvia um choro de bebê, ou o barulho de uma chibatada, ou de fogos, ou de sinos, e até ouvi pessoas rezando do lado de fora da casa, e também ouvi uma música celestial do tipo clássica.

Já tive delírios olfativos: no surto eu sentia sempre um perfume que eu julgava sentir porque estava no Céu/Paraíso, um perfume muito agradável que eu nunca havia sentido, porém eu senti em 3 dos meus grandes surtos. O perfume era um termômetro, pois quando eu sinto o perfume é porque eu entrarei em crise.

Uma vez eu apertei bem forte o pescoço da minha esposa e arrastei ela para fora de casa pois ela não queria atravessar o portão que nos levaria ao Paraíso…então tive que força-la a vir comigo…

Penso que o que torna a doença a “da’moda” é que estão sendo mostradas pessoas que estão com uma boa situação financeira, no qual o escape da bipolaridade é gastar dinheiro com 3 carros num só lance, comprar uma coleção de livros, várias roupas, sexo deliberado, aventuras desproporcionais, etc. E ainda são citadas pessoas que tiveram sucesso intelectual e financeiro ou que eram gênios criativos e pessoas impar no seu modo de pensar. Todas essas pessoas podem ter tido essa doença, porém nem todas as pessoas que tem essa doença obtêm sucesso ou encaram a doença como se tivessem poderem especiais que a tornaram bem-sucedidas, pois muitas pessoas devem apenas sofrer com a BIPOLARIDADE.

Quem não quer ser assim: gasta o que quer, faz sexo compulsivamente, cria obras de arte quando ta maluco, escreve romances e peças de teatro inimagináveis, tem aventuras em vários países, torna-se desinibido de uma hora para outra, etc…

Uma vez assisti um documentário onde a pergunta era mais ou menos assim: - se você tivesse uma chave que desligasse a bipolaridade você a desligaria? Ou seja, você acabaria com todos os seus sintomas?

Muitos responderam que gostavam de serem bipolares e que não gostariam de perder as “qualidades” de um bipolar.

Gente, parabéns para todos os bipolares felizes e para as pessoas que gostariam de ter esta doença, vocês devem ser abençoados/superdotados.

Pra mim não foi bem assim:
- Já perdi 2 empregos (só não perdi 3 porque o meu primeiro emprego foi na empresa do meu irmão e ele esperou 6 meses até eu me recuperar do surto);
- Fui internado umas 5 vezes no sanatório, quase morri fugindo da pombinha branca (carro do hospício) pois eu assustei um morador por invadir a sua casa e ele chamou os vizinhos que vieram com porretes e armas de fogo para me pegar;
- Não faço sexo com minha esposa há milênios por causa da depressão;
- Parei no ultimo ano da faculdade e já faz 3 anos que eu não tenho coragem de voltar e concluir o curso;
- Uma vez fiz um empréstimo, mas não para ficar gastando atoa, mas sim para fugir da minha família que queria me internar e eu tinha planos de ajudar pessoas carentes do outro lado do rio, então eu ia pegar um barco e viajar 4 dias até o interior do Amazonas. A viagem foi interrompida porque o meu pai descobriu o hotel onde eu estava e me levaram para a internação.
- E na depressão, quase tomei veneno enquanto estava trancado num banheiro.
- Não posso ter religião ou me envolver em assuntos místicos. Mas ainda acredito em Deus. Quando era criança tive algumas experiências estranhas. Numa brincadeira, coloquei uma pirâmide na minha frente, sentei na posição de lótus e fiquei repetindo por uns 20 minutos: “cai lustre, cai lustre…” O lustre não caiu. Quando eu estava assistindo o Pica-pau, depois de 1 hora, já tinha até me esquecido da brincadeira, imagina o que aconteceu? O dito lustre caiu e se espatifou no chão (Será que eu ganhei na loto? Foi apenas sorte ou coincidência?). Também tive uma experiência com clarividência. É por essas e por outras que eu sou uma pessoa muito impressionada, pois tem coisas que não têm explicação. Resumindo, estes são assuntos que estão proibidos, não posso nem ler uma Bíblia.

Bom, tenho muita coisa pra falar, fico indignado com quanto a máximas que definem a bipolaridade: “ela comprou 1000 pares de sapato, 3 carros”, “essa doença só dá em pessoas inteligentes e famosas”, “essa doença ta na moda”, etc…

Daqui a pouco tem gente escrevendo nos classificados: procura-se Bipolar recém-formado, eufórico, que não se canse de trabalhar, maníaco por dinheiro e não conformista com a vida infeliz que leva.

No meu caso eu poderia descartar o termo Bipolar por “loucamente-depressivo”.Não estou preocupado em colocar panos mornos na nomenclatura da doença.
Também penso que há casos diferentes de bipolaridade que não são falados.
Todas as entrevistas que vi na televisão, os psicólogos comentam que é uma doença totalmente controlável com medicamentos e que a pessoa pode ter uma vida plena tanto na vida social como no trabalho, etc…
Pra mim não tem funcionado bem assim. Ja tomei outros medicamentos, porém tenho tomado o Lítio somente a 1 ano, recentemente tive 3 pequenas crises que poderiam ter sido no meu trabalho - ainda bem que estou desempregado. Numa destas “pequenas crises” tive muita vontade de bater na minha esposa, foi por um triz, estava muito violento, agitado por um problema simples. Mesmo com o Lítio ainda sinto depressão a mais de 3 meses. O meu médico não quer me dar antidepressivos porque acha que eu posso ir para o lado da mania/euforia ou sair fora da realidade.
Uma vez perguntei indignado para o meu psiquiatra porque eu não melhorava da depressão e não parava de pensar em coisas malucas mesmo tomando os melhores medicamentos, e ele respondeu que os medicamentos não controlam os sentimentos nem os pensamentos, nem controlam a vida externa que nos influenciam, ou seja: estamos vivos e também temos que controlar os pensamentos, atitudes e ambientes em que vivemos. Os medicamentos são apenas uma parte do controle da doença.

É muita coisa pra falar, então gente, penso que não é tão simples assim. Existem casos e casos de bipolaridade. O livro “Mentes inquietas” é apenas um conto de fadas. Uma matéria na revista Época do começo deste ano descreveu a doença de uma maneira bem divertida, o pior exemplo que a revista deu era que a pessoa em estado de euforia podia achar que era o Super-homem e tentar voar pela janela ou então gastar muito dinheiro. Só pode ser brincadeira.

Quem viu os jornais recentemente acompanhou o caso de uma bipolar que andou com o carro na contramão por 5 quilômetros. Mais tarde, um programa de TV mostrou a ficha criminal da moça, eram vários metros de delitos (só uns 150). Num dos delitos a moça fez um escândalo porque queria que a lojista trocasse o seu óculos por um bem mais caro sem que ela tivesse que pagar a diferença. Coisas de um bipolar…”

suru disse...

Olá Glória,
Sou pesquisador da LSE em Londres. Estou fazendo pesquisa sobre minisséries brasileiras, incluindo 'Amazônia' e 'Hilda Furacão', e gostaria de falar contigo sobre a sua obra, seu processo de criação, de pesquisar, as temas, etc. Por favor, poderia contatá-me ao endereço de email niallpbrennan@gmail.com? Seria uma grande ajuda à minha pesquisa.
Muito obrigado,
Niall Brennan

Cassius Martins disse...

Que delícia de Blog,estou adorando.
Coloquei como um dos meus favoritos,beijos

lourdes aparecida de oliveira cunha disse...

Oi Glória.
Falamos de um Centro de Atenção Psicosscial no interior de São Paulo, Martinópolis, que é um centro que atende 160 pctes com transtorno mental grave. O trabalho que realizamos é de convivência, humanizado, tem como objetivo a inclusão social, a prevenção à internação em hospitais psiquiátricos, a socialização, a redução de danos, o apoio e a orientação a família e a manutenção da qualidade de vida do usuário do serviço. Com uma equipe multidisciplinar de 20 profissionais, fazemos parte de uma rede de serviços e temos a grata satisfação de sermos referência em nossa região. Estamos muito felizes por você estar abordando este tema na sua próxima novela e estamos certos de que a discussão do transtorno mental, muito contribuirá para as famílias brasileiras e para que profissionais modifiquem o conceito e os pré-conceitos existentes. Gostaríamos de pedir se houver possibilidade que você aborde a reforma psiquiátrica para que a população perceba a diferença entre o tratamento realizado antigamente e o possível.
Colocamos a disposição para laboratório, pesquisa, dúvidas o que pudermos contribuir de nossa experiencia diária ficaríamos muito feliz de ter em nosso meio você, algum colaborador seu ou mesmo o ator que fará o papel.

lourdes disse...

Oi Glória.
Falamos de um Centro de Atenção Psicosscial no interior de São Paulo, Martinópolis, que é um centro que atende 160 pctes com transtorno mental grave. O trabalho que realizamos é de convivência, humanizado, tem como objetivo a inclusão social, a prevenção à internação em hospitais psiquiátricos, a socialização, a redução de danos, o apoio e a orientação a família e a manutenção da qualidade de vida do usuário do serviço. Com uma equipe multidisciplinar de 20 profissionais, fazemos parte de uma rede de serviços e temos a grata satisfação de sermos referência em nossa região. Estamos muito felizes por você estar abordando este tema na sua próxima novela e estamos certos de que a discussão do transtorno mental, muito contribuirá para as famílias brasileiras e para que profissionais modifiquem o conceito e os pré-conceitos existentes. Gostaríamos de pedir se houver possibilidade que você aborde a reforma psiquiátrica para que a população perceba a diferença entre o tratamento realizado antigamente e o possível.
Colocamos a disposição para laboratório, pesquisa, dúvidas o que pudermos contribuir de nossa experiencia diária ficaríamos muito feliz de ter em nosso meio você, algum colaborador seu ou mesmo o ator que fará o papel.

Anônimo disse...

Alexandre Lima:

Oi Glória, sou Alexandre Lima, moro em Maceió - AL e aqui nada acontece, tudo é muito restrito. Sei que sou apenas mais um tentando se dar bem na vida, tenho apenas 23 anos e grandes idéias e sonhos. Um deles é ser autor de novela, sou uma pessoa muito criativa e tenho muita determinação, passo horas diante do computador escrevendo, já fiz dezenas de textos para o teatro e já tenho uma grande história para uma novela. Pode parecer bobagem, estou atirando para todos os lados, mas quero ver esse meu sonho se realizar. Tenho plena ciência de que escrever uma novela é algo bem mais complicado do que eu imagino, mas não estou querendo brincar de casinha, quero mostrar meu talento. Peço uma oportunidade, quem sabe para fazer parte do grupo de pesquisadores para sua próxima trama.

No aguardo...

alexanderlima22@gmail.com

Anônimo disse...

Oi, Gloria. Aqui é a Tati, nossa!quanto tempo estavas fora da TV, senti falta, sei quem da a ultima palavra é você, pensa com carinho colocar o ator Rafael Calomeni gostei muito de sua última atuação como o vilão Hécules, seria maravilho ve-lo nessa novela,beijos e muita luz para você
Tati

Geo disse...

Parabens Gloria Perez pela coragem de abordar a tematica da saude mental. Gostaria de sugerir que tambem visitasse os Caps(Centro de Atençao Piscossocial) que sao justamente a resposta aos hospitais psiquiatricos que por "humanizados" qeu sejam continuam sendo hospitais psiquiatricos. Os Caps tem uma proposta comunitaria muito mais HUMANISTA. Alem dos varios trabalhos artisticos que pode encontrar.

Sou, Geo Britto, do Centro de Teatro do Oprimido, direçao de Augusto Boal, e realizamos oficinas e espetáculos com usuarios, familiares e profissionais atraves das capacitaçoes que realizamos em mais de 60 dos 1200 Caps do Brasil
www.ctorio.org.br

Maria Gabriela disse...

Oi, Glória,
Que bom que vc vai abordar a questão dos problemas mentais.
Diversas experiências inovadoras vem sendo construídas neste campo, na tentativa de superar a privação de liberdade, exclusão e tutela cerceadora que caracterizou historicamente os hospitais psiquiátricos.
A frieza e distanciamento de homens de branco que colocam camisas de força representam um drama senso-comum frequentemente visto em cenas de novelas. Contudo, um tratamento mais humanizado, que considera a loucura como um modo diferente de ser, onde há vulnerabilidades e cuidados específicos que podem ser oferecidos em liberdade vem pautando diversas experiências como os CAPS, as Residências Terapêuticas, os centros de convivência.
Eu participo do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim, na periferia de Fortaelza, que integra também terapêuticas complementares, além de uma cocepção bio-psico-sócio-espiritual de ser humano. Espiritualidade não como religiosidade, mas como religação através de diversos caminhos, com o transcendente. E a saúde mental tb tem tudo aver com isso.
Espero que vc possa mostrar um panorama diversificado sobre os problemas mentais em sua novela, visto os hospitais psiquiátricos e suas formas de tratamento quase que exclusivamente medicamentosos serem o senso-comum.
Boa sorte!
Gabriela

Edvaldo disse...

Prezada Gloria Perez, como vai?
Seria redundante falar do envolvimento que suas novelas traz para o público. Sou usuários dos serviços de sáúde mental, pesquisador do Laboratório de Estudos e Pesquisas em saúde Mental (LAPS) e militante do Movimento Nacional de Luta Antimanicomial. Trabalhei durante anos na TV Pinel e acho que a senhora deveria conhecer o trabalho que é feito pelos usuários do Pinalel. Aleém da TV Pinel, tem o Papel Pinel, a Cooperativa da Praia Vermelha, o grupo Transmutação e muitas outras inciativas. Acho que a senhora terá um bom material de pesquisa e divulgação naquele espaço.
Um abraço,
Edvaldo Nabuco.

Mateus disse...

oi gloria,
como faço pra ter contato
com as suas pesquisadoras?
gostaria de ter uma conversa com elas.
abç.

Dayan disse...

Glória

fico muito feliz por retratar a esquizofrenia, suas nuances e mostrar que o portador é uma pessoa como qualquer outra, eu e todos que conheço estamos torcendo para uma quebra do preconceito, Dayan.

http://www.deliriocoletivo.com.br

Mixy disse...

Maravilhosa a abordagem sobre um transtorno mental, eu, bipolar f* e mal paga vou adorar!!

Só um pedido: será que o povo da TV, aprenderia a usar o plural corretamente? Eu não aguento mais ouvir que ´setenta por cento SÃO´, que ´a maioria FORAM´, que ´um deles SE CALARAM´.....to ficando doida de verdade!

Abraços e bom trabalho,

Mixy

Mixy disse...

ah, meu email: lamixy@gmail.com

Anônimo disse...

Olá, sou uma fã portuguesa que adorou todas as suas novelas que passaram em Portugal especialmente O Clone. Por isso, tenho a certeza que a próxima também vai ser um êxito porque a pesquisa da sua equipa é muito intensa e profissional. Gostaria também de pedir para Dalton Vigh representar uma sua personagem. Espero com ansiedade a sua nova novela no meu país até porque a nossa ligação à India também é profunda. Beijos. Célia Lucas

carolzinha disse...

Oii GLóRIA AQUI ESTOU + UMA VEZ, PARA PEDIR A VC, Q COLOQUE A JULIANA KNUST NO ELENCO, DE PREFERENCIA PARA contracenar com O BRUNO GAGLIASSO DE QUEM SOU MUITO FÃ...POR FAVOR PENSA BEM NISSO, CONVIDA ELA ...Eles formam um lindo casal vai dar muito certo...
SE ELA FOR RABALHAR NA TRAMA NOS AVISA TÁ...

SE PUDER ME RESP..

carol_inocencio@hotmail.com

juhi disse...

Oi, Glória!
Por favor, aceite meus parabéns. Acabo de ler seu conteúdo cuidadosamente, sobre Caminhos das
Índias.Vocé é única, entre os modernos autores... por sua inteligência e sucesso em todas novelas que escreve. Sou apaixonada pela Índia, apesar de eu ainda não ter tido a oportunidade de conhecer esse País tão místico e espiritualizado.

Deus permaneça sempre ao seu lado.

Leibnit(Juhi)

Grupo OM disse...

Que felicidade pensar que a cultura indiana irá ficar um pouco mais próxima da consciência dos brasileiros...estamos precisando muito disso...
Somos um grupo de pesquisadores, atores, bailarinos, músicos e a artistas visuais que trabalham e vivem sob essa ótica, uma experiência rara no ocidente. No mês passado, fizemos temporada do Mahabharata, obra fundamental para a filosofia, arte, cultura e religião da Índia na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre. Esperamos em breve mostrar esse trabalho aí no Rio. Aí vai o endereço de nosso blog : www.grupoom.blogspot.com
Hare Om
Kali (coordenadora do Grupo OM)

Anônimo disse...

Bom eu gostaria de ver o Bruno Gagliasso mais veses saber mais sobre o Tarso,tem falado-se pouco sobre ele, não estão colocando fotos,então seria legal mais imformações...Muito obrigada

malena disse...

Oi Glória gostaria muito de ver a juliana knust contracenando com o Bruno gagliasso, sou fã deles e juntos eles seriam perfeitos o que vc acha.Se gostar da ideia responda...

Anônimo disse...

oi gloria gostaria de ter mais informações sobre o tarso, tenho visto muito pouco sobre ele no site...

Anônimo disse...

Oi Gloria...
Sou o Francisco que trab oficina de artes lá no CPRJ.

ontem dia 29-10 fizemos várias fotos do Bruno no athelier de pintura do HD se voce quiser as fotos é só falar comigo o Bruno tá com o meu numero e email.

Abraços, e que venha logo janeiro!
Francisco(chicodesigner)

Anônimo disse...

Oi,Gloria sou sua fã, torço por vc que sua novela seja um grande sucesso, faz algum tempo que não vejo uma novela bombar na tv, tipo " todo mundo comentando " mas a suas sempre trazem novidades por isso estou na expectativa que seja um sucesso...Parabens pela escolha do elenco vai bomba, por que é assim que Deus que. E parece que o Marcos Winter esta no elenco, to muito feliz pois sou muito fã dele tambem, ve se da um papel bom pra ele, quero ve ele fazendo um baita sucesso tambem porque o adimiro muito..Sucesso pra todos boa sorte e um feliz 2009........