sábado, 8 de novembro de 2008

"Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas!"



A polícia identificou o assassino da menina Raquel: Jorge Luiz Pedroso Cunha, pedófilo militante, devia estar preso, condenado que foi por crimes de homicídio e estupro.

Mas nossa justiça, sempre tão condescendente com o crime, aprovou por unanimidade um pedido de comutação de pena, e devolveu o predador às ruas!

A "graça" custou a vida da menina Raquel!

225 comentários:

1 – 200 de 225   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Só nesse país de M... mesmo!
parabens por não se calar
Maurício B.

Anônimo disse...

Só nesse país de M... mesmo!
Parabens por não se calar
Maurício B.

solstício de verão disse...

Oi Glória! Fiquei sabendo que vc abordará em sua nova novela o cotidiano dos professores de escola pública. Fico muito agradecido por isso, pois sou professor de geografia na rede pública de São Paulo, e a tempos fico frustrado com a pouca importância que a sociedade e os governos dão aos professores, mas vc com toda a sua maestria em escrever novela mostrará a realidade que os professores enfrentam. A novela é importante, pois através dela a sociedade fica a par de assuntos importantes. Muito obrigado Glória.
Eu estou apenas a 2 anos lecionando, e sofro muito, pois tenho o dever de ensinar, mas tenho o direito de ser respeitado em sala de aula, e não violentado verbalmente e fisicamente por alunos, como já sofri. Sonho com uma escola de qualidade que forme cidadãos.
Denis Roger Faria

Ricardo Zanon disse...

É um absurdo isso! Daqui a uns dias ele vai estar solto novamente. Essa lei é vergonhosa mesmo!

VIVA A LIBERDADE DA INTERNET! disse...

Olá,amiga e solidária! É um milagre que alguém com seu destaque se interesse por nós, professores da rede pública!Obrigado! Dois comentários, apenas, entre os muitos que poderiam ser feitos:por favor, não deixe que caiamos na galhofa, coisa tão comum quando assuntos sérios vão para a TV, transformando problemas em piadas, e, se possível, ajude-nos a ter contato uns com os outros, sem que o Todo Poderoso do Palácio dos Bandeirantes possa nos identificar e nos prejudicar, vingativo que é e apoiado no RGS (Regimento dos Servidores Públicos) que, ranço da Ditadura,impede nossas manifestações sobre os absurdos que acontecem na escola pública de SP.

Eliane disse...

4Ola, Glória, tudo bem?
Que Deus esteja sempre nós abençoando,dia a dia!
Glória fiquei sabendo, que vc irá fazer uma novela que fala sobre os esquizofrenicos, pois é, é uma barra só para quem passa por este problema, principalmente guando o filho nasce bom é aos 14 anos aparece esta doença, Pois meu filho hoje tem 17 anos, é há 03 anos eu batalho, é continuo batalhando. Principalmente na familia pobre como vc vai questionar o ator Sidney. As pessoas comentam, dissem q é maluco. Mais hoje meu filho está ótimo, com muito tratamento, a base de remédios, carinho é o essencial para eles, é tb muita paciência, e confiança em Deus, sempre!
Se vc precisar de alguma coisa, minha familia esta preste a te ajudar, nessa caminhada. Sei lá um dia com ele, uma semana, para acompanhar o seu dia a dia, para realmente ver como eles se comportam, amostrar a realidae, estamos ai.Meu filho é muito dossil, vai adorar,é e ate bom para a auto estima dele. Vc esta de Parabéns, mais uma vez amostrando a realidade da vida, hoje temos tudo amanhã nunca se sabe, o que vem por ai.
Eliane, BJS!

Anônimo disse...

É Glorinha, infelizmente esse é o nosso rico país, que só pensa em petróleo, o presidente só viaja, os politicos só roubam, os policiais só matam, e os criminosos estão a solta...até quando né???? É uma pena, Deus a todo momento nos agracia com uma rica natureza, animais, lugares que nenhum pais do mundo sentimos tanto a presença Dele, e o homem a cada dia que passa está mais nojento, mais podre, por dentro e por fora...Enfim...me doi tudo isso, bom é saber que podemos contar com pessoas que possam positivamente invadir a mente do ser humano como voce, em seus trabalhos que abordam temas importantes para a sociedade.
Ah, e minha amiga Rosane Golfman, um ser tão linnnnndo, iluminado...ja encontrou um belo papel pra ela na sua nova novela???
beijos....fica com Deus! Érika

Shima disse...

A impunidade neste país é uma coisa absurda!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Pedófilo é um psicopata, embora tenha gente que diga que não... nesse sentido, só temos muito a lamentar. Glória, você fez muito bem em indicar o livro Mentes Perigosas da Ana Beatriz, lá ela explica quem são esses seres abomináveis: assassinos, estelionatários, políticos corruptos, pedófilos, executivos... todos disfarçados. Estou super curiosa com a próxima novela. A Letícia Sabatella como uma psicopata não assassina vai ser ótimo pra mostrar ao público como corremos perigo o tempo todo. Parabéns! Sucesso sempre!

Graciela Pozzobon disse...

Prezada Glória,
Parabéns pelo blog, pelo seu lindo trabalho e pela postura corajosa em relação a impunidade no Brasil. Sempre procuro passar por aqui para dar uma olhada. Sou atriz e desde 2003 desenvolvo também um trabalho com acessibilidade em produtos audiovisuais e peças de teatro para pessoas cegas. Este serviço chama-se audiodescrição. Trata-se da disponibilização de uma banda de áudio extra, contendo a descrição das cenas com informações relativas a cenário, personagens, expressões e ações que aconteçam nos silêncios. A audiodescrição não interfere na obra artística já que ocorre nos espaços entre falas e apenas descreve o que está acontecendo na cena, sem julgamentos ou explicações. Na televisão a audiodescrição poderá ser disponibilizada pela tecla SAP, espaço esse que fica sem utilização em produtos brasileiros como as novelas. Este serviço possibilitaria a inclusão de aproximadamente 16 milhões de brasileiros (cegos e com baixa visão) que se encontram excluídos de produtos de entretenimento. Já realizamos testes comprovando que é possível inserir a audiodescrição ao vivo em novelas o que não interferiria em nada na logística da produção. Estou disponível para explicar com mais detalhes o trabalho. Mais informações no site: www.audiodescricao.com.br e www.blindtube.com . Entrevista no Programa do Jô em 20/10: www.g1.com.br Obrigada e um abraço. Graciela Pozzobon.

Anônimo disse...

Glória assista esse filme "Donnie Darko" fala sobre esquizofrenia e o personagem ainda é parecidissimo com o Bruno Gagliasso.

http://www.youtube.com/watch?v=8wqVHjK2bQs


J

Matheus Braga disse...

Cheia de Vida...Linda menina que tão cedo se Foi...Mais por se tratar de um ser tão Inocente tenho certeza que "DEUS" se responsabilizou em guardar seu Espírito num lugar Muito Especial...Força aos Famíliares, que DEUS Abençoe e Conforte seus Corações...
www.matheusbraga.com.br

RENATEX FREAK disse...

Oi Glória, o Brasil é isso aí, estupram, matam e mesmo assim, são considerados que não fazem mal à sociedade. São soltas por alguma brecha das leis ou bom comportamento na prisão...
Se esta criatura tivesse sido morta a pequena Rachel estaria vivinha, sorrindo... Por isso, psicopatas, pedófilos, deveriam ir para o paredão e serem fuzilados. A bala utilizada, pagaríamos com o maior prazer, pois, seria um benefício para a sociedade.Só que os primeiros que deveriam fazer as honras no paredão seriam o Guilherme de Pádua e a Paula Thomaz, consequentemente, o casal Nardoni, a Suzane, Cravinhos, Lindemberg... Depois, serem jogados nas labaredas do fogo do inferno que mesmo assim ainda será pouco pelo que fizeram....

Anônimo disse...

Hoje nos jornais, mais uma criança (menina) estuprada e assassinada, por um "ser" dito humano...a mãe da criança não quis namorá-lo, ele se enfureceu e matou a filha..até quando? Até quando as mulheres serão vistas como objetos? Quando se fará justiça pelos milhões de mulheres e meninas mortas impunemente por homens?

Andréia disse...

Oi!
Glória, ouvi essa semana um comentário que me revoltou, a pesso disse o seguinte, já virou rotina a violência no Brasil, fiquei super revoltada, e acredito que é por isso que o país vai mais fundo ainda no buraco, as pessoas dizem isso pq nao viveciaram isso dentro da sua própria casa, não sou mãe ainda, mas imagino a dor de uma mãe perder um filho, tenho exemplo dentro da minha casa, meu irmão foi brutalmente assassinado por causa de um carro, até hj ninguém foi punido, imagino a dor da mãe dessa pequena garota e de tantos pais desse Brasil eu tinha 13 anos quando a Daniela foi assassinada e até hj não me esqueci!
Amo seu trabalho, e acho vc um exemplo de mulher, mãe e guerreira!
Bjokas no seu ♥

Beth/Lilás disse...

Glória,
Estou simplesmente enojada com aqueles que detém o poder nas mãos neste país!!!

Reparem que a cada dia cresce a violência, mata-se a troco de nada, torturam crianças e mulheres, jovens, velhos, animais e nada, nada, nada é feito para conter isso.
Nosso presidente viaja e só sabe falar sobre a nossa boa situação financeira, coisa esta que não é verdade também. Só pensam no lado financeiro do Brasil.

Sinto vergonha de ser brasileira, esta é a verdade.
abraço

Fabiano Costa Figueiredo disse...

Esse pedófilo assassino deveria ter sido condenado à pena perpétua, até porque já tinha estuprado um garoto logo depois que saiu da cadeia, mas eu li nos jornais que a polícia ainda não conseguiu provar a culpa deste maníaco no caso dessa menina curitibana. Mas não duvido da culpa dele.

Anônimo disse...

Trestes os crimes, principalmente envolvendo crianças.Dói saber da
impunidade que nos assola.Tenho recebido muitos comentários sobre esse assunto. Triste, também, é que nada foi postado (ou pelo menos não recebi) sobre EDUCAÇÃO!!!
Será que esse assunto não desperta atenção? Ou será que o crime é mais interessante, emocionante? Essa nossa sociedade... Não sei não...

Êidina Queiroz disse...

Olá Gloria Perez, aqui estou novamente, uma acreana com muito orgulho. Do meu blog eidinaqueiroz.blogspot.com acompanho o seu e o do Altino Machado. Em abril/2009 estarei em Rio Branco.
Estamos testemunhando mais uma vez a impunidade e a falta de competencia e interesse por parte de autoridades. Mais uma vez, venho aqui dizer que os nossos códigos Penal e Processo Penal devem ser mudados com urgencia, estao arcaicos, obsoletos, nao servem mais para os nossos dias, onde certos seres humanos estão ficando cada vez mais parecidos com feras, agem como animais, portanto, devem ser tratados como tal, devem ficar enjaulados, nao podem ficar em meio aos demais normais, que nao rugem nem dão gritos bestiais, não devoram, nem atacam, nem matam.

Anônimo disse...

GLORIA, ABORDA HOMOSSEXUALISMO COMO GENTE COMUM DE RESPEITO PARA MUDAR O CONCEITO DO POVO AFINAL NOVELA REFLETE MUITO A VIDA DAS PESSOAS PRINCIPALMENTE A CLASSE MEDIA E BAIXA QUE SAO MAIS PRECONCEITUOSOS. POR EXEMPLO NA A FAVORITA O GAY É VISTO COMO O ESQUISITINHO, TRATAM ELE COM INFERIORIDADE. MEU SONHO É VER UMA CENA EM NOVELA EM QU NA HORA DE UM ATO HOMOFOBICO UMA TESTEMUNHA CHAMA A POLICIA E PRENDE O AGRESSOR. TAMBEM QUANDO PASSA NA RUA UM GAY UMA VISINHA AO VER A OUTRA FAZER AQUELES FAMOSOS RISINHOS DEBOCHANTES A OUTRA A REPRENDE E DIZ QUE NAO VE GRAÇA E PEDE RESPEITO. AJUDE-NOS A LEI QUE ESTA PARA ENTRAR PPOR ESSES DIA TAMBEM VAI NOS AJUDAR MUITO

Anônimo disse...

Incrível, simplesmente inacreditável como a sociedade não percebe que a (DES)EDUCAÇÃO está na raiz de quase todos os males! Os comentários que leio são pobres em contúdo e paupérrimos em vocabulário, estrutura de texto...
Uma pena que a Escola tenha sido deixada na miséria em que se encontra, deixando o povo com interesses tão rasteiros...

pedro serra disse...

Professor é a profissão melhor avaliada pelo povo.Só perde para o corpo de bombeiros.Pena que a recíproca não seja verdadeira.
Professor é inimputavel.Nunca vi um professor ser preso por espancar aluno.E nenhuma escola ser responsabilizada por negar socorro a aluno que se acidenta.
As Casas Febens estão cheias de alunos presos por até tres anos apenas por revidar a agressão de uma professora.
Professor é inimputável.Tido como santo....Aluno é demõnio.
Para defender professor tem vários deputados professores em sao paulo.O presidente da comissão de educação da Alesp é um diretor de escola.
Ninguem para defender os alunos.
O professorado tem vários sindicatos o mais forte deles é a apeoesp o mais rico do Brasil.
Além de ser o mais rico o seu presidente de honra é o suplente do Senador Suplicy, então o poder absoluto corrompido absolutamente.
A Gloria Perez devia fazer laboratório na porta de uma escola da periferia,entrevistando os alunos e perguntando se sofrem violencia e que tipo.Ia ficar de cabelo em pé.Ia saber que a tortura a humilhação e a perseguição a alunos é a constante dentro das escolas.
Só ir lá e perguntar...

\pedro disse...

Em São Paulo tem uma tal de Ronda Escolar.São policiais armados a serviço da direção.
Em segundos os policiais atendem a chamada da direção.Não tem tempo do aluno se defender.
Vai direto para a delegacia e de lá para o juizado especial receber a pena.
Numa cidade como SPaulo onde falta policiamento ostensivo não falta para dar "segurança " para as professoras.
Hoje invadiram a escola amadeu amaral e bateram sem dó.Machucaram muitos alunos...
Só uma mãe teve coragem de fazer BO mesmo assim não recebeu a cópia do BO
Professor dizer que é agredido verbal e fisicamente dentro da sala de aula, é de dar revolta na gente...que isso não tem a menor possibilidade de acontecer.
Não é so em SPaulo.No Brasil inteiro acontece isso.
Em Ilicinea o juiz condenou dois alunos que roubaram uma bola da escola
Trabalho de faxina na escola durante seis meses.Saiu na Globo, um deles tinha 11 anos e o outro tinha sete.O
vassourão que a diretora da escola deu para o menor varrer o páteo da escola era maior que ele...
Isso é a justiça da escola
Essa é a escola onde os professores reclamam.

Anônimo disse...

Há mais de vinte anos vivendo o dia-a-dia das salas de aula, nunca soube de professor que tivesse agredido aluno. Infelizmente a recíproca não é verdadeira, a não ser na pobre cabeça de alunos (a maioria) que não têm a Escola que mereciam por uma escolha lógica das ‘autoridades’ educacionais, que assim preferem deixar ficar. Claro, quanto mais ignorantes forem nossos jovens, menos críticas e oposição farão aos (des)governos. Com a visão nublada pela ignorância, alguns alunos ainda se voltam contra os únicos que lhes poderiam proporcionar esclarecimentos, e fazem da sala de aula um verdadeiro circo, com o professor no papel de palhaço mal-pago. E ainda se acreditam capazes de fazer valer mentiras nos meios de comunicação! Querem apenas o papel que lhes dará direitos, sem cumprir as obrigações correspondentes. E alguns ainda acreditam ter visão mais ampla do que seus mestres! Pobres meninos, sofrendo nas mãos de alguns colegas agressivos e dispondo de tão poucos recursos nas escolas públicas! São tão inocentes que acreditam que vencendo a luta nas Diretorias de Escola, quando para lá são levados por professores a quem não deixam dar aulas decentes, estão vencendo na vida! Realmente dá pena.

DEusdete disse...

Anônimo
Não sei em que pais você vive.
No estado de SPaulo aluno sofre violencia de toda ordem todos os dias dentro da escola.
Hoje uma representande do Ação Educativa falou no SPTV que entre as muitas violencias que aluno sofre é a ausencia do professor na sala de aula.Professor não tem uma falta siquer no hollerith mas nunca está na sala de aula.
O Chalita declarou para a Folha em 2006 que todo ano a SEE recebe 2.000 denuncias de violência fisica contra aluno, e não respondeu para o jornal o que a SEE faz, eu respondo NADA...

DEusdete disse...

Ah...em tempo
O mes passado passou na Sonia Abraão do SBT o caso de um aluno de oito anos que foi obrigado a beber a própria urina como castigo
Aconteceu na EE Alfredo Bresser na rua Sumidouro em Pinheiros.
Ele fez xixi numa garrafa e mostrava para os amigos, como castigo teve que beber o xixi.
Sabe o que aconteceu com quem praticou essa violência conttra aluno ?
Nada....

Odele Souza disse...

Mais um caso chocante de violência. Como pode a justiça ter soltado este infeliz?!

"Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas" Tenho visto muitas "ovelhas" sacrificadas - inclusive minha filha - enquanto que os "lobos"seguem sendo poupados. Que revoltante.

Francisca Maria Gorete disse...

Deusdete, acho que os comentários do que acontece na escola pública postados aquí tem tudo a ver com o título, QUEM POUPA O LOBO SACRIFICA AS OVELHAS.
Eu também sou de SPaulo e quero lembrar o caso de Aricanduva.Recentemente acontecido
No Ceu de Aricanduva um aluno de 7 anos foi acusado de entopir uma privada do banheiro com papel higiénico.Ali os banheiros são sujos como a mairia das escolas.
A diretora retirou o aluno da sala, e o obrigou a desentopir o banheiro com a mão.Depois ela debochava dizendo que ele ficou com mer.da até nos cabelos, "para aprender" sua roupa ficou toda molhada e suja.A diretora arrumou uma outra roupa para ele vestir mas o mau cheiro fazia dele o motibvo de chacota da classe.
A mae denunciou e o aluno passou a ser perseguido ferozmente e teve que mudar de escola.
SABEM O QUE ACONTECEU COM A DIRETORA/
NAAAAAAAAAADA !
Na verdade a escola pública não tem onde piorar, mesmo assim sou mais uma mãe preocupada com o que a Gloria vai escrever na próxima novela.
Temos o medo que ela venha a esculhambar os alunos colocando-os como bandidos irrecuperáveis que só merecem cadeia como a grande imprensa pinta.

Carolina Pedroso de Moraes. disse...

está no blog http://cremilda.blig.ig.com.br
e fiquei pensando e lembrei da Gloria Perez....
--------------
PROFESSORA É TORTURADA POR ALUNOS: SIM , VERDADE...

Ainda na linha de transformar aluno de escola pública em bandido sanquinário a Globo atirou no que viu e matou o que não viu
Acertou sem querer....PROFESSORA DIZ QUE É TORTURADA PELOS ALUNOS.
Para uma professora que não gosta do que faz.Que não tem o menor talento,dar aula é uma tortura sim. Aluno que quer aprender e faz uma pergunta para professora que não sabe a resposta e não sabe explicar a matéria é uma tortura mental e física.
Essa é a grande diferença entre ser uma professora e uma educadora.
Professora é uma profissão.Educadora uma vocação.Uma professora que dá aula sem vocação é um sofrimento enorme para ela.Uma professora que dá aula por vocação dá aula com a maior facilidade.
Imagine um médico que detesta ver sangue.Um jornalista que não gosta de escrever.Um radialista que não gosta de falar.Um motorista que odeie dirigir.Impossivel imaginar qualquer um desses profissionais se dando bem,não é? Mas professora que não gosta de criança e que detesta dar aula ela se dá bem.Basta passar no concurso ou ser apaniguada de algum politico.Depois é só ser torturada e para se vingar ela tortura os alunos de modo efetivo e objetivo, para descontar seu descontentamente e seu fracasso.
Para a professora sem vocação dar aula é uma tortura, ela passa então a torturar sem ser punida.Repassa o sofrimento na forma de castigos fisicos e humilha os alunos constantemente.Um clima de ódio e ressentimento.A escola nessas consições sem nenhuma avaliação e sempre acobertada vira um inferno.Um antro onde o educador não pode cumprir minimamente sua função.
Em escola particular é diferente.Os alunos são iguais.A diferença é que professora sem vocação e sem capacidade não fica na escola particular.
Alunos de escola particular costuma receber o que aluno de escola pública não recebe.Embora a escola pública seja uma escola que os pais pagam a vida toda na forma de impostos, o aluno alí é tratado como estorvo.
A imprensa e as autoridades tem medo da competição e fazem das tripas o coração para demonizar aluno de escola pública.
Se aluno de escola pública tiver informação e uma escola de qualidade vai competir com os filhos dos figurões da imprensa.
Se aluno pobre tiver escola de qualidade não vai votar em politico corrupto nem aceitar escola corrupta. A Globo mesmo divulgou que quando mais ignorante o povo mais aceita a corrupção como normal.
Então os politicos e a imprensa tem interesse em demonizar aluno de escola pública, que é para a informação não chegar até eles.
Então desta vez a tônica do SPTV de hoje acertou no detalhe
PROFESSORA DE ESCOLA PÚBLICA É TORTURADA POR ALUNOS...VERDADE.

Anônimo disse...

Esta podem conferir:
Aconteceu hoje.
Na Escola Estadual Jose Duarte Junior.
Escola no Jardim São José ao lado de Marcilac, região mais pobre do estado de São Paulo.
A diretora montou no páteo da escola quatro brinquedos próprios de festas infantis, pula pula, piscina de bolinha e etc.Tinha também carrinho de algodão doce.
Liguei para a Secretaria de Educação a semana passada.E lá falei com o Fernando Padula chefe de gabinete da secretária.Ele me garantiu que não ia acontecer isso.Que era proibido.Que ia tomar providência.
=Que é proibido atividade de lazer para as crianças cobrando para isso.
Aconteceu, mesmo assim aconteceu
A diretora recomendou que os pais mandassem pelo menos cinco reias, que cada brinquedo custaria um real.
Quem levou dinheiro brincou e comeu algodão doce e maçã do amor.
Quem não levou ficou só olhando, ou olhando e chorando...
Um aluno de uns oito anos enrolou a barra da camiseta e chupava frenéticamente enquanto seu olhar vidrado ia de um brinquedo para outro ou mesmo parava no algodão doce na mão de alguma feliz aluno que tinha dinheiro para comprar.
Aula mesmo não tinha, aliás aula não tem desde o começo do mes.Que em escola pública as poucas aulas
terminam em final de outubro.O resto é enrolação.Agora está na moda esse mini parquinho.Se as mães quiserem mandar seus filhos para a escola com dinheiro tudo bem, se não tiver dinheiro azar da criança que fica olhando e babando...

Vanessa Crispin disse...

Gloria
Para saber a realidade de dentro de uma escola pública só mesmo conversando com alunos na porta da escola.
Eu trabalho numa escola pública e vejo coisas que acontecem com alunos que contando, até Deus duvidaria.
Acho que a Gloria Perez podia dar uma contribuição incrivel para a melhoria da escola pública.
Devia contar o que aluno passa alí.
O pais só vai sair dessa situação com a educação.
Só teremos uma escola pública de qualidade se aluno for visto e tratado como ser humano e não como um número.
Aluno não é visto como gente...
Veja a Bárbara Gancia, jornalista de renome disse que aluno de escola pública são BESTAS FERAS.
Aluno de escola pública são vítimas.
Se alguem resolver contar a verdade pode ser que haja protesto da corporação mas a verdade tem que prevalecer.
Esperando que a Glória preste atençao nessas figuras.
Mauro
Cremilda
Giulia
Vera Vaz
Caroline
Robert
Ivone
Vilma
Manuel Tertuliando
Anderson
Givanildo e uma porção de abnegados.Todos tem casos diários de abusos sofridos por aluno, com BO, testemunhas e tudo certinho...

VIVA A LIBERDADE DA INTERNET! disse...

bX-x2qlz6
Leio com atenção os comentários publicados aqui, e tenho reparado que quem os escreve tem pouco domínio sobre a escrita, o que significa que têm pouca instrução. Essa história de que o que vale é o conteúdo está jogando a escola no lixo. Faz parte do ‘empurrômetro” do Estado, que não quer de despesas com instrução de qualidade. Claro que é o mais importante é passar a mensagem, mas quem não domina a língua tem uma leitura pobre da realidade. Por isso que abordarei alguns aspectos que provavelmente essas pessoas não conhecem.
O primeiro aspecto é que quem comanda uma escola é uma diretora de unidade escolar, que não é eleita pelo corpo docente, mas imposta pela Secretaria da Educação. Muitas diretoras não são efetivas, e algumas nem formação suficiente têm, ficando dessa forma sujeitas aos caprichos das diretoras regionais, cujos cargos são “cargos de confiança”, eminentemente POLÍTICOS. Então, inclusive de acordo com os relatos que tenho lido, o 'lobo' é a diretora da unidade escolar, e não os professores, que também são ovelhas. Que também são sacrificados todos os dias. Os mais prejudicados, porém, são nossos jovens, sem dúvida, que estando na adolescência precisam de regras claras e firmes. Sem pancadaria, é óbvio.
O segundo aspecto é que a indisciplina nas salas de aula é, infelizmente, somente do conhecimento dos professores, já que pais ou mães não têm condições ou tempo para participar de algumas aulas e verificar o que os filhos de outros pais fazem. Claro que seus próprios filhos, em sua presença, bancariam os anjinhos, mas os demais não respeitariam ninguém, acreditem. O que mais falta, também, é coragem; que no caso não requer, mas o povão desconhece seus direitos (o Estado, através da escola pública de má qualidade, providenciou para que não soubessem), e as pessoas são barradas pela diretora e até pelos maus professores (que também existem, como em qualquer atividade ou profissão). Teme quem deve. E pergunto: quando o professor é o infrator, como tem sido afirmado pelos autores dos textos aqui publicados, não é da diretora a obrigação de puni-lo? Todo crime tem que ter punição.
Sou a favor da colocação de câmeras de vídeo nas salas de aula, mas há alguns aspectos que prejudicariam os professores, uma vez que o 'lobo' estaria de olho para criar problema onde só existe normalidade. Há opiniões contrárias, que tenho que respeitar. Afinal, não admitem câmeras nos consultórios médicos dos pronto-socorros, hospitais públicos, nas delegacias, postos de saúde, etc, certo?
A massa não sabe que o Estado é maquiavélico, trama contra o magistério, humilha os professores até o absurdo, sujeitando-os a todo tipo de misérias, a começar pelo salário. Compare-se o salário de um soldado da PM, iniciante (vide edital publicado na Folha de São Paulo de 18/8/2008), e será verificado que é bem maior que o do professor, que passou anos gastando tempo e dinheiro para se formar. É só ficar de olho nos jornais. Veja quanto oferecem, por exemplo, para um policial rodoviário iniciante(...O concurso visa preencher, imediatamente, 340 vagas ao cargo de Policial Rodoviário. As oportunidades estão abertas
a homens e mulheres que possuem o nível médio completo e, ainda, Carteira Nacional de Habilitação na categoria "B". O valor da remuneração inicial é de R$ 5.084). O salário desses profissionais é justo, o nosso é que não está à altura de nossa responsabilidade e conhecimentos.

O terceiro aspecto é o quanto ao que existe na escola pública. Dizem que há computadores à disposição dos alunos, aulas de informática, material esportivo...Há? Em que escolas? Naquelas que são preparadas para a visita das 'autoridades', não é?

Jorge Pacheco disse...

Senhor anônimo
Dizer que quem não escreve bem é burro é uma bobagem.
Profissionais do ensino e diretoras usam muito este argumento para desconsiderar os pais.
Estou lendo atentamente o que escrevem aqui e pode ser que o meu portuques seja acidentado também e vou tentar me fazer entender, mas sei que todos pagamos impostos e não precisamos ser muito letrados.
Cansei de ver a desculpa que a culpa era do Sistema.
Agora a culpa é do estado.Alguém muito longe e sem rosto.
Se professor espanca aluno a culpa é do diretor que acoberta.Geralmente o diretor nunca está na escola pública, ele deixa a escola na mão da panelinha.
A verba da escola que desaparece é culpa da diretoria de ensino que ão fiscaliza a diretoria.
A direitoria faz "parceria" com a escola.A Secretaria de Educação não fiscaliza as Diretorias.
Quer dizer que em São Paulo não temos aula,ninguém para fiscalizar
E não temos para quem reclamar,uma vez que é tudo uma panelinha.
Uma escola cuja verba é desviada e que dá maus exemplos está formando que tipo de cidadão?
Eu já provoquei a imprensa um milhão de vezes, para que os professores mostrem o hollerith
É 30 por cento a mais por isso, trinta por cento a mais por aquilo
até para quem engana no curso noturno tem trinta por cento a mais.
Quando tem escolha de classe, quase saem no braço para trabalhar a noite que tem trinta a mais também.
O que não pode e não tem para quem reclamar são os pais...
Se fazem parte de uma panelinha bem organizada, se a Secretaria de Educação de São Paulo é omissa e incapaz,vamos reclamar para quem?
O caso da Amadeu Amaral ficou claro.
Aluno são facções criminosas mirins que se enfrentam nos páteos
São bestas feras, policia neles !
Está tudo resolvido.
Não tem aula e nem bons exemplos, mas tem pancada e pronto
Assim vai o Brasil bueiro abaixo.

Anônimo disse...

COMPUTADORES DAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO
Computador as escolas de S.Paulo receberam e muitos. Se não estão lá,o caso é de cobrar da direção da escola. Se dinheiro vivo não dá para perguntar onde foi parar,computador também não dá...
Sei que em 2006 no final do ano o governador José Serra deu um computador para cada professor.Deu mil e poucos reais em dinheiro e se o professror quisesse um mais caro a Secretaria de Educação financiava o resto.Este ano vai dar um note book para cada um professor da rede.No mesmo esquema.
A desculpa é que professor precisava de um computador para preparar aula.Note book não sei para que.
Cursos o estade deu de monte para professor.Era mais um motivo para se ausentarem das aulas.
Os professores embolsaram os computadores e aprenderam mas as aulas continuaram piorando...
Essas informações eu tirei do site da Secretaria de Educação de São Paulo
Os pais que pagam impostos veem seus filhos saindo da escola analfabetos e os professores ganhando presentinhos e bonus de até 10.000,00 no final do ano.

Vilma Pereira de Godoy disse...

Sou Vilma Pereira de Godoy
meu email
vilmapromotoralegal@yahoo.com.br
Tenho tres filhos em escola pública
Morei no Taboão da Serra e hoje moro em Cotia.
No Taboão da Serra estudaram na escola municipal Rui Barbosa, tida como escola modelo.As escolas modelos do estado de SPaulo ensinam o mesmo que as outras,mas selecionam os aluno pela condição financeira. Essa escola tida como escola de riquinho.
Davam muita lição de casa, e nessas lições tinha o que a professora não dava na sala de aula
Quem não tivesse dinheiro para aula particular e nem internet para pesquisar não conseguia fazer as lições de casa.
Meus filhos faziam tudo, de vez em quando eu pagava uma aula particular aqui e outra ali, ou cursos para reforço.Ainda assim ficava mais barato do que pagar escola particular.
Eu ensinava o que podia, o meu marido quando chegava do serviço, embora cansado, tirava as dúvidas.
Assim são as escolas de elite, os pais ensinam em casa.Na escola era só aula vaga, violência e canalhice.
Agora minha filha mais velha está no ensino médio e está numa escola particular que no médio é mais dificil ensinar em casa.
Na escola particular, mesmo a mais barata, não tem aula vaga e a professora ensina na sala e a lição de casa é apenas para fixar.
Eu sou uma das mães preocupadas com o teor da novela onde a Gloria vai falar de violencia na escola
Sei que aluno de escola pública é tratado como bandido e estou preocupada.
Se a Gloria Perez fizer uma novela contando o que os alunos sofrem e como nós mães sofremos juntos, ia bombar...

Cassandra Leite disse...

HOJE
No programa Balanço Geral da Record foi entrevistada uma mae cujo filho morreu assassinado no banheiro da Escola Amadeu Amaral e a escola não foi investigada.
O aluno segundo a mãe não tinha problema e nem vício, era um adolescente de 15 anos sonhador e pacato.
Apareceu no banheiro da escola agonizando com sinais de estrangulamento.
Se foi aluno ou se foi professor quem cometeu o crime ninguem sabe.
O caso foi arquivado.
Escola pública de SPaulo é situação de risco para os alunos
Não sabemos se nossos filhos voltam da escola vivos ou no caixão
Se a gente pode também receber uma ligaçao da escola comunicando que ele foi preso por desacatar a professora ou qualquer outro motivo.
A situação é negra.Nigérrima.
A imprensa então se encarregou de transformar os alunos vítimas em feras....
Coisa aterradora...
Professor querendo sempre mais
Benesses, agradinhos,bonificações aumento de salário e menos aula...
Pobre de nós...
A dona Vilma tem razão...

mãe revoltada, indignada... disse...

Você Glória Perez, mais do que ninguém ia entender a indignação e as lágrimas da mãe que o Programa Balanço Geral mostrou hoje de manhã na Rederecord de televisão
O filho dela de 15 anos foi morto no banheiro da escola Amadeu Amaral
Apareceu com sinais de esgandura
Ninguém foi punido e nem a escola responsabilizada.O caso foi arquivado.
Agora vem a imprensa em peso demonizar os alunos dalí.
Morre ou sofre todo tipo de violencia dentra da escola pública em SPaulo e ninguem toma providencia
Afinal são BESTAS FERAS.....
~São apenas facções criminosas que se enfrentam e se matam....
Eñtão fica combinado assim
Aluno de escola pública, principalmente os de periferia, merecem é apanhar da policia todo dia mesmo, para as coitadinhas das professoras ficarem sossegadas em casa ou passeando com o seu ponto devidamente assinadinho.
Ninguem vai conferir mesmo....

Manuel Tertuliano disse...

Na Escola José Duarte Junior o garoto da primeira série chega em casa e conta para a mãe que teve que bater num amiguinho.
Ele contou que um colega dele muito danadinho apanhou de quase toda a classe.
A professora segurou com as mãos para trás para a classe bater nele.
Ele nem queria mas a professora então ameçou que se ele não batesse, ela o seguraria para ele apanhar dos outros...
Essa é a nossa escola pública que a imprensa insiste que so tem alunos marginais...
Forum em Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente de Marcila
Manuel Tertuliano

jurandir casado disse...

VEJO COM MUITA SATISFAÇÃO COMO OS PAIS SE IDENTIFICARAM COM O TÍTULO
DOS LOBOS
ESTÃO ESCREVENDO E CONTANDO PARTE DE SUAS EXPERIÊNCIAS.
DE FATO NA ESCOLA PÚBLICA ESTÃO POUPANDO OS LOBO "maus profissionais" E ESTÃO SACRIFICANDO OS ALUNOS...

Benedita de Jesus Costa disse...

Senhor Jurandir
Eu nem fico surpreso.
Só se podia esperar era isto mesmo de uma mulher com a envergadura moral da Gloria Perez.
Lógico que ela vai ser solidária.
Lógico que ela vai ficar do lado dos alunos de escola pública.
Aluno de escola pública é o elo mais fraco da corrente.Não tem a quem recorrer.
Já a corporação dos professores tem tudo a favor deles.
Tem a força política e tem sindicatos poderosissimos
Além disso em SPaulo tem um monte de deputado para defende-los.
Na Câmara Municipal de SPaulo só defendem professores.
Aluno é o último a ser lembrado.
Aluno chamado de bestas feras pela imprensa, é o cúmulo.
A Rede Globo chegou ao ponto de forjar os flagrantes no caso da Escola Amadeu Amaral.Ela colou imagens de outros lugare e até de rebeliao da Febem para justificar a perseguiçao aos alunos e para colocar a opinião pública contra eles.
A Gloria Perez tem capacidade e coragem para comprar essa briga.
Ela pode e vai lutar pelos mais fracos....
Eu acredito nela...
Os pais podem dormir sossegados, mais ainda podem esperar que ela só entra numa briga para ganhar, é uma mulher de garra.
Depois da novela contando a verdade a escola pública vai recuperar sua credibilidade.
GLÓRIA VOCÊ É A GLÓRIA MESMO...

Anônimo disse...

Este texto está no blog
http://cremilda.blig.ig.com.br

QUANTO VALE A VIDA DE UM ALUNO DE ESCOLA PÚBLICA?

Quando a imprensa não ignora completamente os casos de violência contra aluno ela divulga só uma notinha.
Muitas vezes este ano foi divulgado casos de omissão de socorro, de modo ligeiro e casual.Casos graves e leves de acidentes mas muitos casos.Omissão e descaso.Sem contar a agressão, os espancamentos e as humilhãções a que o aluno é submetido constantemente.
Nos graves incidentes da escola estadual Amadeu Amaral em SPaulo, a sanha de transformar os alunos em monstros, chegaram ao absurdo de forjar os flagrantes. As imagens não eram da escola e as que eram eram de uma outra ocasião nem se sabe em que situação.Uma delas crianças pequenas no teto derrubando telhas para baixo, nessa fica óbvio que não era da ocasião nem da escola.
Ontem a Record mostra uma mãe cujo filho de 15 anos morreu no banheiro da Escola Amadeu Amaral com sinais de enforcamento.A escola não foi responsabilizada e os culpados não foram encontrados.O caso foi arquivado.
Quero saber quando deve valer a vida desse aluno, e de outros que morrem nas escolas ou por omissão delas.
A imprensa vai para o outro lado para colocar a opinião pública contra aluno.Divulga sem cessar que o quebra quebra vai custar aos cofres públicos cento e oitente mil reais.Sempre mostrando indignação e lembrando que esse dinheiro vai sair do bolso do contribuinte.Ou seja do bolso do telespectador.
Queria saber quanto vale para o aluno os anos que ele passa na escola e sai analfabeto.Quanto vale anos da vida dele ?
Quando vale a vida de um aluno que morre dentro da escola?
Será que a mãe das vitimas podem responder ?
Da imprensa não esperem resposta além do costumeiro descaso
Afinal é apenas um aluno de escola pública...

VIVA A LIBERDADE DA INTERNET! disse...

bXx2qlz6

Ler é uma competência. Claro que ler inclui compreensão do que se lê, caso contrário não é leitura. Nem tudo o que se lê pode ser considerado verdadeiro. Há necessidade de fazer uso do bom senso para que acreditemos no que está escrito. Acreditar que algum professor recebeu bônus de dez mil reais é acreditar nas trapaças utilizadas pela Secretaria da Educação em suas publicações. Quem escreve demonstrando acreditar em algo tão inverídico não tem juízo. E ainda afirmar que quem trabalha à noite recebe trinta por cento de adicional...Isso é mentira, o percentual é de vinte por cento, e somente sobre o número de aulas dadas no período noturno, claro. Quanto às demais famigeradas “gratificações”, são um desastre, pois é com elas que se chega ao salário mais baixo entre os profissionais formados em cursos superiores no Brasil. Ao se aposentarem, então, os professores perdem essas “gratificações”, passando a receber apenas o salário básico, que é ridículo. O Regimento do Servidor Público (RGS) ranço da ditadura, impede que o professor se manifeste através de qualquer meio, punindo-o com exoneração se o fizer. Publicar o Demonstrativo de Pagamento também provoca exoneração. Mas se o cidadão que tanto ataca os mestres tiver a louvável atitude de entrevistar professores e solicitar que exibam o documento, desde que não cite seus nomes, verificará quanta falsidade andam afirmando. Leia, cidadão, leia com competência!

Elson disse...

Glória! Nosso país não tem Código
Penal,Tem um Código Paternal dos
anos 40, feito sob medida para os
Seres Nocivos á Sociedade.E esse
Código Paternal é apadrinhado por
um Congresso nacional que custa muito caro ao Declarante do imposto de renda e que não dá respaldo á Ninguém.
Do jeito que as coisas andam,acho
que o verdadeiro Brasil ainda vai
levar uns 500 anos para ser descoberto.

Anônimo disse...

Dona Cassandra Leite, cuide bem de seu vocabulário, com pena de ter suas frases, tais como
"A situação é negra.Nigérrima."
preconceituosa, assim como seus demais conceitos. Leia, Dona Cassandra, leia que o Brasil precisa!

Luizão... disse...

Professor BX
Eu ao contrário do senhor faço questão de colocar meu nome completo e verdadeiro.
Tenho lido os blogs da Cremilda da Giulia e li o livro da professora Gloria dos Reis.Ela tem nome e endereço e foi professora do estado durante 28 anos hoje defende o direito dos mais fracos o livro se chama ESCOLA INSTITUIÇÃO DA TORTURA.
O que se pede não é que a imprensa divulgue o hollerith de um professor com o nome dele, pode até passar um corretivo no nome, mas que mostre....
Na escola do meu filho o páteo está cheio de carrões carissimos que mostra entre outras coisas que professor está longe de ser o coitadinho que quer ser.
Que é a profissão mais importante do planeta não se pode negar, mas que precisa ser avaliado e punido também não dá para negar.
Professor é ser humano, terrivelmente humano.
O curso de pedagogia é o curso mais barato e mais curto que tem
Para ser um pedagogo segundo as brincadeiras que se ve em faculdae o único requisito é que tenha a inteligencia da profundidade de um pires.
O bônus deste ano vai chegar a 20.000,00 reais em algunsa casos segundo comentarios em Diretorias de Ensino
Se é mentira então está todo mundo mentindo desde a imprensa até as divulgações de sites oficiais
Os professores dessas comunidades no Orkut que ficam ofendendo pais e alunos contam como gastam esse bonus e morrem de rir....
Os casos de violencia que os blogs em defesa de direito de aluno contam tem nome e endereço
Fácil de checar, nenhum é anÕnimo.
Achar que os pais são burros, analfabetos é um engano.Apenas não tem uma instância onde reclamar.
Educação é a base do páis
Escola pública é tudo.
Um pais onde as escolas públicas são avaliadas como escolas nota zero, puxam a qualidade da escola particular para baixo.
Que professor tem de vinte a trinta por cento por tudo que é coisa é verdade.
Aposenta com seu salário integral, e com 25 anos diferente do trabalhador normal.Aposenta na prefeitura e no estado e continua trabalhando em gabinetes e secretarias, sinal que seu trabalho não é tão estressante como diz....
Luiz Roberto Gomes
luizrobertogomes2@hotmail.com

Jaqueline Freitas Dias disse...

Gloria Perez:
Grande mulher.
Veja este caso abaixo, a mãe fez o que qualquer mãe faria;
Na escola as professoras vao testemunhar a favor da coleguinha.
Vemos casos a lamentar muitissimo que os pais estão esperando os professores na rua para bater neles.
A falência total.Quando os pais vão fazer justiça com as próprias maos é sinal que não acreditam mais nas Intituições.Na verdade não tem um órgão para reclamar das violencias diárias que alunos sofresm
QUE PENA...COMO MÃE SINTO PENA DAS MÃES QUE NÃO TEM RECURSOS PARA COLOCAR SEUS FILHOS EM ESCOLA PARTICULAR...
mas o texto abaixo é para reflexão.
........................
PROFESSORA AGRIDE ALUNA, MÃE RECLAMA E É AGREDIDA TAMBÉM.

Uma professora da Escola Manuel Bandeira,Perus Zona Sul de Sâo Paulo,dá um tapa no rosto de uma adolescente .A mãe da aluna vai até a escola para tirar satisfação com a professora.Ela, a professora então agride a mãe também que reagiu.
O comum é a professora bater no aluno e se ele reage a Ronda Escolar é chamada, o aluno é preso e da Delegacia de Policia para a Vara Especial da Infancia e Juventude.Geralmente o aluno vai até a presença do juiz apenas para ouvir a sua sentença que vai desde prestação de serviços forçados até a privação de liberdade por até tres anos.Recebe ao invéz de direito a ampla defesa, os rigores da lei.
Adulto é diferente.Esse caso está no 46 dp.de Perus.
A mãe tem então toda chance de contar sua versão.Foi ouvida e elaborado o Boletim de Ocorrencia.
Tudo dentro da normalidade, se não fosse a manchete que a Folha de São Paulo deu para o caso:
PROFESSORA AGREDIDA POR MÃE EM ESCOLA DA ZONA SUL.
A perplexidade é que a Folha dá uma manchete dessa mas conta o caso como aconteceu.Um tanto confuso,mas quem lê com atenção percebe que a professora agrediu a aluna e depois agrediu a mãe que foi tomar satisfação.
Até quando jornais como a Folha investirão assim contra aluno e pais de escola pública?
Quanto tempo vai demorar para a grande imprensa perceber que tramando contra o aluno de escola pública e seus pais, está tramando contra a qualidade de educação.Está tramando a favor da impunidade e da corrupção na escola pública?
Quando entenderão que se a educação não melhorar o pais também não melhora.Se o pais for o paraíso da corrupção todos sofreremos a consequencia disso? Quando entenderão que a escola pública é a base? Quando entenderão que tudo começa ou termina na escola pública??
Quando ???????
ps.
a escola mandou a versão dela para a SEE e a professora
agressora conta como testemunhas suas colegas professoras
também.
a gente podia rir,se não fosse tão sério
e se casos de agressão de aluno não fossem
uma constante.

Anônimo disse...

PROFESSORA AGRIDE ALUNA, MÃE RECLAMA E É AGREDIDA TAMBÉM.

Uma professora da Escola Manuel Bandeira,Perus Zona Sul de Sâo Paulo,dá um tapa no rosto de uma adolescente .A mãe da aluna vai até a escola para tirar satisfação com a professora.Ela, a professora então agride a mãe também que reagiu.
O comum é a professora bater no aluno e se ele reage a Ronda Escolar é chamada, o aluno é preso e da Delegacia de Policia para a Vara Especial da Infancia e Juventude.Geralmente o aluno vai até a presença do juiz apenas para ouvir a sua sentença que vai desde prestação de serviços forçados até a privação de liberdade por até tres anos.Recebe ao invéz de direito a ampla defesa, os rigores da lei.
Adulto é diferente.Esse caso está no 46 dp.de Perus.
A mãe tem então toda chance de contar sua versão.Foi ouvida e elaborado o Boletim de Ocorrencia.
Tudo dentro da normalidade, se não fosse a manchete que a Folha de São Paulo deu para o caso:
PROFESSORA AGREDIDA POR MÃE EM ESCOLA DA ZONA SUL.
A perplexidade é que a Folha dá uma manchete dessa mas conta o caso como aconteceu.Um tanto confuso,mas quem lê com atenção percebe que a professora agrediu a aluna e depois agrediu a mãe que foi tomar satisfação.
Até quando jornais como a Folha investirão assim contra aluno e pais de escola pública?
Quanto tempo vai demorar para a grande imprensa perceber que tramando contra o aluno de escola pública e seus pais, está tramando contra a qualidade de educação.Está tramando a favor da impunidade e da corrupção na escola pública?
Quando entenderão que se a educação não melhorar o pais também não melhora.Se o pais for o paraíso da corrupção todos sofreremos a consequencia disso? Quando entenderão que a escola pública é a base? Quando entenderão que tudo começa ou termina na escola pública??
Quando ???????

Anônimo disse...

Virginea

Anônimo disse...

Conheço a Gloria Pérez como a maioria dos brasileiros: uma mulher de talento e uma escritora bem sucedida e ponto.
Agora vejo o porquê ela é tida como uma mulher excepcional.
Está disponibilizando este espaço para os pais colocarem suas opiniões
Coisa inédita.Além dos grupos em defesa de alunos e que são poucos, ninguém se interessa pelo aluno, a imprensa só fala nele para responsabiliza-lo pela desgraça da escola e pela violencia.
Estou vendo que estão colocando aquí as suas angústias e o medo brutal com o tema da próxima novela.
Como a Glória vai mostrar a violência nas escolas, o medo dos pais é que ela faça coro com a rede globo e a maioria da imprensa e demonize o aluno.
Aluno de escola pública é demonizado e tratado como besta fera.
Pelo que estou lendo aqui e pelo modo democrático como ela tem recebido as mensagens dos pais, recebido e publicado, acho que não vai ser como os pais temem
Ela vai ter coragem de mostrar a escola pública pelo viés verdadeiro.
Pelo olhar sofrido dos pais e alunos, esquecidos e transformados em demônios...
Nossa ! se a Glória comprar esta briga, se ela ficar do lado dos alunos, ou seja do lado dos mais fracos a história da escola pública vai mudar.
Teremos uma escola pública antes da Glória Perez e outra depois dela.
OXALÁ MEU DEUS OXALÁ...

Anônimo disse...

Queria Gloria Perez
Este é outro livro que você podia ler
Livro escrito por uma professora também.
O papel da exclusão escolar na gênese da violência

O livro "O meu guri: o papel da exclusão escolar na gênese da violência", da escritora Rosa Maria Maciel, professora aposentada da rede municipal de ensino de São Paulo, é fruto das reflexões acerca de sua vida como docente na escola pública de São Paulo, percurso no qual constatou que:
"...a escola não é ingênua nem 'risonha e franca' como nos querem fazer acreditar o ideário liberal e mais recentemente o neoliberal. O encontro com a obra de Paulo Freire me fez enxergar, não a violência na escola, mas a violência da escola. Foi dolorido perceber o quanto era excludente aquela escola que eu julgara equivocadamente, redentora."

Rosa Maria conta que, para conhecer a escola, de fato, pesquisou o destino dos excluídos por ela. Reencontrou nas "bocas de fumo", na indústria do tráfico, na Febem e nos presídios, alguns já mortos antes do fim da adolescência. Percebeu, então, ser este o pior destino reservado aos excluídos do grande capital.

O livro dá voz aos sobreviventes deste processo, provocando a reflexão por parte dos educadores e nos incitando a nos tornarmos parceiros dos últimos dos excluídos, como apregoa Dussel. Para a autora, mais do que uma denúncia, o livro pretende ser um chamado à reconstrução social.

Então tem o livro da Professsora
Rosa Maria e o livro da Gloria Reis
Para que não pensem que não tem professor que enxerga o que acontece na escola
Os educadores de fato também estão
preocupados

Anônimo disse...

Ao contrário do senhor, fico no anonimato, sim, para não ser exonerado. Não sou tão inocente quanto o senhor julga.
Tenho certeza de que, se preservado o nome do professor, o Demonstrativo de Pagamento será exibido, incluindo aquele que contém o tal bônus “milionário”em que o senhor tem a inocência de acreditar.
Realmente, nas escolas há carros que um professor não pode ter, é verdade. Mas lembre-se do Maluf, que quando governador do estado afirmou que o professor não é mal-pago, e sim mal-casado...Os veículos em questão, pode estar certo, são pagos pelos cônjuges que sustentam uma minoria que, óbvio, é reacionária.
Uma minoria, sim, pois é fácil verificar que para cada professor(a) com tais carros, que saltam à vista, há muito(a)s que vivem seus dias dentro de ônibus lotados, saltando de escola em escola para ganhar o pão de cada dia. E nem são vistos, é claro.
Quanto às mentiras, podem ser explicadas pelos resultados. Se um patrão paga salário justo, pode cobrar trabalho eficiente. Se o resultado não é bom, demite o mau funcionário. Se paga mal, não consegue bons profissionais, e continua com sua política de pagar menos por um serviço inferior. Se o patrão é o Estado, tem poder sobre a mídia e, político, é useiro e vezeiro em mentir, inclusive porque seus maus funcionários não têm sequer capacidade para redigir reivindicações.
Concordo quanto aos cursos de Pedagogia. Teorizam, nada do que ensinam tem contato com a realidade das salas de aula. Há mais teorias importadas do que se pode suportar, todas tentando se encaixar numa realidade totalmente diversa daquela onde foram concebidas.
Comunidades de professores que ‘ficam morrendo de rir’ e ofendem os alunos e seus pais... Isso, se existe, é coisa das tais minorias que citei. Gente séria e instruída não entra nos ‘oukut’ da vida para esse fim. E, lembre-se, é possível identificar quem são. A justiça já flagrou diversos.
A instância para recurso existe, sim, e aproveita-se daqueles que lá aparecem para reclamar, pois essas reclamações são sempre meramente verbais e cheias de mágoa (justa), repletas de emotividade (justa), e não produzem nada porque nada é feito por escrito e com protocolo. Gente do nosso povo é, sim, maltratada... pelos Diretores de Unidades Escolares do Estado...Os únicos que poderiam dar outro rumo à Escola, mas que não têm coragem de largar o salário que ganham (e que ganhou dois reajustes, só neste ano! Para os professores? NADA!). Até mesmo porque, em sua maioria, têm formação deficiente, estão há anos fora das salas de aula, e dependem de mimar os Diretores Regionais de Ensino do Estado para não voltarem ao inferno das salas de aula. Inferno que foi criado pela própria escola, não pelos meninos que têm liberdade para tudo o que bem entenderem, imaturos e cheios de energia que são.
Nossos filhos, crianças ou jovens, são os principais prejudicados com as atitudes dos referidos Diretores. São eles que deixam que as salas de aula virem um circo, e jamais dão razão ao Professor. Sou radicalmente contra punições abusivas como as que tenho lido, mas também sou contra a impunidade, que leva ao caos em que se encontra a Escola.

Anônimo disse...

"Então tem o livro da Professsora
Rosa Maria e o livro da Gloria Reis
Para que não pensem que não tem professor que enxerga o que acontece na escola
Os educadores de fato também estão
preocupados".

Sim, estamos preocupados.Massacrados.
De fato. Porque professores não têm poder para mudar a distribuição de renda desigual que colocou as mães no mercado de trabalho à sua revelia, escravizando-as, obrigando-as a deixar seus filhos sós, e enfraquecendo a figura paterna, que já não era capaz de sustentar sua própria família. Quando a autoridade dos pais desapareceu, o respeito aos mestres também se diluiu, e o Estado, sempre aliado ao Capital, atribuiu à Escola uma tarefa que lhe é impossível realizar. A Escola foi dada aos órfãos do capitalismo selvagem como um orfanato que não tem condições de atender-lhes as necessidades básicas de afeto nem suprir suas carências. Eis aí a verdadeira gênese da violência. Violência que não teve origem na Escola, nem está restrita a ela.

Anônimo disse...

Professor Anônimo
Certo, não precisa se identificar já que aqui estamos debatendo idéias e não pessoas.
Dos carrões que ocupam os espaço da escola que deveriam ser dos alunos como estacionamento, acho que tem sim carro comprado pelos maridos das professoras.Geralmente professora concursada de escola pública é mulher de um figurão ou de uma autoridade policial ou judiciária, mas é comum isso.
Tem sim na escola essa diferença.
Professoras concursadas, mulheres de politicos ou autoridades.Só vão na escola para se distrairem de vez em quando...Podem fazer quaquer coisa cometer qualquer desatino que nunca vai ser punida
Tem os professores que vão tapar buracos.Ganham menos, mas também são apaniguados da diretoria de ensino.
De fora ninguém entra nessa panelinha.Salvo as felizes exceções
Os educadores também estão presentes na escola pública e são a minoria, contudo fazem a diferença e se não fossem esses educadores a escola teria ruido de vez.
Primeiro queremos professoras trabalhando e depois a gente fala de salário.
Para quem não faz nada ou dá maus exemplos qualquer salário é muito.Essa frase é do falecido governador Mario Covas, de saudosa memória.
Numa sociedade compétitiva como é a nossa, é dificil dizer que salário é grande.
Esses 20.000.00 reais que o trouxa do contribuinte vai dar de presentinho de natal para as professora, elas acham que é pouco.
Se forem gastar lá em Miami é pouco mesmo....
Muito relativo.
Uma escola que emenda todo feriado
Toda vez que tem feriado no meio da semana se emenda a semana toda.
Chamam isso de ponte, (liga o nada a coisa nenhuma)
As aulas em SPaulo já terminaram em setembro.Só recomeça bem devagar quase parando depois do carnaval.Os senhores tem metade do ano ou de férias ou comemorando dia disso e dia daquilo.
Aposentam com o salário integral.
Tem impunidade absoluta.
Querem o que?
O Grande Professor Teólogo e f
Filósofo Mario Cortela,disse que professor de escola pública é a elite gananciosa.
Eu completo, gananciosa, truculenta e insana,não percebe que a violencia que ele fomenta dentro da escola atravessa os muros e contamina toda a sociedade.

Pai e Tio de aluno disse...

Ao professor anônimo:

O senhor colocou um dado no seu comentário.
Se o empregado for ruim o patrão demite
Taí um dos problemas da escola pública
Ninguém pode demitir um professor
Ele é inatingível, imexível.
Não é cobrado, não é fiscalizado
Diretor fala " a minha escola"
Aluno não é considerado o patrão.Paga a conta e não pode cobrar.
Nem precisaria criar nenhuma nova lei
Era só aplicar a lei que existe.
Mas da escola para dentro a lei quem faz é a diretora.
Nunca ví uma diretora ser exonerada por desvios de verba.
Nunca vi um caso de professor punido mesmo que apenas com uma cesta básica por espancar aluno.
Espancar animal é crime de maus tratos.
Espancar adultos é lesão corporal
Espancar aluno é para educar?

Anônimo disse...

Proposta de Seminário sobre Violência Escolar

No debate Violência nas Escolas (Assembléia Legislativa de SP, 19/11/2008), o deputado Simão Pedro (PT), presidente da Comissão de Educação, apresentou a proposta de realização de um Seminário sobre Violência Escolar, onde serão ouvidos alunos, pais, professores, dirigentes e especialistas.
O debate do dia 19 foi motivado pelos acontecimentos na EE Amadeu Amaral (zona leste da capital): "Alunos brigam, depredam escola e apanham da PM" (Folha de São Paulo, 14/11/2008).

A voz da corporação
A deputada Maria Lucia Prandi (PT) citou as pesquisas da Apeoesp (sindicato dos professores) e da Udemo (sindicato dos diretores).
O deputado Carlos Gianazzi (PSol) denunciou que a EE Amadeu Amaral já estava degradada antes dos acontecimentos. Ele denunciou a farsa da "escola de tempo integral" e que os alunos ficam sem atividades.
Um professor da Apeoesp relatou casos de violências contra professores. Ele falou que a Apeoesp vai criar um Observatório da Violência Escolar.
Uma professora, do Sindicato dos Músicos Profissionais Independentes, falou de seus projetos de ensino de música nas escolas. Falou que a violência escolar é maior do que dizem as pesquisas. Ela criticou o ECA: crianças pequenas, de 5 ou 6 anos, usam o ECA para praticar indisciplina nas escolas...

O representante do Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública (COEP) fez a seguinte manifestação:

Pesquisas com viés corporativo
1. O COEP Criticou a forma de divulgação deste evento (só pela internet), o que impediu a participação de várias entidades representativas de alunos, pais e comunidade;
2. Criticou a falta dos deputados da base governista e de representantes da Secretaria Estadual de Educação;
3. As pesquisas apresentadas têm o viés corporativo. Não ouviram os alunos, pais e comunidade. Não registraram as violências que funcionários, professores e direção escolar praticam contra os alunos e os pais;

Falta registro e divulgação da violência contra alunos
4. As escolas não cumprem a Resolução nº 80/2002, que obriga registrar todos os casos de violência e enviar o relatório mensal às diretorias de ensino;
5. O governo de SP não cumpre a lei estadual 10294/99 (Lei de Defesa do Usuário do Serviço Público). Ele não publica o relatório semestral sobre as denúncias contra escolas. Isso impede um efetivo controle social sobre as escolas e o serviço público educação;
6. A Ouvidoria da Educação é corporativa. Ela atua em defesa dos professores. Também não divulga os dados sobre denúncias contra escolas. Falta uma ouvidoria independente, uma Ouvidoria do Aluno;

55 meses de injustiças
7. Hoje, 19/11/2008, faz 55 meses de injustiça contra um aluno da escola pública. Em 19/04/2004, um professor da EE Octacílio de Carvalho Lopes xingou de bicha um aluno de 14 anos... este aluno também foi agarrado por outros colegas e agredido na presença deste professor. A Secretaria de Educação avalizou o relatório da Diretoria de Ensino Leste-4, dizendo que é normal professor chamar aluno de bicha... o uso de palavras chulas seria para cativar os alunos... Um mês depois do fato, o professor foi “promovido” a coordenador pedagógico na escola vizinha (EE Adelaide Ferraz de Oliveira). Depois que o Jornal da Tarde noticiou o caso (em 24/03/2005), a SEE ainda levou mais 5 meses para “punir” o professor: uma advertência escrita!!!

Cadê os alunos matriculados?
8. No caso da EE Amadeu Amaral, identificamos que não existe nenhum programa de prevenção à violência. Segundo a imprensa, o caso de rivalidade entre duas alunas já vinha há mais de um mês. Além disso, no dia da “rebelião”, alguns alunos estavam com “aula vaga”, sem nenhuma supervisão de professores. Questionamos o fato de uma escola pequena (menos de 300 alunos) ainda contar um enorme índice de evasão: classes de 35 alunos hoje estão com menos de 12 alunos. No documento encaminhado à presidência da Comissão, ainda registramos que a EE Amadeu Amaral é uma “Escola Nota Zero”: 0,13 em matemática na 3ª série do ensino médio.

Manual "S.O.S. ALUNO"
9. O Movimento COEP também falou sobre a publicação do “S.O.S. ALUNO – Manual Prático de Sobrevivência na Escola Pública”, o qual tem o objetivo de orientar alunos, pais e comunidade para exercerem um efetivo controle social sobre as escolas públicas e o serviço público educação.

Criança e adolescente são prioridades absolutas
10. Rebatemos a crítica que uma professora fez ao ECA. O Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (lei federal 8069 de 1990) veio regulamentar a prioridade absoluta ao atendimento dos direitos das crianças e dos adolescentes. O ECA define claramente a responsabilidades de todos e de cada um. Se os alunos estão utilizando o ECA de forma equivocada é porque as próprias escolas não está apresentando o ECA de forma adequada nas escolas. Jamais um educador falaria mal do ECA.

.....Gloria esse seminário vai ser uma radiografia da escola pública, a menos que seja um seminário só de profissionais de educaçao
se convidarem representantes de pais e alunos vai ser um seminário e tanto...

Anônimo disse...

Senhor Luizão, gostei do que o senhor escreveu desta vez. Concordo com quase tudo. Mas há ainda alguns enganos: não nos aposentamos com o salário integral, se for considerado que grande parte de nossos vencimentos é composta de 'gratificações', cujo propósito é poderem ser deduzidas quando temos que ir ao médico, quando temos parentes que necessitam de nossa atenção, e faltamos. Também são deduzidas de nossas aposentarias... reduzindo em quase 50% nossos vencimentos...
Quanto aos 'vinte mil', verifique com atenção se alguém que dá aulas na escola pública vai ganhar isso...É MENTIRA!! PARA VIRAR A OPINIÃO PÚBLICA CONTRA O MAGISTÉRIO!!
Quanto às professoras concursadas, não é bem isso que o senhor afirma. Há sim, as não-concursadas que pertencem às 'panelinhas', e que chegam a ter maior destaque em virtude de seus cônjuges 'influentes'.
Será necessário separar o joio do trigo, o que não acredito que governador algum vá fazer...
Interessa ao governo que o povo continue ignorante, sem capacidade para se organizar e exigir dos políticos eficiência e honestidade.
Aos esclarecidos só resta auxiliar essa gente, ensinando cidadania, dando exemplo. É o que o senhor está fazendo, embora com alguns preconceitos próprios de quem não freqüenta salas de aula e ainda acredita no que lê em jornais. Perfeitamente perdoável, mas que deve mudar.

Anônimo disse...

Pai e Tio de aluno:
Para que a lei seja cumprida deve haver exercício de cidadania, ou seja, as instituições têm de ser cobradas. Reclamar por escrito, exigir protocolo da reclamação, fazer B.O. na degacia de polícia nos casos em que for cabível, reclamar por escrito às Diretorias Regionais de Ensino, reiterar essas reclamações quando não forem atendidas no prazo legal (10 dias úteis) e, finalmente, apelar para a mídia... (Dá trabalho, sim. Mas veja, o que estou fazendo aqui?)Até conseguir justiça.
Desistir jamais! E agir fora da lei, nunca, para não perder seus direitos. Devemos recusar voltar à bartárie. Por isso é que digo também, VIVA A INTERNET, QUE NOS DÁ VOZ, CADA DIA MAIS!

Anônimo disse...

Quem disse que professor ou diretor de escola pública não podem ser demitidos? Basta provar a culpa, e serão demitidos 'por improbidade, a bem do serviço público'. Há lei, e é só fazê-la valer. Requer esforço do cidadão, mas não é assim com qualquer criminoso? Ou será que no caso do professor (ou diretor) devemos desistir de puni-lo, ou punir sem ouvir sua defesa?
Tem razão? Vá em frente! O maior problema brasileiro é deixar as autoridades em paz e ficar culpando uns aos outros...A IMPUNIDADE FAZ O CRIME COMPENSAR!

Anônimo disse...

Caro Professor Anônimo.
Considero que professor vai sim receber até 20.000,00 de bonus, além do décimo terceiro. Não confio na imprensa também, mas sai no Diario Oficial e no Site da SEE.Uma gratificação pelo professor não ter faltado, mas ele falta assina ponto e embolsa a grana.Nessas comunidades de professores no Orkut eles até tiram sarro do povo e contam como gastam o bônus.
Professor aposenta com duas aposentadorias integrais.Como eles sempre estão lotados em escola da prefeitura e na escola estadual ao mesmo tempo e como ali não sao cobrados,muitos trabalham na particular também.Diretor de escola por exemplo.Deve trabalhar oito horas, mas ele nunca está na escola que dirige, não conheço um diretor de escola pública de SPaulo que seja só diretor.Ele recebe para dirigir a escola mas ela está sempre na mão de uma panelinha escolhida por ele.Vai dar aula em outros lugares.
E as grtificações, grande parte delas são ao longo do tempo incorporadas ao salário entao ele aposenta muito bem, obrigado...
Punição é impossivel.Os pais últimamente tem reagido mais, mas nao conheço nenhum caso onde juíz tenha dado ganho de causa aos pais.
NENHUM CASO QUE EU CONHEÇA.
Se for professora que não concorde com desvios de verba ela no mínimo é afastada.
Só para dar um exemplo, uma professora da Escola Estadual David Eugenio dos Santos zona norte de SPaulo,não concordou com os desvios escancarados da verba que a escola recebia e nem com os castigos físicos aplicados nas crianças, entre eles o famigerado ELÁSTICO.Essa educadora exemplar juntou seis professoras e quatro pais e foi denunciar.Ela, a educadora está afastada e deu muito trabalho convencer o Depto Medico que ela não era louca.
Os pais foram obrigados a transferir seus filhos de lá.
Esse caso é recente, se alguém quiser saber a professora esta readaptada e prontinha para confirmar o que estou escrevendo...
O caso aconteceu em 2005 e está ainda na Cogesp rolando de mesa em mesa, a diretora ficou uns meses encostada na Diretoria de Ensino Norte 2 e voltou para a escola
A escola continua sumindo com as verbas e está tudo certo.
Ultimamente os pais tem se organizado com muita dificuldade, mas a situação da escola é caotica e a imprensa compra o discurso que aluno é besta fera e que precisa ser tratado no cacetete.
Só não dou aqui o nome dessa professora heroína que nao falei com ela, mas se alguem quiser saber eu tenho dados onde procurar.

Pai e tio de aluno disse...

Anõnimo
Negativo, a lei não vale para professora de escola pública e nem para diretor.
Um processo contra diretor ou professor leva até cinco anos para ser concluído.
Mesmo com provas, inclusive de desvios de verba, passa por uma centenas de mesas na Secretaria de Educação e de lá para a Cogesp.
Enquanto a denúncias contra diretor e professora leva anos e anos o aluno está desgraçado na escola, com todos contra ele.
Se uma professor agride aluno e agride sempre não tem onde reclamar, fica a palavra do aluno contra a palavra da professora.O melhor é apanhar e ficar quietinho, se reagir a escola chama a Ronda Escolar, PM, que leva o aluno para a delegacia e que se vira contra o aluno, ele de vitima se torna agressor.Nao tem chance nenhuma
De acordo com o ECA a Febem que agora mudou de nome, é uma escola e então o juiz manda o aluno para essa "esccola" e ele pode ficar trancafiado por tres anos...
Enquanto uma denúncia contra professor e diretora leva até cinco anos para ser apurada e nunca dá em nada, para aluno é um processo relâmpago, da delegacia para a Vara Especial, dura no máximo uma semana e o aluno já está cumprindo pela.O crime de reagir a agressão de professor dá cana pesada...
Parece cruel mas é a verdade...
O anônimo sabe disso.
Espero mesmo que a Glória Perez esteja lendo esses comentários e resolvar tirar a limpo.
Que vá atrás de provas, que terá aos montes...

Sandra Barsotti. disse...

Nem sei se a Glória Perez está lendo todos os comentários postados aquí.Eu estou e estou gostando muuuuito.
Tenho filhos da escola pública e faço como muita gente.Ensinamos em casa o que dá para ensinar.
Mesmo que a Gloria Perez não esteja lendo,só o fato dela disponibilizar este espaço privilegiado para os pais postarem o que sofrem já é ótimo.
Já está prestando um grande serviço para os pais e alunos.
Nós os pais gostamos dos professores .Professor é mesmo a classe profissional mais amada pelo povo.Só perde para os Bombeiros, pena que a recíproca não seja verdadeira, professor trata nossos filhos como marginais.
O triste é ver que a imprensa de modo geral prefere ficar do lado dos poderosos, pintando aluno de escola pública como bestas feras.
AGRADEÇO A GLORIA PERES PELO ESPAÇO.

Neide Farias disse...

É triste, mas é verdade...
Vi este texto e concordo plenamente.
Minhas filhas estudam em escola pública de São Paulo, e a realidade é esta mesmo....
Muito complicado.Quase não teve aula mesmo.
Meu filho caçula, está alfabelizado mas aprendeu em casa.
Na escola onde ele estuda quase não teve aula este ano....
...lí o texto abaixo e concordo
NO ANO ELEITORAL ESCOLA PÚBLICA PASSA QUASE EM BRANCO

Ano eleitoral é um ano perdido para a escola pública.Antes das eleições professora não dá aula. É um fuzuê danado.Se ninguém tem coragem de mexer com a corporação dos professores, em ano eleitoral eles são intocáveis e aproveiram bem a situação.
Tem centenas de milhares de professores que sabem que não tem nenhuma chance e nem vai fazer campanha, mas saem candidatas para ficar os tres meses de licença...
Vem as eleições e está todo mundo de ressaca, quem ganhou curtindo a euforia e quem perdeu curtindo a dor da derrota e ninguém se lembra da escola pública.Diretoria de Ensino é cargo político, direção de escola também, então vira tudo um angú só.
Então nesse clima as aulas terminam logo após as eleições.
Os pais que tem o hábito de olhar os cadernos de seus filhos verificam que eles voltam em branco todos os dias. Isso quando o professor não manda aluno fazer as famigeradas cópias para encher linguiça...
Agora vem a Secretária de Educação do Estado de São Paulo dizer que nos últimos dias de aula, as primeiras séries estarão fazendo reforço para os alunos que não se alfabelizaram.
Aluno não é obrigado a ir.Professor também não, que não tem ninguém que o obriga...
Mais uma lorota para quem quiser acreditar...Se as aulas já acabaram, se durante o ano as professoras não foram elas vão agora no último mes que deveria ser último mes letivo?
Ainda por cima ir com o dever de alfabetizar quem ficou para trás no primeiro ano?
Ora...conta outra.Essa como piada não tem graça nenhuma...
Meu filho estuda na emef Theodomiro Dias na Vila Sonia em São Paulo

Anônimo disse...

Lí num fôlego só os comentários aqui postados.
Não tenho adjetivos para a Gloria Perez.
Uma mulher DA verdade.
Um espaço assim tão diferenciado e concorrido, muito visitado, e ela permite que a opinião dos pais sejam divulgados...
Eu sou de S.Paulo.E também ví o caso da Amadeu Amaral e também soube que a Globo forjou as imagens.Eu assisti o programa onde o Chico Pinheiro e a Carla Vilhena contam assim meio de raspão, falam do quebra quebra e colocam imagens de crianças no teto jogando telhas para baixo.Não eram da escola, quem viu pensou que eram.Só no dia seguinte depois que começaram as denúncias pela internet eles admitiram que as imagens não eram do fato.
Uma coisa horrivel,um golpe baixo contra aluno de escola pública
Também lí que a escola tinha 277 alunos e que muitos já se evadiram.Desistiram sob livre e expontânea pressão.
Então a nota diz que são 200 alunos e 63 professores.
Então tem um professor para tres alunos ?
Que coisa esquisita????
Se tem 200 alunos frequentando e na lista consta 277, quem está comendo a merenda desses 77 alunos?
Se tem 1 professor para cada tres alunos, como se justica as aulas vagas aos montes onde os alunos ficam sem fazer nada no páteo?
Muitas perguntas que ficarão sem resposta oficial, mas que nós os pais estamos questionando e ainda
bem que temos este espaço também
para reflexão...
Muito a propósito do título
EStão poupando os lobos e sacrificando as ovelhas, que são os alunos da escola pública...

Vilma Pereira de Godoy disse...

Neide,meu nome é Vilma Pereira de Godoy e meu email vilmapromotoralegal@yahoo.com.br,moro em Cotia.
Fiquei perplexa com o que aconteceu na emef.Theodomiro Dias.
Uma professora deu giz colorido para os alunos e excluiu um.Ele tentou então pegar o giz na marra da mão dela.A professora fez um auê danado,saiu gritando da classe.Gritava que o aluno tinha quebrado o braço dela.Chorou e fez o diabo, mas saiu da escola dirigindo
Até a Secretaria de Educação do Municipio desmentiu a professora.Ela não quebrou coisa nenhuma, foi um exagêro sem necessidade,um fingimento.
Então sabe o que aconteceu?
A professora saiu de licença já faz um mes.Eu nem sabia que mentir dava direito a licença
A escola passou a massacrar o aluno.Colocando os colegas para bater nele.Era uma pressão terrível e ele não quer mais ir na escola.Os adultos falavam para os alunos que eles estavam sendo prejudicado por conta do aluno que fez a malcriação de tentar tirar o giz da mão da professora.
Eu liguei para o Conselho Tutelar de Butantã que até agora não fez nada para defender o aluno
A professora que mentiu se saiu bem
O aluno saiu mal, a classe ficou sem professora,
Entao eu também conheço o que aluno passa diáriamente dentro das escolas públicas.Alí é o inferno de injustiças e abusos contra aluno..
Conheço bem o que aluno sofre, me lembrei desse caso, que aconteceu recentemente e por acaso eu tentei ajudar o aluno e não conseguí...
Aluno é abandonado dentro da escola pública, sem direitos nenhum
Também cumprimento a Glória Perez por nos dar essa oportunidade de mostrar o lado que ninguém quer mostrar...

Anônimo disse...

Tio e pai de aluno:
Como jamais participei de 'panelinhas', está se descortinando diante de meus olhos um panorama que desconheço, e que custa-me engolir. Fere a minha sensibilidade ler que "o anônimo sabe disso". Não sou farinha desse saco, senhor.Isso é ofensa para mim, coisa que até o momento não acontecia aqui. Modere seus comentários. Estou nesta história pelas mesmas razões que o senhor, quero justiça. Estou mesmo começando a acreditar que os comentários que desonram o magistério são verdadeiros. E que há mais lixo debaixo do tapete do que pensava.Vamos em frente, já há alguns novos mensageiros que estão entrando nessa luta,trazendo mais esclarecimentos. Mas sejamos sensatos, nada de ofensas. Temos que nos respeitar e manter a união. Se sou anônimo é por razões que parece que o senhor não entendeu, e porque não leu o que já foi publicado a esse respeito aqui.O quadro que estou vendo é realmente estarrecedor, e agora, mais do que nunca, quero ver a coisa toda ferver. Tenha a bondade de ler tudo direitinho. Também tenho filhos e muitas vezes tive que sair na defesa deles, e sei quanto doem as injustiças praticadas contra eles. Mas não me deixei cegar pela raiva, lutei e luto com lucidez.

Anônimo disse...

Anônimo que publicou"Proposta de Seminário sobre Violência Escolar":
Essa é a primeira mensagem que me parece ter sido elaborada por professor, dada a correção dos termos. Até o momento, não li nada que pudesse atribuir a professores, mesmo porque há aqui somente opiniões contrárias ao comportamento dos mesmos. Creio firmemente que o blog não está sendo visto por muitos professores, e que os que vêem estão divididos em duas categorias: os que merecem as críticas e os que temem as represálias do Todo Poderoso do Palácio dos Bandeirantes. Ambos se abstêm de fazer comentários por razões óbvias.Portanto, não creio que este vá se tornar um blog corporativo. Mas, sem dúvida, creio que devemos ouvir também os mestres que se prezam. Só não sei como, uma vez que a classe está amordaçada...

Anônimo disse...

Ao anônimo que iniciou a mensagem abaixo:
"Caro Professor Anônimo.
Considero que professor vai sim receber até 20.000,00 de bonus, além do décimo terceiro. Não confio na imprensa também, mas sai no Diario Oficial e no Site da SEE.Uma gratificação pelo professor não ter faltado, mas ele falta assina ponto e embolsa a grana.Nessas comunidades de professores no Orkut eles até tiram sarro do povo e contam como gastam o bônus." digo:

Realmente isso existe. É revoltante. Mas quem é íntegro e não pertence ao cordão de puxa-sacos tem a insuperável satisfação de poder olhar nos olhos dos infratores e peitá-los com firmeza. Infelizmente, porém, tem que calar-se. Reclamar para quem, se somos amordaçados e perseguidos por não concordar com essas manobras indecentes? Para a diretoria? E ser considerado louco, e ser afastado do meio para não mais atrapalhar?

Isto de termos que ser anônimos é horrível, verdadeiro castigo imposto pelo terrorismo do Estado.

Vamos em frente. Estamos no caminho certo.

Therezinha de Jesus Pacheco disse...

Professor anônimo:
Acho que os professores acessam este blog sim, mas não participam por dois motivos na minha modesta opinião:
Primeiro porque as denúncias postadas aqui não são anônimas.
Podem provar.
Segundo que aqui não se pode fazer como fazem nas comunidade do Orkut onde parece que é terra de ninguém
Lá se alguém fizer uma crítica aos maus profissionais entra em seguida uma centena de professores usando todo tipo de palavreado de baixissimo calão,ameaçam e se chegaram ao cúmulo de pegar a foto de uma pessoa que luta contra a violencia na escola, fizeram uma montagem obscena e divulgaram pela interner.
Aqui não se permite grosseria e nem ofensas pessoais.
O que se critica aqui é o profissional de educação não a pessoa.
Veja no caso dos flagrantes que a Globo forjou para demonizar os alunos da Amadeu Amaral.O proprio Chico admitiu que não eram fotos da ocasião.Admitiu num programa do SPTV posterior, depois que tinha colocado toda opinião pública contra os alunos
Inclusive o flagrante de alunos no telhado jogando as telhas para baixo.
Um golpe sujo da imprensa....
Não toda imprensa é má e nem todo professor desonesto.
Isto também está colocado aquí, quem não vestir a carapuça,não precisa ficar preocupado...
Posso até divulgar meu nome que é
Therezinha de Jesus Pacheco

Carolzinha disse...

Professores Anônimos.
O problema de professor anônimo eu entendo muito bem,mas é o mesmo dos pais que não denunciam por medo que seu filho seja perseguido.
O pai que se cala quando sabe que o filho dos outros sofrem violência na escola, se ele fosse solidário com certeza ia garantir que seu filho ñão sofresse amanhã.
Eu entendo perfeitamente, mas não concordo.
Conheço professores que foram exonerados, que denunciaram a a direção se juntou com a diretoria para prejudica-los.Isso porque são poucos e pagam caro a coragem.
Se todos os bons professores se rebelassem também, ia ser mais dificil acontecer impumente essas atrocidades na escola.
A corrupção que tomou conta da escola pública tem no medo das pessoas de bem um grande aliado.
A verba que a escola não vê, com certeza não vai para a conta dos professores omissos.De qualquer maneira eles contribuem, então os professores deveriam denunciar sim, mesmo que fossem como anônimos para os grupos de pais que está dando a cara para bater.
Esses pais contam com apoio de professores também, senão não saberiam de coisa que os corruptos quardam muito bem...
Se a gente não denunciar o mau professor estaremos cometendo injustiça para com o bom professor.

Clarice disse...

.....O ELÁSTICO....
Esse tipo de tortura aplicada em aluno de escola pública parece medieval, mas é aplicado agora, em São Paulo
Agora depois que tortura foi considerado crime hediondo...
A professora coloca o aluno de costas para a classe e de frente para um canto da lousa.Na lousa ela desenha um ponto acima da cabeça do aluno, onde o aluno é obrigado a colocar a ponta do dedo indicador em cima.Para colocar a ponta do dedo no ponto desenhado na lousa acima da sua cabeça o aluno é obrigado a ficar esticado.
Daí o nome ELÁSTICO.
Esse castigo é chamado também segurando o ponto...
Algumas professores desenham o ponto tão alto que para colocar a ponta do dedo da mão direita o seu pé esquerdo fica meio suspenso do chão.
Esse castigo é muito doloroso depois de poucos minutos o aluno começa sentir dores no corpo todo.
Alguns urinam de dor transformando o castigo humilhante além de doloroso.
Que esse castigo existe a gente sabe que existe muito, mas a denuncia que ouvi e a descrição dessa tortura, foi na Assembléia Legislativa num programa chamado Assembleia Popular.O pai indignado dava detalhes e dizia que seu filho ficou uma semana com dores na coluna.O aluno de 9 anos era do tipo durão e aguentou o castigo até onde pode.
A escola é a David Eugenio dos Santos.
Nenhum deputado procurou esse pai para confirmar a denuncia e nem se incomodou com ele.Nem os deputados da Comissão dos Direitos Humanos.
Afinal aluno de escola pública nem é considerado humano.
Até onde sei a diretora da escola ainda processou o pai.Como o pai entrou na escola depois do acontecido e tinha fotografado outras crianças noutro castigo chamado paredão, não foi condenado.
Com a diretora não aconteceu nada
Ela continua na escola até hoje na panelinha com as professoras torturadoras.

Anônimo disse...

Prezada Carolzinha:

Você entendeu, está certa. Repare no que estamos fazendo aqui: Tentando chamar a atenção de toda a sociedade, INCLUINDO OS PROFESSORES QUE NÃO TÊM RABO PRESO, que não podem se identificar mas que podem juntar-se para apoiar os pais e serem apoiados por eles. Este é o lugar e esta é a hora de protestar. Os professores não podem abrir suas almas com seus colegas da escola, pois nunca se sabe quem está envolvido ou não nas trapaças. Sabe-se quem são alguns, os malandros, puxa-sacos, os fracos, os que desejam entrar na 'panelinha', mas há os dissimulados... E aqui não há como cair em armadilhas (não sei até quando...Cuidem bem de seus computadores...).Creio que é hora de parar de contar os casos de cada um, pois já sabemos todos o quão podre está a escola pública. Precisamos nos unir e protestar, com base nas mensagens aqui já postadas, e encontrar uma maneira de nos juntarmos a alguém que possa portar a nossa voz. Acredito que o Deputado Carlos Giannazi seja a pessoa pública certa para reunir todas as nossa vozes. É preciso entrar no site dele (carlosgiannazi@uol.com.br) e pedir orientação, cobrando mais atitudes. Ele está interessado e está trabalhando com afinco para nos ajudar. Também já não confio em políticos, mas ele já está eleito, não está pedindo voto, e tem demonstrado uma coragem que até agora não tinha sido vista.
O número de mensagens contando casos já está muito grande, está ficando difícil de encontrar as mensagens de conteúdo útil à causa, e em pouco tempo estaremos perdendo nossos esforços. Sugiro que as mensagens sejam mais abrangentes e melhor direcionadas para que não fiquemos somente nas lamentações (justas, mas já numerosíssimas e que já tipificam cada episódio escabroso). Temos que conseguir adesão de mais professores. As mensagens, por enquanto, incluem muito poucos.
Mas desistir, desesperar, JAMAIS!

Gildete disse...

A escola pública do Brasil especialmente a de S Paulo precisa urgentemente de socorro.
São Paulo é o estado que mais arrecada verbas no Brasil, considerado carro chefe da nação.
A cidade de SPaulo arrecada mais verbas que muito estado brasileiro.
Tanto dinheiro que chega no fim do ano e sobra.Sobra tanto que tem que dividir entre as professoras.
É tanto dinheiro que este ano vai chegar a 20.000,00 o bônus.Tem muito trabalhador que nao ganha vinte mil num ano inteiro de trabalho duro...
Pelos dados oficiais SPaulo é o estado ´pior em qualidade do ensino no Brasil.Temos quase tres mil escolas que na avaliação oficial tirou zero, zero e alguma coisa depois da vírgula, mas é zero
A escola não está cumprindo com sua principal função que é a educação formal, está torturando e maltratando as crianças.
Uma escola miserável, suja com merenda pobre.Uma escola que violenta e tortura, chega no fim do ano e gratifica as professoras.
Não sabemos o que mais espera as nossas crianças.Mas nada está tão ruim que não possa piorar...
Temos paralelamente uma imprensa que só vê a choramingação das professoras.Querem sempre mais salário e menos alunos nas salas de aula.
Acabam sempre conseguindo isso.
O salário não, não tem como saciar a ganancia, que a ganância não se sacia.Aluno elas dão um jeito de colocar os mais dificeis para fora da escola.
Expulsam e pronto.
Então só o fato da Glória Perez estar divulgando as queixas dos pais aquí é sinal que ela não vai fazer uma novela contando "como os coitadinhos dos professores da escola pública sofrem."















-

Nalva Costa Aquiar disse...

Este texto é da professora Gloria dos Reis.
O cúmulo da crueldade, o ensino da violência

Que a escola é cruel, todos sabem. Mas atualmente vem inovando nos métodos de tortura e batendo recordes de crueldade. Leiam notícia:

Professora ajuda a agredir aluno
Eucadora segura menino de 5 anos que estava brigando em sala de aula para que colegas dessem tapas em seu rosto

Diego Amorim



Brasília – O menino de 5 anos agredido e humilhado em sala de aula criou aversão à mulher que tinha a missão de educá-lo. Foi a própria professora quem, segundo ele, o segurou para que colegas de turma o batessem no rosto. “Não gosto mais dela. Não quero saber dela nunca mais”, disse o garoto banguela, de olhos verdes, cabelos castanhos e lisos. Na frente dos coleguinhas, ele não derramou uma lágrima. Em casa, caiu no choro ao contar para a mãe o que ocorreu na manhã de terça-feira na Escola Classe 56 de Ceilândia, no Setor O, no Distrito Federal. “Meu coração de mãe dói. A dor é grande. É como se fosse comigo”, desabafou a servidora pública Rejane Vieira Urani, de 36 anos.



Agitado, o menino contou ontem que brigava com alguns colegas no momento em que a professora o chamou para a frente da sala. A aula estava no início. E a confusão teria começado porque o garoto jogou lápis em outras crianças. “Aí ela (a professora) me segurou assim (com os braços para trás) e todo mundo fez tipo uma roda e ficou batendo na minha cara”, relatou. A turma tem 28 crianças. Pelo menos sete delas teriam dado tapas no garoto. “Teve uma menina que riu de mim. Eu tentei me soltar. Mas não senti dor, só queria bater também”, relembra o menino.



Ontem, assim que soube da denúncia, a Secretaria de Educação suspendeu o contrato temporário da professora Elizabeth Barros, de 26 anos. Ela acompanhava a turma desde março, quando a escola foi reinaugurada. A rede pública de ensino do Distrito Federal tem 4.958 professores temporários. Na regional de ensino de Ceilândia, são 1,1 mil.



Por enquanto, outras três crianças da sala já confirmaram a versão do menino agredido. A 24ª Delegacia de Polícia (Setor O) e a Secretaria de Educação investigam o incidente. A diretora da regional de ensino de Ceilândia, Ana de Fátima Dias, informou que Elizabeth confessou ter segurado o garoto e incentivado as agressões. “É algo que não pode acontecer de forma alguma. A mãe tem toda razão de estar revoltada”, comentou Ana. A professora Elizabeth chorou muito ao conversar na manhã de ontem com a diretora da escola, Luiza Brito, e a mãe do aluno. No fim da tarde, uma funcionária do colégio disse que a professora passou mal ao longo do dia e teve de ser hospitalizada.



A coordenadora pedagógica da Escola Classe 56 assumiu o lugar de Elizabeth na turma de educação infantil, até que outro professor seja contratado. “A gente lamenta o ocorrido. Ela é uma excelente professora. Foi uma atitude momentânea de perda de controle”, ponderou a diretora Luiza. A sindicância interna será concluída em, no máximo, 90 dias. Se confirmada a versão do garoto, Elizabeth não poderá mais atuar na rede pública de ensino. O inquérito policial deve ficar pronto até a semana que vem. Antes, o delegado titular da 24ª DP, Vivaldo Neres, ouvirá a professora, que pode responder pelo crime de maus-tratos. “Ela expôs a criança ao perigo”, avaliou Neres. Se condenada, Elizabeth pode pegar de dois meses a um ano de prisão.



INDIGNAÇÃO A mãe do garoto está inconformada: “Na escola, gente. Na escola. Uma professora não pode fazer isso, não pode. Nada justifica. É um absurdo”, disse ontem Rejane. A informação chegou a ela na noite de terça-feira por meio do pai de um colega de turma do filho. “Se a professora fez isso com o filho dela, poderia ter feito com o meu”, comentou o pedreiro Weliton Jesus Ferreira, de 32 anos, que ligou para a casa do menino agredido. “Meu menino contou a história e disse que só não bateu porque teve pena”, completou.



A irmã do menino, Júlia Stephanie da Silva, de 17, atendeu a ligação e imediatamente avisou a mãe, que ainda estava no trabalho. Aos prantos, Rejane largou o serviço e voltou para casa mais cedo. O menino disse que pretendia contar tudo à mãe quando ela chegasse em casa. Rejane ainda não sabe se mudará o filho de escola. Dependerá da vontade do garoto.

Deusdete disse...

Já se escreveu sobre tortura.
Tortura que a escola aplica impunemente nas crianças pequenas.
Bom agora é falar do ECA Estatuto da Criança e do Adolescente.
Para muitos o ECA permite que a criança e o adolescente cometa crimes e fique impune.
Ledo engano.
Para julgar uma criança ou adolescente tem a Vara Especial da Infancia e Juventude. São muitas, a maioria aplica a pena em tempo recorde.
Em São Paulo o ex governador Geraldo Alckimin criou a Ronda Escolar.
São PMs cuja função é defender as professoras e os profissionais de educação.
Então o estado oferece dois PMs armados e com viatura para defender os professores dos alunos que são marginais perigosos em potencial.
A direção chama a policia e ela vem em questão de poucos minutos.Já leva o "perigoso" para a Delegacia.Da delegacia direto para diante do Juiz, tem casos que são levados na mesma hora e no mesmo dia recebem a pena.
Assim sem direito a defesa nenhuma.
Por conta disso as cadeias pra menores, aumentaram muito.
São muitas e não dão conta de receber todos os "criminosos" que a escola manda.
Era chamada Febem, agora é Casa, mas é a Casa dos Horrores.
O adolescente é privado de liberdade por até 3 anos,os motivos são fúteis.
Quando não são privados de liberdade são condenados a prestar serviços a comunidade.Que nada mais é do que trabalhos forçados.
Aluno é enviado a alguma escola para prestar serviço e alí a diretora se transforma na carcereira mais cruel que já se viu.
Ela arranca o couro do condenado que também serve para dar exemplo aos alunos dali.Ela fala:
Olha alí o fulano,ralando desse jeito, isso porque foi malcriado e rebelde.
Uma situação lamentável

Anônimo disse...

DIREITOS HUMANOS
Entre outras já ouvi que defender os Direitos Humanos é defender o cidadão comum dos abusos do poder público.
Sendo assim ninguém está livre de sofrer abuso por parte de algum agente do poder público.
Professor de escola pública é um Agente do Poder Público.
Aluno de escola pública é um cidadão comum. Segundo o ECA Estatuto da Criança e do Adolescente.
O Estatudo da Criança e do Adolescente transformou a criança e adolescente sujeito de deveres e não de direito, quando ele é aluno de escola pública.
Se defender Direitos Humanos é defender cidadão comum dos abusos do poder público, quero saber o motivo do silêncio dos defensores dos direitos humanos quando a violencia é praticada por professor de escola pública(agente do poder público) contra aluno(cidadão comum em fase peculiar de desenvolvimento)
Pior ainda quando quem comete a violencia é a policia e a professora ou diretora.
Entao o aluno é vítima dos abusos do poder público duas vezes.
CADÊ AS COMISSÕES EM DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS?
Ou então tenho que chegar a conclusão que aluno não é cidadão comum coisa nenhuma a não ser para ir para a cadeia.....

Anônimo disse...

Em 1998 a CNBB na Campanha da Fraternidade dizia
A ESCOLA QUE NÃO QUEREMOS É A ESCOLA QUE RESPONSABILIZA A FAMILIA PELO SEU FRACASSO.

Luiz Roberto Gomes disse...

Como assim, o Deputado Carlos Giannazi?
Esse é o deputado que liga na Cogesp e pede para que o processo contra a Diretora da Escola Lucas Rosquel RasquinhoZonaSul de SPaulo seja arquivado?
Nesse caso quem denunciou foi um casal de professores.Denunciaram coisas da maior gravidade.Depois de muito trabalho e um Grupo grande de pessoas ligadas ao Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública, reuniu provas, o Coodenador Geral da Cogesp informa para todos que era melhor encerrrar por ali.Que o Deputado Carlos Giannazi tinha ligado e exigido que não se punisse a diretora que era cabo eleitoral dele.
Quem quiser é só me contatar ou contatar qualquer um do grupo que eles confirmam esse absurdo.
estava presente.
Um coordenador do Forum Municipal em Defesa da Criança e Adolescente
Manuel Tertuliano da Silva
Cremilda Estella Teixeira
Giulia di Pierro
Mauro Alves da Silva.
Professora Sueli Valente Simões
Renata mãe de aluno
e alguns professores, esses a gente não pode dar o nome deles por motivos óbvios...
Luiz Roberto Gomes
luizrobertogomes2@hotmail.com

Anônimo disse...

VIOLÊNCIA EM MINAS...EM BRASILIA...
O cúmulo da crueldade, o ensino da violência

Que a escola é cruel, todos sabem. Mas atualmente vem inovando nos métodos de tortura e batendo recordes de crueldade. Leiam notícia:

Professora ajuda a agredir aluno
Eucadora segura menino de 5 anos que estava brigando em sala de aula para que colegas dessem tapas em seu rosto

Diego Amorim



Brasília – O menino de 5 anos agredido e humilhado em sala de aula criou aversão à mulher que tinha a missão de educá-lo. Foi a própria professora quem, segundo ele, o segurou para que colegas de turma o batessem no rosto. “Não gosto mais dela. Não quero saber dela nunca mais”, disse o garoto banguela, de olhos verdes, cabelos castanhos e lisos. Na frente dos coleguinhas, ele não derramou uma lágrima. Em casa, caiu no choro ao contar para a mãe o que ocorreu na manhã de terça-feira na Escola Classe 56 de Ceilândia, no Setor O, no Distrito Federal. “Meu coração de mãe dói. A dor é grande. É como se fosse comigo”, desabafou a servidora pública Rejane Vieira Urani, de 36 anos.



Agitado, o menino contou ontem que brigava com alguns colegas no momento em que a professora o chamou para a frente da sala. A aula estava no início. E a confusão teria começado porque o garoto jogou lápis em outras crianças. “Aí ela (a professora) me segurou assim (com os braços para trás) e todo mundo fez tipo uma roda e ficou batendo na minha cara”, relatou. A turma tem 28 crianças. Pelo menos sete delas teriam dado tapas no garoto. “Teve uma menina que riu de mim. Eu tentei me soltar. Mas não senti dor, só queria bater também”, relembra o menino.



Ontem, assim que soube da denúncia, a Secretaria de Educação suspendeu o contrato temporário da professora Elizabeth Barros, de 26 anos. Ela acompanhava a turma desde março, quando a escola foi reinaugurada. A rede pública de ensino do Distrito Federal tem 4.958 professores temporários. Na regional de ensino de Ceilândia, são 1,1 mil.



Por enquanto, outras três crianças da sala já confirmaram a versão do menino agredido. A 24ª Delegacia de Polícia (Setor O) e a Secretaria de Educação investigam o incidente. A diretora da regional de ensino de Ceilândia, Ana de Fátima Dias, informou que Elizabeth confessou ter segurado o garoto e incentivado as agressões. “É algo que não pode acontecer de forma alguma. A mãe tem toda razão de estar revoltada”, comentou Ana. A professora Elizabeth chorou muito ao conversar na manhã de ontem com a diretora da escola, Luiza Brito, e a mãe do aluno. No fim da tarde, uma funcionária do colégio disse que a professora passou mal ao longo do dia e teve de ser hospitalizada.



A coordenadora pedagógica da Escola Classe 56 assumiu o lugar de Elizabeth na turma de educação infantil, até que outro professor seja contratado. “A gente lamenta o ocorrido. Ela é uma excelente professora. Foi uma atitude momentânea de perda de controle”, ponderou a diretora Luiza. A sindicância interna será concluída em, no máximo, 90 dias. Se confirmada a versão do garoto, Elizabeth não poderá mais atuar na rede pública de ensino. O inquérito policial deve ficar pronto até a semana que vem. Antes, o delegado titular da 24ª DP, Vivaldo Neres, ouvirá a professora, que pode responder pelo crime de maus-tratos. “Ela expôs a criança ao perigo”, avaliou Neres. Se condenada, Elizabeth pode pegar de dois meses a um ano de prisão.



INDIGNAÇÃO A mãe do garoto está inconformada: “Na escola, gente. Na escola. Uma professora não pode fazer isso, não pode. Nada justifica. É um absurdo”, disse ontem Rejane. A informação chegou a ela na noite de terça-feira por meio do pai de um colega de turma do filho. “Se a professora fez isso com o filho dela, poderia ter feito com o meu”, comentou o pedreiro Weliton Jesus Ferreira, de 32 anos, que ligou para a casa do menino agredido. “Meu menino contou a história e disse que só não bateu porque teve pena”, completou.



A irmã do menino, Júlia Stephanie da Silva, de 17, atendeu a ligação e imediatamente avisou a mãe, que ainda estava no trabalho. Aos prantos, Rejane largou o serviço e voltou para casa mais cedo. O menino disse que pretendia contar tudo à mãe quando ela chegasse em casa. Rejane ainda não sabe se mudará o filho de escola. Dependerá da vontade do garoto.

paulistano inconformado. disse...

Sobrou verba na Secretaria de Educação do Estado de São Paulo
Mas sobrou dinheiro que é para ninguém botar defeito.
Todo ano sobra verba e a SEE divide entre os professores.
Este anos sobrou muuuuuuuito....
De que jeito sobrou não dá para saber já que as escolas passaram o ano na miserabilidade, as diretoras vendendo de tudo para arrecadar dinheiro e dizendo que a escola não tinha um tostão.
Bem se comenta que os professores vão receber 20.000,oo reais de bonus com a grana que sobrou
Daí que as escolas terão que fazer uma avaliação geral um exame chamado SARESP.
Esse exame determina muita coisa, se a escola melhorou justifica o "presentinho".
Pois bem, só que essa prova vai ser aplicada e corrigida pelos professores da rede.Então quer dizer que os alunos "acertarão" todas as respostas, os professores felizes receberão a bolada.
Ano que vem os alunos voltam para a escola analfabetos e dá tudo certo...
Eitcha, esse é Brazil,zil,zil,zil...

Por isso não gostam da Veja?? disse...

Esta antropóloga é valente mesmo
olhem o que ela falou:
----


A antropóloga Eunice Durham

Justiça seja feira: em matéria de educação, a Veja é a única que tem coragem de enfrentar a mesmice da imprensa e dizer as verdades ignoradas pelos outros meios de comunicação, como por exemplo, o que mais intimida jornais e jornalistas: o corporativismo da classe.
Na recente edição 2088, uma entrevista com a antropóloga Eunice Durham, ela afirma que uma das medidas mais importantes para a melhoria da educação é "combater o corporativismo dos professores". Bingo! Disse tudo.
Fala do que nós vimos há anos denunciando em nossos blogs:"O absenteísmo dos professores é, afinal, uma das pragas da escola pública brasileira. Um professor falta, em média, um mês de trabalho por ano"

Alguns trechos da entrevista e leia completa AQUI

- Como essa ideologia se manifesta?
Por exemplo, na bibliografia adotada nesses cursos, circunscrita a autores da esquerda pedagógica. Eles confundem pensamento crítico com falar mal do governo ou do capitalismo. Não passam de manuais com uma visão simplificada, e por vezes preconceituosa, do mundo. O mesmo tom aparece nos programas dos cursos, que eu ajudo a analisar no Conselho Nacional de Educação. Perdi as contas de quantas vezes estive diante da palavra dialética, que, não há dúvida, a maioria das pessoas inclui sem saber do que se trata. Em vez de aprenderem a dar aula, os aspirantes a professor são expostos a uma coleção de jargões. Tudo precisa ser democrático, participativo, dialógico e, naturalmente, decidido em assembléia.

- Quais os efeitos disso na escola?
Quando chegam às escolas para ensinar, muitos dos novatos apenas repetem esses bordões. Eles não sabem nem como começar a executar suas tarefas mais básicas. A situação se agrava com o fato de os professores, de modo geral, não admitirem o óbvio: o ensino no Brasil é ainda tão ruim, em parte, porque eles próprios não estão preparados para desempenhar a função.

- Por que os professores são tão pouco autocríticos?
Eles são corporativistas ao extremo. Podem até estar cientes do baixo nível do ensino no país, mas costumam atribuir o fiasco a fatores externos, como o fato de o governo não lhes prover a formação necessária e de eles ganharem pouco. É um cenário preocupante. Os professores se eximem da culpa pelo mau ensino – e, conseqüentemente, da responsabilidade. Nos sindicatos, todo esse corporativismo se exacerba.

- Como os sindicatos prejudicam a sala de aula?
Está suficientemente claro que a ação fundamental desses movimentos é garantir direitos corporativos, e não o bom ensino. Entenda-se por isso: lutar por greves, aumentos de salário e faltas ao trabalho sem nenhuma espécie de punição.
O absenteísmo dos professores é, afinal, uma das pragas da escola pública brasileira. O índice de ausências é escandaloso. Um professor falta, em média, um mês de trabalho por ano e, o pior, não perde um centavo por isso. Cenário de atraso num país em que é urgente fazer a educação avançar. Combater o corporativismo dos professores e aprimorar os cursos de pedagogia, portanto, são duas medidas essenciais à melhora dos indicadores de ensino.

Celina Braga dos Santos disse...

Aumentar salário de professor de escola pública não vai melhorar a qualidade do ensino, mas baseado nessa premissa errada, as professoras pedem cada vez mais e alunos aprendem cada vez menos...
Se hoje a gente desse para as professoras um salário de 10.000,00 para 4 horas de trabalho, durante alguns meses a coisa ia bem.
Passado algum tempo o padrão da vida da professora ia aumentando e os gastos começariam a aumentar
Vivendo numa sociedade competitiva como a nossa, onde a ambição é a mola mestra, em pouco tempo a professora ia querer ir duas vezes por ano a Miami e os 10.000,00 passariam a ser uma merreca.
Professor tem que ganhar bem, tem sim, mas tem que ser fiscalizado
Aluno tem que ser tratado com respeito, coisa que não acontece.
Professora tem que entender que se ela estaciona um carrão do ano na escola e que ali tem estacionamento para o seu carrão é por causa do imposto que o pai do aluno pobre paga.
Como professor é humano tem que ser tratado como tal
Trabalhou recebeu, não trabalhou não recebeu.
Meu marido quando o salario ficava pequeno,ele fazia hora extra, professor falta não é descontado e vive reclamanto de salário.
Para professor parar de faltar do jeito exagerado é só descontar os dias dele, parece simples né???

Nadir da Costa disse...

Gloria Perez
Dá uma olhada no orkut na comunidade EU SOU PROFESSOR
e olha o tópico
nome engraçado de alunos
No Orkut parece que professor tira a máscara.
Tinha uma comunidade chamada Professores Assassinos
Agora são professores sofredores.
Essa turma conta como eles aprontam com os alunos, como contam com a impunidade e morrem de rir...

Anônimo disse...

Por isso não gostam da Veja?? :

Na maior parte de sua mensagem há verdades incontestáveis. Os novos professores são de uma ignorância
absurda. E os antigos estão se idiotizando também. Poucos são os que ainda pensam. Mas quanto a faltas, há um engano atroz. Há descontos violentos, sim, e uma política que não permite que sequer fiquemos doentes(fico angustiado de não pode exibir provas, meu Deus, mas estou amordaçado!), apesar de termos uma função tão importante e desgastante como a de educar adolescentes sem o menor respeito pela nosso trabalho. (Não confunda, não estou reclamando do que esses adolescentes são: alegres, agitados, cheios de energia e sem preparo algum para estar no ensino médio. Não é culpa deles.)Quanto ao que a Veja publica, é fruto de elocubrações de 'profissionais em Educação" sem o menor contato com a realidade das salas de aula. Há, inclusive, uma enorme confusão em seus escritos, que não distinguem o trabalho das pré-escolas com as criancinhas, o magistério de primeira a quarta séries (alfabetização dos pequeninos),a tarefa de preparação dos meninos e meninas que cursam da quinta a oitava séries e o desafio de coroar todos eles no ensino médio. Sem falar do EJA, que está dando certificado de conclusão de segundo grau a quem não sabe sequer escrever um bilhete.Esses especialistas são de uma elite privilegiada que jamais pisou numa escola pública. Gostar da Veja até gostamos, mas nosso salário não dá para comprá-la. E como é que o nosso sindicato, tão poderoso, como afirmam alguns, não consegue um centavo de reajuste para nossos salários? Procure ver com seus olhos e não com os olhos alheios, cidadão. Leia Sócrates.

Anônimo disse...

Nadir da Costa :

Prove que são realmente professores que procedem assim no Orkut. Se provar (há meios, sim, de identificar quem entra nele; quando o assunto merece atenção - o que não é o caso do Magistério, claro - as autoridades chegam aos internautas)não cometeremos mais a injustiça de julgar e punir todos por alguns (se forem professores mesmo).

COLEGAS PROFESSORES disse...

Colega:
Infelizmente tem sim professores que usam o Orkut de modo irresponsável e debochado.
Infelizmente, são professores sim....
Nessa comunidade eu reconheci dois
Um é da cidade em que nasci e conheço Deus e o mundo. Inclusive ele
É professor de educação fisica.Outro é professor de história e geografia.
Eu gostaria de concordar com você, que não tem provas que são professores.
São sim.
É uma pena, mas são sim.Pelo menos a maioria é.
A nossa profissão anda tão desvalorizada. Últimamente parece que de uma hora para outra, todos resolveram ao mesmo tempo descobrir que professor erra.
Eu me considero uma educadora.
Amo o que faço, nem me imagino fazendo outra coisa.
O que não podemos é enfiar a cabeça na areia e fingir que está tudo certo.
Não estaremos ajudando a escola pública e nem a nossa categoria se começarmos a negar as evidências.
A escola pública está ruindo e a culpa não é só do governo .Muito menos de quem está denunciando os abusos.

mãe que não quer ler Sócrates disse...

Senhor Professor:
Permita contestar suas observações dentro do maior respeito e apreço que tenho pela profissão de professor.
1- O senhor está enganado, para ver que os nossos filhos não estão aprendendo nada na sala de aula,não preciso ler Sócrates.Aliás o que a escola não precisa é de professor arrogante que se acha o dono da verdade, que se acha muito instruido sendo portando dispensado do minimo de respeito quando se dirige aos pais e principalmente os alunos, já que para ensinar o bom exemplo é fundamental.
2- Também não acho que o senhor é tão coitadinho e tão pobre que não possa comprar uma revista.Haja visto que há dois anos a SEE deu de presente aos senhores um computador e agora um note boock, se não for assim que se escreve, espero seu perdão, já que sou uma dona de casa ignorante.Pode pesquisar pela internet e copiar os artigos de seu interesse.
3- Não concordo quando dizem que os novos professores são idiotas,não são. Muitos não podem se manifestar na escola infestada de idéias velhas preconceituosas e rançosas.
4-Tampouco os alunos são tão burros que não mereçam uma aula de qualidade,que não vão valorizar mesmo...essa é uma desculpa vil
Os alunos valorizam sim uma aula de qualidade, coisa rara hoje em dia em escola pública.
Então é isso.
Nem pobre coitado, vítima e nem o tal que tem tanta intimidade com a filosofia Socratiana que olha os pobres mortais de cima para baixo.
Menos, vai professor, menos,
com todo respeito é claro..

A doutora Durhan está quase certa disse...

A Doutora Eunice Durhan tem um pouco de razão. Os cursos de Pedagogia não ensinam o principal.
Além disso curso de Pedagogia são os mais baratos, duram menos que os outros e precisa menos ponto para classificar.Então salvo as exceções que sao raras, a maioria só faz pedagogia porque é mais fácil de passar no vestibular e o mais rápido.
Esse não é o problema principal da má qualidade da escola pública.
O principal é o exposto aqui com uma certa repetição
Falta fiscalizar.
Sem mecanismo de fiscalização não vai adiantar nada.
Os governantes morrem de medo de peitar a corporação. Os póliticos morrem de medo de perder votos, como se mãe de aluno não votasse.
Então são intocáveis.
Os bons ficam sem alterantiva dentro de uma escola pública que tem 365 motivos legais mas imorais para o professor faltar...
Acho isso....

Anônimo disse...

"COLEGAS PROFESSORES":
Concordo com suas palavras, mas há alguns aspectos que têm que ser analisados.Vejamos:
a) Os professores que a senhora conhece têm que ser denunciados. Entendo que a senhora não possa fazê-lo por razões similares àquela que nos impede que nos identifiquemos: retaliação. Se identificados, podemos ser exonerados, se a senhora for identificada como denunciante poderá ter atacados seus filhos, seu marido, mãe, sabe Deus até onde pode chegar a covardia dessa gente; Mas temos que enontrar um meio de fazê-lo, e talvez aqui seja esse lugar, que vai acabar sendo lido por alquém que não tenha "rabo preso" e possa se defender.
b)Sabemos que professor também erra, mas errar é uma coisa, cometer crimes é outra. Nunca presenciei essas barbaridades, mas não duvido de suas palavras.Interessante:se a Polícia Federal consegue agarrar pedófilos na Internet, também deve ser capaz de agarrar esses criminosos, certo? Não podemos continuar convivendo com esse tipo de marginais.Deve haver números de telefones para denunciar de modo anônimo. Precisamos de mais comentários como esses nossos (meus e seus), que são mais genéricos e abrangentes. Contar uma infinidade de casos não adianta, acaba-se banalizando o crime. Temos que chamar atenção com mensagens bem orientadas. Seu comentário é muito bem-vindo aos nossos propósitos de sanear a Escola.
b)Podemos cometer graves enganos estatísticos. Não é à toa que há uma ciência que tem esse objeto. Se conhecemos alguns, não podemos praticar indução e considerar que "a maioria" é como esses alguns. Se 10 homens altos que conheço são ricos, não posso afirmar que a marioria dos homens altos são ricos.Nossas amostras individuais são muito pequenas para tais conclusões.
c)Também amo o que faço. Mesmo convivendo com professores que não merecem esse título (não-criminosos, porém). Esses maus profissionais são admitidos pelo Estado, que os seleciona muito mal, e de maneira muito falha. A origem de nossos males está aí, sim. Também é verdade que agora não adianta só culpar o Governo, mas nem por isso devemos deixar de cobrá-lo por ter deixado a situação chegar onde chegou. E também devemos procurar todos os meios lícitos de punir os que não cumprem suas obrigações.

Anônimo disse...

Senhora “mãe que não quer ler Sócrates”:
Nunca pretendi ofender a sensibilidade de ninguém com meus escritos. Não sou dono da verdade, e é até mesmo por isso que recomendei a leitura de Sócrates, que nos ensina que devemos sempre perguntar “por quê?”, como fazem as crianças, até que façamos nosso próprio juízo de tudo o que nos é ensinado. Nossa consciência sabe muito bem julgar o que é certo e o que é errado, o que é bem e o que é mal. Claro que não é necessário ler Filosofia para saber que nossos filhos não estão aprendendo nada na escola. Não me acho”muito instruído”, pois isso é ignorância, já que quanto mais sabemos mais constatamos que sabemos pouco. Nunca desrespeitei aluno algum, nem seus pais. Mas não acho que tenha que esconder o pouco que sei para não melindrar quem sabe menos. Meu computador foi comprado a prazo, sem ajuda alguma do Estado, e notebook não faz parte da minha vida. E isso ainda é plano do Governo, ainda não é realidade, e também acho que não vai melhorar nada. O que nossas crianças precisam é, antes de tudo, de pais que os vigiem e corrijam desde pequeninos, e de professores capazes respeitados por diretores também capazes e honestos. Não existem alunos “burros”, e sim alunos que vão sendo “empurrados” para séries seguintes para não aumentar os custos do Estado com a Educação. Até que cheguem a alguma faculdade dessas que estão nos jornais todos os dias, e se tornem “bacharéis de Direito” que prestam o exame da OAB... e são reprovados por não saberem redigir sequer um requerimento.Quanto à Veja, não se trata de comprar uma revista, mas quatro por mês, e isso pesa muito no orçamento de um professor da escola pública. Não vou remunerar ‘especialistas’ em Educação que, estando no Brasil, fingem estar na Europa e criticam nossas escolas, tentando encaixar modelos pedagógicos que nada têm a ver com nossa realidade. Isto sim é arrogância.

Sarah Alice disse...

Sou aluna de escola pública e se estou escrevendo aqui nao é porque eu tenha aprendido na escola apesar de ser uma aluna sempre presente.Adoro escrever.
Meu padrasto sempre me ajudou e sempre paga cursos, minha mãe e minha irmã mais velha também
Hoje fiquei indignada com o Programa São Paulo no Ar do Senhor Facciole e até escreví para ele também...
Ele falou de um professor de escola pública que deu altos murros num aluno, uma sova mesmo.
O que me irritou foi que o Faccioli desculpou o professor.
Disse que o coitadinho ganha pouco.
Se o aluno tivesse reagido, o apresentador ia chamar de vagabundo, futuro marginal e etc, e o aluno ia preso sem dúvida nenhuma por agredir um SANTO.
Não acho que professor ganha pouco e nem acho que isso é desculpa para agredir aluno.....
Imagino um carteiro por causa de ganhar pouco se ponha a rasgar toda a correspondência?
O lixeiro então ? Ganha pouco e imagina o seu lixo na sua porta so porque ele ganha pouco...
Isso acontece sempre na imprensa.
Sempre desculpando professor e achando natural professor agredir aluno
Eu estou sabendo que a senhora Gloria Perez vai falar de violencia na escola e gostaria que abordasse esses casos também
Parece que o Brasil não gosta de nós.
Se alguém quiser me conhecer estou pronta para atender.
Acho que muita gente viu o programa São Paulo no Ar
O Balanço Geral da Record também tem esse mesmo comportamento
Aluno que reage é bandido.Professor que agride é que ele ganha pouco...
Eu nunca fui agredida por adulto da minha familia, meu padrasto também é contra a violencia contra criança e adolescente.Ele conversa com a gente e funciona
Sou aluna da escolaMunicipal Eduardo B.Jafet em Cotia e me chamo Sarah Alice.

Professora Sueli disse...

Colega
Acho que você está enganado outra vez.
As denúncias colocadas aqui não são genéricas.Todas tem nome RG e endereço.
Só não vou coloca-las aqui.
Todas que eu conheço,(não todas as que estão aqui), foram encaminhadas para os órgãos competentes.
As que foram colocadas aqui devem ter seguido o mesmo caminho legal, e tido o mesmo fim de todas.
O arquivamento.Simples assim.
Ou seja: SEE e Cogesp.
Professor que denuncia é perseguido ?
A quem o dizes...eu sou uma delas e nem por isso me calo.
Presenciei sim violência de toda ordem e não me calei.Paguei o preço mas acho que faria tudo de novo.
O caso mais recente é o da Lucas Rosquel Rasquinho.Marcilac, zona sul de São Paulo.Caso recente...
Um casal de professores denunciou a escola e seu filho aluno da escola, foi bárbaramente espancado e passou a ser perseguido de modo feroz dentro da escola.Esta fora da escola com sindrome do pânico.
Quer coisa pior que isso?
Precisa dar nomes? Não. Claro que não...
Teve uma reunião na Cogesp e eu fiz parte dela por solidariedade e o Coordenador da Cogesp sugeriu que era melhor arquivar o processo.Ele estava sendo pressionado pelo Deputado Carlos Giannazzi pra deixar tudo como estáva.Disse isso diante de todos.Todos que estavam presentes podem testemunhar caso o deputado se sinta ofendido ou injuriado.
Alías saiu esse caso no blog do
Educaforum.Até hoje o deputado não questionou o Educaforum, quem cala consente, ou não tem como contestar.
Esse detalhe eu posso dar que é público e notório.
Ano de 2005 o entao Secretário de Educação Gabriel Benedito Chalita declara que a Secretaria recebera 2.000 casos de violencia contra alunos.Foi um tal de jornalista ligar para lá para saber e ele correu de todos.
Não se soube de nenhum caso de violencia contra aluno que tenha culminado com a demissão de professor ou mesmo alguma puniçao para diretor.
Sei de casos concretos de alunos presos por motivos fúteis ou por reagir a uma agressão
Sou educadora por vocação, gosto do que faço como a colega já colocou, só mesmo gostando de ensinar que o senhor poderia nos entender.Para quem gosta de ensinar não é nenhum sacrificio.
Dizer que nunca viu um aluno ser espancado ou ser humilhado, que nunca viu a direção chamar a policia por motivo bobo, apenas porque não gosta do aluno, ou porque ele é aluno que questiona?
Ora...me poupe.
Com todo respeito, mas o senhor tem certeza que dá aula em escola pública ? De São Paulo ?Precisamos dar nomes aos bois, e esteja certo,nos damos...
Sou uma sonhadora incorrigível, e não vou deixar de acreditar em uma escola laica e de qualidade.
Quando eu comecei a denunciar a escola David Eugenio dos Santos, zona norte de SP. tinha comigo umas dez professoras.Todas desistiram eu fiquei sem elas, mas estou muito bem obrigada....
Acho que esta minha luta,não é uma luta solitária, a cada dia aparece mais gente com o mesmo ideal e vou
então lembrar o poeta que disse que tudo vale a pena.Escola pública o futuro do meu pais vale muito mais.
Se alguem quiser meu endereço telefone ou email é só dar um contado aqui que eu mando...

Anônimo disse...

"A doutora Durhan":
Até a frase 'falta fiscalizar', concordo com tudo, simplesmente com tudo. Pedagogia é um caminhão de coisas certas, mas tentando entrar no lugar errado. Só teorias que não se aplicam à realidade.
Mas que o Governo 'morre de medo de peitar a corporação'... Quanta insensatez dizer isso... Veja o que o Serra está fazendo conosco, com nossa assistência médica, com nossos salários, com nossos direitos de ser tratados como gente! Claro que está acertando em algumas meias coisas, tais como exigir que os eventuais façam provas para "demonstrar capacidade", mas o peso do tempo de serviço é 80% e conhecimentos 20%!! A antigüidade é mais valiosa que os conhecimentos! Quem são os prejudicados? Primeiro os alunos, e depois os concursados, que 'queimaram a pestana' para obter um título e passar num concurso. Dá pra enxergar a manobra? Tirar o respeito de quem sabe. Medo de peitar... imagine que inocência...

Comunidade de Olho na Escola Pública disse...

Caro Professor anônimo:
Como já foi oolocado aqui, nós os pais respeitamos os professores, pena que a recíproca não seja verdadeira.
Encontramos dentro da escola pública educadores comprometidos e vocacionados. Como são poucos eles não podem mudar a situação, mas eles fazem sim a diferença.Graças a eles que a esperança permanece.
Vocês são inimputáveis sim.
Com certeza são. Punidos só os educadores que não concordam com esse mar de lama.Quem entra no esquema está blindado...pode fazer o que quiser...
Não senhor, a antiguidade não vale mais que os conhecimentos.Todo concurso público e toda avaliação para promover professor e aumentar seu salário, ou lhe dar bônus leva em conta sim os cursos que ele fez.
No longo da sua carreira seu salário vai engordando o que é natural nessa situação.É quinquenio disso e benesse daquilo que é incorporada.
Os concursados novos já entram levando vantagem.Eles tem as benesses dos antigos.Pontes, duas férias por ano.Faltam dia disso, dia daquilo...Podem concorrer a viagens, ganham computadores e financiamento para casa propria e um milhão de coisa.Isso sem contar que nunca vimos uma professora presa por espancar aluno.
Aluno morre dentro da escola e a escola nunca é responsabilizada.
Salário nem é desculpa .Diretor de escola ganha bem se comparado com as outras profissões da mesma qualificação.E as escolas públicas de SPaulo tem furia arrecadatória com a prestação de contas quase nula.Mesmo assim eu não conheço um só diretor que cumpras as suas oito horas de trabalho.Ele sempre dá aula também em outra escola.Depois vem me dizer que a profissão é estressante e que tem dois ou tres empregos por ganhar pouco? Imagina...
Ano de 2005 eu acompanhei na Alesp as questões de aumento salarial.
Isso eu vi e tem gravado no Programa Assembléia Popular.
Professora teve além do bônus que dizem que este ano vai chegar a 20.000,00 por professora, receberam 15 por cento de aumento real,mais 15 por cento para prometerem não faltar, como incentivo(e no ano de 2006 faltaram adoidado)
Então enquando a policia militar recebeu aumento de 2 por cento voces receberam 30 por cento e ainda foram na Alesp esgoelar que o bonus éra esmola, mas ninguem devolveu a esmolinha que naquele ano foi de 9.000,00.
Hora de parar com isso.
Os pais estão buscando informações e é hora de parar de se fazer de vitima.
Que precisamos urgentemente que se moralize a escola pública, porque alí tem e fora também um monte de educador querendo trabalhar sério.

Manuel Tertuliano da Silva disse...

Gloria Perez, já escreví neste espaço e a senhora fez a gentileza de publicar.
Participo com trabalho voluntário no Forum Municipal em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes.Sou membro da executiva
O que recebemos de denúncia de diretora e de professora, a senhora não imagina.Violação de direito de toda ordem, coisa que se a mãe não me trouxesse por escrito, muitas vezes ficaria até dificil de acreditar.
Aqui a população é muito pobre, mas tão pobre que muita gente ainda anda descalço pelo bairrro, crianças e adultos por falta de um chinelinho para colocar nos pés.
Numa situação dessa a escola pública tira leite de pedra.
Vende de tudo no lugar de aula.
Aliás aula elas vendem, recebem no fim do mes,só que não entregam.
Além de ser Inconstitucional, por ser um direito da criança e adolescente, ainda tem a tal lei
estadual em SPaulo, a 3.913 que proibe a obrigatoriedade do uso de uniforme e comercialização de quaisquer coisa nas dependencis da escola.
Como escola pública não respeita a lei.Como o Governador MORRE DE MEDO DE PEITAR A CORPORAÇÃO, as escolas deitam e rolam na imoralidade e na ilegalidade.
E no passado as escolas foram avaliadas pelo SARESP e na avaliçao de um a dez a maoiria tirou dois.Nota zero tem umas tres mil escolas.
Este ano vai piorar, sendo ano eleitoral elas deram menos aula ainda.Depois das eleições as escolas foram transformadas ora em cassino, ora em parquinho infantil.Venderam de tudo.
Elas alugam brinquedos ou maquinas de Game e cobram para as crianças brincarem...Uma farra.
Se não podia vender uniforme no começo do ano e todas venderam, sem acontecer nada, o Governador José Serra" liberou geral."
Todas as denuncias eu encaminho para os órgãos competentes.
O primeiro é a Diretoria de Ensino Sul 3 que vive me ameaçando.Tiveram a pachorra de afirmar para uma companheira minha que as escolas podem sim vender o que quiserem, que podem usar a criatividade a vontade que tem o aval delas.
Pois ontem a Escola Estadual Homero Vaz do Amaral zonz Sul de SP vendeu um saquinho de pipoca(pequeno) a um real e cincoente centavos.Quem tinha o dinheiro descia e comia a pipoca, quem não tinha ficava na classe de castigo só sentindo o cheirinho.E como pipoca cheira...
Então esse mais outros casos de violação de direito ocorrido na cidade de São Paulo.
Tenho os comprovantes de tudo que as escolas da zona sul de São Paulo vendem, elas certas da impunidade mandam os bilhetinhos para as mães com carimbo e assinaturA da direçao.
Isso ai por hoje...
Meu email
manueltsilva@yahoo.com.br
Muito obrigado pela oportunidade de denunciar a violencia contra criança e adolescente...
Manuel Tertuliano da Silva

Anônimo disse...

Acabei de assistir no Jornal da Band, em São Paulo onde moro.
Livros ditáticos de portugues, abandonados numa rua do Rio de Janeiro.
Livros que seriam usados pela escola pública o ano que vem
Livros grossos, bonitos, coloridos.
Pior ainda, com a assinatura do funcionário da escola no recibo
O funcionário da Escola Estadual recebeu os livros e deixou a nota no meio deles.Nem precisa tomar cuidado.Só jogar fora e pronto
As professoras vão dizer que não tem material não tem livro.Não dá para trabalhar, falta material didático...
Livros que o Mec envia.
Dinheiro do consumidor...
Fiquei triste ao saber que no Rio também acontecem essas coisa.
Aqui em SPaulo o começo do ano foi
encontrado numa empresa de reciclagem na cidade de Barueri, oito toneladas de livros diidaticos.
A imprensa foi lá, manuseou os livros, foleou vários diante das câmeras.O motorista do depósito foi preso e contou de onde retirou os livros.
Das escolas....
A Secretaria de educação disse que os livros não passaram no controle de qualidade, que as páginas teriam uma fração milimétrica a menos do que a requerida.
Pronto !!! Colou....
Ninguém é maluco para contestar.
QUEM VAI TER CORAGEM DE PEITAR A CORPORAÇÃO DOS PROFESSORES?
Ninguém foi responsabilizado e as escolas ficaram sem os livros, em os que estavam com fração milimétrica a menos e nem os que s
eriam os corretos.
No Rio darão uma desculpa qualquer e pronto está tudo certo.
Os livros que o trouxa do contribuinte paga e o Mec envia, a escola joga fora.
Tudo certo....
Assim vai a nossa escola pública ladeira abaixo.
Gostaria de me enganar e pensar que casos assim só acontecem em SãoPaulo...

Paulista que ama o Rio TAMBÉM disse...

O Rio de Janeiro continua lindo...
Só que no Rio de Janeiro a escola pública está exatamente como em todo Brasil
Quando ví a notícia dos livros jogados fora, não me deu nenhuma satisfação saber que não é só em S.Paulo.
No começo do ano, o caso de Barueri,onde foram jogadas toneladas de livros, foi esquecido. Alguns meses depois a Secretaria Estadual de São Paulo distribui cartilhas com sugestões e orientações aos professores.
Aparece uns cem professores e fazem uma montanha de cartilhas mais livros didáticos e ateiam fogo.Isso em frente da Secretaria Estadual de Educação na Praça da República,centro de SPaulo
Queimam e gritam palavras de ordem.
Os livros didáticos não eram delas, eram para serem distribuidos aos alunos, as cartilhas foram feitas com dinheiro de imposto do contribuinte.Era patrimonio público.
Destruir patrimÔnio público é crime.
Fazer fogo no meio da praça e naquela proporção foi um gesto sem nome.A revista Veja deu uma pequena nota dizendo que era crime, mas ficou só nisso.
Os policiais militares, tão rápidos e eficientes quando é para atender direção de escola e levar aluno preso, ficou só olhando de longe. Afinal eram professores de escola estadual e eles podem tudo.
Ainda mais que se identificaram como da Apeoesp.O sindicato mais rico do pais e com seu presidente de honra sendo suplente do Senador Suplicy.Poder absoluto, econÔmico e político.Poder absoltuto que corrompe absolutamente.
A secretaria de educação não apareceu, se aparecesse poderia ser queimada na foqueira da imoralidade.
Nesse mesmo lugar o ex Governador foi agredido por professores acampados ali.Se agridem um governador diante das câmeras de Tv, se colocam fogo em uma montanha de livros em praça pública, imagina o que esses anjinhos não aprontam dentro de uma escola.
Agora está o comentário geral que a prova do Saresp está sendo fraudada de modo escancarado.Essa prova vai determinar o bonus para os professores.
Se a escola pública virou um mar de lama, todos temos culpa.
Uns mais outros menos, mas todos temos.
O elo mais frágil dessa corrente é o aluno, exatamente por conta disso ele é sempre o mais prejudicado e o mais responsabilizado.
Os educadores, aqueles que sabem da sua importância na formação do cidadão e no futuro do pais, estão tão preocupados quanto nós os pais, mas parece que estão perdendo essa guerra contra a corrupção que cresce a cada dia.
Não sei se a escola pública tem onde piorar....
Só sei que o Rio de Janeiro continua lindo...

INDIGNADO disse...

Amigo
A diferença é que no Rio parece que não existem grupos que se especializaram na defesa da escola pública pelo víés do aluno.
Lá tem violencia sim, violencia contra aluno igual em todo lugar do Brasil.
ALUNO É CONSIDERADO INIMIGO PÚBLICO NÚMERO UM
Quando mais periférica é a escola, quando mais pobre o aluno mais os apresentadores de TV vociferam contra eles.
A diferença é que no Espírito Santo, Parana e Minas Gerais os grupos se comunicam com os grupos de SPaulo, trocam iformações e se ajudam, no Rio não tem isso.Infelizmente
A luta em defesa de aluno de escola pública é uma coisa que apaixona. A gente vai conhecendo casos e ve que são todos parecidos
Fruto da impunidade que contamina a escola pública de ponta a ponta do Brasil.
Em São Paulo o ano passados os alunos das emefs, ficaram seis meses sem receber leite.
Era dois quilos de leite em pó que aluno recebe por mes.Muita região pobre da cidade,esse era o único leite que as crianças consumiam.
As mães faziam milagre para esse leite durar o mes inteiro.Era uma benção....Recebido não como um direito, mas como uma benção mesmo...
Ficaram seis meses sem receber e o Prefeito Kassab, reeleito explicou que estava com problema com a licitação.Coisa absurda, um programa instalado na rede desde o tempo do Maluf, seu criador, deixar de atender milhares de crianças por conta da licitação...
Muitos meses depois se descobre que em 23 cidades do Sul estavam vendendo leite desse programa.Nem trocaram o rótulo.Estava lá Programa Leve Leite Prefeitura Municipal de São Paulo...
A imprensa divulgou o caso mas tão levemente, de modo tão pálido, que passou batido.Um figurão da Nestle disse que era problema de Logistica e ficou tudo certo.
AFINAL ALUNO FICAR SEM LEITE E SEM AULA NÃO TEM PROBLEMA NENHUM ELE É O INIMIGO PÚBLICO NUMERO UM MESMO...

Sou negra disse...

Quem viu?
Hoje no programa matinal da Olga Bongiovani,na Redetv ela mostrou o caso de uma aluna negra que sofre bullying na escola estadual
A aluna de costas, contando que os alunos a chamam de negrinha, cabelo disso e cabelo daquilo. Que sempre pegam seu material e espalham pela classe e a mandam pegar e debocham dela. É empurrada e está sempre sofrendo maltratos de uma turma.
O que me incomodou foram duas coisas.
Primeiro, o por quê a emissora não deu o nome da escola. Segundo o comportamento da diretora.
A diretora foi entrevistada mas não estava alí. Presentes a mãe e a aluna.
A diretora ria o tempo todo, ria com ares de deboche. Fiquei danada da vida. Não era o caso da entrevistadora perquntar qual era a graça?
A diretora então respondeu que nesses casos a aluna deveria procurar o inspetor de alunos e reclamar. A aluna então respondeu que ela reclama e ele diz que não tem tempo. Está sempre muito ocupado.
Que coisa lastimável???
Uma coisa me pareceu, a diretora sabe do bullying e acha graça também. Se acha engraçado o sofrimento da aluna e da mãe assim em público, é que ela se diverte mesmo...
Uma perguntinha, onde anda essa diretora que nunca vê isso? A professora então? Muitas vezes o bullying acontece na sala de aula, segundo o relato da aluna.
A maioria das diretoras sempre trabalham em mais duas escolas e deixam a escola na mão de uma panelinha, mas esse caso??? Ela nunca está lá?
Ninguém se manifesta ?
Sei que rico rí atoa, mas assim diante das câmeras e ainda rir da desgraça de uma aluna pobre e negra é muita coisa....
Aliás, era um riso de deboche...
Certo que a Olga Bongiovani é uma lady mesmo, mas se ela se propõe a fazer uma matéria dessa, tem que estar disposta a ser firme quando o entrevistado tem essa conduta. Pelo menos perguntar:
Qual a graça?

NEGRA TAMBÉM,COM ORGULHO disse...

Eu vi também, e meio mundo viu, acredito.
O que me incomodou também foi o outro caso apresentado.
O professor chama o aluno de macaco, frango de macumba e outros nomes horriveis.O aluno foi ficando doente e parou de comer.A mãe até achou que ele estava usando droga, mas era a droga da escola pública que violenta e arruina seus alunos.
Racismo é crime, mas desde que não seja praticado por professor e contra aluno pobre.Dai não dá em nada.
Se fosse um aluno branco que chamasse professor negro de macaco era na primeira vez levado para a delegacia.De lá para a Vara Especial de Infancia e Juventude, especial mesmo, as sentenças ali contra aluno sai imediatamente....
Fico triste, vejo que esta pátria nem é uma mãe tão gentil assim com seus filhos.
Um gigante adormecido domindo debaixo de um explêndido sol tropical.
Não e só o Rio que é lindo, é o Brasil todo.Pena que somos um pais pedófobo.Parece que odiamos as crianças e adolescentes.
Um pais onde o aluno que revide agressão é achincalhado e vira sim como o colega disse, o inimigo público numero um, se é o professor esta tudo certo.
Que tipo de cidadão essa escola estara formando?
Fala-se tanto em Paz na Escola em Educação para a Paz, mas paz sem justiça não é paz é opressão.É tirania....
Muitos negros tiram de letra essa agressão que sofrem na escola.O preconceito existe, o racismo existe sim dentro da escola pública
No caso apresentado o aluno deve ser sensível a ponto de ficar doente.Muitos se revoltam, outros se desinteressam dos estudos.
Quanto ao riso da diretora, eu lembrei de uma afirmação do Shakespeare.SÓ RÍ DA CICATRIZ, QUEM NUNCA FOI FERIDO...

Anônimo disse...

PREZADOS MENSAGEIROS:

HÁ MUITA GENTE SE APROVEITANDO DE UMA CONFUSÃO BASTANTE FREQÜENTE QUANDO O ASSUNTO É EDUCAÇÃO: TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO GENÉRICOS, NÃO FAZENDO DISTINÇÃO ENTRE QUATRO ESTÁGIOS, OU SEJA, ENTRE A PRÉ-ESCOLA, O ENSINO DE PRIMEIRA A QUARTA SÉRIE, O DE QUINTA A OITAVA E O ENSINO MÉDIO.
AS CLIENTELAS SÃO COMPLETAMENTE DIFERENTES, MAS OS EPISÓDIOS RELATADOS SEMPRE SE REFEREM AOS PROFESSORES E AOS ALUNOS COMO SE FOSSEM TODOS IGUAIS EM SUAS NECESSIDADES E DIFICULDADES. TAIS COMENTÁRIOS SEMPRE ENVOLVEM CRIANÇAS QUANDO OS RELATOS SÃO DE VIOLÊNCIA CONTRA ELAS E NADA COMENTAM QUANTO À VIOLÊNCIA SOFRIDA PELOS PROFESSORES ENCARREGADOS DE SALAS DO ENSINO MÉDIO. OU MENCIONAM O FATO, MAS MISTURAM HABILMENTE CRIANÇAS INDEFESAS NAS MÃOS DE MAUS PROFESSORES E PROFESSORES, BONS OU MAUS, NAS MÃOS DE VERDADEIROS ATLETAS DE ARTES MARCIAIS.
CLARO QUE AGRESSÕES FÍSICAS SÃO CRIMINOSAS EM QUALQUER CASO, MAS JOGAR TODOS, ALUNOS E PROFESSORES, NA MESMA VALA SÓ PODE GERAR CONFUSÃO, PROPÍCIA AOS POLÍTICOS INTERESSADOS EM DENEGRIR A IMAGEM DOS MESTRES.
ALUNO ALGUM DEVE SOFRER VIOLÊNCIA (ALIÁS, SER HUMANO ALGUM), SEJA NA ESCOLA OU FORA DELA. NEM PROFESSOR (OU QUALQUER SER HUMANO, REPITO). HÁ GRANDE COVARDIA NOS CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS, GERANDO UM ÓDIO PROFUNDO EM TODA A SOCIEDADE. MAS TAMBÉM HÁ COVARDIA QUANDO AS TURBAS DE MAUS ALUNOS (POUCOS, MAS QUE DOMINAM AS SALAS-DE-AULA) AGRIDEM SEUS MESTRES. E MAIOR COVARDIA HÁ, AINDA, QUANDO AS DIRETORAS TRATAM ESSES TROGLODITAS COMO SE FOSSEM CRIANCINHAS, CONDENANDO OS PROFESSORES QUE “NÃO SÃO CAPAZES DE DOMINAR A SALA POR NÃO SABER DAR AULA”.
AS AGRESSÕES CONTRA PROFESSORES FICAM SEM PUNIÇÃO E CAUSAM HUMILHAÇÃO, POIS OS ALUNOS RETORNAM À SALA SEM NENHUMA PUNIÇÃO, CHEIOS DE SI, EM ATITUDE DE DESAFIO. E A IMPUNIDADE VICEJA.
ASSIM, A APROVAÇÃO AUTOMÁTICA, (IMPOSTA PELA LEI DA SEE E PELA VIOLÊNCIA TOLERADA DOS “FORTÕES” ) SE AUTOMATIZA AINDA MAIS E OS BONS ALUNOS AOS POUCOS VÃO SE INICIANDO NO ENGANO DE PENSAR QUE NÃO VALE A PENA SE ESFORÇAR, POIS TODOS SERÃO PROMOVIDOS. ESQUECEM QUE AS AULAS QUE NÃO PUDERAM TER EM VIRTUDE DA BALBÚRDIA DOS MAUS E A FALTA DE COBRANÇA QUANTO A SEUS ESTUDOS PREPARA SEUS FUTUROS DA MANEIRA MAIS PERVERSA.
APENAS UMA MINORIA, APESAR DE CALADA, CONSEGUE EXTRAIR ALGUMA COISA BOA DAS AULAS POBRES, E ESTUDA CONSCIENTEMENTE EM SEUS LARES.

NAZÉ disse...

Negativo...
Quando o aluno é pequeno ele sofre sim abusos e espancamentos.
Castigos crueis e degradantes.
Os casos contados aqui tem nome e endereço.
Nada de denúncia anônima
Quando é aluno do ensino médio, a direção conta com a policia armada dentro da escola.A Ronda Escolar, e não tem aluno fortão para dois policiais militares armados e com condições de pedir reforço.
Nem estou vendo nenhuma confusão. apenas pais e alunos relatando e dando o nome da escola e o dia onde o fato ocorreu.
Confusão nenhuma. Tudo dentro da maior democracia e respeito.
Aluno que desrespeitar professor é preso e cumpre pena.
Já a Progressão Continuada eu sou a favor.
Pena que os maus professores se encarregaram de transforma-la em Promoção Automática.
E não foi nenhum aluno fortão que determinou nem participou da feitura dessa maravilha.Foi criada pela ex secretária de educaçaõ do Mario Covas, de saudosa memória.
Progressão Continuada era que o professor deveria dar aula de reforço para o aluno, cada vez que ele apresentasse dificuldade.
Então o professor que ia dar aula de reforço, ganhava a aula e mais trinta por cento de aumento por aula.
Aula de reforço devia ser dada em horario que facilitasse a vida do aluno, e fora do horário normal.
Sendo assim,não tinha como o aluno ser reprovado.Aparecia a dúvida o professor sanava.
Se o aluno não estivesse em condição de ser aprovado o professor fazia um relatório e enviava para a SEE explicando que apesar de ter tido tantas aulas o aluno não conseguiu.
Então o que aconteceu na prática.
O professor quase nem aparece nas aulas.Impossivel saber que aluno tem dificuldade.
Passou a receber as tais aulas de recuperação sem trabalhar, e para esconder isso, ele passou a aprovar o aluno sem o aluno saber
Assim não precisava fazer relatorio explicando a reprovaçao do aluno.
Recebia aula de reforço e nem aparecia.
Era a farra do Boi...A festa do caqui.
Entao dizem que a culpada é a Progressão Continuada.
Também foi relaxada a obrigação de aprovar aluno.Virou bagunça
Nunca se reprovou tanto como nos últimos anos.
O Brasil reprova mais alunos que paises atrasados e famintos da África.
O problema a meu ver nem é aprovar ou reprovar. O problema é que não estão ensinando nada.
Ano passado as escolas na escala de zero a dez tiraram dois.
O que está acontecendo é que grupos organizados de pais estão aumentando se informando e cobrando.
Infelizmente esses pais ainda são em número pequeno, mas parece que cresce a cada dia.GRAÇAS A DEUS..

...continuando disse...

Os comentários não são genéricos
Apenas não se está dando o nome do professor.Que o que se cobra aquí é a conduta do profissional.
Dar nome seria difamar a pessoa.
Então vejo o cuidado dos pais nesse ponto, sinal de maturidade.
Não são denúncias genéricas, pois estão dando o nome da escola, o crime e o dia que ocorreu.
Tem até um senhor que deu o nome e o email.Escrevi para ele e ele me respondeu. O email existe.A pessoa também.
O que está acontecendo é inédito.
Espaço para troca de informação e denúncia mesmo, sem ofensas pessoais
Já vi debate desse no Orkut onde os professores apelaram e passaram a ofender de modo rasteiro os pais.
Ou então os bloqueavam.
Aqui não,todos podem se manifestar de modo elegante, mas determinado.
Muito boa idéia da Gloria, mas precisa coragem e isso ela tem de sobra.
Permitir que pais mostrem o outro lado da escola pública é genial, corajoso e louvável.

estou de olho.... disse...

Anônimo, meu caro
Nós os pais somos contra a violência em qualquer ordem e em qualquer grau.
O que se questiona aqui é a impunidade.
Os dois pesos e duas medidas.
Se um adulto bate no outro é lesão corporal
Se um animal apanha é maus tratos
Se um aluno apanha é para ensinar?
Aluno segundo o ECA se tornou um sujeito de direitos e deveres, eñtão ele é punido como gente grande, mas de modo injusto.
Revidar uma agressão dá sempre cana dura para o aluno.
Se um adulto revida agressão na rua é considerado legítima defesa.
Um aluno tem direito de ser respeitado por seus educadores, e tem direito a acesso e permanencia na escola.Esses direitos são constantemente desrespeitados atraves de expulsões e suspensões absurdas e injustas.
Toda vez que eu vi caso na TV onde o aluno é mostrado como monstro, era caso de revide.O aluno revidava e era preso, direto, da delegacia para a Vara de Infancia receber a sentença, muitas vezes no mesmo dia.Coisa que não acontece com adulto.
A nossa justiça é lenta, mas quando é aluno, ele vai no mesmo dia para as tais varas especiais e ele se ferra de verde e amarelo.
Esta semana mesmo eu ví um caso aqui em Sao Paulo, onde o apresentador da TV record, relatava um caso do professor que espancou o aluno.Nem aconteceu nada com o professor e o apresentador ainda desculpou o agressor alegando que professor ganha pouco.Vê se pode....
Isso que se questina aqui.
Ninguém está dizendo que professor tem que apanhar de aluno fortão
Alíás eu não conheço nenhum caso de professor que apanhou na escola.
Alguém conhece ? Mas não vale inventar que a gente vai conferir.
Assim como podem e devem conferir os casos relatados aqui...
Eu conferi os endereços e os blogs
Conversei com pessoas que me deram o telefone.
Por isso estou em defesa desses pais.
São sérios mesmo.Ainda bem...

Anônimo disse...

PREZADOS MENSAGEIROS:
O que afirmo é que os comentários DEVEM SER GENÉRICOS, AMPLOS, e não o contrário. Elaborar uma lista infindável de casos que já foram bastante esclarecedores é o início da banalização, ou seja, acabam ficando repetitivos e ninguém mais lhes dá importância. Quanto à Glória Perez, vejam que fez algo excelente colocando o assunto Educação em evidência, mas há um punhado de gente inocente acreditando que ela “vai dar um jeito na Educação”. Isto é injusto com ela,escritora, que não tem esse poder. Colocar o assunto em discussão, dando voz a todos, foi uma atitude venerável, grande passo, sem dúvida. Cabe a nós fazer bom uso desse espaço, tentar contatos com quem tem interesse, poder e a obrigação de mudar o quadro horroroso com que deparamos e publicar, aqui, as tentativas que fizemos e os resultados obtidos. Estamos relatando os ferimentos que cada soldado dessa guerra sofre ou sofreu, ao invés de relatar o que estão fazendo os responsáveis pela guerra. Assim, deixamos os principais causadores das desgraças bem à vontade, divertindo-se com nossa inocência. Temos que cobrar providências do Estado, e não ficar infinitamente repetindo ataques uns aos outros.

Anônimo disse...

PREZADOS MENSAGEIROS:
Quando um canal de televisão põe no ar casos de alunos agredidos por professores, e dá razão a estes últimos, está a favor de quem? Não está evidente que essa injustiça faz crescer audiência pela indignação que causa na população? É claríssimo que esses canais sensacionalistas estão defendendo apenas seus pontos no IBOP.
Quanto a agressões contra professores, presenciei, sim. Mas não adianta provocar, não vou sofrer exoneração para favorecer os maus que ficarem na Escola, e nem para dar foro de verdade ao que declaro. Quero estar dentro do sistema para poder criticá-lo construtivamente. Estamos amordaçados pelo sistema, não podemos dar testemunho. Esse é o jogo sujo a que estamos submetidos.
Quanto a EXPULSÃO de alunos, ESQUEÇAM ESSE TERMO. Não existe mais isso. Existe(como já disse em outra mensagem, perdida entre o amontoado de casos repetitivos), é a famigerada TRANSFERÊNCIA COMPULSÓRIA, que apenas muda de Unidade Escolar o aluno que exagerou em suas atitudes agressivas e depredatórias. E para chegar a esse ponto, são necessárias diversas reuniões do Conselho de Escola, com participação de pais, alunos, professores e do Diretor da Unidade Escolar. E, seja qual for a infração praticada pelo aluno (mesmo que tenha sangrado o professor ou ensurdecido a todos com uma bomba), o Diretor da Unidade Escolar, que tem o voto decisivo, está sempre disposto a passar a mão na cabeça do aluno. Sempre obedecendo à determinação do Diretor Regional de Ensino, que não deseja ver um aluno transferido de uma Unidade Escolar para outra de seu feudo. Pura política suja. Vejam bem, aqui o caso é do Ensino Médio, não se trata de criancinhas

Sofhia Ferretti disse...

Cara Nazé.
Acho que está sendo uma enorme confusão este blog, sim.
Deve estar dando um nó na cabeça de pessos de boa fé e que acreditavam em toda desculpa de professor, para justificar aula de má qualidade e aluno que sai da escola analfabeto.
Na Emef Olegário Mariano do Jardim São José zona sul de São Paulo o professor da sétima série e que ensina portugues, chama os alunos de burros, quadrúpedes, inuteis e outros adjetivos piores.Isso aos gritos.Os alunos reclamam muito dele para os pais.
Alguns pais gostariam de reclamar com a diretora, mas tem mede de represália.Além disso os gritos dele são ouvidos pelo corredor todo.Impossivel achar que a direção não sabe.
Isso é culpa de família desestruturada?
NO Ceu do Butantã, os alunos da oitava série ficaram o primeiro semestre todo sem aula de matematica.No segundo semestre nem matemática e nem as outras aula, era raro o dia que tinha aula.
Estou fazendo questão de colocar esses dois casos que eu conheço, que no Olegário estuda meu sbrinho e no CEU estuda meu filho.Faço questão de colocar esses casos para que vejam que em São Paulo não é só em escola do estado que não tem aula professor maltrata aluno e ele fica sem aula.
Não me incomodo de deixar meu email que esses casos a imprensa falou deles, muito rapidamente em notinhas pálidas, mas falou

Sofhia Ferretti.
sofhia63@hotmail.com

COMUNIDADE DE OLHO NA ESCOLA PÚBLICA.COEP disse...

Caro Professor anônimo.
Se tiver caso de professor que sofreu agressão e foi injustiçado,nem precisa se identificar.Conta o caso a escola a gente vai conferir.Conhecemos sim muitos casos de professores perseguidos por não concordar com a violencia cometida contra aluno.
Caso de professor que apanhou de aluno e o aluno não foi preso, a gente desconhece...Olha que lidamos com isso diáriamente...
Exatamente como fazemos nos casos de alunos.
O que acontece é que essa sua afirmação não é verdadeira.Apenas isso.
Não é legitimo dar casos genéricos, importante é dar nomes e endereços...Acho ótimo isso.
Ninguém está aqui esperando que a Gloria Perez de um jeito na educaçao.
O que a gente espera é que seja divulgado o lado dos pais e alunos também.O que ela está fazendo com muita classe.
Está abrindo espaço para os dois lados se manifestarem, coisa rara.Normalmente os veículos da imprensa e quem tem poder só olha de um lado.
TRANSFERENCIA COMPULSÓRIA é um novo nome para a EXPULSÃO DE ALUNO.
EXPULSAR ALUNO É CRIME
Conselho de Escola não pode agir contra a lei.
Conselho de Escola age como um Tribual de Exceção por conta da impunidade.
Se é uma conduta ilegal não é porque um grupo se reune que pode.
Alías mais de tres cometendo o mesmo crime já é considerado pela legislação como gradrilha.
Um grupo de pessoas que se reunem para violar a lei a gente chama de
QUADRILHA ?CORJA ? SUCIA ? CAMBADA?
Se um aluno sangrar um professor ele vai em cana, flagrante delito e pega 3 anos de tranca.Esse nunca vai ser transferido compulsóriamente e nem expulso da escola.
Aluno de ensino médio, não é criancinha mesmo, é um cidadão em fase peculiar de desenvolvimento, mas que é tratado como criminoso.
Usam para ele todos os adjetivos para desqualifica=lo.Como neste espaço a elegância e o respeito é condição para a divulgação da mensagem, o senhor preferiu chamar os aluno de FORTÕES...
Não são tão fortões assim, diante da injustiça e da covardia são frágeis e indefeso.
CONSELHO DE ESCOLA NÃO PODE,NÃO TEM O PODER LEGAL DE TRANSFERIR COMPULSORIAMENTE ALUNO E NEM EXPULSA-LO
Fazem sim mas é ilegal e imoral...

COEP disse...

Claro
Professor espanca aluno a culpa é do governador ????
Claro que é...
O que se pede insistentemete é que acabe a impunidade e que tenha uma instancia para onde esses casos sejam levados a sério.
Relatar casos e dar nomes é preciso sim para que não se pense que é um caso isolado.
Educador não espanca.
Se acabar a impunidade até o mau professor vai pensar duas vezes antes de espancar.
A impunidade contamina a rede.
Endeusar professor e demonizar aluno não ajuda a educação.
A impunidade incentiva a violencia contra aluno.
Vi por aqui uma pessoa perplexa.
Quem não tem filhos na escola pública não tem noção do que acontece alí.
Importante é divulgar, denunciar, dar nomes endereços. Dando todos os dados ainda tem gente que quer desacreditar nos relatos....
O professor anônimo escreveu que exista a transferencia compulsoria
Um crime....
Desde o meu tempo de escola que de vez em quando um aluno joga bomba no banheiro da escola.Ninguém ficou surdo para sempre por causa disso.
O aluno era,no meu tempo, punido, pedagógicamente.Alguns eram até expulsos que na minha época era legal. A lei permitia, mas agora a situação é muito pior para o aluno
Essa diabrura ainda não é tolerada, e ainda se transformou em crime.O aluno vai preso com alegações pesadas: dano ao património público, tentativa de homicidio, vandalismo...
O mesmo ECA que transforma ao aluno em sujeito de deveres e permite que ele seja preso e cumpra até tres anos, não lhe garante o direito de acesso e permanencia na escola pública perto de sua residencia.
O direito devia ser inalienável, mas na escola esse direito só se a escola quiser, se não quiser ele é transferido para longe de sua casa.
Jogado para longe, muitas vezes inviabilizando o seu acesse na outra escola.
Isso sem contar que ele chega na escola para a qual foi transferido já com a TARJA.CÃO DANADO, TODOS A ELE....

COEP disse...

qual a sua sugestão?
Pelo modo com que se refere a trasferência compulsória o professor anônimo ainda acha pouco.
Quer o quê ?
Que todo caso de indisciplina leve o aluno para a cadeia?
A maioria já leva.As CASAS-FEBEms
já estão se multiplicando.
Temos mais de 10 vezes multiplicado o numero de internso.
Já ví professor que mandou o aluno para a cadeia reclamar "ora...ele vai ficar preso,só tres anos..."
Sempre vai ser pouco para este nosso pais pedófobo.
Agora os apresentadores tem maneirado bem, mas já teve caso do apresentador sugerir pena de morte para aluno que era tido como agressor de uma professora.
Num desses casos o aluno reagiu a agressão de uma professora,isso em Ribeirão Preto.A professora xingou a mãe do aluno de um nome que adolescente não aceita.Acabaram se engalfinhando o aluno disse que ea o ameaçou de morte.
O aluno foi preso.Fizeram um alarde tão grande do caso que o aluno se transformou em inimigo público numero um de Ribeirão Preto.
A mãe diante do juiz teria pedido clemência e prometido até mudar de cidade.Não adiantou seu filho foi preso .
Seu outro filho foi morto pelas costas.Afinal era o irmão do inimigo público.
Então em cidade do interior, a situação ainda é pior...
Repito a pergunta para o professor anônimo.
Transferencia é uma medida ilegal, que arruina a vida do aluno, o professor ainda acha pouco, sugere o quê?
Que a escola não tome nenhuma medida, que não assima compromisso nenhum com medidas pedagógicas.
Quer que o aluno olhe feio para o lado e vá para a cadeia direto?
Que direito de ampla defesa aluno não tem mesmo....

Anônimo disse...

Mensageiros:
Certo. Os professores são maus, os diretores são coniventes, os diretores regionais são cúmplices, a escola é um lugar de tortura. A secretária de Educação é o diabo e o governador não sabe de nada. Deixemos esta gente em paz, o blog dará jeito em tudo. Depois de tanto tempo, há apenas cerca de 100 mensagens escritas por menos de 70 pessoas repetindo crimes e mais crimes, mas não há uma só palavra das ‘autoridades’, que até agora não foram incomodadas. Nossos filhos prosseguem sem futuro. Para que as pessoas do Mal tenham sucesso basta que as pessoas do Bem não façam nada além de ficar acusando umas as outras. Sem nenhuma idéia ou providência, acreditando que a mídia sensacionalista vai resolver tudo. E eu estou pregando no deserto.

Carlito Vianna disse...

Professor anônimo:
Todas as denúncias postadas aqui, até onde entendí, foram sim enviadas para todas as autoridades
competentes, mas "incapazes" coniventes e amorfas.Corruptas e imorais.
Ninguém esperando que a mídia sensacionalista vá resolver tudo.
O que eu entendo é que tem sim que denunciar, para tudo que é instância em tudo que for espaço.
Dando nomes sim, endereços se puderam...
Não estamos esperando que este blog de jeito em tudo.
Todas as denúncias que o Movimento apura e confirma são protocoladas
em tudo que é instância com nome, endereço,RG, das vítimas e das testemunhas.
Um caso que conseguimos levar até a Cogesp o Coordenador Geral sugeriu que era melhor arguivar.
Caso da ESCOLA LUCAS ROSQUEL RASQUINHO,
Segundo ele era melhor arquivar porque o Deputado Giannazzi estava ligando e exigindo que se deixasse a diretora em paz.
Ninguém aceitou.A reunião acabou assim mesmo, mas os pais e professores presentes não aceitaram e disseram que vão até onde for preciso para que o caso seja apurado.
Nessa escola tem denuncias de desvio de verba pela APM, espancamentos e persequição a aluno
Fora as denuncias que não se pode divulgar para não dizerem que isso prejudicou o andamento do processso.
Nessa escola um casal de professores que não aceita a imoralidade e a corrupção na escola estão afastados.Chegaram ao ponto de tentar impedir a professora de assinar o ponto.
Coisa absurda.
Tipo assim:
O Cheque de 20.000,00 some da mesa da diretora e ninguem é responsabilizado.
A diretora deixou um cheque desse valor assim na mesa para quem quiser pegar? Ora, gente, nos poupe...
Na quarta, vamos cobrar do Giannazzi e lá na Comissão, cobrar olhando nos olhos dele, frente a frente, no Seminário onde vai ser discutido a violencia das escolas.

Mauro A. Silva disse...

Glória Perez ignora abusos dos professores da Índia...

"Abuso físico por parte dos professores está levando as crianças a abandonarem as escolas na Índia, admitiu o governo, culpando, pela primeira vez, diretamente a prática da punição corporal pelo abandono escolar". (in "INDIA: Teacher abuse driving children from school, says govt", New Delhi, 19/02/2008)

Esse post foi motivado pelo comentário da Glória Perez, autora da nova novela da TV Globo ("Caminho das Índias"): "Os professores andam sofrendo nas salas de aula, com a falta de limite dos alunos. Muitos chegam até a desistir da carreira. (...) Essa triste realidade vai ser mostrada em contraponto com a maneira respeitosa e reverente com que o indiano olha o mestre, o mais velho, aquele que tem algo a lhe ensinar". (leia aqui)

Apresentamos dois casos para ilustrar a forma como os professores da Índia tratam as crianças:
Índia: Professora batendo em crianças pequenas

http://br.youtube.com/watch?v=rKhm44Oym5I

Nova Deli - Aluna de 15 anos morre devido a agressões de seu professor (em inglês)
http://br.youtube.com/watch?v=eKhU8K2seaI
"Nova Deli - Índia - Uma estudante de 15 anos morreu no hospital após ter passado quase cinco meses em coma. Ela tinha sido internada em novembro depois que seu professor bateu-lhe na cabeça com uma vara".

Será esse tipo de "educação" que a novela "Caminho das Índias" vai propor para nossas crianças brasileiras?

Postado por Mauro A. Silva – Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
enviada por Cremilda

Anônimo disse...

...então, parece que essa desgraça da violência contra aluno é um denominador comum nas escolas do mundo
a diferença é que em alguns países é considerado legal
nos esteites, as professoras que tem relação sexual com aluno são presas quando descobertas, se fosse no Brasil o aluno é que seria preso.
diferença das escolas do Brasil é que na escola particular o sofrimento do aluno não é visível
professor de escola particular nao espanca aluno, mas tem mil meios de fazer com que o aluno se sinta mal.
uma das violências piores, que são relatadas aquí, é a falta de aula.isso não acontece em escola particular, mas do jeito que a escola pública está ela já puxou a qualidade do ensino da escola particular para baixo....

É SÓ CHEGAR CHEGANDO disse...

Se tiver jornalista ou alguma autoridade que quiser ver provas documentos e testemunhas de violencia contra aluno de escola pública, ou desvio de verba o endereço é a Assembléia lEGISLATIVA
de São Paulo.
O dia é quarta feira na Comissão de Educação onde a Secretária de Educação foi convidade.Eu duvido que ela vá, mas professores, pais e alunos irão.
Lembro da declaração da entao Secretária de Educação do Pitta, cidade de ~São Paulo.Ela declarou para o Chico Pinheiro que tinha escola que apresentava nota fiscal da compra de um milhão de apitos.
Outra escola gastava papel de fax que daria para embalar o planeta terra, outra comprava por mes
Mil grozas de borracha de panela de pressão.
Ninguém fez nada e a Secretária pediu exoneração do cargo.
De lá para cá a situação piorou muito.
Muito mais dinheiro,muito mais verba que vai para a educação e a escola cada vez mais pobre.
Agora vem essas diretoras de Araraquara dizer que são chantageadas para comprar notas frias e adulterar valores.
Hora de ver mesmo onde está parando essa grana toda, que o aluno não ve.
Hora de começar a quebrar o tabu e prender pelo menos uma para o resto colocar a barba de molho.
Prender todas ao mesmo tempo seria impossivel, mas aos poucos é preciso moralizar a escola pública de SPaulo.Tem diretora de escola séria sendo chantageada pela dirigente regional
Tem muita professora decente querendo dar uma aula de qualidade...
O povo ajuda, é só o Governador Serra mostrar o mínimo de coragem e capacidade.O minimo de vontade politica...
Escola chegou no fundo do poço
Precisa deixar urgentemente parar de dar esse tipo de exemplo, que aluno le essas noticias e fica desnorteado.
VAMOS LÁ PESSOAL DE SÃO PAULO
TODOS PARA A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO..

Anônimo disse...

PREZADO CARLITO:

MUITO BOA ESSA NOTÍCIA. FICO FELIZ EM VERIFICAR QUE, AO CONTRÁRIO DO QUE EU IMAGINAVA, ESSE ASSUNTO NÃO ESTÁ RESTRITO A ESTE BLOG. ACOMPANHAREI DE PERTO.
UM ABRAÇO.

Se gritar pega ladrão, não fica um mermão não fica um... disse...

Ah...isso me fez lembrar a experiência da minha mãe, coitada.
Isso já começou a ancontecer em São Paulo nas escolas municipais logo que a Erundina deixou a prefeitura e entrou o Maluf
Nossa! Começou a festa e o "liberou geral"
Eu tinha acabado de entrar na emef Theodomiro Dias, na Vila Sonia, zona Oeste de São Paulo.
Hoje é uma das escolas mais mal faladas, todo mundo sabe que ali é uma bagunça só, mas era na época a escola modelo.Exemplo a ser seguido.
Aulas de boa qualidade merenda excepcional e muito respeito
Minha mãe então entra no tal do Conselho de Escola e na APM, toda animada para ajudar, para colaborar.
Só que logo que a Erundina saiu, os ratos começaram a mostrar a cara.
Apareceu logo na primeira reunião que minha mãe participou, uma nota fiscal de 400,00 quatrocentos reais de colorau.Minha mãe ficou uma fera, pensou que tinham escrito errado, que era 40.00 reias mas eram Quatrocentão mesmo...
Isso era prestaçao de contas de um mes inteiro e alegaram que esse colocau tinha sido gasto para enriquecer a merenda.
Ora...para quem não sabe, o colorau é um tempero usado para colorir comida.Meia colher de café desse pó colore uma panela inteira de arroz
Quatrocentos reais, que na época era outro nome, minha mãe aceitou meio engasgada, mas passou.
Na segunda reunião a nota tinha comprado água mineral que daria para encher uma piscina.A dona da loja que vendia água era meio parente da diretora.
Daí minha mãe caiu fora.....
Agora depois de mais de dez anos me lembro desse caso que deixou minha mãe muito decepcionada.
Começam então a denunciar esses desvios que tem ´tantos anos...
Bem, antes tarde do que nunca...

Pela Escola Pública de Qualidade. disse...

Amanhã, vão levar o caso da Escola Estadual Lucas Rosquel Rasquinho de Marcilac, zona Sul de São Paulo, na Assembléia Legislativa.
Contra essa escola tem uma montanha de denúncias.
Uma casal de professores que não aceitou os abusos que passam mesmo de todos os limetes imaginados, está sendo perseguido da maneira mais cruel e covarde que se pode imaginar.
Para pressionar esse casal de professores, a direção passou a aprontar o diabo com o filho deles.
Não tem coisa pior do que a gente saber que nosso filho está sendo alvo de vingança.
A professora ficou doente e o marido também, o aluno com sindrome do pânico. Uma coisa tenebrosa.
Entre outras coisas denunciaram que sumiu da gaveta da diretora um cheque de 20 mil reais da APM
Ora, para sacar um cheque dessa quantia o banco pede dados da pessoa. Se quiserem descobrem quem sacou o cheque, mas quem diz que querem descobrir???/
Querem é encobrir mesmo
Vamos ver amanhã, como vão desenrolar os fatos.
Resumindo é isso.
Professor que não concordar se lasca também.
Por causa disso é que sempre tem professor disposto a participar dos Conselhos e das apms, podem sempre bargalhar a assinatura com pontos assinados sem trabalhar, ou na melhor das hipóteses, nunca serão incomodados.
Quem duvidar do que estou escrevendo aqui, é só comparecer amanhã na Assembléia Legislativa e procurar a Giulia no salão André Franco Montoro, Assembléia Legislativa São Paulo
Amanhã quarta feira dia 3

Manuel Tertuliano da Silva disse...

Hoje a Escola Estadual Regina Brandt de Miranda promoveu outro passeio ilegal.
Hoje foram para o Hopi Hari.Quem pode pagar foi e quem não foi nem aula teve...
Ilegal, que a escola não pode promover passeios onde apenas um terço participa e o resto fica fora.
Um passeio que discrimina, um passeio onde só vai quem tem dinheiro e pode pagar o ingresso.
Escola estadual por lei não pode promover nenhuma atividade com fins comerciais.
Não pode mas fazem.
Fazem porque a Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo é inoperante, injusta e incapaz.
Tenho feito denúncias reiteradas de que as escolas da Zona Sul especiamente a região do Marcilac, vendem desde uniforme, sorvete, passeios e etc.
Como sou voluntário do Forum em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e moro na região sei que aqui a região é tida e é de fato a região mais pobre do Estado de São Paulo.
Desde outubro que as aulas acontecem uma aqui e outra ali, estão empurrando com a barriga e promovendo festas e vendas de tudo que é coisa para arrecadar dinheiro o que é proibido por lei.
Noto em conversas com meus companheiros que nas regiões mais pobres de São Paulo, os tais cinturões de pobreza é onde mais se violam os direitos dos alunos.
Se as diretoras e professoras usassem sua criatividade para trab alhar, dariam aula de excelente qualidade.
Que criatividade para escorchar o povo elas tem.
Elas conseguem vender passeios e coisas para escola miserável...
Só um terço vai, sabe-se lá com que sacrificio, mas vai.
Os outros setenta por cento não vai.
Quando será que a Secretária de Educação de São Paulo e o Governador José Serra vai acabar com essa festa?

Nunes disse...

ACHO QUE VALE A PENA VISITAR O BLOG DA CREMILDA E A "PROVOCAÇÃO"
QUE ELES FAZEM PARA A GLORIA PEREZ
ALI ESTÁ UM VÍDEO DE UMA PROFESSORA INDIANA BANTENDO EM UM ALUNO PEQUENO NA FRENTE DE OUTROS PEQUENINOS ASSUSTADOS.
UMA COISA REVOLTANTE....
http://cremilda.blig.ig.com.br
aquele blog não se compara a este, mas é especifico.

Cremilda Estella Teixeira disse...

Gloria Perez
Fiquei honrada com sua visita no meu blog.
Acontece que o problema não é esse.
Não que ninguém está satisfeito
Os pais estão sim insatisfeitos, por motivos justos.
Os professores por ganância.
Quando mais querem mais querem ganhar.Na nossa sociedade capitalista e consumista, fica dificil avaliar o que é um bom salário.
Se uma professora passasse a ganhar 20.000,00 por mes, nos primeiros meses ia parece muito
Depois o seu padrão de vida ia aumentando e os vinte milhas ia parecer merreca.
Elas reclamam que é confortável ficar na posição de santa, de abnegada que ganha pouco
Nunca ser cobrada, esse estado de coisas derrubou a qualidade do ensino e isso elas querem perpetuar.
Um abraço

Vilma Pereira de Godoy disse...

Já escrevi aqui e tive a alegria de ver minha mensagem divulgada.
Sou a Vilma Rodrigues.
Estou como a Cremilda e o pessoal do Forum em Defesa de Direito da Criança e do Adolescente, preocupados com a sua próxima novela.
Preocupados principalmente com o que você postou em relação aos professores,"coitadinhos sofredores..."
Quem acompanha a escola pública como eu e outros grupos sabendo que é uma guerra desleal.
Lutamos em poucos, contra centenas de milhares que torcem pela continuidade da corrupção, da injustiça e da covardia dentro da escola pública e que tiram proveito dela.
Nós só pagamos e não temos uma instância onde reclamar.
A senhora escreveu no blog da Cremilda que ninguém está satisfeito.
Na verdade nós os pais e alunos não estamos.
Os professores estão sim.
Choram, que quem não chora não mama e como eles querem cada vez mais continuam chorando, o que é natural.
O lado negro da escola pública, para ver,só mesmo falando com os alunos sem se identificar para eles não se intimidarem.Vai ver então no que a escola se tornou.
Estamos muito angustiados
As crianças e adolescentes não vão aguentar mais uma palavra contra eles.....Já estão no chão...
A senhora vai mostrar os professores que odeiam trabalhar, que assinam ponto e vão embora?
Será que vai poder mostrar as ofensas e os maltratos que são constantemente submetidos?
Pelo amor de Deus, escola pública é o futuro nosso.
Aluno não é bandido, ele se torna bandido depois de expulso da escola.
Por favor, repensa sua posição de olhar professor como santo.
Respeito ao professor como ser humano e como profissional a gente tem, mas precisa um minimo de reciprocidade.
Obrigada.
Vilma Pereira de Godoy
Promotora Legal Popular.
Moradora de Cotia
São Paulo
vilmapromotoralegal@yahoo.com.br

Silvany da Souza Marin disse...

*MAR DE LAMA* ABONADO...

Hoje, um pai denunciou que as crianças ficam sem várias aulas na Escola Estadual Leonor Fernandes Costa Zacharias... esta escola é a mesma que já tinha sido denunciado por ter ficado quase um ano sem professor de matemática "e mesmo assim os alunos tiveram notas"... (Programa Tribuna da Cidade, Rádio na Cidade - AM 1370)
Então é assim: em agosto as escolas já estão sem aulas... a escola já está apenas metade dos alunos matriculados... mas seus nomes continuam constando na lista de presença... e, em nome deles, a escola continua recebendo verbas e merenda.
Professores ausentes... muito mais "aula vaga" do que aula dada...
Nessa escola específica, o pai denuncia isso: muita aula vaga... e, todo dia, alunos saem mais cedo.
O que mais incomodou a esse pai - e líder comunitário - foi o fato dos alunos desta escola apresentarem nota "do ano todo" sem que o professor tivesse comparecido um dia sequer...
Com certeza, tem professor-fantasma que assina o ponto... Se ele consegue até dar nota sem dar aulas...
É dessa forma que as escolas receberão o bônus milionário e o aumento de 60% até 2010.
Meta para melhorar a qualidade do ensino são fraudadas escancaradamente... mas meta para melhorar os salários dos professores serão rigorosamentem cumpridas...
Afinal, a Secretaria de Educação tem, como principal objetivo, garantir um salário para os professores, mais benesses, cursos presentes e bônus... tudo isso sem nenhuma fiscalização...
Aluno??? Ah... esse só atrapalha...
Afinal, segundo a grande imprensa, alunos de escola pública são marginais... são vândalos... são bandidos...
Uma jornalista até classificou os alunos de BESTAS FERAS...

P.S.: Nota da EE Leonor F. C. Zacharias no Idesp 2007:
- a nota do Idesp vai de de 0,0 (zero) a 10,0 (dez)
3º ano do ensino médio: nota 0,50
A secretária disse que a escola ganhará o bônus integral se a escola atingir a meta para 2008: nota 0,56
(Gloria Perez, isso é uma coisa de louco....)
Essa conduta das nossas autoridades em relação a educação e a escola pública é que está arruinando com nosso pais
Estamos formando cidadão que vai sempre achar a corrupção como coisa normal....
Tai a aflição dos pais em relação a sua próxima novela....

Mauro A. Silva disse...

Quem tem coragem de filmar a *novela real* de Araraquara?

É uma pena que a poderosa TV Globo não divulgue os tenebrosos capítulos da novela real que envolve as escolas públicas estaduais da cidade de Araraquara-SP.

Nas escolas públicas de Araraquara tem abuso de poder... tem políticos... tem dinheiro... tem sexo... tem políticos... tem dinheiro... tem pedofilia... tem políticos... tem dinheiro... tem corrupção... tem políticos... tem dinheiro... tem chantagem... tem políticos... tem dinheiro... tem ameaças... tem políticos... tem dinheiro... tem mortes... tem políticos... tem dinheiro...

"Uma outra diretora de escola foi questionar a dirigente e acabou levando um processo também, mas o marido dela, ao saber que a Sandra ia jogar sujo, correu atrás das notas no escritório de contabilidade, levantou as firmas fantasmas, denunciou o esquema na radio, tv, e até hoje luta.
A ### processou essa outra diretora, alegando que faltava material pedagógico na escola, limpeza, sendo que a escola dela era linda, limpa, organizada. Ela fazia os professores trabalhar, mas existia uma bronca com ela porque um professor da escola foi exonerado por torturar alunos, ele apertava o cinto da calça, os que usavam brinco chamava de bicha, os que tinham dificuldades chamava de ameba, burro e as menininhas bonitinhas ele cantava.
(...)
Teve o envolvimento de um escritório de contabilidade que fornecia os talões de notas frias, uma funcionária desse escritório foi atropelada em um suposto acidente, ela estava de moto e o motorista fugiu. A funcionária, de apenas 24 anos, sabia demais e pagou com a morte.Outra funcionária está ameaçada de morte e tem muito medo.Lutamos agora para que a dirigente, com toda a sua influencia política, não saia isenta, livre, impune, que ela seja responsabilizada por seus atos pensados,muito bem planejados, pois durou 10 anos.
(...)
Professor acusado de pedofilia não está sob vigilância e continua na escola se relacionando com os mesmo alunos e alunas da 5ª série..." (parece que esse professor pediu afastamento)

A próxima novela da TV Globo (Caminho das Índias) vai mostrar uma "professorinha-santa" sendo atormentada por um "aluno-capeta, um "bad boy"... esperamos que a novelista Glória Perez tenha a honestidade intelectuals de mostrar a corrupção e os abusos nas escolas públicas; e que os alunos são as verdadeiras vítimas deste corrupto e falido sistema educacional brasileiro.

Postado por Mauro A. Silva - Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
www.geocities.com/coepdeolho

PROFESSORA QUE VIU E NÃO GOSTOU disse...

ASSISTI ENVERGONHADA O QUE A CREMILDA DESCREVEU NO TEXTO ABAIXO
REALMENTE, HORA DE REVER TUDO.
ESSE COMPORTAMENTO DA IMPRENSA, DOS PROFESSORES E DA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO VAI LEVAR TODOS PARA UMA SITUAÇÃO DIFÍCIL DE REVERTER.
--------
Audiência Pública da *Secretaria Estadual dos Professores*

Não, eu não me enganei. A audiência pública na Assembleia Legislativa de SP ocorreu na Comissão de Educação para agradar aos professores e para prometer um aumento salarial de 60% até 2010... Também não me enganei aqui: são sessenta por cento de aumento mesmo.
Na mesa, a Secretária de Educação e os deputados da Comissão agradando à platéia de uns 300 professores, incluindo representantes de todos os sindicatos dos professores... e vários assessores.
No auditório com mais de 300 professores, estava "meia dúzia de pais"... entre eles, estavamos nós (representando os pais e alunos): Giulia (do Educaforum), o Mauro (Gremio Sudeste e COEP), o Manuel Tertuliano (Forum Regional em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente - Marsilac), Vilma Pereira de Godoy (mãe de aluno), e eu...
Éramos apenas cinco, espremidos entre a mesa e a multidão dos professores...
Na fala da Secretária, estava tudo azul na escola pública, uma vez que ela só se referiu ao aluno para responsabilizá-lo pela degradação da Escola Amadeu Amaral (no Belem, zona leste da Capital)...
Essa escola tem 277 alunos matriculados, mas apenas uns 100 alunos frequentando... e tem 63 professores recebendo o salário... emesmo assim tem aulas vagas...
E a secretária diz que a culpa é dos alunos...
Foram quase quatro horas vendo a Secretária prestar contas e fazer promessas aos professores...
Os deputados interferiam também na mesma linha... Exagero ficou por conta do Deputado Giannazi, que se empolgou diante da platéia e passou a ser duro com a Secretária... isso sem nenhuma necessidade... queria era roubar a cena... Patético... e, de tão exagerado, ficou ridículo.
Esse mesmo deputado, quando era vereador em S. Paulo, vivia cerceando a palavra da comunidade.
Minutos antes de acabar a reunião, ficamos sabendo da informação de que nós, os pais, tínhamos aberto mão da palavra... teria sido arte do deputado Giannazi...
Desmentimos a falsa informação, comunicamos isso ao presidente Simão Pedro e garantimos que os três representantes dos alunos e dos pais falassem...
De quatro horas de reunião, conseguimos falar cerca de 9 minutos (três minutos para cada representante dos alunos e dos pais).
Então é isso.
A Secretária ouvia as queixas da Giulia do Educaforum... Giulia disse que a secretária se recusava a receber os pais, de modo que surprendeu a todos nós.
A Secretária piscava duro e olhava admirada para a sua multidão de assessores e fazia sinal que não sabia de nada...
Talvez não soubesse mesmo, o que não lhe tira a responsabilidade.
Se os seus assessores impedem o acesso dos pais a ela, com certeza ela tem culpa. Está mal assessorada.
Contamos pouco com a imprensa... mas, mesmo assim, muita coisa vaza...
Ela está tão deslumbrada que acredita em tudo que a imprensa puxa-saco lhe fala?
A imprensa diz que está TUDO AZUL, e que basta agradar à gananciosa corporação dos professores e ela ACREDITA?
De agora em diante, isso ela não vai poder dizer que não sabia das denúncias dos pais...
Entre a violência que alunos e pais sofrem, está a falta de acesso e a falta de solução para os casos que apresentamos na Secretaria
Estadual da Educação.

Gloria leia isto, pelo amor de Deus disse...

Tres mães de aluno da Emef Imperatriz Leopoldinense, São Mateus, zona leste de São Paulo, inclusive a minha mãe denunciaram a escola.
Tudo de ruim acontece ali, só o que não acontece são aulas.
São muitas aulas vagas, todo dia
Mais da metade são aulas vagas.
As poucas aulas que tem quase não ensinam nada.
Caiu um lustre de raspão na cabeça de uma aluna, machucou e sangrou é claro, e a escola não socorreu. Chamou a familia e ela que se virasse. Se tivesse pegado em cheio tinha matado na hora, pegando de raspão machucou muito.
A escola está caindo aos pedaços
Tudo muito velho, quebrado e sujo
Uma professora incentiva alunos baterem uns nos outros.
Outra, bate ela mesma
Inspetora de aluno, só para distribuir cascudo, a torto e a direito.
Os pais fizeram essa denúncia para todas as instâncias administrativas
Não deu em nada
A esoola então denuncia na Policia as mãe que denunciaram a escola.
As mães estão aflitas, são pessoas simples e que nunca estiveram numa delegacia de Policia.
Policia sempre assusta mesmo as pessos simples.
Será que é crime denunciar esses abusos ?
Ví sobre este blog e fiquei pensando que a Gloria Perez não deve saber mesmo nada que acontece nas escolas públicas.
Pedi para minha patroa digitar esta reclamação e colar aqui.
Quem sabe a Glória Perez não muda o ruma da novela, quem sabe ela não se contenta em ser mais uma a dizer que professora é santa e aluno o animal feroz que não serve para nada .
Se ela quiser entrevistar as mães vai saber do dia a dia de uma escola pública por dentro´.
Professora reclama mesmo
Muitas gostariam de trabalhar, mas a maioria está muito bem.
Por pior que seja o ambiente de uma escola para uma professora, ela não precisa aparecer por lá mesmo....Um dia aqui e outro ali...
O pagamento vem sacratissimo

mais um aluno morre.. disse...

Morreu outro aluno em Franca
Os jornais noticiaram uma vez e bem "in passant".
Imagina se vão dar destaque para caso de aluno morto em escola, são tantos, e apenas alunos.
Se fosse professor ia ser comoção social, até o Presidente ia ser pronunciar.
A escola fecharia tres dias de luto
O aluno estava fazendo aula de natação e os colegas tentaram socorre-lo.
Dizem que o professor estava presente, mas se estava mesmo não foi até o fundo com os alunos para saber o que acontecia.
A piscina sem ralo, então a tubulação sugou o braço do aluno.
Afinal é piscina para aluno de escola pública nadar, para que manutenção ???
Se morrer algum aluno, é apenas um aluno de escola pública....
Mais uma mãe que chora a perda de um filho, em uma escola que virou situação de risco em todos os seus aspectos...

Anônimo disse...

SENHORA "PROFESSORA QUE VIU E NÃO GOSTOU", E DEMAIS MENSAGEIROS:

Bem que tentei colocar um pouco de sensatez nesse movimento, mas não fui ouvido e muito menos entendido. Leiam as mensagens abaixo (principalmente o item 'b' da primeira) e pensem no resultado que obtiveram na Assembléia Legislativa:

Anônimo disse...
"COLEGAS PROFESSORES":
Concordo com suas palavras, mas há alguns aspectos que têm que ser analisados.Vejamos:
a) Os professores que a senhora conhece têm que ser denunciados. Entendo que a senhora não possa fazê-lo por razões similares àquela que nos impede que nos identifiquemos: retaliação. Se identificados, podemos ser exonerados, se a senhora for identificada como denunciante poderá ter atacados seus filhos, seu marido, mãe, sabe Deus até onde pode chegar a covardia dessa gente; Mas temos que enontrar um meio de fazê-lo, e talvez aqui seja esse lugar, que vai acabar sendo lido por alquém que não tenha "rabo preso" e possa se defender.
b)Sabemos que professor também erra, mas errar é uma coisa, cometer crimes é outra. Nunca presenciei essas barbaridades, mas não duvido de suas palavras.Interessante:se a Polícia Federal consegue agarrar pedófilos na Internet, também deve ser capaz de agarrar esses criminosos, certo? Não podemos continuar convivendo com esse tipo de marginais.Deve haver números de telefones para denunciar de modo anônimo. Precisamos de mais comentários como esses nossos (meus e seus), que são mais genéricos e abrangentes. Contar uma infinidade de casos não adianta, acaba-se banalizando o crime. Temos que chamar atenção com mensagens bem orientadas. Seu comentário é muito bem-vindo aos nossos propósitos de sanear a Escola.
b)Podemos cometer graves enganos estatísticos. Não é à toa que há uma ciência que tem esse objeto. Se conhecemos alguns, não podemos praticar indução e considerar que "a maioria" é como esses alguns. Se 10 homens altos que conheço são ricos, não posso afirmar que a marioria dos homens altos são ricos.Nossas amostras individuais são muito pequenas para tais conclusões.
c)Também amo o que faço. Mesmo convivendo com professores que não merecem esse título (não-criminosos, porém). Esses maus profissionais são admitidos pelo Estado, que os seleciona muito mal, e de maneira muito falha. A origem de nossos males está aí, sim. Também é verdade que agora não adianta só culpar o Governo, mas nem por isso devemos deixar de cobrá-lo por ter deixado a situação chegar onde chegou. E também devemos procurar todos os meios lícitos de punir os que não cumprem suas obrigações.
26 de Novembro de 2008 08:55
Anônimo disse...
Mensageiros:
Certo. Os professores são maus, os diretores são coniventes, os diretores regionais são cúmplices, a escola é um lugar de tortura. A secretária de Educação é o diabo e o governador não sabe de nada. Deixemos esta gente em paz, o blog dará jeito em tudo. Depois de tanto tempo, há apenas cerca de 100 mensagens escritas por menos de 70 pessoas repetindo crimes e mais crimes, mas não há uma só palavra das ‘autoridades’, que até agora não foram incomodadas. Nossos filhos prosseguem sem futuro. Para que as pessoas do Mal tenham sucesso basta que as pessoas do Bem não façam nada além de ficar acusando umas as outras. Sem nenhuma idéia ou providência, acreditando que a mídia sensacionalista vai resolver tudo. E eu estou pregando no deserto.
30 de Novembro de 2008 03:25

Eu não disse?
A cegueira voluntária é a pior.

Pais desesperados. disse...

Não, negativo
Este blog não vai resolver tudo.
Não pode e nem o o objetivo de quem posta aqui.
O objetivo é mostrar que a escola pública se tornou refém da corporação gananciosa e irresponsável
Com a anuência da imprensa.
Os pais estão denunciando com muito mais vigor agora.
Não tendo poder de decisão não tem uma instância onde recorrer, mas estão denunciando
Denunciam para a imprensa que ignora, para as autoridades administrativas que ignoram.
Hoje um grupo de mães da escola Imperatriz Leopoldinense em São Paulo, escola municipal de ensino fundamental vão até a delegacia prestar depoimento depois de uma intimação por telefone.
O delegado informa que tem denuncias contras as mães
As mães denunciaram coisas tenebrosas dessa escola.Crimes que se este fosse um pais sério, pelo menos meia duzia de professores incluindo a diretora estariam presas.
No entanto quem vai na delegacia prestar depoimentos são as mães que denunciam.
Denunciar abusos,desvios de verba e espancamento de alunos pequenos, assim como tortura e perseguição, dá processo e se os pais não arrumarem advogado periga pegarem cadeia.
Os pais denunciam para as autoridades que deveriam ser competentes sim
Não se limitam a escrever nos blogs.
As autoridades, desde o MP até a supervisão são incomodadas sim
Mas não se incomodam.
Os professores tem entre outros sindicatos, a Apeoesp em SPaulo que manda na Secretaria de Educação de São Paulo
É o sindicato mais rico do pais.
Seu presidente de honra o senhor
Carlos Ramiro de Castro é suplente do Senador Suplicy
Poder economico e poder politico
Poder absoluto corrompido absolutamente.

INCOMODANDO AS AUTORIDADES disse...

Respondendo ao anônimo.
Nós do Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública incomodamos e cobramos das autoridades, mas se não dermos publicidade elas sentam em cima das denúncias.
Um caso para exemplificar.
Depois de meses de telefonemas, protocolar em tudo que é instância inclusive para o Governador Serra conseguimos um encontro com o Coordenador Geral da Cogesp.
Sr José Benedito.
Eram denuncias de desvios de verba, muita verba desviada.Notas adulteradas, notas frias, dinheiro vivo desaparecendo da gaveta da diretora.Maus tratos, espancamento de alunos, professoras assinando ponto sem dar aula.
Um sujeira só.
A primeira coisa que o Benedito Mariano falou foi que ele sugeria que se arquivasse o processo que seria bom para todo mundo.
Nenhum representante de entidade aceitou, estavam juntos tres professores e uma mãe de aluno.
Eramos em nove.
Quando pressionamos para a apuração das denuncias, ele disse que não podia e explicou o por quê.
A diretora da escola em questão.
ESCOLA LUCAS ROSQUEL RASQUINHO zona sul de São Paulo, não poderia ser punida, porque o Deputado Estadual PSOL Carlos Giannazi não queria.
Ele o deputado Carlos Giannazi já tinha ligado várias vezes dando ordem que o processo fosse arquivado.
Isso aconteceu diante de nove pessoas idoneas.
Podemos provar a hora que o deputado Giannazi quiser.
Então anônimo é assim que se comportam as autoridades de educação do Estado de São Paulo .
coepdeolho@yahoo.com.br

Até em Brasilia.... disse...

Quando se denuncia a violência de professor ou qualquer pessoa da escola pública contra aluno, pode se preparar para a perseguição mais cruel.
Para a escola plantar flagrantes contra seu filho e tudo que acontecer na escola cai nas costas dele, assim na maior cara de pau.
Nas cidades do interior de SPaulo a situação ainda é muuuuuuito pior.
Ontem uma mãe que se identificou como Priscila da cidade de Itupeva contou no Programa Assembléia Popular o que está passando nessa cidade.
O filho dela com seis anos sofreu violencias na escola onde a professora dizia para a classe e para todos que não gostava nem dele e nem da mãe dele.
A mãe denunciou e ela teve que tirar o filho da escola, mas no ano seguinte teve que recoloca-lo em outra escola.Acontece que uma diretora é amiga da outra que é amiga da professora que é parente de um vereador que é amigo do prefeito que é amigo da Conselheira Tutelar.
Uma panelinha que se fecha contra o aluno.
Para resumir:
a mãe deu um jeito de gravar umas aulas, ali continha declarações da professora, coisas absurdas que ela falava na sala de aula, contra aquele e outros cinco alunos que ela não gostava.
Apresentou as gravações,para as autoridades e ela a mãe é que foi processada e o juiz mandou prende-la alegando que ela cometera o crime de abandono intelectual
Ela gravou as aulas e tirou o filho da escola, claro.
A mãe uma senhora jovem de bom aspecto e falando bem.Imagina uma pobre coitada da periferia.
Bem, essa mãe foi a tudo que é instância e ontem ela dizia e mostrava documentos .Ela foi até Brasilia levar uma cópia das gravações e protocou documento relatando as violencias que seu filho e outros alunos sofrem naquela escola.
Então é isso.
Quem quiser detalhes é só assistir
o Programa Assembléia Popular da
Alesp.
Violencia contra aluno acontece
em São Paulo, MInas, Rio de Janeiro
Espirito Santo e Ceara, que chegam até a internet, com certeza é a doença da impunidade da escola pública que contaminou o Brasil inteiro.

SARESP PARA BOI DORMIR disse...

SARESP,CONVERSA PARA BOI DORMIR.

O bônus para os professores da Rede Estadual de São Paulo dependeria do desempenho dos alunos na avaliação do SARESP Sistema de Avaliação do Rendimento da Educação de SP).
Se no ano de 2007 as escolas tiraram média abaixo de dois; e quase três mil escolas eram nota zero e alguma coisa, este ano de 2008 foi bem pior...
Ano eleitoral... se em ano normal ninguém cobra das professoras, imagina em ano eleitoral... Além das cabos eleitorais escancaradas, tem as que se candidataram apenas para tirar licença... Um ano perdido para os alunos.
O bônus tem que ser distribuído antes do fim do ano. Só que a resposta do SARESP só sai no ano que vem. A secretária de Educação vai distribuir o bolo antes de divulgar o resultado das provas. Saber? Todo mundo sabe...
Deixaram as escolas miseráveis, sujas, quebradas e faltando tudo... mas sobrou muitos milhões para distribuir entre as tias...
Ano passado era quase um bilhão distribuído... Gratificando a nulidade.
Neste ano, dizem que é mais dinheiro para distribuir...
Mas o desempenho dos alunos será pior...
Já antecipando o péssimo resultado, a secretária faz outra promessa que não vai cumprir: ano que vem, os alunos que precisarem de reforço terão essas aulas no contra-fluxo...
É CLARO QUE NÃO TERÃO REFORÇO... nem reforço e nem aula normal... não tendo ninguém para cobrar, as professoras vão receber por essas aulas e não ministrarão aula nenhuma...
Já antecipando o fracasso no exame do SARESP, que teremos a média menor que dois e escolas nota zero serão a mairia a Secretária tam-bem antecipa os culpados pelo fracasso:
São os alunos.
Ela no Jornal Agora do dia 10 de janeiro,já lança o balão de ensaio.Pediu seriedade aos alunos ao fazer o Saresp.
Ela não cobra seriedade dos responsáveis. Não pede seriedade aos professores, nunca pediu.Pede seriedade aos alunos.
Poupa os lobos para sacrificar as ovelhas.
Responsabiliza as vitimas.
Assim ela divide o bolo entre os professores na forma de bônus

Anônimo disse...

A "incomodando as autoridades":

Incomodar com um grupo de 9 pessoas, nenhuma delas com influência política? Quanta inocência...Não dá pra perceber que é necessário cooptar algum político que se interesse pelo assunto (ainda que seja para angariar algum benefício próprio) para que se possa realmente incomodar a SEE? PENSEM!
Aliás, leiam o texto abaixo,que está no site da Apeoesp. Se 2,4 salários ( o bônus máximo) resultarem em R$20.000,00, então o salário do professor, atualmente, é de R$8.333,33? Onde? Quem pode provar esse absurdo? E notem que a Apeoesp é contra essa política que não garante a qualidade dos profissionais e nada acrescenta aos seus verdadeiros salários, que são uma vergonha nacional.
Aliás, no mesmo site, está a notícia do projeto enviado ao Governador para a derrubada da “Lei da Mordaça”, que impede qualquer manifestação de servidores públicos sobre a Educação (e sobre quaisquer outras áreas). Será que o Serra tem peito para aprovar? Se tiver, então vamos ver quem tem razão, pois poderemos expor a indecência que vigora no interior das escolas. Vale a pena visitar e conferir.



"Bônus passa na Assembléia

Os deputados aprovaram na quarta-feira, 10, o Projeto de Lei 41, que institui o bônus por resultados aos professores da rede estadual. O valor do bônus será variável e de acordo com o Idesp (índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo), indicador em que serão considerados o desempenho dos alunos no Saresp e o número de faltas. A remuneração máxima será de 20% do total de 12 salários mensais.

No dia 29 de outubro, a APEOESP participou da reunião do colégio de líderes da Assembléia Legislativa e pediu aos deputados que rejeitassem o projeto de criação do bônus resultado, pois entende que a política de bonificação não garante a valorização dos professores."

eu tava lá e ví...só de zóio disse...

Anônimo
De fato não dá mesmo para entender a conta que a SEE faz para dar 20 milhas para as professoras, mas que vai dar isso a gente sabe que vai
O ano passado foi a mesma coisa.
Mas a reunião no Colégio de Líderes não era para acabar com o bônus que professor não é louco de recusar essa grana preta ...
O que queriam era o bônus desatrelado da condição.
Uma condição fajuta, mas nem essa querem
A condição é a escola atingir as metas...
Incomodar, incomodam sim, pode acreditar, se estivesse lá ia ver como incomodam....
Só faltaram ter um ataque do coração.
A acessoria da Secretária pegou um dos nove, e fez uma rodinha em volta dele, ameaçaram e o José Benedito COGESP.colocou o dedo no nariz dele, que não adiantou nada.
Primeiro ameaçou e depois pediu por favor que não chamassem a atenção e que a secretária estava nervosa, a coitadinha.
Incomodou sim, o Giannazi interrompeu o discurso desconsertado.Ele costuma se inflamar quando a platéia é de professores e dá gritinhos desafinados e histéricos.Ele cortou o discurso pela metade.
Então não incomodou ?
Ora se incomodou...

Gloria Reis-Leopoldina,MG disse...

Que vergonha: supervisora briga com mãe de aluno

É desanimador constatar o nível de incompetência da maioria das nossas "educadoras". Como é possível promover um clima de aprendizagem e harmonia num local onde uma profissional não tem disposição e habilidade para dialogar com os membros da comunidade quando surge um conflito decorrente no ambiente de trabalho? Em geral, as mães vão às escolas buscar solução quando os filhos se queixam de algum problema na escola. É mais do que um direito delas: é dever de mãe. E se por acaso, essa mãe está alterada por um natural sentimento de mágoa diante da agressão ao filho, cabe à escola receber esta mãe com todo respeito e esclarecer sobre a queixa, tranquilizando-a e corrigindo os erros apontados. Esta é a única postura de uma verdadeira escola. Mas, lamentavelmente, não é isso o que acontece. As mães são tratadas como ralé, o que as fazem perder o controle diante do desprezo e da discriminação com que são recebidas. E o que é uma supervisora? É uma funcionária com curso superior e especialização para o cargo. E de que lhe vale todo esse estudo se não tem competência nem para conversar com uma mãe que, por sua vez, é uma faxineira, de quem se deve esperar uma linguagem mais simples e maior dificuldade no controle das emoções.

Segue a a notícia com a baixaria na escola, publicada no jornal Estado de Minas, 11/12, caderno GERAIS:

Escola Estadual Benvinda de Carvalho, no Bairro Jardim Alvorada, na Região Noroeste de Belo Horizonte, foi palco de pancadaria na manhã de ontem, dessa vez envolvendo a mãe de um aluno e a supervisora do colégio. A faxineira Andréa Mara, de 31 anos, acusa Elaine Maria Gomes Rosendo de Oliveira, de 35, de agredir o seu filho de 9 anos pela segunda vez, o que a teria levado à escola para tirar satisfações. Já a supervisora acusa a faxineira de já chegar partindo para a violência. "Não houve nem tempo de dar bom dia. Ela já foi me agarrando, me puxando pelos cabelos, me jogando no chão e me chutando. Estou com o joelho machucado e vou fazer exame de corpo de delito", disse a supervisora na 16ª Delegacia Distrital da Pampulha, onde o caso foi registrado pela Polícia Militar.

Essa é a segunda briga envolvendo as duas mulheres. Em 28 de maio, a supervisora teria separado uma briga em sala de aula e levado o filho da faxineira para o pátio, onde teria torcido o seu braço e o empurrado contra a parede, conforme consta da queixa em ocorrência da época. A supervisora negou a acusação, mostrando cópia do documento onde consta que nenhuma lesão foi confirmada no garoto. "O caso já foi julgado pelo Juizado Criminal, na semana passada, e arquivado por falta de provas. "A mãe do garoto ficou inconformada com a decisão do juiz e aprontou de novo", disse Elaine.

O menor contou que na terça-feira fez uma prova e foi liberado pela professora. "As aulas já tinham terminado. Eu estava no portão e a supervisora me xingou, achando que estivesse fugindo. Eu também xinguei. Ela me mandou voltar e me pegou pela blusa, me arrastando para a sala de aula, mas voltei correndo", disse o estudante. Na manhã de ontem, o garoto disse à mãe que não voltaria à escola e relatou o que tinha ocorrido no dia anterior. Furiosa, a mãe foi atrás da supervisora. "Quando fui conversar com Elaine, ela tentou agredir o meu rosto e me protegi com a mochila. Ela se afastou e a agarrei pelos cabelos. Ela me agrediu e eu também a agredi. Mas isso é porque ela vinha agredindo o meu filho desde maio", disse a faxineira. O delegado Hélcio Sá Bernardes lavrou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e encaminhou o caso à Justiça, por se tratar de agressões mútuas. Ambas foram liberadas.

autora do livro
Escola Instituição da Tortura

Comunidade de Olho da Escola Pública disse...

Capão Redondo Zona Sul de São Paulo.
Os adolescentes brigaram na sala de aula.
Nunca entendi essas brigas na sala de aula.Aulas onde as professoras estão alí, quando estão e não estão fazendo nada.Quando a professor está explicando algo ou o aluno está em atividade não dá tempo de brigar.No ócio, brigam mesmo...
Bem, brigaram dentro da sala de aula da ESCOLA JOÃO SILVA.
Escola Estadual, diretor com fama de truculento.
Caso de criança e adolescente brigarem é o cotidiano deles,principalmente se não estão ocupados.Os pais sabem resolver isso e convivem na boa, até que fiquem adultos e tudo se resolve.
Colegas brigarem também é normal quando estão sem ter o que fazer. Normalmente brigam, ficam de mal e ficam de bem de novo com a mesma facilidade.
A Escola Estadual JOÃO SILVA, abriu uma sindicância para apurar a briga.Isso que eu chamo de falta do que fazer e incapacidade total.
No fim da investigação, tudo colocado no papel, a mãe de um deles foi na escola para saber.
O diretor disse que não lhe mostraria.Ora, ela se irritou muito e insistiu.Afinal ela tinha o direito de saber o que estava escrito sobre seu filho.
Insistiu e respondeu à altura a grosseria do diretor.Afirmando que não ia sair sem ler o que estava escrito sobre seu filho.
O diretor chamou a policia que tirou a mãe dali na marra.
Aqui em São Paulo não temos policia militar suficiente para atender a população, mas temos sempre uma viatura da Ronda Escolar com dois PMs sempre a postos para atender chamado da direção da escola pública.Levam aluno rebelde preso para a delegacia e aterrorizam os pais.
Como resultado, transferiram o aluno compulsóriamente.Ele é um aluno trabalhador, um adolescente que vai do trabalho direto para a escola.Agora foi transferido para uma escola longe.Assim são feitas as transferencias compulsórias, para uma escola onde o aluno fica sem condições de frequentar, dai consta que ele não estuda porque não quer...
Isso tudo com a anuência o aval e a ajuda da Diretoria de Ensino Sul 2
Mais uma das violências de uma escola pública que não ensina ler e escrever, mas dá fartas lições de covardia.
coepdeolho@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Mensageiros: Confesso que desconheço muita coisa sobre certos assuntos do magistério. Por isso, agradeço a quem puder informar onde está publicado que o valor do bônus (um absurdo!) será de R$20.000,00.

Anônimo disse...

Anônimo, espera só um pouquinho
O Diario de São Paulo costuma divulgar os valores dos bônus, depois que sai divulgado no DO de São Paulo
Quando sair eu divulgo aqui.
Mas que é um absurdo, isso é....

professoras e mães de Sorocaba disse...

Somos um grupo de mães de Sorocaba.
Temos conosco também muitas professoras tão inconformadas quanto nós.
Na escola pública de Sorocaba, acontece uma completa inversão de valores.
As boas professoras, que gostam de ensinar, passam por trouxas.
São mal vistas pelas colegas e pouco podem se manifestar,
Professora que não concordar com a direção, que não concordar com a roubalheira e as mentiras também são perseguidas pela direção e pelas más professoras que são a maioria.
Não sabemos mais o que fazer, parece que a banda podre da Educação tomou conta definitivamente da escola pública
Recebi informação deste blog,atráves de uma mãe do Paraná.
A surpresa agradavel de saber que ão estamos tão sozinhas como pensávamos nos deu uma injeção de ânimo
Peguei aqui o endereço do blog da Cremilda e estou feliz.
Foi um presente de Natal
obrigada GLORIA PEREZ
obrigada JESUS, VC É O ANIVERSARIANTE DO MES E NOS É QUE NOS SENTIMOS PRESENTEADAS.

Anônimo disse...

Mensageiros:

Recuso-me a acreditar que os tais R$20.000,00 de bônus são apenas fruto da imaginação de alguém, ou simples fofoca. Não é possível que esse absurdo não tenha sido publicado em lugar algum e o magistério tenha sido tão atacado em virtude de uma mentira. Que há muito o que sanear não há dúvida, mas com invencionices não vamos chegar a lugar algum...Alguém esclareça, por favor, de onde surgiu esse valor tão exdrúlo...

Comunidade de Olho na Escola Pública disse...

Anônimo
Tenha lá um pouco de paciência...
Logo que sair a tabela do bônus a gente vai divulgar aqui.
O que é exdruxulo nao são os 20 mil de abono.
Exdruxula é uma escola pública que não ensina nem o minimo dividir verba que "sobrou" deixando escolas imundas, caindo aos pedaços.
Lembro o saudoso Mario Covas que disse
Para o mau professor todo salário é muito.
Então se os alunos estivessem aprendendo, se tivessem sido respeitados.
Se os professores não tivessem faltado o ano inteiro, 20 mil de abono seria pouco, afinal professora é a profissão mais importante do planeta
A questão nem é o valor.
A questão é sobrar uma quantia astronômica
Faz ideia de quando sobrou?
A secretária de educação do Estado de São Paulo esteve na audiencia pública e disse que ate 2010 os professores terao 60 por cento de aumento.A imprensa não divulgou mas muita gente gravou a promessa.
Pior ainda, esse bonus que a maioria das professoras não mereceu seria dado de acordo com metas que a SEE estabeleceu, metas ridiculas e ainda assim a escola não cumpriu
As professoras receberiam o bonus de acordo com a nota do saresp.
Só que o bonus já foi aprovado e a nota do Saresp so sai ano que vem
Seria muito engraçado se não saisse tudo do bolso do trouxa do contribuinte...

Anônimo disse...

Caro "Tenha lá um pouco de paciência":

Não há o que contestar em seus argumentos. Preocupa-me, porém, não abrir a guarda dando razão para que nos ataquem por afirmar o que não existe. Seria como tropeçar numa vírgula e ter o texto todo acusado de impertinente.

Vamos lá disse...

Anônimo
Não se preocupe, fica frio.
A tabela vai sair logo
A menos que a imprensa não divulgue, coisa que acho difícil
Todo ano o Diário de São Paulo divulga
As noticias que estão chegando são de dois salarios e meio a mais.
Se for feito no total, vai dar vinte milhas para muita gente sim...
Considerando que sobrou muito, mas muito mais que o ano passado,não tem nada de exagêro na noticia.
Ano passado anunciaram primeiro que sobraram 350.000,00 milhões, depois que eram 750.000,00
Este ano as aplicações de fora foram superiores ao ano que passou.
Então baseado no que ocorreu o ano passado....
Ano passado aconteceu que elas reclamavam muito do critério.
Umas receberam uma verdadeira fortuna e outras uma merreca. Mas toda a montanha de dinheiro foi dividida entre elas.
Se considerar por mérito, levando em conta o ano que passou, pouquissimas professoras mereceriam receber 20.000,00 de abono.

Pai de aluno de escola pública. disse...

Quem viu o SPTV(Rede Globo) de hoje ???
Então, não saiu o quanto cada professor vai levar de abono.
Mas saiu o mais importante.
Serão 500.000.000,00 que sobraram das escolas públicas.
Ora com esse dinheiro, meio bilhão dava para contruir 500 novas escolas e reformar as que estão caindo aos pedaços
Pelo menos 300 escolas estão em condições precárias.Precaríssimas mesmo.
O Deputado Giannazi disse que as escolas do estado de São Paulo foram avaliadas em abaixo de 2 na média por falta de estrutura.
Então que se de estrutura.
Sobra meio bi e as escolas estão sem estrutura ?
As escolas estão com listas quilomètricas de espera.
Não tem vaga para todo mundo
Daí sobra meio bilhão de reais e o Governador Serra distribui entre os professores ?
Um absurdo.
Agora é esperar, que vem outra noticia aí.
Deram a notícia que sobrou 500.000.000,00 e não dá nada, ninguem questiona, e logo a gente fica sabendo que era um bi e lá vai fumaça
Exatamente como aconteceu ano passado.
Anunciaram que era 350.000.000,00 depois abriram que era 750.000.000,00
Esse é o Brazil zil zil zil zil.

Prof.Pedro Serra disse...

Sou professor.
Na avaliação de pais que escrevem aquí, posso dizer sem falsa modéstia que sou um educador.
Ensino matemática e tenho muita facilidade para ensinar, nem me imagino exercendo outra profissão, embora seja também engenheiro civil.
Dou aula em escola pública todos os dias da semana no periodo da manhã e tres dias da semana em uma escola particular renomada.
A diferença é brutal.
Na escola particular sou valorizado, ganho relativamente bem e o que eu ensino faz diferença.
Coordenadora cobra, direção cobra, e quase nem vejo os pais de alunos.
As reuniões são raras e quando acontecem é para prestar contas mesmo.
Já na escola pública também ganho bem se considerar o salário de meus colegas engenheiros mais ou menos bem sucedidos.
Na escola pública o professor que quer trabalhar é considerado trouxa.
Ensinar álgebra para aluno que não sabe o básico se torna quase impossivel.
Faço tudo que posso, mas os alunos vem para mim completamente sem nenhuma noção.
Ou entro na vala comum e engano todo mundo ou fico dando murros em ponta de faca, sendo discriminado pelos meus colegas que debocham de mim.
Entrei na vala comum.Por uma questão de sobrevivência.
Meus alunos estão perdidos, sem nenhum referencial, ensino o que posso e tem dia que me envergonho .
Sei que tem um monte de profissional como eu.
Agora vem o bônus.
O critério para a divisão desse montante é nebuloso.
Sei que vai ter muita gente que vai receber os 20.000,00, mas com certeza não serão os professores que trabalham o minimo ou que pelo menos se esforçam.
A direção da escola particular que trabalho me valoriza, mas professor em escola particular não é mimado como na escola pública.
Somos respeitados e pronto.
Para mim está bom.
Fim de ano e dia dos professores eu ganho presentes incríveis de meus alunos da escola particular.
Na escola pública o dia do professor não tem aula nem no dia e nem na semana toda.
Na escola pública eu sou tratado como uma pessoa maluca.Onde já se viu querer trabalhar se pode ganhar sem fazer nadinha?
Então me perdoem o desabafo, sei que a Glória Perez jamais poderá mostrar esse lado da escola pública.
Mas fica o registro, pelo menos o registro.

cortezia com chapeu do povo disse...

Quem viu o jornal da Globo na Edição do SPTV de hoje?
As professoras receberão bonus de uma "pequena" sobra deste anos.
A "porcaria" de milho bilhão de reais dividido entre as professoras.
Além disso vao ganhar um computador portátil.Vão pagar preço abaixo na tabela de mercado em 24 parcelas sem juros financiados pela SEE.
Ano passado elas ganharam um computador convencional, reberam mil reias em dinheiro de presentinho, e o resto financiado em suaves prestações mensais.
Praticamente ganharam um computador de presenta para suas residencias e agora um portátil.
Dai vem o Giannazi e diz que as coitadinhas das professoras não tem infraestrutura para dar uma boa aula
Essas noticias estão no site da SEE caso alguem tenha perdido a noticia na globo
Podem também pesquisar no site da globo e conferir se estou exagerando.
Não é uma gracinha?
Numa escola corrupta, sem vaga e caindo aos pedaços.
No Capão Redondo tem uma escola que se chama Joao da Silva e que o esgoto é a ceu aberto correndo ao lado das salas de aula. O fedor é insuportável quando faz calor...
E sobrando grana, grana preta...
Estamos é perdidos mesmo....

20.000,00 UM INSULTO... disse...

COMENTAM SIM, COMENTAM E MUITO
SE É MESMO 20 MILHAS PARA CADA UMA DAS PROFESSORAS EU NAO SEI, MAS OUÇO EM TUDO QUE É LUGAR QUE O VALOR É ESSE.
JÁ ATÉ PENSEI QUE É O CASO DA CABRA NA SALA
TIRA A CABRA E A SALA FICA EM ORDEM
ENTÃO DIVUGAM QUE É VINTE MIL PARA CASA PROFESSORA E DÃO CINCO.
OS CINCO ENTÃO PARECEM POUCO.
MAS O POVÃO ACHA QUE 20 REAIS DE ABONO PARA QUEM NÃO ENSINOU NADA
....É MUITO...

Como assim, mérito ??? disse...

Professor de São Paulo,vai receber bônus de até dois salários e meio por mérito?
Como assim mérito ????
Mérito numa escola pública que quase não teve aula este ano ???
Depois, ninguém sabe em que salário vai sair esse bônus baseado
Salário base é um e em cima vem um monte de benesses que multiplica o salário do professor em até 10 vezes
Quando vai reclamar aumento e chorar miséria, ele cita o salário base e nem sempre conta a verdade.
É tanto penduricalho em cima do salário ....
Mas o que me incomodou foi o critério para a divisão dessa nota violenta.
Mérito....
Que MÉRITO ???

Chora...Brotas SP disse...

Eu sou de Brotas interior de São Paulo.
Se os pais reclamam de São Paulo, é que não sabem da missa a metade.
Não sabem o que acontece no interior.
O Prof.Doutor Mário Sergio Cortela, grande filósofo e teólogo declarou ( eu vi) que professor de escola pública é a elite gananciosa.
Disse também no programa do Jô que, os tres Ps são os que acabam com o progresso de uma nação.
Os tres Ps do Brasil são:
Politico que não cumpre as promessas, Polìcia que rouba e Professor que engana.
Acho que o pior P desses é o do Professor.
Em Brotas como em toda cidadezinha do interior, se a mãe denunciar quaisquer abusos, ela sofre penalidade e seu filho fica maldito para todo o sempre.
Mas se o caso sair na midia a familia tem que se mudar de cidade.
Os adultos pai e mãe, perdem os empregos e não arrumam outro.
Lembram o caso de Nova Odessa? Então a familia precisou se mudar pra lugar ignorado.
Voltando a Brotas:
Aqui como no interior de São Paulo todinho e na capital também.
A cidade é dominada por quatro poderes.
A Direção da Escola pública.A polícia, o poder Judiciário e os politicos.
Desse quadrado ninguém escapa.
Direção tem parentes politicos influentes.Esses politicos que mandam na cidade tem ótimas relações com os outros poderes.
Professora e diretora de escola é ~sempre parente de uma dessas figuras influentes.
Em São Paulo também, as professoras tem parentes deputados.
É surpreendente a pesquisa feita pelo grupo "educando o futuro".Tem deputado diretor de escola, quando não é o deputado é a mulher mãe ou irmã dele.Na melhor das hipóteses é o chefe de gabinete que tem esposa diretora de escola.Nesse clube ninguém tasca.
No interior é muito, mas muito pior.
Em São Paulo dá para mudar de bairro e ninguem fica sabendo, o único problema é que o aluno já vai de uma escola para outra com a mancha no curruculum, mas a família pode continuar levando sua vida normalmente.
Lembram o caso de Fernadópolis? Saiu no G1 da Globo, na Folha de São Paulo.Lembram a declaração do juiz/? Lembram que ele declarou que ele não ouve aluno.Chegando lá ele considera com verdadeira a versão do professor/Lembram também que ele quando pune aluno, dá uma pena para a familia ? Suja a ficha dos pais?
Pois é leitores.
A situação é grave.
Uma dor só.
Em Brotas é assim também.
No interior a situação é mais grave.
Muito mais grave.
Uma ditadura feroz....
É crime criticar professora, que é agente do governo.
Coisa de doido este meu Brasil....

Comunidade de Olho na Escola Pública disse...

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

ESCOLA PÚBLICA, IMORAL FALANDO DE MORAL.MUITO TRISTE ISSO..

Este ano foi um ano perdido para os alunos.
Pior que o ano de 2006.
Este ano as únicas aulas presentes na escola foram a mentira, a corrupção e a covardia.
Em Outubro as aulas acabaram de vez. Até então era aula vaga e aula dada era uma raridade.Professores faltando meses seguidos por conta da eleição.Ou eram candidatos ou cabos eleitorais dos candidatos.
Acabam as eleições e as aulas não retomaram. No lugar de aulas as escolas estaduais se tranformaram em caça níquel.
A criatividade ausente nas aulas, apareceu nos meios que usaram para arrecadar dinheiro.
Venderam desde uniforme, carteirinha, provas, sorvete, pipoca, algodão doce, passeios ao Play Center, Hopi Hari e etc.
Passaram filmes, cobrando entrada é claro.
Alugaram brinquedos tipo pula-pula, cama de elástico e piscina de bolinha, cada voltinha no brinquedo custando o olho da cara.
Balada à noitinha também aconteceu de monte.
Não faltou nesses eventos o Papai Noel. A função desse "mau velhinho" circulando no páteo era incentivar o aluno a gastar tudo que tinha.
Tiraram leite de pedra. Conseguiam tirar dinheiro dos pais em regiões mais pobres de São Paulo como Parelheiros e Marcilac.
Agora inventaram a rematrícula. Não existe rematrícula, aluno é matriculado apenas uma vez. As escolas então pedem que os pais compareçam na escola para rematricular os filhos para cobrar a famigerada taxa de APM.
Interessante que essa escola imoral e falida alega descaradamente e por escrito que pagar a APM é dever moral.
DEVER MORAL, PODE UMA COISA DESSAS ???

copdeolho@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Prof. Pedro Serra:

Esta é a primeira mensagem que retrata com fidelidade a nossa situação. Pena que não possamos (ainda) expressar nossa realidade livremente, expondo os responsáveis pela calamidade que é a escola pública de todo o Estado de São Paulo, denunciando seus crimes contra os alunos, contra nossos bons colegas e contra toda a sociedade. Tenho vídeos e audios de grossas falcatruas, mas até que a mordaça a que estamos submetidos por essa lei imposta pela cruel ditadura que envergonha nossa história seja banida, nada posso fazer sem sofrer conseqüências graves e demissão. E fora do covil não temos como combater os vilões...
Um emocionado abraço.

Juracy Beltrão disse...

Claro eu me lembro...
Lembro que vi o caso no blog do Givanildo.O blog Infancia Urgente falou sobre os casos de Fernandópolis.
Alunos mandados para essa Vara Contra Infancia e Juventude não tem a menor chance.
Lembro sim, das declaraçoes do Juiz.
Lembro de um dos casos citados no site da Globo e foi o que mais me impressionou.
A aluna discutiu com a prof.por estar sem uniforme.
A prof.queria tirar a aluna da sala na marra.Não conseguiu e se atracaram, a aluna foi encaminhada para esse Juiz e ela foi punida com trabalhos forçados.Aluna condenada a prestar serviços a comunidade sempre é condenada a fazer faxina pesada em alguma escola.
Esse caso o juiz justificou a pena por que o pai da aluna tinha tido um antecedente criminal quando solteiro.
Ninguém nem sabe o que o pai fez, nem sabe os motivos do antecedente criminal, mas o que a sua filha tem com isso ?
O pior é que foi divulgado na imprensa grande e na imprensa local.
Se tinha alquém que não sabia disso, ficou sabendo...
Uma coisa tenebrosa o que acontece em escola pública em São Paulo

Por essa, eu já esperava. disse...

Por esta eu já esperava....
Este ano a Secretária Estadual de Educação determinou que as professoras que não fossem concursadas fizessem uma provinha de avaliação.
Nada de excepcional.
É que tinha muita professora analfabeta enganando a torcida...
Não é que as Diretorias de Ensino Sul 1, 2 e 3, mais a Norte 2 e 1
Também a Leste 2 e 4 repassaram as perguntas pra as professoras queridinhas delas?
Tudo começou com a Diretoria de Ensino Sul 3, as outras foram no embalo,não dá nada mesmo...
Então as professoras que se sentiam em condições de fazer a prova de modo decente se incomodaram e denunciaram para a Apeoesp, que prometeu pedir a anulação dessa prova.
Eu aposto que não vai dar em nada.
Que as professoras que vão passar nessa prova, são aquelas que as Diretorias de Ensino quiserem
As que as diretorias de ensino vão querer, são aquelas que aceitam fazer parte do Conselho de Escola e da APm que aceitam assinar tudo de olho fechado e vão ser testemunhas da direção toda vez que precisar.
Sei lá, acho que a escola pública de São Paulo, não tem mais jeito não.

Anônimo disse...

Eu sou da cidade de Barretos S.P.
Nascí aqui, sou fã das novelas da Glória Peres,aliás sou noveleira de mão cheia.
Minha surpresa ao deparar com estes comentarios não dá para descrever.
Acontece tudo de ruim dentro das escolas públicas.
Pai e aluno não tem vez e nem voz.
Ver um espaço diferenciado como este, um espaço frequentando por pessoas formadoras de opinião é a maior contribuição que a Glória pode dar.
Em Barretos a Diregente Regional é igualzinha essas descrias ai
Um dos casos que me abalou foi este.
O aluno passou a ser perseguido por um professor e apanhava dele direto.
A escola fazia o relato no tal do livro de ocorrencia e só contava o lado dela e escrevia coisas que o aluno não fazia para justificar as agressõs a a mãe deixava quieto.
Um dia ela vai na escola tomar satisfação, isso pela decima sétima vez depois que o filho dela tinha apanhado.
Dentro da escola, bateram na mãe também.
Só que bateram na mãe e chamaram a policia para ela.
O cso saiu nos jornais do jeito que aconteceu, mas com a avaliação do jornal.
Contaram o caso mas sempre puxando para o lado da escola.
A mãe ficou descrita como a agressora.
Conclusão
O aluno expulso e a mãe processada.
Essa é mais uma que tem que mudar de cidade...
A dirigente declarou na imprensa local que decidiu pela expulsão de alunos em conjunto com 34 professoras.
Um monte de gente para cometer injustça e arruinar a vida de um alunos.
Está muito dificil ser mãe de aluno de escola pública em São Paulo
MUUUITO DIFICIL.

Profª Sandra Bose disse...

Nao ha o que comentar, so a lamentar... e MUITO!!!

Rita Bastos Nobre disse...

Professora Sandra.
Não basta só lamentar.
Temos que investir para mudar esta situação.
Os educadores de fato, formam cidadão de amanhã.
Lutar.
Investir na ajuda desses pais que denunciam, esses são sim os verdadeiros herois da escola pública e são na maioria das vezes
sacrificados por conta disso.
Como professor é a profissão da maior importancia entre todas, os professores que são educadores podem começar a reagir quando deparam com essas violencias.
Temos professor que apronta, criminosos mesmo, mas temos os que se omitem mas se omitem mais do que precisa, enfiam a cabeça na terra feito avestruz.
Não podemos é ficar amorfos diante desse descalabro.
Essa situação está puxando a qualidade do ensino particular para baixo, portanto seremos a curto prazo todos prejudicados com este estado de coisas.
Esses casos citados aqui eu me lembro de cada um deles, mas passou batido diante das outras noticias, lendo de novo, me dei conta da gravidade da situação.
Estou avaliando a possibilidade de me juntar a esse pessoal do Educaforum, ou o Forum em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Marcilac, essa gente que trabalha voluntária está sempre precisando de uma mãozinha.

Em Riberião Preto é assim, na minha querida Ribeirão disse...

Eu ainda acho que pior é em Ribeirão Preto, minha cidade do coração.Interior de São Paulo.
O aluno de 13 anos está brincando na aula, a professora lhe chama a atenção e ele não atende.Ela então chama o adolescente de filho daquilo.
Adolescente não aceita esse nome, acha que está ofendendo sua mãe.
Ela então confirma que a mãe dele é mesmo uma pu.ta e avança para ele ameaçando mata-lo.
Ele reage e acerte um soco na boca da professora.
Interessante que a imprensa divulgou exatamente assim mas dando ênfase ao que a professora disse.Afinal vale o que a professora fala e ponto.
Isso aconteceu na sala de aula, diante de um monte de aluno.Facilimo, apurar se quisessem.
Ele contou que foi agredido e ofendido primeiro. Que a professora chamou sua mãe de p...e que investiu contra ele.
A professor disse que do nada o aluno avançou sobre ela e lhe deu o soco na boca.A imprensa se inflama e mostra o lábio da professora em destaque chamando o aluno de tudo que é nome, só faltou pedir a pena de morte.
Foi comoção geral em Ribeirão Preto.
O aluno foi condenado a tres anos em regime fechado na fundação Casa que é igual a cadeia de adulto se não for pior.
Num processo que levou menos de uma semana, em cana o aluno foi imediatamente.
A mãe desesperada pediu clemência ao Juiz, pediu misericórdia prometendo que mudaria de cidade e que seu filho não pisaria mais em nenhuma escola.O juiz não aceitou
Isso também saiu publicado.
Ela tinha um filho dois anos mais velho, passou a ser perseguido pela cidade como o irmão do "monstro de Ribeirão Preto".
Aquele que espancou uma SAAAANTA. .
Meses depois esse adolescente levou um tiro pelas costas.
A policia não descobriu o assassino.Afinal era apenas o irmão do monstro de Riberião Preto.
Assim é que funciona.
É cruel, dá vergonha de pertencer a essa espécie.
Vergonha pela professora, pelas autoridades de Ribeirão Preto e pela cidade de Ribeirão Preto que amo apesar de tudo...
Mesmo que fosse como a professora disse, claro que não foi...mas um aluno do nada, avança sobre a professora e lhe dá um soco na boca é caso de internação psiquiátrica e não de policia.
Coisa mesmo de lamentar mas não de lamentar apenas.
Precisamos repensar a escola pública com muita coragem.
Coragem de colocar o dedo nessa ferida para cura-la.
Defender incondicionalmente as professoras, aceitaR a corrupçao como inevitável não vai dar certo por muito tempo.
Proteger sempre o lobo vamos desproteger as ovelhas.
Não punindo nunca as mas professoras estaremos cometendo injustiça com as educadoras de fato.
Quando eu ví esse caso, eu chorei
Chorei de dor, de impotencia e de vergonha.
Quem duvidar, pode pesquisar esse caso, saiu muitas vezes no Programa Balanço Geral da Record.

Estou pasma... disse...

....mea culpa, mea máxima culpa...
Nossa ! Lembro desse caso.Eu estava em Botucatu e vi o caso pela Record de lá, programa Balanço Geral mesmo.
O poder que e imprensa tem de contar as coisas e manipular a opinião pública!
!Estou pasma.
Lembro que o caso foi contado como esta escrito aí em cima, mas o apresentador mostrou uma ira tão grande contra o aluno que eu fiquei indignada com ele e achei que ele tinha que ser preso mesmo.Fui no embalo...
Nem parei para olhar o outro lado e agora estou com remorso.Fico agora me colocando no lugar daquela mãe, sendo execrada públicamente.Perder dois filhos assim injustamente, covardemente.
Sim, que o que está morto, está morto,mas o que está preso, não sai de lá prestando para mais nada.
Dos treze aos dezesseis puxando cana de modo injusto, deve estar uma revolta só...
A professora bem na dela, inconsciente do que plantou.
Sim, que acredito muito na justiça Divina.
Disse Einstein que é mais fácil dividir um átomo do que desfazer um mito.
O mito da professora Santa está tão arraigado nas pessoas que não nos damos conta do que está acontecendo realmente.
Nem paramos para avaliar.
Não dá para culpar só as autoridades e jornalistas, se nós mesmos vemos casos assim e não pensamos duas vezes antes de querer esfolar o aluno vivo.
Lí esses textos todos, perdí o sono.
Depois voltei e copiei um a um.
Estou abalada.
Notei que tem muitos casos onde a pessoa deixa até o email, mandei alguns e já recebí resposta.
Existem mesmo.
Os blogs também existem, são pessoas idôneas que escrevem nele.
Existe o o blog da professora Gloria e seu livro ESCOLA INSTITUIÇAO DA TORTURA.
A Giulia, o Mauro, a Cremilda.Pessoas que escrevem e assinam com a certeza de poder provar o que escrevem.
Deus !!!!Meu Deus !

Silvano de Souza disse...

PROFESSOR SÍMBOLO DA IMPUNIDADE E COORDENADOR NOTA ZERO

Todo dia 19, a gente relembra o caso da Escola Estadual Octacilio de Carvalho Lopes (zona Leste de São Paulo), cujo professor mesmo tendo várias acusações sérias contra ele, foi promovido a Coordenador Pedagógico na Escola Estadual Adelaide Ferraz de Oliveira. Esta escola foi avaliada com nota "zero-vírgula-alguma coisa" (Nota 0,96 no Idesp 2007)...
Esta semana as diretorias de ensino têm sido questionadas...
A gente sempre soube que as Diretorias de Ensino exercem a função triste de apoiar e defender o mau profissional.
Esse coordenador da escola Adelaide Ferraz de Oliveira foi apoiado pela Diretoria de Ensino Leste-4.
A Diretoria Lesta-4 fez uma avaliação preliminar das acusações que o professor sofria... Ao invéz de uma averiguação, ela fez a defesa do professor... Defesa Pífia...
Entre outras alegações, escreveu que é normal professor chamar aluno de bicha.
Acusado também de espancamento e promover o bulliyng, o professor foi efetivado durante o processo... Fez concurso para professor pela terceira vez, tirando então nota 6,00.
Depois, em seguida, foi elevado à categoria de Coordenador Pedagõgico, em um exame feito na Diretoria de Ensino Leste-4.
Um exame cujos critérios avaliativos são altamente questionáveis.
Então, esse caso do Professor Coordenador da Escola Adelaide Ferraz de Oliveira é o símbolo da impunidade.
Prova também que o professor comete quaisquer desatinos, contaminando a rede, e continua na escola...
Porque PODE!!!
O caso da Escola Adelaide Ferraz de Oliveira é mais um caso de abuso e crime defendido por uma Diretoria de Ensino.
-PS
Este caso eu acompanhei passo a passo
Tem lances inacreditáveis, não é de graça que o NAPA Nùcleo de Apoio a Pais e Alunos elegeu como o professor símbolo da impunidade.
meu email yhsilsouza@hotmail.com

LUZ NELA, JESUS !!!!! disse...

LUZ NELA, JESUS !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Agora a Glória Perez está devidamente esclarecida.
Com dados e provas se ela quiser.
Eu também mudei a minha opinião sobre professoras, eu também achava que eram santas, abnegadas.
Depois de tres filhos e vários sobrinhos tomei conhecimento do modo mais doloroso possível, do que é e escola pública por dentro.
AGORA A GLÓRIA PEREZ SABE, COM CERTEZA VAI PENSAR MIL VEZES ANTES DE ESCREVER UMA CENA DESCREVENDO A COITADINHA DA PROFESSORINHA SOFRENDO NA MÃO DO MONTRO ALUNO.

Anônimo disse...

Mensageiros:
No Estado de São Paulo existem 240.000 professores. Se cada um deles agredisse um aluno, teríamos uma calamidade ímpar, e já teriam sido tomadas providências drásticas, apesar de as Diretoras de Unidade Escolar e Diretoras Regionais de Ensino acobertarem os crimes (o que, é bom que se saiba, fazem mesmo, em relação aos seus queridinhos e queridinhas que lhes puxam o saco). Os casos de alunos prejudicados são realmente uma desgraça, para os alunos, para os pais, para a sociedade e para a classe como um todo. Precisam ser apurados, e tudo o que se fizer nesse sentido será extremamente válido. Não é possível, no entanto, cometer tamanha generalização como a que está sendo cometida. Culpar e insultar todos pelos crimes de alguns é covardia, é injustiça com uma classe que luta com dificuldade há muitos anos, sofrendo os desmandos incríveis dos governadores que passam pelo Palácio dos Bandeirantes. Cada caso de aluno prejudicado realmente faz a alma doer, mas não deixemos que a raiva e o ódio nos dominem, com pena de cometermos crimes tão graves quanto os que estão sendo cometidos contra os alunos. Reflitam: Não é porque algumas mães são cruéis com seus filhos que devemos amaldiçoar todas as mães . Lembrem-se, também, de que os professores e professoras são obrigados a se calar por força de lei, e que são impedidos de denunciar seus ‘superiores’, sob pena de demissão. Os crimes têm origem no topo da hierarquia, e não na base.

Paulo, filho da prof.Fátima disse...

Senhora:
Sou aluno, meu nome é Paulo.
Poderia se Pedro ou qualquer outro nome bem comum, assim como é comum a minha história.
Sou aluno que abandonou a escola no ensino médio.
Escrevo bem, meus pais professores da Escola Estadual Lucas Rosquel Rasquinho na zona sul da cidade de São Paulo.
Um professor costumava espancar alunos, do nada.Nâo ia com a cara, provocava o aluno e o aluno respondia e entrava no cacete sem dó.
Aconteceu comigo o que era comum
Meus pais denunciaram.
A partir de então a vida de nós tres se transformou um inferno.
Meus pais então, denunciaram o espancamento que sofri e todas as barbaridades que testemunharam na escola.
Denunciaram coisas inaceitáveis como desvio de verbas.Sumiço de dinheiro vivo que chegava na mão da diretora e ela alegava que tinha sumido da gaveta dela....Nem boletim de ocorrencia fazia.
Bem, mas a direção, ajudada pela Diretoria de Ensino Sul 3 passou a me perseguir.Tudo que acontecia na escola vinham me buscar na sala e eu tinha que assinar o que elas escreviam sem ler.
A diretora então divulgou na escola que a escola ia fechar por minha culpa e por culpa dos meus pais.
Como já tinha fechado duas escolas na região e deixado milhares de alunos sem escola, os alunos acreditaram e passaram a me hostilizar.
Um dia a diretora não pemitiu que eu entrasse na sala, ela entrou e falou com a classe, em seguida permitiu que eu entrasse.Um aluno muito maior que eu me deu uma surra que quase me matou. Meu nariz jorrava sangue como uma torneira.A direção entao disse que era para meus pais me socorrerem.
Chegaram a ponto de não deixar minha mmãe assinar ponto, e ela teve que ameaçar chamar a policia.
Vivemos um inferno.Eu e meus pais, professores.
Esse caso foi acompanhado pelo Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública que denunciou em tudo que é instância
Um tal de papel para lá e papel para ca e nos tres comendo o pão que o diabo amassou na escola.
Chegando lá em cima na Cogesp Coordendoria Geral de São Paulo o Coordenador disse que era melhor arquivar as denuncias e que era melhor para todos.
O pessoal não aceitou, mas o processo não andou.
Uma situação tenebrosa.
Acho que se o Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública não tivesse acompanhando nesta hora, eu não estaria escrevendo este depoimento.
Eu estaria morto.
Abandonei a escola, com medo, mas mesmo assim acho que graças a Deus estou vivo.
Meus pais não aquentariam se me perdessem.
Tantos alunos morrem por causa de situações assim que a senhora nem imagina.
Se alguem quiser mais detalhes eu mando.
Só dar um toque e eu mando mando o meu email inclusive, que pior que está não poderia ficar.
Paulo

A VIOLENCIA É ÍMPAR, UMA CALAMIDADE. disse...

Professor Anônimo.
Realmente estamos vivendo uma calamidade ímpar.
Todo dia alunos sofrem algum tipo de violência por parte de maus profissionais.
Todos.
Até o aluno bonzinho é prejudicado quando ve seu colega ser perseguido e espancado.Ali ele tem uma aula de covardia que não precisava de escola para isso.
São sim a maioria dos professores que cometem abusos, amparados pela impunidade que contamina a rede.
Professor é humano ao contrário do mito, sendo humano e sendo inimputável ele comete as piores barbaridades.
Existe sim a violencia doméstica, mas toda violencia que mãe comete a imprensa mostra a punição dessa mãe.Coisa que nunca acontece com professora.Já viu ou ouviu falar de alguma professora presa por espancar ou torturar aluno?
No entando a escola ainda tortura aluno de modo medieval como colocar aluno no "elástico".
Todo mundo conhece essa tortura nojenta cruel e covarde aplicada e ninguem nunca foi punido.
Uma professora denunciou essa tortura na Escola David Eugenio dos Santos e a professora quase é exonerada por conta disso.Sendo uma mulher excepcional não se vergou, foi afastada da sala de aula, mas não conseguiram exonera-la, e olha que tinha até foto da tortura.
Tem os professores que se omitem, mas tem uma parte pequena, mas que faz a diferença e que passam de modo anônimo os fatos graves que presenciam.
Note que os casos comentados aquí são aqueles que a imprensa divulgou bastante.
Tem os casos que merecem apenas uma notinha, mas a maioria a imprensa não divulga, são milhares por dia.
Nós não aceitamos como natural só porque é generalizado.
Não é porque a maioria faz que vamos achar normal.
As autoridades do topo hierárquico sabem e não fazem nada.
Então por isso a conclusão é essa
Professora não ensina porque NÃO PRECISA.
Professora esPanca, persegue e humilha porque PODE !

gremiosd@ig.com.br disse...

Professor Anônimo.
É sempre com muita tristeza que constatamos que dos 240.000 professores do Estado de São Paulo pelo menos 70 por cento deles já cometeu algum tipo de violencia contra aluno.Se considerarmos que essas violencias por causa da impunidade elas são continuadas ,podemos então afirmar que são mais de 240.000 violencias cometidas contra aluno.
Isso considerarmos como violencia desde:
violencia sexual, assedio, espancamentos, torturas, humilhações, torturas psicológicas, terrorismo, até os as aulas que a professora assina ponto e deixa de ministrar é uma violencia contra aluno e seus pais.
Claro que a situação é alarmante.

Anônimo disse...

Mensageiros:
Justiça só se faz ouvindo ambas as partes. Professores e professoras só poderão se manifestar e denunciar livremente quando lhes for devolvido o direito inalienável de fazê-lo, usurpado pela ditadura militar. Atacar quem não pode se defender é covardia, é injustiça. Os fins NÃO justificam os meios.

Anônimo disse...

gremiosd:

Afirmar que "pelo menos 70% dos professores..." é "chutar" um percentual sem base estatística alguma. Num assunto que tanta importância é preciso ser ético e muito cuidadoso. Esse porcentual é resultado de alguma pesquisa? Ou é simplesmente fruto de indignação (bastante justa)e desejo de vingança (condenável)?
Sejamos todos sensatos.

Silvano Milan disse...

Anônimo....
Para com isso....
As professoras tem todo mundo para defende-las.
Quem está a merce da violencia e injustiça são os alunos e pais.
Professora tem um monte de deputado inclusive aquele o tal do Giannazi que liga para a Gogesp e pede que o processo contra uma escola seja arquivado, tudo ali com uma montanha de provas.
Para defender a "coitada" da professorora tem vários sindicatos, inclusive com o sindicato mais rico do Brasil que é a Apeoesp, além de ser o mais rico do Brasil seu presidente de honra é suplente do Senador Suplicy
Toda violencia que consegue vazar e chega na imprensa o apresentador faz a defesa inflamada da professora demonizando o aluno.
Quando é o caso de estupro, vimos com o Datena na TV bandeirantes:
mostrou o caso do pedreiro pedófilo que quase morre linchado e o apresentador pedindo mais e sugerindo que ele seja violado na cadeia, que morrer de pancada é pouco.Logo em seguida fala do caso de um professor que abusava da aluna pequena.O professor não foi mostrado,nem a escola, foram na casa do professor e a familia disse que ele era boa pessoa.
PROFESSOR PODE E A IMPRENSA PROTEGE.
Outro caso foi no Super Pop da Luciana Gimenez de terça passada, falaram de um professor que fazia barbaridades com alunas pequenas e não deram o nome do professor nem a escola.
Nunca vi caso de professor pedófilo preso, nem professora que espanca aluna ser presa.
Toda vez que aluno reage a alguma agressão ele é preso e pega a pena máxima de tres anos na tranca.
Covardia é saber que os alunos de escola pública não aprendem, ficam abandonados a propria sorte sofrendo todo tipo de violencia e não tem a quem recorrer.
Covardia é saber que a escola pública virou um antro por conta da impunidade.
Professora nem precisa se manifestar, ela tem um milhão de advogados pagos e expontâneos para defende-las.
Dizer que professora não pode se defender é uma grande hipocrisia
É uma mentira deslavada.
Se um pai chegar na escola para defender seus direitos ele logo é enviado para a Delegacia de Policia para ser processado por desacato.
Tem que ver e ouvir as piores ofensas na escola, ameaças e crueldades
Não temos policia nas ruas e chamar uma viatura é certeza de esperar por horas.
No entanto em SPaulo temos a Ronda Escolar com dois pms armados que aparecem em questão de segundos se um pai se mostrar nervoso ou alterado com a direção da escola, vai em cana e fica valendo a palavra da escola, o pai assina logo um BO por desacato ao funcionário público.
Nao sei se nenhuma categoria tão protegida com é a dos professores de escola pública.
A diretora da Escola Lucas Rosquel Rasquinho, quando mandava bater em algum aluno e ficava com medo do revide, ela chamava a policia militar para escolta-la até sua casa e ficava assim até a poeira assentar e ela aprontar outra.
Além disso a gente não é anônimo não
Temos endereço dos casos, endereço das escolas e das vítimas
Basta as autoridades quererem e a gente apresenta um monte ao mesmo tempo
Vários de cada canto da cidade de Sampa para não dizer que é caso isolado.
Silvano de Souza
yhsilsouza@hotmail.com

sofhia ferreti disse...

Senhor Professor anônimo:
Covardia é o que fazem com alunos.
Professor pode sim se defender, aliás ela nunca é punida.
Lembro ai o caso da Escola Estadual Alfredo Bresser em Pinheiros SPaulo.
O aluno de sete anos,urina numa garrafa e passa a oferecer o liquido para os colequinhas que não aceitavam era claro, o cheiro estava típico.A inspetora de aluno viu e tomou providencia imediata.
Ele, como castigo foi obrigado então a beber a urina da garrafa como castigo, e em frente dos colegas que tiravam sarro dele.
O aluno mora com a avó que ficou revoltada e o caso saiu no Programa da Olga Bongiovani.
O programa chamou alguém para respnder pela escola.
Quem foi defender a escola foi a Dirigente Regional, prof.Walquiria.
Ela explicou que o castigo aplicado foi por uma servente terceirizada.Que ela ia ver o que era possivel fazer...
Ora não importa quem foi, está dentro da escola a direção é responsável.
Então ficou tudo por isso mesmo
O aluno não vai mais poder estudar lá, toda vez que denuncia chegam na imprensa o aluno é expulso sob livre e expontãnea pressão.
Então, as coitadas das professoras nem precisam vir se defender....
Falar de ditadura ???? Francamenta senhor anônimo....
Ditadura é esta imposta aos pais.
Nao podem denunciar as professoras que são representantes do poder público. Isso sim é ditadura imposta aos pais, a mais cruel e abominável ditadura.
Este caso é recente.
O aluno então reclamava muito que os alunos tiravam sarro dele por ter sido obrigado a beber o seu xixi.
Se alguém se interessar é só pedir a cópia da fita, bem recente no programa.
Claro que não vão se interessar.
Só para saber o que já sabem...
Então é isso.
Sofhia Ferreti
sofhia63@hotmail.com

Anônimo disse...

Silvano Milan:

O senhor desconhece a lei que amordaça os servidores públicos. Está certo em tudo, menos nisso. Procure inteirar-se melhor. Ninguém, em qualquer profissão, joga sua carreira fora, chuta seu trabalho honesto de muitos anos e deixa sua própria família na desgraça. Tenha paciência, essa mordaça está para cair. Então veremos.

Anônimo disse...

E interessante como as pessoas acreditam em tudo que vêem na televisão. Falo do caso do aluno que "dizem ter bebido xixi na escola",o que realmente aconteceu?alguém veio saber?onde está a televisão?
O que vou relatar aqui para vocês entenderam que somos todos vitimas de uma sociedade que pouco ou nada se importa com a Educação. O garoto foi pego no banheiro misturando xixi com água para dar aos coleguinhas,quando a funcionária viu repreendeu -o e levou até a direção da escola para que fosse tomado alguma providência, garoto esse que vive batendo em outras crianças machucando -as algumas até com ferimentos graves. Foi pedido que sua avó viesse até a escola para conversar sobre as atitudes do garoto, a mesma disse que não podia pois estava fazendo compras,enquanto isso o garoto que não é nem um santo voltou para sala escondido, ao final do período foi embora e contou a versão dele para a avó, pois estava com medo. No dia seguinte ela foi até a escola mas não quis ouvir ,a única coisa que ela falava era que iria para a TV,queria bater na funcionária e tudo mais.
O garoto não bebeu xixi,pois onde se viu uma pessoa que também e mãe fazer uma coisas dessas com uma criança, isso e inadmissível.
Conheço a escola sei que as pessoas que trabalham lá são serias, o diretor e uma pessoa maravilhosa. A funcionária não ficou na escola , alias não pode defende -se pois é mais uma vítima,quanto ao garoto continua na escola muito bem, nunca foi hostilizado por ninguém e nem sofreu algum tipo de preconceito ou discriminação, ao contrário, os professores e funcionários e que tiveram que trabalhar com medo, pois a criança não podia ser repreendida de jeito nenhum ,que logo dizia assim:”eu vou chamar a televisão.
Sei muito bem que várias injustiças são cometidas nas escolas,por professores e funcionários, mas generalizar e o fim. Nesta mesma escola professores são agredidos diariamente por crianças, com mordidas e pontapés e quem os socorre? Apesar de todo violência que sofrem continuam fazendo seu trabalho dignamente,tentando resolver tudo da melhor forma possível.
Temos que denunciar a pouca vergonha que acontece no congresso, nas camaras de vereadores e nas assembléias,precisamos melhorar a Educação e não banalizar e colocar os bons e os maus profissionais da Educação no mesmo balaio.
Quem tiver dúvidas vá até a escola e saiba o que aconteceu realmente porque a imprensa marrom está para detonar , o que certas emissoras e alguns meios de comunicação querem e isso mesmo “IBOPE”, alias a reportagem foi transmitida pela REDE TV,no programa da Sônia Abrão,então cada um tire suas conclusões.
E não sai por ai denegrindo a imagem de bons educadores, e de boas escolas.

Anônimo disse...

Ao mensageiro "É interessante como as pessoas acreditam em tudo que vêem..."

Muito bem-vindo, colega. Precisamos muito de profissionais que se manifestem aqui. Infelizmente, o número de servidores públicos que postam mensagens aqui, principalmente professores e professoras, é quase inexistente. Até hoje li apenas uma mensagem de professor(o Sr. Pedro Serra), e tenho passado madrugadas digitando mensagens,sentindo que estou "pregando no deserto", como já declarei de outra feita. Tenho quase certeza de que o blog não é conhecido pelos funcionários da Educação, creio que não houve divulgação suficiente para atingi-los absortos que estão com o fechamento do ano letivo. E também sei do temor que a maioria tem de ser descoberto e sofrer as penas da famigerada "lei da mordaça". E, ainda, do desânimo que atinge toda a classe, vítima do Governo do Estado e, agora, vítima das pessoas que tiveram seus filhos envolvidos em problemas. Não descreio de tudo o que essas pessoas contam, mas algumas coisas são realmente inverossímeis. Há muito preconceito e ódio nas mensagens. Em alguns casos dá até para desconfiar que exista embuste, com a finalidade de nos desmoralizar ainda mais. Ou para tentar nos identificar e punir. Quanto à influência negativa da mídia, não resta a menor dúvida. Em busca de audiência, esses veículos sensacionalistas são capazes de tudo. E como os casos que mostram servem aos propósitos da SEE...Tudo se encaixa com perfeição, para a sádica alegria dos nossos governantes.
Precisamos muito que essas pessoas que tanto nos atacam nos dêem ouvidos, que desarmem seus espíritos e trabalhem ao nosso lado. Só assim conseguiremos separar o joio do trigo. Tenho certeza de que todos os bons profissionais da Educação, que creio firmemente serem maioria, agradecem a sua participação, não só postando mensagens como divulgando o blog para os colegas.
Um abraço.

Silvano Souza disse...

Desanimador é ver uma pessoa vir aquí e defender o indefensável.
Escola que obriga aluno de sete anos a beber o seu proprio xixi como castigo não pode ter o nome de escola.
Profissional de educação e diretora de escola que aplicam tal castigo ou permitem que uma sua subordinada faça, são criminosas pura e simplesmente.Crime agravado quando aplicado em uma criança de sete anos.
1-O Movimento não acreditou no que o Programa disse.Avaliamos o que foi falado no programa sim, e como estava lá a Dirigente Regional do Ensino e ela em nenhum momento desmentiu a avó, a gente avalia que a denuncia procedia sim.Senão ela teria negado veementemente.Ela prometeu que afastaria a funcionária e assim o fez.Transferiu de escola. Para nós isso não é punição para um delito tão grave.
2- A avó do aluno estava mesmo fazendo compras quando o fato ocorreu e estava um tanto longe da escola.Isso é muito natural.Ela não tem que ficar de plantão na frente da escola ou ficar em casa a disposição da escola.
3-O aluno bebeu o xixi na frente dos colegas, obrigado e depois foi colocado de castigo na sala da diretora, e de lá quando se viu sozinho ele foi por conta própria de volta para a sala de aula.
Então ele bebe o xixi e ainda tem que ficar de castigo na sala da diretora ?
4-A defensora da escola confirma que o aluno está sendo persguido.Ela mesma alega que ele é um aluno perigoso que fere gravemente os seus coleguinhas.
%-Não é verdade que professoras sofrem agressões diárias na escola, nem nessa Alfredo Bresser e em nenhuma outra escola estadual de SPaulo.Existe uma Ronda Escolar com dois PMs a disposição da escola.Quaisquer atos que possam representar risco para as professoras, ou mesmo um pai alterado por motivo justo, é conduzido para a delegacia de policia em questão de segundos.
Não estamos denegrindo a imagem de bons educadores.Que bons educadores não torturam e nem perseguem alunos pequenos.
Nao posso chamar de educadora uma adulta que obriga um aluno de sete anos a tomar o proprio xixi, como castigo.Tampouco posso chamar a diretora dessa escola de educadora.
O fato de existir politicos crimonosos não justifica a escola públicaa tirar notas zero na avaliação do Saresp e se dedicar exclusivamente a cometer barbaridades contra alunos pequenos e indefesos.
Essa escola não tem nenhum educador.
Os que não concordam com as torturas covardes como essa de obrigar um aluno de sete anos a beber o proprio xixi,ficaram caladas.
Não concordaram mas se calaram se omitiram.
Não me venham dizer da lei da mordaça, que existe uma lei federal onde é dever do cidadão defender a ocorrencia ou ameaça de violencia contra criança e adolescente.
A funcionaria que aplicou a tortura no aluno nem precisou se defender, ela nem sofreu penalidade nenhuma, foi transferida.
Acho sim que ela tem amplo direito de defesa, mas ela devia ser acusada de prática de tortura que é crime hediondo e inafiançavel.
O aluno sim está sofrendo além de perseguições,risco de vida
Então essas professoras não estão com medo.Medo de que?
Se a impunidade é certa....
Sou pai e rezo para que nunca aconteça nada parecido com meus fihos.
Eles chegam em casa contando os piores abusos que assistem praticados contra seus colegas, todos os dias.
Pessoa adulta que é capaz de obrigar uma criança de sete anos a beber o seu xixi, é capaz de qualquer outra barbaridade
Sou contra a justiça feita com as proprias mãos, mas diante desse abuso e ainda tem gente com coragem para defender a escola, chamando a diretora de maravilhosa me faz imaginar o que eu faria se um caso assim acontecesse com um filho meu.

Anita Prado disse...

Conta outra....
Ora vai...
Vocês não podem repreender o aluno de sete anos, senão ele ameaça chamar a imprensa ??
Sinceramente tenho mesmo muita preocupação com esse aluno.
Se foi obrigado a beber o xixi, e não aconteceu nada com a direção da escola e nem com quem aplicou o castigo, imagino agora.
Ele terá que comer fezes ???

Comunidade de Olho na Escola Pública disse...

Exatamente como tememos.
Exatamente como acontece sempre.Depois que as denúncia grave sai na imprensa, o aluno vítima é sempre o prejudicado.Quem cometeu o crime sai impune, contaminando a rede.
O caso da Escola ALFREDO BRESSER em Pinheiros SP, é um caso típico.
O aluno está sendo perseguido de modo mais covarde e feroz que se tem noticia.
Vejam que a pessoa que escreve defendendo a escola, afirma que ele é um aluno que fere gravemente os colegas e bate em todo mundo.
Que as professoras estão com medo dele que ameaça chamar a imprensa .
Ora...ora....
A escola com certeza esta fazendo o corriqueiro, além de persegui-lo está colocando os colegas contra ele.Coisa que vemos todos os dias escola fazer.Chegam a dizer que a escola vai fechar por causa da denuncia e por culpa daquele aluno
Tudo de ruim que acontecer na escola a culpa será dele.
Se ele colocou xixi na garrafa e ofereceu aos colegas, não justifica um adulto obriga-lo a beber o liquido.Isso não foi negado pela dirigente, que o castigo foi aplicado na frente dos colegas.
Tenta a defensora da escola alegar que a avó que cuida do aluno é displicente, por não atender imediatamente o chamado da escola, por estar na rua fazendo compras.
Nada mais natural.
O preocupante é mesmo a impunidade da escola.
Obrigar um aluno de sete anos a tomar o proprio xixi como castigo, não dá demissão para a funcionária.
Aliás,nenhum abuso ou violencia cometida contra aluno provoca demissão do autor.A vítima é ainda penalizada com perseguições tão crueis dentro da escola que não lhe resta outra alternativa senão desistir de estudar.
Lí e reli várias vezes a defesa que essa pessoa faz da escola, e constato que é a mesma coisa que ocorre todos os dias.
Quaisquer delitos ou violencia cometido pela escola pública de SPAULO, contra aluno, é considerado normal.
Não dá nenhum tipo de punição, e muitas vezes dá até promoção para quem cometeu o delito como no caso
da Escola Adelaide Ferraz de Oliveira, onde o professor acusado de coisas graves foi promovido a coordenador pedagógico da escola.
Muito triste esse quadro
Um quadro dantesco, mas é a realidade da escola pública brasileira

QUE VERGONHA, NOSSA, QUE VERGONHA... disse...

Que coisa hein?????
O aluno de sete anos coloca urina na garrafa e oferece aos colegas.
Se a gente considerar os sete anos dele seu digo:
Grandes coisas, era só dar uma bronca no aluno e no máximo obriga-lo a lavar a garrafa e mostrar que o respeito aos colegas é coisa importante e fundamental, que é feio tentar enganar as pessoas e pronto
Uma bronca, quem sabe até como castigo obriga-lo a pedir desculpas aos colegas um por um e nada mais.
A escola imoral, cruel,desumana e incapaz, amparada pela impunidade obriga o aluno a beber a própria urina.
Diante de tal covardia a travessura do aluno é nada....
Chamam a mãe e o responsavel na escola por qualquer coisa.
Não assumem nenhum compromisso.
Não ensinam o formal nao ensinam a ler e escrever, mas lição de violência e canalhice, dão aos montes.
Um caso de indisciplina ou travessura ocorrida na escola tem que ser resolvido na escola.
Vivem chamando os pais por tudo que é coisa e ainda chamam os pais de omissos .Os pais é que são omissos
Essa escola é uma vergonha.
Pior ainda é a escola pública da Cidade de São Paulo, o estado onde a verba é uma das maiores do pais.
Uma escola podre, que dá vergonha.
Onde está o Governador José Serra que não percebeu que a Secretaria de Educação está abandonada e tem muitos anos que está abandonada.
Antes do Chalita era ruim, sai o Chalita e piora.
Agora não se sabe se ainda tem onde piorar...

Giulia di Pierro disse...

Se o aluno fosse importante...


Desde 1997, o programa Papai Noel dos Correios recebe milhares de pedidos de crianças carentes. Para variar, um dos itens mais solicitados este ano foi o material escolar: cadernos, lápis, lápis de cor, livros etc.

Esta é mais uma confirmação de que o aluno não é importante para a escola. Se fosse, o "excedente" (???) das verbas da educação não seria gasto em bônus para professores que mais faltam na escola ou "dão" aulas de péssima qualidade. Haveria um programa sério de atendimento às necessidades dos alunos cujas famílias não podem adquirir o material básico para manterem os filhos matriculados.

Ao contrário, existe uma "técnica" infalível de marginalizar e excluir o aluno que às vezes aparece na escola de chinelos, sem cadernos ou livros. Basta que seus "educadores" comentem o fato com desprezo na própria classe do aluno, para que ele se sinta discriminado e eventualmente nem volte mais à escola. Há também um método mais sutil: em suas intermináveis lamúrias sobre os alunos durante as reuniões na sala dos professores (afinal, não é para isso que serve a sala dos professores? rsrs), alguém pode mencionar o caso do aluno sem chinelos ou cadernos, tachando-o de "folgado", de "filho de família desestruturada" ou outro "elogio" qualquer. Dentro do corpo "docente" da escola sempre tem alguém que entende a necessidade de "dar uma lição" ao aluno e à família e inicia uma intriga que acaba redundando na evasão da "laranja podre" que precisa ser eliminada, "para não contaminar as outras". Simples assim.
Isto, porque o aluno não é importante para a escola. Importante é a continuidade do império da corporação.

Se houvesse o real desejo de inclusão, nenhuma secretaria da educação deixaria seus alunos sem cadernos, sem sapatos e muito menos recusaria a matrícula daqueles que ainda não possuem documentos.

Sobre a gratuidade do material escolar, vejam a análise feita pela ong Ação Educativa:

No ensino fundamental, o direito ao material didático-escolar gratuito encontra seu fundamento legal explícito na Constituição Federal, em seu art. 208 VII, que preceitua como forma de efetivação do dever do Estado com a educação, a garantia de atendimento ao educando através de programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde; o que é reafirmado pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) - Lei nº 9.394/1996, art. 4º VIII, e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) – Lei n° 8.069/1990, art. 54 VII.
Fonte: http://www.acaoeducativa.org.br/portal/opa/opa29.htm

Na reunião do dia 03/12 na Comissão de Educação da Assembléia Legislativa, a Secretária Maria Helena de Castro declarou que, diferentemente dos secretários anteriores, entende e se interessa pela questão das verbas. Gostaríamos então de saber - e vamos cobrar seu pronunciamento a respeito - como ela entende a falta de atendimento aos alunos carentes e, principalmente, o desvio de verbas da APM e da FDE por partes de diretores, supervisores e dirigentes corruptos, como é o caso de Araraquara e região.
Giulia di Pierro
Coord.Educaforum

MURIEL disse...

PELO AMOR DE DEUS... EU AMO SER PROFESSORA E CHOREI AO LER TAMANHA IGNORÂNCIA. A MAIORIA DOS PROFESSORES SÃO MARAVILHOSOS, ASSIM COMO BOA PARTE DOS ALUNOS... ENTRETANTO, PERCEBO QUE HOUVE UMA "TERCEIRIZAÇÃO" DE RESPONSABILIDADES PARA A ESCOLA, AS QUAIS PERTENCIAM A FAMILIA. SOU PROFESSORA HÁ 6 ANOS E NUNCA TRABALHEI EM ESCOLAS "CENTRAIS", MAS, EM 80% DAS MINHAS CLASSES, ANTES DE COMEÇAR A DAR AULAS, PRECISEI REALIZAR TRABALHOS DE CUNHO SOCIAL E AFETIVO, POIS ERA HUMANAMENTE IMPOSSÍVEL TENTAR ENSINAR QUALQUER COISA, SEM AO MENOS MOSTRAR A UMA CRIANÇA QUE EXISTIAM REGRAS A SEREM CUMPRIDAS PARA QUE O BEM ESTAR E QUE BOA APRENDIZAGEM ATINGISSEM A TODOS. SOU MUITO COMPETENTE NAQUILO QUE FAÇO E AMO MUITO MINHA PROFISSÃO E ACHO UMA IGNORÂNCIA TRATAR SOBRE O ASSUNTO ESCOLA, SEM NEM TENTAR ENTRAR NUMA SALA DE AULA E CONSEGUIR DAR UMA BOA AULA. NÃO ME ACHO VÍTIMA DE NADA, MAS VEJO QUE SE O POVO NÃO DESPERTAR PARA A IMPORTÂNCIA DA MELHORA NA EDUCAÇÃO E PRINCIPALMENTE NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES, CONTINUAREMOS ENROLADOS E SEMPRE QUERENDO COLOCAR A CULPA NAQUELES QUE MENOS DEVEM...

JÁ DIZIA UM GRANDE PENSADOR:Todo sistema de educação é uma maneira política de manter ou de modificar a apropriação dos discursos, com os saberes e os poderes que eles trazem consigo.
... SE ELES NÃO PROBLEMA... É MELHOR NÃO DAR EDUCAÇÃO AO POVO...


ACORDA GENTE....

Professora com Orgulho disse...

Boa Noite, Glória
Estava olhando o seu BLOG por indicação de uma amiga professora e fiquei muito triste com alguns comentários a respeito da nossa categoria. Sou professora da Rede Pública Estadual de Ensino e (SP) e a cada dia fico mais indignada com os comentários leigos referentes à nossa remuneração e nossos benefícios.
Na TV diz que o professor ganhará um BÔNUS sobre o seu desempenho, mas é uma grande tolice. Se vc pesquisar no site da Educação de São Paulo verá que o cálculo que eles fazem é referente a um professor que ganha 1600,00 sem curso superiior(sou PEB1 e não tenho faculdade completa e meu salário é de 980,00) isso as pessoas não sabem. Outro detalhe que li em seu BLOG é referente ao notebook que o governo "dará" aos professores, ninguém nos dará nada, fiz a minha inscrição para obtê-lo e pagarei mensalmente por isso (isso é se ele chegar, pois até agora nada de notícias).
Bom, desculpe o desabafo, mas eu me senti na "obrigação" de alertar as pessoas de que as coisas não são como se vê...
Sei que como uma escritora responsável e competente mostrará o assunto o mais próximo da realidade possível. Peço que trate o assunto com carinho e respeito, poius merecemos e o que passamos em sala de aula diariamente não é nada fácil. Eu , por exemplo, esse ano lecionei em uma 4ª série muito difícil e quando precisava me ausentar da escola para ir em alguma reunião da qual era convocada pela SEE ninguém conseguia dar aula na minha sala, a própria diretora reconheceu isso no final do ano, fiquei rouca, com dor de cabeça e tudo mais por conta do estress. O pior é na hora em que chegamos em casa após termos escutado 35 crianças gritando em nossa cabeça, respondendo, desobedecendo , enfim, cada dia um novo problema, temos que estar bem dispostas, pois tem uma família que nos aguarda e não tem culpa dos nossos problemas, tenho que dar atenção ao marido , á filha, ter nossos momentos juntos e estar zerada para o dia seguinte.
Apesar de tudo isso, amo a minha profissão e procuro desempenhá-la da melhor maneira possível, sei da minha responsabilidade quando assumi o papel de professora e "educadora" , sei que tem muita gente que depende do meu bom desempenho e estou formando cidadãos, amo as minhas crianças, mesmo as mais levadas, tento ter bom relacionamento com elas e com seus pais, enfim, o que me entristece é ser condenada por pessoas que desconecem o que passamos e nos julgam apenas por serem alheios ao assunto.
Desculpa pelo desabafo e estou esperando anciosa a estréia de sua novela, que aliás, amo todas!
Abraçs

Vivi disse...

Olá, comentários típicos da pós-modernidade. Dois lados culpando-se, matando-se, etc, etc. Quem será o verdadeiro lobo desta história: os professores ou os alunos? Para quem não entendeu ainda, os dois são as ovelhas que estão participando do próprio sacrifício. Sou professora da rede pública estadual do Paraná e ouvimos por aqui com bastante preocupação a questão das gratificações no vizinho estado. Gratificação não é salário... gratificação depende de cada governador... depende de quem segue os ditames de quem manda...
Outra coisa: não sou educadora, sou PROFESSORA. No termo educador cabe muita coisa, coisas para as quais até não estou preparada (servir de psicóloga, nutricionista, merendeira). Negar o conhecimento historicamente acumulado em detrimento de outras atividades que estão sendo realizadas na escola é que é a barbárie. Se continuar desta forma, com certeza alunos e professores continuarão a se matar e os donos do poder continuarão a nos roubar e deixar no subdesenvolvimento.

silvano de souza-yhsilsouza@hotmail.com disse...

Estava respondendo a professora acima e a minha falta de habilidade com o computador me fez deletar a mensagem.
Vou tentar repetir enumerando os equívocos da professora anônima.
1-A senhora me diz que não tem faculdade e ganha 980,00 por mes.
Não é verdade.Não tem nenhuma professora com esse piso a menos que não seja concursada e que de uma aulinha aqui e outra ali tapando buracos das efetivas.
Além disso o salário base é sempre citado, mas nunca citado que em cima desse salário vem mil e uma benesses o que multiplica seu salário em até cinco vezes.É só observar os carrões estacionados nos páteos da escola para ver quando voces são "pobrinhas"
2- O computador portátil vai ser cobrado de voces uma prestação ridicula, assim como no caso do computador fixo.O governador deu de presente mil reais de mão beijada o parcelou o resto em suaves prestaççoes a perder de vista.
3- Bonus é o que sobrou, quase um bilhão que sobrou deixando para tras as escolas podres, caido aos pedaços e imundas.Sobre um bilhão que o governador vai dividir entre os professores.
4- Vão dar de presente até 20.000,00 para as professoras,numa divisão que até voces questinam, para nós não importa a divisão importa que vão dar de presente uma fortuna que é do povo para uma escola que não ensinou nem o mínimo razoável Ano de 2006 mais de 3000 escolas tiraram nota zero.Este ano foi muito pior, tanto que não tiveram nem coragem de divulgar as notas.
5-Professora tem 365 motivos legais e imorais para faltar e não ser descontada, mas para reuniões na SEE eu desconheço
6- Ensinar não é uma tarefa fácil, exige vocação e boa vontade.Uma profissão tão importante que não devia ser exercida por qualquer uma.Quando exercida por quem tem vocação e boa vontade é uma tarefa gratificante que o professor exerce com um pé nas costas.
7-Niguém condena a professora incapaz, agressiva, sem vocação e desonesta que é a maioria, a gente condena a SEE e o governador José Serra que não fiscaliza e nem deixa os pais fiscalizarem
Sem punir a maioria relapsa e incapaz, agressiva e inútil o bom professor também é penalizado.
8-Se professor nao trabalha e ainda agride nossas crianças é porque PODE !!!
Eu não tenho muita instrução mas a Globo mostrou que as professoras não sabem escrever.
Fazem cursos baratos e curtos como é o caso de Pedagogia e entram na escola por indicação de alguem influente na politica e ali se encostam para o resto da vida.
Os concursos também são ridiculos
O último concurso que foi feito para avaliar professora foi fraudado descaradamente pelas Diretorias de Ensino.
E notei que a senhora escreve tão mal quanto eu que sou peão.
A senhora escreve que espera anciosamente pela novela
Os pais também estão muito aflitos esperando mas esperando
ANSIOSAMENTE
Esta básicamente é a diferença

Anônimo disse...

Sou professor da rede estadual há 3 anos. Novo de profissão e idade, mas foi impossível me omitir diante de todos os comentários postados acima.

Sinceramente, fico enojado de ver os ataques que eu, enquanto professor, sou obrigado a sofrer por parte dos pais de alunos.
Não sou incompetente. Não sou omisso. Não sou faltoso. Sou humano e trato os filhos de vocês como tal e portanto, desde já não admito que questionem meu profissionalismo e competência.

É interessante ver o comportamento dos senhores pais na ânsia de defender seus filhos; fica clara a filosofia "meu filho é um santo, os outros é que são demônios". Por favor, parem com essa hipocrisia. Essa filosofia é bem conhecida e eu a chamo de "cria bandido". Continuem assim e verão os anjinhos daqui a pouco roubando, matando, estuprando e presos ou mortos.

Também adoraria que a Glória fizesse um laboratório nas escolas e visse de perto a realidade: os anjinhos se estapeiam e se pegam em sala de aula, no pátio, na entrada e na saída; os anjinho sempre tem excelentes celulares e mp's a disposição (claro...papai se endivida mas compra!) para colocar nas orelhas e não assistir àquela aula de que não gostam; os anjinhos sempre respondem "VOU PASSAR MESMO!QUE SE FODAAAA" quando são instigados e admoestados a estudar.

É incrível ver papai e mamãe defendendo esse bando de CRIONÇAS...Deixem de ser cegos e cínicos. Enxergue os filhos que vocês tem dentro de casa! Aff...

Não os culpo. Culpo seus pais que ensinam um verdadeiro repertório de palavrões em casa para que repitam na escola.

Luiz disse...

Professor anônimo
Nossos filhos não são "crionças"
São cidadão em fase peculiar de desenvolvimento e crescem para a direção a qual foram dirigidos
Exigimos sim de nossos filhos mas se exigimos o bom exemplo por parte dos professores, é que o adulto tem o dever de ser melhor, se ser mais educado.
Tampouco ensinamos em casa um repertório de palavrões, ensinamos a respeitar todos, infelizmente respetar e não ser respeitado é o maior problema.
Criança e adolescente não ouve o que a gente fala, ele vê o que a gente faz.
Nem cegos e nem cinicos, apenas exigindo que nossos filhos sejam tratados com o mínimo de dignidade.
Os casos de violencia aqui relatados,não são casos esporádicos e imaginários, e são tantos que a não tem como não admitir que são o cotidiano das escolas.
Meu filho é bem educado e peço a ele que estude muito para ter uma vida mais fácil do que foi a minha, mas o que meu filho vem contando em casa que ve e ouve na escola é inacreditável, inadmissivel numa unidade que se diz educacional.
Aula mesmo são raras, rarissimas, o que tem de monte e de sobra são maus exemplos violencia fisica e verbal.Professor dizendo que não vai perder tempo com futuros marginais.
Meu filho estuda na Escola Estadual Vargem Grande II e o que se ouve falar é de diretor que foi expulso da Policia Militar, que tem romance explícito na escola.
Ouvem coisas que dá vontade de ir na escola e começar a derrubar tudo, parece que está tudo contaminado pela corrupção e a imoralidade é a constante.
Se o professor não admite que critiquem seu profissionalismo e competencia, pode começar comigo
O senhor não é profissional e não tem nenhuma condição de estar em uma sala de aula.
Conheço educadores, tenho esse privilégio, posso dizer que são raros, mas os educadores que conheço são respeitosos e merecem o respeito e minha consideração
Gostaria muito de saber qual escola o senhor está lotado.
Os alunos vão passar de qualquer jeito que a escola virou terra de ninguem, e passa quem voces querem mas aprender ninguem está aprendendo
A nota do Idesp deste ano foi menor que a do ano passado.
Além do fracasso do Idesp ...
Os professores que não são concursados teriam que fazer uma prova de avaliação.Eram 25 perguntas simples e objetivas sempre na área que ele atua.
Então as diretorias de ensino para garantir a aprovação dos seus protegidos deram a prova pronta com a resposta.
Os professores que não tiveram o privilegio chiaram e com razao
Uma escola onde o professor não é capaz de acertar 12 questões das 50propostas e precisa que a Diretoria de Ensino lhe passe as respostas é uma escola sem moral nenhuma.
Defendemos sim nossos filhos de um profissional que as chama de
"crionças"
Imagino do que as chamam na sala de aula.
Os presetes que os pais por ventura se individam e compram para os filhos não é da sua conta.
Diferente de voces que tem computores e tudo que querem as custas no nosso sagrado suor, que pagamos seus salários e os presentes que ganham, sem nos dar nada em troca
Eu nem fiquei indignado com a posição sem respeito desse professor que ele escreveu apenas para ilustrar as denuncias dos pais.
Eu ao contrario do senhor não sou anonimo
Tenho nome
Luiz Roberto Gomes
Se quiser tenho também
email
celutar e telefone fixo, pago com o meu salário merecido e suado

Anônimo disse...

MÍDIA & EDUCAÇÃO
Mais ônus do que bônus

Por Gabriel Perissé em 23/12/2008


O governador de São Paulo José Serra acaba de sancionar o que o jornalista Gilberto Dimenstein, parabenizando-o, considera "a medida mais ousada de sua gestão: o pagamento dos servidores das escolas, com base especialmente no desempenho dos alunos" (ver "Parabéns, Serra"). Estamos falando da Lei Complementar nº 1078, de 17 de dezembro de 2008.

Trata-se, porém, de uma imitação desajeitada, no âmbito da gestão pública, do que no mundo corporativo se denomina "remuneração estratégica". A remuneração estratégica pretende aumentar a sintonia entre interesse dos indivíduos e objetivos da empresa. Os empregados sentem-se motivados perante a perspectiva de receber um bônus financeiro, caso contribuam mais esforçadamente para o sucesso da organização, cumprindo determinadas metas de produtividade, vendas, eficácia etc.

Em termos mais populares, lembra o "bicho", aquela gratificação que jogadores e técnico de um time de futebol recebem após a vitória em campo. O jogador que suar a camisa e contribuir para o bom desempenho da sua equipe receberá uma graninha extra.

"Anjos" e "demônios"

O que faz sentido dentro de uma empresa ou de um clube de futebol é muito questionável no âmbito da educação pública, cujos valores incluem, mas não se reduzem à busca de eficácia, mais ainda se observarmos a lamentável e complexa situação da escola pública em São Paulo. Esta bonificação por resultados (BR) nasce de uma visão distorcida da realidade educacional e não atuará sobre o que é essencial.

Faltou, para começo de conversa, um pacto entre categoria docente e governo estadual. A BR vem calcada na seguinte premissa: a dedicação dos docentes de uma escola é, senão o único, o principal elemento realmente decisivo para gerar melhor desempenho dos alunos. Ora, sabemos que professores compromissados e assíduos colaboram, e muito, para que seus alunos aprendam mais e melhor... mas nem sempre obtêm resultados satisfatórios, ou nem sempre obtêm os resultados esperados por indicadores como o Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo). A realidade não é tão simples. Ensinar, dizia Heidegger, é deixar aprender, mas temos de levar em conta os que, por uma série de circunstâncias, encontram imensos obstáculos dentro da situação atual do ensino brasileiro...

Há um discurso subjacente à BR que desqualifica moral e profissionalmente a maior parte dos professores. Entre os objetivos do bônus financeiro está o de separar os poucos "anjos" dos muitos "demônios". Dimenstein, na matéria citada acima, reforça essa idéia: "O bônus proposto faz do professor mais esforçado sócio do sucesso de seu aluno e do relapso, cúmplice do fracasso."

Desvalorização profissional

Faltou, e não é de hoje, um discurso positivo, a favor dos educadores. O governo Serra olha com maus olhos a categoria docente. Despreza-a. Queixa-se, como regimes autoritários o fizeram no passado, do "sindicalismo corporativista ideológico". Acha que já está pagando muito. Que os investimentos feitos são mais do que suficientes. Por isso, criou uma forma de catalogar os que ele julga irresponsáveis e puni-los. O governador Serra e a secretária da Educação Maria Helena Guimarães de Castro trabalham com a idéia de que a maioria dos professores não tem ética. Seriam esses professores os principais culpados pela falência do ensino. Mas trabalham também com uma hipótese perversa: quem sabe, graças à BR, não conseguiremos comprar a "responsabilidade" desses professores?

Faltou ao governo estadual compreender a complexidade da situação, pois sensibilidade pedagógica (e sociológica) é o que mais lhe falta. O mau desempenho dos alunos não decorre única e principalmente do mau desempenho dos professores, e o mau desempenho dos professores não decorre de uma suposta maldade desses profissionais.

O problema educacional não está isolado das circunstâncias sociais que, para além da sala de aula, influenciam depois o espaço escolar, inviabilizam os melhores esforços dos mais abnegados professores, e desanimam os que acabam sucumbindo perante as dificuldades crônicas:

** 86% dos colégios estaduais sofreram violência em 2007, como noticiou o site da Abril, com base em pesquisa realizada pela Udemo – Sindicato de Especialistas de Educação do Magistério Oficial do Estado de São Paulo.

** O reduzido ou inexistente envolvimento das famílias e da sociedade em geral. O professor Mozart Neves Ramos, presidente-executivo do Todos Pela Educação, afirmou recentemente que "a população brasileira coloca a educação em 6º lugar na sua lista de prioridades" (Gazeta do Povo, 12/12/2008).

** O professor Carlos Ramiro de Castro, presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), tem insistido que a maior parte das faltas dos professores decorre dos problemas enfrentados no cotidiano escolar: salas superlotadas, péssimas condições de trabalho (ainda se usa mimeógrafo para preparar aulas, e isso quando o dito-cujo funciona!), jornadas estafantes para compensar os baixos salários, estresse e doenças causados por esse quadro de desvalorização profissional.

Possíveis novas frustrações

Faltou, enfim, ao governador Serra e à sua equipe perceberem o óbvio. (Ou será que perceberam, mas querem que nós não o percebamos?) O óbvio é que o recebimento do bônus associado ao desempenho dos alunos não depende apenas do professor. Depende, em não pequena medida, do perfil de muitos desses alunos!

Alunos que sofrem violência em casa e dentro da escola; alunos que têm persistentes lacunas de aprendizado, explicáveis por mil fatores (famílias desarticuladas, moradia precária, ambiente social adverso e ameaçador, alimentação deficiente, falta de acesso a livros etc.); alunos desestimulados porque encontram uma escola depredada e sem recursos (mais de 70% não possuem bibliotecas e laboratórios de ciências); alunos obrigados a usar banheiros insalubres nessas escolas, a dividir uma sala lotada; alunos que não vêem a escola como lugar que lhes proporcione um futuro melhor; alunos, enfim, que são encarados como "produtos" passíveis de fácil aperfeiçoamento (o processo de formação de um ser humano exige outra visão!), graças ao súbito interesse dos professores irresponsáveis, docentes convertidos agora em funcionários perfeitos. E tudo por causa do bônus!

Aliás, ainda que os professores trabalhem em dobro, se a escola em que estiverem não alcançar as metas estabelecidas, ninguém receberá a bendita BR. A promessa do bônus reserva possíveis novas frustrações. E para mencionarmos um aspecto dessa complexa conjuntura, não se pode, por exemplo, responsabilizar os professores pela baixa freqüência dos alunos, conforme quadro abaixo, resultante do monitoramento que o governo federal vem realizando sobre a freqüência de crianças e adolescentes beneficiados pelo Bolsa Família.

As prováveis ganhadoras


Fonte: MEC – fevereiro/março de 2008. Ver quadro completo

São Paulo está em primeiro lugar, com o maior número de registros de baixa freqüência. São 54.464 registros, dos quais 6.321 atribuídos à negligência dos pais, e 34.531 sem motivo identificado, o que mostra o desinteresse do sistema escolar na hora de procurar as causas reais de tantas faltas.

A lógica da BR conta com uma realidade propícia, desenhada pela secretária da Educação no artigo "O mérito do professor" (Folha de S. Paulo, 15/10/2008):

"Só há melhor desempenho dos alunos com professores motivados. O Estado, após aumentar o salário-base de todos os professores, selecionar 12 mil coordenadores pedagógicos e reorganizar o sistema de supervisão, lançou projeto de remuneração por desempenho que pode resultar em até 2,9 salários mensais a mais aos professores. Trata-se de reconhecer o esforço dos professores e valorizar o compromisso com a melhoria do desempenho dos alunos. Pela primeira vez, funcionários estaduais receberão bônus financeiro de acordo com o resultado do trabalho. Outros países, como o Chile, adotaram ações semelhantes. Nos EUA, o maior sucesso ocorreu em Nova York."

Na realidade imaginada pela secretária, todos os professores trabalham em escolas iguais. E não é verdade. Sabemos que, apesar dos pesares, existe certo número de boas escolas públicas estaduais, situadas em regiões menos violentas, apoiadas pelos pais dos alunos, dirigidas há um bom tempo por diretores conscienciosos, beneficiadas por uma história menos acidentada. Serão essas, provavelmente, as ganhadoras na corrida do bônus!

A estrutura física escolar

O ex-secretário da Educação da prefeitura de São Paulo, professor Mario Sérgio Cortella, em entrevista ao site Educar para crescer, da Abril, posiciona-se contra as políticas de bônus por desempenho, fazendo-nos ver que nem tudo é questão de motivação interior:

"Durante a minha gestão como secretário em São Paulo, havia um concurso de banda de fanfarras. As escolas das áreas centrais ganhavam todos os anos. As escolas de periferia tinham bandas com menos instrumentos e nunca saíam vencedoras. Isso é avaliar por desempenho? Não: é premiar os grupos mais favorecidos. Sou a favor da meritocracia, mas ela nunca será adequada enquanto não houver igualdade de condições no ponto de partida. Eu só posso avaliar os professores por desempenho se eles tiverem a mesma oferta de condições de melhoria."

O bônus encobre problemas antigos. Quer nos impedir de ver (e a mídia muitas vezes é conivente, não aprofunda, não denuncia nada) o que o PSDB fez, ou deixou de fazer, nos últimos 13 anos, desde a gestão Covas, passando pela fraquíssima gestão Alckmin. A situação educacional de São Paulo não chegou a níveis tão preocupantes por obra do acaso. A BR, em última análise, quer desviar nossa atenção do que cabe ao governo fazer.

Cabe ao governo estadual cuidar da estrutura física escolar. O desempenho dos alunos diminui em escolas semi-destruídas. Serra se preocupa com isso, parece... mas onde estão as notícias?

Prenúncio para 2011

Cabe ao governo estadual evitar que, como acontece em várias escolas do estado de São Paulo, diretores façam merenda, trabalhos de secretaria, preencham papelada, tudo menos acompanhar o processo pedagógico.

Cabe ao governo estadual antecipar-se e oferecer aos professores bons salários. Bons salários tornariam a carreira docente atrativa e o trabalho mais compensador. As cobranças poderiam se dar num clima menos tenso, sem a truculência que se tem verificado.

Cabe ao governo estadual admitir que o professor foi jogado para escanteio, como o próprio Gilberto Dimenstein reconhece, no artigo já citado: "Ganha mal, seu treinamento é precário, enfrenta, em especial nas regiões metropolitanas, a violência cotidiana combinada com a falta de infra-estrutura."

O pragmatismo de José Serra e Maria Helena, compreensível em empreendimentos outros, cobra muito dos professores e pouco faz por eles. O que estamos vendo em São Paulo é o prenúncio do que, se for eleito presidente, Serra e sua possível futura ministra da Educação farão a partir de 2011, em nível nacional.

Vanda Benedita Castro disse...

Professora Vivi
Do Parana chega também as piores noticias em relação a escola pública
A Vera Vaz, conta coisas do Estado do Parana de arrepiar os cabelos
exatamente como acontece em São Paulo.
A senhora não é educadora, como a maioria esmagadora dos professores de escola pública não é
Educadora é uma vocação.Uma educadora não se forma na escola já nasce pronta.
Uma professora é uma profissão, feito uma corporação rica e mimada onde nunca é questionada exatamente por ter na sua defesa sindicatos poderosos.
Ser educadora não é ser psicóloga, nem merendeira nem nutricionista
Ser professora não basta,teria que ser educadora.
Professora é profissão e exercer essa profissão sem ser educadora, sem ter vocação é um desastre que nos os contribuintes pagamos e muito caro.
O que se pede dos professores e o que não recebemos, é que ensinem o formal, e que nossos filhos não percam na escola o referencial de honestidade que levam de casa.
Existem educadores na escola pública, são rarissimos.Uma das caracteristicas de um educador é a serenidade e a humildade.
Um educador é simples e grande ao mesmo tempo.Um educador está sempre pronto a aprender também.
Um educador merece todo o respeito e a consideração que os maus professores não tem.
Professora Vivi
Os professores e alunos NÃO ESTÃO
se matando, pelo contrário os professores estão se dando bem
Os alunos se dando mal...

COEP disse...

NÃO BASTA SER PROFESSORA
TEM QUE SER EDUCADORA....
COEP
coepdeolho@yahoo.com.br

jandira passos disse...

Estou acompanhando este espaço que se transformou um espaço de debate.
Se não é um debate saudável é justamente por conta dos maus professores.
Os pais são duros nas cobranças mas dentro de um minimo de elegância e respeito que o assunto requer.
Já os defensores dos professores, meu Deus...
Um professor e vem se dizendo enojado, mas é anônimo.Nâo quer que seu profissionalismo seja questionado, mas usa palavreado rasteiro e ofensivo.
Chega a escrever palavra de baixo calão e chamando criança de "crionça" Um professor assim é o protótipo do professor que os pais querem ver bem longe da escola
Depois vem outra e escreve com erros primários.Erros de ortografia
Coisa de doido mesmo.
Outra então se diz professora é que não é educadora.Não é mesmo.
Nem sabe o que é ser educadora...
Ser educadora é a condição principal para ser uma boa professora
A moça então acha que ser educadora é exercer a funçao de merendeira e nutricionista e etc
Negativo.
Educar é mostrar o caminho do bem com alegria.
Educar é fazer aflorar no aluno o que ele tem de melhor.Educador é uma vocação.
Temos poucos educadores e professores aos montes.
Então ao professorzinho que se diz enojado por conta das críticas, devo responder que eu também estou enojado, mas por um outro motivo
Enojado e desanimado...
do jeito que as defesas são feitas, elas confirmam de maneira bem dolorosa, todas as criticas feitas aos professores.
A escola pública está mesmo um:
DEUS NOS ACUDA ...

Anita Campos Silva disse...

O anônimo outra vez...
Professor ganham mal comparado a que?
Se um professor de escola pública vier a ganhar 50.000,00 por mes
Nos primeiros meses ele pode estar empolgado, mas dai a algum tempo seu padrão de vida vai subir de acordo com seu salário e vai passar a fazer viagens pela Europa e compras em Miami.
Num pais consumista como o nosso e com a ambição sendo a mola mestra em tres tempos 50.000,oo será uma salário pequeno.
O que precisamos urgentemente um mecanismo de fiscalização.
Professor fazendo o que quer ou não fazendo nada e tendo um monte de desculpa para sua ineficácia sua desidia e sua incapacidade, nunca teremos aula de qualidade.
Enquanto o professor for considerado o santo que não precisa fiscal para seu trabalho, como se fiscalização fosse uma ofensa.
Enquanto o professor não puder ser avaliado,não teremos uma escola de boa qualidade.
Se tem escola que ainda opera um mimiógrafo é que a verba enviada para a escola desaparece das contas da Apm indo para a conta sabe lá Deus qual,mas a escola recebe verbas para tudo que é coisa.Inclusive verbas gordas em cotas para xerox, recebe verba de enriquecimento curricular.
Verbas gordas que daria para manter uma escola a nivel de escola de primeiro mundo.Se a corrupção come tudo, é que falta fiscalização e punição aos culpados.
Vejo denúncias de Diretoria de Ensino como a de Araraquara onde os rombos chegam a milhares de reais, com provas e nenhuma punição
A diretora da Escola Lucas Rosquel Rasquinho na zona sul de São Paulo foi acusada de desviar verbas, e está afastada da direção esperando a poeira acentar, uma noticia que pode roubar a vontade que nao acontece nada, contamina a rede.
Dizer que diretora faz merenda, serviço de secretaria e serviço burocratico é outra lorota.O que diretora menos faz é estar na escola.Elas nunca cumprem horário, estao sempre em outros locais.Trabalhando em outra escola na hora que deveria estar na frente de uma diretoria.A coisa mais dificil é encontrar uma diretora dirigindo a escola, que está sempre na mão de uma panelinha fazendo o que querem da escola e levando vantagem em tudo.
Outra desculpa é a familia desestruturada dos alunos
Ora, como se a professor não estivesse inserido nesse contexto
Como se professor aterrizasse de uma nave no páteo da escola.
Familia de professora tem drogadicto, tem marido violento, tem desemprego, tem falta de diálogo.Tem desamor, tem pessoa com problemas emocionais, neurológicos, e psiquiátrico como toda familia tem.Iqualzinho...
Vi o monte de blá.bla.bla no longo texto de outro anonimo
Mas o que escola pública precisa é tratar professor como profissional.
Trabalhou bem, recebeu bem
Trabalhou mal, recebeu mal.
Aprontou, foi punido, aprontou muito mais do que o limite do razoável foi demitido.
Fez um trabalho excepcional, foi premiado.
Não punindo nunca os maus professores estaremos cometendo injustiça para com os bons.

Anônimo disse...

Giulia di Pierro e silvano de Souza:
Vocês são a mais pura demonstração da ineficiência da Escola. Têm toda razão em alguns comentários e estão redondamente enganados em outros. Misturam tudo, verdades e absurdos, nuns escritos incrivelmente caóticos. Certos ou errados, não conseguem elaborar um texto claro e objetivo. Ora parecem estar ao lado dos professores, ora parecem estar ao lado do Governo. E, sem dúvida, ambos os lados merecem severas críticas, pois deixam muito a desejar. Quanta bobagem! Salário-base multiplicado por 5 através de “mil benesses”, bônus para professores “que mais faltam na escola”, exclusão de “aluno que aparece na escola de chinelos, sem cadernos ou livros”... Que insensatez! Esse multiplicador de salários jamais existiu, essa é uma afirmação leviana própria de quem ouve boatos e fofocas e sai por aí espalhando ofensas sem base alguma na realidade. Os “carrões” parados na porta da escola, se realmente pertencem a professores, não resta a menor dúvida de que não foram adquiridos pelos próprios, com seus salários, e sim por seus cônjuges, talvez ‘peões’ como conheço muitos, profissionais de primeiríssima qualidade, que não têm estudo e não fizeram a asneira de entrar para o magistério. Esses ‘peões’ têm seus ganhos pagos com justiça, coisa que não acontece com professores. Inclusive muitos dos tais ‘carrões’ parados no pátio ou nos arredores da escola são de alunos do EJA...
Bônus de R$20.000,00? PROVE!!! DÊ OS NOMES!!! GARANTIMOS QUE HAVERÁ CADEIA PARA QUEM GANHOU E PARA QUEM CONCEDEU!!! Papo furado...
E, quanto ao Governo do Estado de São Paulo, a verdade é que enviou montanhas de material escolar para todos os alunos, independentemente da condição financeira da família de cada um, o que merece críticas, sem dúvida, mas pela falta de critério, não pela inobservância da lei.

Muriel: Não deixe a emotividade tomar conta de seus textos. Capriche. Seu último parágrafo merece aplausos. Essa é a exata mentalidade maquiavélica de nossos governantes.

Professora com orgulho: Idem quanto à emotividade. Melhore seus textos, cuidado para que tudo o que você tem de bom não seja jogado no lixo por um simples erro ortográfico (ou de digitação). Precisamos de sua colaboração.

VIVI: Seu esclarecimento quanto a Professor e Educador é de extrema importância. Essa é a confusão que gera toda a indisciplina que temos de tolerar e que impede o clima de aprendizagem tão necessário a professores e alunos. Todos os bons professores deste Estado agradecem a sua colaboração.

Anônimo disse...

JANDIRA:
Faça a gentileza de verificar quantas mensagens foram enviadas por defensores do magistério, e verificará que são pouquíssimas. Até tenho convidado insistentemente
mais mestres para acessarem este blog, para que eu não fique aqui tão sozinho.A não ser pelo deslize (menor) do colega que chamou as crianças de modo desapropriado, não li a menor grosseria de defensores do magistério. Por favor, não aproveite um engano de um professor para enlamear todos os demais. Com relação às diferenças entre educador e professor, há muitas. Educação se dá em casa, no seio familiar. Se o Estado passou aos mestres as funções que eram exercidas pelas famílias, no tempo em que as mães não precisavam necessariamente auxiliar seus maridos nas finanças domésticas, o problema é dele, Estado, e o resultado é a catástrofe que realmente se vê em salas de aula. Para haver aprendizado é necessário que haja clima de aprendizagem. Se as crianças não aprendem a respeitar seus próprios pais, não podemos culpá-las por não respeitar seus mestres. E famílias que dispôem de condições para educar seus filhos são muitíssimo poucas nos dias atuais.

Anônimo disse...

JANDIRA:

Não tinha reparado na outra mensagem, que realmente contém um palavrão. Lamentavelmente há incontinência verbal por parte de alguns professores, menos afeitos à escrita (o que é muito triste, pois põe toda uma classe em má situação). Mas não deixe de ler o que outros professores têm escrito, agora que o ano letivo se encerrou. Há comentários muito bons, de mestres respeitáveis. Por gentileza, não leve em conta apenas o que não é perfeito. Afinal, entre os detratores do magistério, há alguns que nos difamam com injustiças incríveis, e até nos ofendem moralmente. Tenhamos paciência uns com os outros. Eliminar todos os mestres ou todos os agressores não fará bem nenhum aos nossos filhos.

Jaqueline disse...

Nossa, que coisa hein?

Leio sempre com muito cuidado os textos daqui e acho que estão se tornando repetitivos.
A diferença é que os pais que escrevem dão os nomes de escola que violam a lei e ainda reforçam que tem milhares e que são quase todas mas se preocupam em comentar os fatos que a midia mostrou.
Agora a professora quer que os pais deem os nomes das professoras que vão receber os 20.000,00, para com isso....Temos centenas de milhares de professoras que vão receber a "gracinha" impossivel enumerar todas...
Quanto ao salário, a gente cansa de provocar a imprensa para que peçam para ver o hollerith de professora que chora miséria....
Os carrões caríssimos dos estacionamento das escolas, se não são das professoras e sim comprado com o dinheiro do marido, então são mesmo a elite gananciosa.Esposas de políticos ou pessoas importantes o que as faz inatingiveis.Que peão, minha senhora não tem como dar carro daquele valor para a mulher fazer de conta que trabalha.
Não, as pessoas que aqui postam, não espalham ofensas e nem criticam a pessoa, criticam a função.
Alunos são impedidos aos montes de entrar na escola e de permanecer na sala se não tiver material e se é impossivel escrever o nome de todas as escolas, posso dizer sem medo de cometer injustiças que isso acontece em todas as escolas da zona sul de São Paulo.
TODAS....TODAS....
Todas as escolas da Diretoria Sul 3 de São Paulo.
Se o governo manda material para os alunos não chega neles.Pode até ser que mande,mas sem um minimo de controle e fiscalização não chega nos alunos, como no caso da Escola Lucas Rosquel Rasquinho onde a diretora recebia verba para enriquecimento curricular e embolsava tudo, ou sozinha ou com ajuda das professoras. Mas embolsava, embolsava muito,essa diretora foi denunciada por um casal de professores herois que pagaram um alto preço, estao afastados da escola, a diretora revidou ferozmente.Como a comunidade ajudou e muito não aconteceu o pior com esse casal de professores honestos.São os professores desonestos que trocam o seu silencio por pontos assinados ou outras benesses que ajudam as ladras.Outros professores se omitem
Então o povo pode continuar a pedir material escolar sim.
Se o governador manda material escolar e não fiscaliza melhor não mandar, está engordando a conta dos ladrões.
Outra repetição
A educação de casa os pais dão sim, mas infelizmente na escola corremos o sério risco de ver nossos filhos perderem o referencial de honestidade que levam de casa.
Nossos filhos veem os pais sairem para trabalhar todo dia, e chegam na escola veem só aula vaga e sabem que os professores encostam seus carrões na escola uma vez ou outra.
Sim, hoje as mães também trabalham fora, mas estão sempre com os filhos e pagando professora particular para tapar o buraco que a escola deixa.
As mães, pais e parentes estão fazendo em casa o que é obrigação dos professores.Estão ensinando o insino formal e fazendo das tripas o coração para explicar que os maus exemplos da escola nem sempre devem ser seguidos
Hoje a educação mudou muitos, os filhos contestam, perguntam e dão opinião, mas na escola persiste uma ditadura imoral .Essa é uma das diferenças entre a educação de casa e a deseducação da escola.
O estado e ninguém passou para a escola a função da familia.
A familia continua amando os seus filhos e se nem o mínimo necessario a escola dá imagina a educação que seria da familia.
Escola dita de excelencia são as piores.
Mandam montanha de lição para casa.Lição que os pais tem que ensinar ou pagar para alguem ensinar.A professora as vezes corrige, nem sempre.Aluno aprende em casa a lição que a professora não ensinou na sala de aula.
Educadores a escola pública tem, mas são poucos.A impunidade e a corrupção contaminou a rede toda.
Conheço uma professora na Zona Norte de São Paulo que denunciou a Escola David Eugenio dos Santos
O nome dela é Sueli Vallente Simões.
Ela é uma pessoa diferenciada e peitou a diretora que entre outras coisas escreveu para o departamento médico dizendo que a professora estava louca.A professora contratou um perito e desmentiu a diretora.
Tem sim e educadoras serias na escola.A hora que as criminosas começares a serem punidas as educadoras poderão exercer sua nobre função em paz.
Professora é profissão mais importante do planeta, mas precisamos urgentemente prender as criminosas que proliferaram na corporação e são como nuvem de gafanhoros comendo tudo que vem pela frente.
Para prender toda diretora ladra e toda professora desonesta, a gente nem precisaria construir celas do tamanho do Maracanã.
Bastava começar a prender de dez em dez.Pode acreditar que as outras começariam a colocar suas barbas de molho.
O que faz a corrupção se tornar monstruosa é a impunidade.
agradeço se a Gloria publicar minha resposta
jaquelinefreitasdias@hotmail.com

Sofhia Ferretti disse...

Jandira
São poucos os professores que vem aqui contestar.
Sabe o por quê?
Vocês não tem argumentos.
E aquí não tem muito espaço para grosseria e palavreado vulgar.
Quando são pessoas comuns, é grosseria, falta de educação, vulgaridade e falta de respeito, mas quando é professor é incontinência verbal.
Não queremos eliminar todos os professores, mas todos os agressores, pedófilos e ladrões seria bom se pudessemos.
Começar aos poucos a coisa vai melhorar rapidamente.
Educação não é só de casa.Cada um tem a sua função e os pais estão cumprindo a sua função de modo heróico, e estão também cumprindo a função da escola e fazendo um esforço homérico para compensar os maus exemplos que a escola está dando.
Haverá cadeia para quem receber o bonus indevidamente e para quem concedeu?
Quem vai providenciar as celas ?
Serão celas monstros,teriamos que multiplicar as cadeias em tres vezes mais.Só mais uma pergunta:
quem vai prender esses dilapidadores dos cofres públicos?
Você é apenas uma professora arrogante e anônima...
Nomes a gente nem pode dar mesmo, afinal são 240.000,00 só na escola estadual.
As escolas impedem sim aluno de entrar na escola com chinelos, e sem uniforme inclusive.
A gente também não pode dar um nome de escola que comete esse crime, SÃO TODAS.
Desafio a professora a dar o nome de uma escola uma só, apenas uma no estado de São Paulo que não impediu aluno de entrar na escola sem material escolas, sem uniforme( vendido na escola a preço escorchante).Uma só escola que nao impedisse aluno de entrar de chinelo.
Tem que ter o nome da escola.O seu email e a gente vai atras e pede desculpas aqui públicamente.
Mas só depois de falar com os alunos, que palavra de diretora e de professora só não basta.
As nossas crianças nos respeitam sim
Nossos filhos nos respeitam, mas com a nova conotação de respeito.Hoje está até na lei que criança e adolescente tem direito a opinião e expressão.Acontece que a escola não respeita lei nenhuma e nem respeita os novos conceitos de educação, querem se comportar como ferozes ditadores.Infames e crueis.
Temos sempre que dizer, repetitivamente, que na escola pública existem ainda uns pouco educadores e por conta deles a escola pública não ruiu de vez.
São poucos os educadores, mas fazem a diferença.
Educador não ofende os pais e nem responsabiliza a familia pelo fracasso da escola pública.
Educador é humilde e sereno.
Arrogancia, convencimento, prepotencia são atributos de professor que devia estar fazendo qualquer coisa, menos vendendo aula.
Se tem uma maioria rica, dando aula, com carrões que seus maridos compram é que essas mulheres ficam na escola, para não incomodar a familia em casa, então vão atormentar os pobres dos alunos.
Afinal escola pública é terra de ninguem mesmo.
A mensagem do "colega" da Jandira,não só postou palavrao como chamou os nossos filhos de crionças, o que nos daria o ensejo de chamar professor desse tipo com um monte de adjetivo pejorativo que voces fazem por merecer.
Sofhia
p.s
o nome da escola que não impediu aluno de entrar sem uniforme e sem tenis tem que ser do estado de são paulo, a professora deve dar os seus dados que eu prometo não divulgar, mas a gente vai levantar e divulga tudo que a escola apronta de grave e a professora tem que segurar.
De acordo???
sofhia63@hotmail.com

Mauro Dias de Souza disse...

Senhoras professoras
A maior crueldade que vocês cometem contra a escola pública é quando colocam a culpa do mediocridade dessa escola nas costas dos pais.
Nós somos os maiores interessados que nossos filhos sejam homens de bem.Mesmo aqueles que desviam do caminho do bem, nem sempre é por culpa nossa.Qual o pai que não quer um filho bem sucedido?
O filho bem sucedido nos dá alegria e nos enche de orgulho, o filho que se dá mal na vida continua também sendo nosso filho.
Diferente dos professores que expulsam o aluno dificil da escola,nós não expulsamos nossos filhos de nossas vidas, por mais dificil que ele seja.
Mesmo nas camadas mais pobres o que se ouve sempre é o pai recomendando ao filho que estude para ter uma vida melhor que a dele.
Fazemos esforço sobrenatural para que nossos filhos aprendam.
A escola não está dando nem o minimo, não está ensinando a ler e escrever.
Para compensar fazemos tudo que podemos e muitas vezes envidamos esforços acima do limite de nossas forças sacrificando outras necessidades, para pagar cursos fora da escola.Para assim compensar o NADA que a escola oferece,já que uma escola particular está fora de nossos orçamentos.
Sabemos que a escola pública recebe montanha de verba e que elas são desviadas.
Sabemos que as professoras e diretoras não ensinam nossos filhos,não cumprem o minimo que seria sua obrigação e os humilham como se aula fosse um favor que nossos filhos não merecem.
E vemos reiteradas vezes professor dizer que a escola está mal por culpa dos pais ou das familias desestruturadas, no objetivo claro de nos desmerecer.
Pagamos imposto,não temos escola e ainda somos ofendidos constantemente.
Isso quem conhece muita familia de professora, que é tão desistruturada ou mais que as nossas familas de pobres.Então eu fico indignado...

ESSA FOI DEMAIS, DEMAIS disse...

NãO ACREDITO...
O SOR ANÔNIMO DISSE QUE OS CARRÕES
ESTACIONADOS NA FRENTE DA ESCOLA PÚBLICA A NOITE SÃO DOS ALUNOS
DO EJA.....
IMAGINA, ALUNO DO EJA....
É PARA RIR OU PARA CHORAR.
NOSSA, MAS ASSIM TAMBÉM JÁ É DEMAIS.
OUTRA DIZ QUE OS CARRÕES SÃO OS MARIDOS DAS PROFESSORAS QUE LHES DÃO
CADA UMA......

Reflexões de um educador disse...

Boa noite!!!
Li as postagens e gostaria de também colocar aqui minha opinião, afinal estamos em um país democrático e livre.
Sou professora primária da rede estadual de São Paulo, atuando na cidade de Campinas. A escola em que atuo é uma escola considerada modelo cujo alunos provêm, em sua maioria, da classe média, filhos de pequenos comerciantes.
POis bem, nesta escola, trabalhamos dentro da lei, respeitamos nossos alunos e eu trabalho sim e muito.Tanto que dos 33 alunos que trabalhei nesta 1ª série, apenas 3 ainda lêem e escrevem com certa dificuldade.
Gosto do que faço, preparo e muito bem minhas aulas, falto, se precisar, porque é um direito de TODO TRABALHADOR e não só dos professores, adoro meus alunos e eles me adoram se quiserem podem entrar no meu orkut (http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=8386031676534620765) e ler opinião de pais e alunos que fazem parte do mesmo. Na minha escola têm sala de informática e levo as crianças a mesma, faço dia do brinquedo com meus alunos, promovo passeios etc etc e, no entanto, fui agredida por um aluno de 6 anos com chutes e pontapés.
Ao contrário do que os pais andam colocando nos posts não chamei a polícia e nem espanquei o menino, apenas comuniquei a minha direção e conversei com a mãe sobre o ocorrido.
Eu ganho mais do que muitos trabalhadores deste país ganha com certeza, mas eu estudei muito para isso e continuo estudando até hoje, pois do contrário não dá para entrar em sala de aula. Ser PROFESSOR é vocação, mas também é PROFISSÃO como a de qualquer um e TEM que ser respeitada.
Casos como os noticiados são exceções não maioria em nossas escolas e podem ser fruto de maus profissionais, pessoas despreparadas que visam apenas o salário sim, mas não dá para julgar todos os profissionais por alguns casos isolados.
Assim colocar que é a realidade de todas as escolas de São Paulo, quiçá do Brasil, é mentira, é partir para o senso comum e julgar a todos pelos mesmos padrões e isso NÃO É JUSTO.
Eu me efetivei neste ano e só consegui uma sala em Guarulhos, muito longe de minha cidade e por um decreto déspota do senhor governador, terei que morar nesta cidade, com o parco salário que ganho, abandonando família, estudos, sonhos e o escambaú. ISSO É JUSTO!!!
Gostaria que as pessoas que estão escrevendo acabando com os professores busquem revindicar seus direitos sim, mas não generalizem, pois sofremos como todos os profissionais deste país e mais ainda, pois as pessoas que trabalham 8/10 horas diárias em qualquer outra profissão fazem seu trabalho mecânico, vão para casa e descansam. PROFESSSOR, não. Ele sai de uma escola em que lecionou no período da manhã para outra para trabalhar a tarde, muitas vezes muito longe uma da outra e se duvidar ainda precisa emendar com o turno da noite, não pelo adicional noturno, mas por falta de opção mesmo para poder ganhar mais e quando chega em casa, faz suas obrigações e ainda precisa preparar aulas para o dia seguinte, pensar naquele aluninho que não aprendeu, ISSO É PRIVILÉGIO????
Queria saber onde está o glamour da profissão e aonde somos mimados? Eu não descobri isso ainda em 17 anos de trabalho.
Abraços a todos, parabéns a Glória Perez pela abordagem na novela e que todos tenham um FELIZ 2009!!!

Anônimo disse...

Sophia:

Se um professor escreve palavrões é condenado, mesmo que descreva uma realidade inegável; Por ter se manifestado de maneira inadequada, repetindo o que alunos dizem freqüentemente em salas de aula, tudo o que disser é jogado no lixo. Se escreve com termos comedidos para não ofender ninguém, é arrogante... Sua vontade de destruir é evidente, e pela sua escrita, não é possível considerá-la capaz de criticas.
Cuide melhor de si mesma e já estará fazendo muito pela Escola.

Os equivocos da professora disse...

Lamento muito senhora professora que fez sua equivocada reflexão aqui.
Com certeza o espaço é democrático.
A senhora se equivocou em sua reflexão.
Primeiro não dá o nome da escola que trabalha.
Segundo o Orkut não é um espaço qualificado para debate.
Terceiro Campinas está também entre a cidade que viola direito de aluno, temos um monte de exemplo ruim dessa cidade. Essa cidade está entre as ruins como todas. Numa escala de 0 a 10 a nota do Idesp do ano que passou foi de 1,14
Quarto, as escolas de excelência são as que mais enganam.Mandam para casa um monte de lição que não foi passada na sala para os pais se virarem.
Quinto, foi agredida por um aluno de seis anos e não chamou a famila por isso.Nem deveria, uma professora que não resolve um problema assim tão pequeno, deveria era estar em outro lugar.
Um aluno de seis anos, perto de uma pessoa adulta é tão pequeno que sua investida com algo que foi contrariado nem deve ser considerada uma agressão.
Sexto, comparar as faltas de um trabalhador com as suas é um acinte.
Um trabalhador quando falta é descontado e perde até o domingo e o feriado.Nâo pode assinar o ponto todos de uma vez depois de faltar a semana inteira.Entre outros absurdos vocês emendam a semana inteira toda vez que tem feriado.
Tem duas férias por ano.A primeira é o mes de Julho e a segunda começa em Outubro e termina no final de fevereiro.Este ano que passou a escola ficou parada o ano inteiro.Tanto que tiraram nota 1.14na avaliação oficial.
Sétimo, a senhora primeiro fala que ganha bem e depois se desmente no vício de chorar miséria e diz que seu salário é parco.
Nâo sei quanto ganha, mas se chamou os pais e a direção da escola para reclamar de um aluno de seis anos é sinal que ganha muito mais do que merece mesmo que ganhasse pouco.
Em escola particular os pais são chamados duas vezes por ano e assim,para a escola prestar contas.
Você não deu conta de resolver um problema com um aluno de seis anos, sinal que não tem capacidade nenhuma.Lógico que não devia espanca-lo e nem chamar a policia para ele, embora esse seja o cotidiano da escola pública.
Oitavo. Voces trabalham em várias escolas, mas por ganância e porque não fazem nada em nenhuma.Aposentam com dois salários integrais e não querem sair da escola, ou vão se enfiar em algum gabinete, sinal que o seu trabalho não era tão estressante assim.As vezes tem se aposentam com o salário integral da prefeitura do estado e de escola particular.
Uma ganancia e um egoismo sem nome.DEviam era dar o lugar para professoras recem formadas cheias de energia e idéias novas.Mas ficam ali grudadas...
São mimadas, nunca são punidas e são incapazer.
Incapazes por avaliação oficial a qual nem precisava.Todo mundo sabe que a escola pública não está ensinando nada.
Os casos de violencia contra alunos ñão são casos isolados.
Por conta de ser o cotidiano das escolas é que sugerimos aos professores ofendidos que escrevam o nome da escola que aluno não é espancado, que aluno e pais são respeitados.Que não escorcham os pais em taxas ilegais.
Falar o nome da escola, dar o seu nome que a gente vai conferir.
Se essa escola existir a gente vem aqui, divulga o nome da escola o nome da professora e pede desculpas.
Mas também nos reservamos o direito de divulgar todas as violencias que os alunos sofreram e todas as injustiças se for o caso.
É isso, eu poderia discorrer com outros ítens onde a professora se equivoca, mas o texto ficaria longo demais.
coepdeolho@yahoo.com.br

jaqueline disse...

Educador Reflexivo
Comunidade no Orkut não é garantia que o senhor (a) é um bom professor.
Aliás comunidade de professor é sempre recheada de debate não qualificado.
Tem sempre uma expressão chula e ofensivo, palavrão
Vide comunidades Como Profissão Professor, Professores Sofredores e outros assim.
Ali postam a ralé, da ralé, da ralé.
Não encontrei uma comunidade que falasse de educação em Orkut onde professores não postagem coisas de arrepiar os cabelos.
Lembro que tinha uma comunidade fechada pela justiça que se chamava
Professoras Assassinas.
Alí elas "soltavam a franga" mostravam mesmo a que vieram
Contavam com detalhes como prejudicavam e perseguiam alunos e seus pais e morriam de rir.
O tópico que mais me incomodou foi o de um professor que ensinava os colegas a se livrar de um aluno dificil.Segundo ele era só colocar droga na mochila do infeliz e depois chamar a policia, não dava outra, o aluno ia de viatura direto para a delegacia e de lá para a cadeia, e contava se divertindo muito, de como o aluno já saia da escola apanhando.
Depois disso, toda vez que vejo noticia de aluno pego com droga na escola, fico imaginando se ele não é mais uma vitima de professores assassinos.
Ainda agora é possivel ver a falta de respeito com que professores tratam alunos.
Vejam por exemplo a comunidade
EU SOU PROFESSOR
Tem ali um tópico onde se chama
Nome engraçados de alunos.
Eles mostram nomes de alunos que eles acham engraçados e tiram o maior sarro, querem coisa pior que isto?
Então por isso não vou visitar a pagina da professora no Orkut e nem isso é garantia que ela é uma boa professora, mesmo porque ela é anônima.
Só fala que é de Campinas.

Juliana disse...

Boa Tarde, estou aqui para compartilhar minha opinião referente ao tema professor, onde percebi que foi muito discutido no blog. Tenho 24 anos e a 4 anos trabalho na rede estadual de São Paulo entrei cheia de expectativas em relação a este trabalho, pois estava com a mente cheia de idéias e motivação para fazer o que eu não aprendi na escola pública qdo estudava. Aos longo dos dias percibi como era dificil lidar com alunos desmotivados, falta de estrutura, violência, entre outros. A culpa não é só do professor, temos ótimos profissionais, alunos e pais, mas tb temos péssimos profissionais, péssimos alunos e péssimos pais. Neste ano de 2008 trabalhei na coordenação pude compartilhar de vários problemas afetivos-sociais entre outros, onde percebi que temos alunos que sabem q vão passar de ano e por isso não querem mais fazer nada, pais que não sabem o que fazer e jogam os filhos na escola como qualquer coisa, e professores despreparados para exercer uma atividade pois nem um curso tranquilamente o mesmopode fazer para melhorar seu desempenho, tudo agora é on line, mas quantos professores conseguem entrar na modernidade e trabalhar com a tecnologia. E em relação ao salário acho que não precisamos ganhar 20.000 como postaram acima, mas um salário digno de um profissional que além de trabalhar com educação, é babá, psicológo, analista, inspetor, faxineiro entre outras atribuições.
Trabalho na Zona leste de São Paulo no Bairro do Itaim Pta.
Contato: z_ju@hotmail.com

Coep disse...

Juliana (o)
O que a gente quer é o nome da escola onde você trabalha.
Dá o seu nome e o nome da escola, e o resto nós fazemos.
Se a escola ondo você trabalha não cometer os abusos e os crimes contra aluno que denunciamos, a gente se compromete a vir aqui elogia-la (o) e pedir públicamente desculpas.Um email é pouco.
Tem que nos dar dados, manda para o nosso email.
Vamos perguntar para os alunos também.
Mas de cara você não passa na nossa avaliação de bom professor.
Os pais não querem que vocês sejam,babá, psicólogo, analista, inspetos, faxineiro.
Queremos que cumpram o minimo.
Que ensinem a ler e escrever, pelo menos.
Alunos saem da escola analfabetos, sem dominar nem as quatro operaçoes.
Isso é o que cobramos de voces
Cobramos que não faltem tanto e de modo desleal, desonesto e imoral que é o de faltar o mes inteiro e depois assinar o ponto.
Teve muita escola, inclusive uma na zona sul, a tal de João da Silva onde os alunos tiveram nota em matemática e não viram nem a cara do professor,não sabem nem se ele é gordo ou magro.
Você é repetitivo.
Os pais não jogam os filhos na escola como se fossem qualquer coisa.Os pais mandam seus filhos para a escola para aprender algo de útil e só aprendem o que não presta.Aprendem entre outras coisas, a mentir.
Tratam alunos como marginais e os chamam dos piores nomes.Na zona leste então é a campeã de reclamação
Voces chamam os alunos de macacos,perebas, inuteis marginais e outros nomes assim horriveis.
Vivem responsabilizando a familia e se comportando como se estivessem fazendo um grande favor.
Aluno sabe que vai na escola e não aprende nada, e depois vai ter que correr atrás do prejuizo estudando em casa ou em cursinhos que muitas vezes é dado em associações de moradores e até em igrejas.
Uma pena que com 24 anos, já pense e fale como uma professora rançosa e velha com a boca torta pelo cachimbo da impunidade.
Claro que temos educadores, bons professores na escola mas são tão poucos os que persistem e mesmo assim podem fazer pouco, mas mesmo assim fazem a diferença
Como voces não podem fazer nada para melhorar o seu desempenho?
Até faculdade são pagas pela Secretaria de Educação e mil e um cursos de capacitação
É curso em profusão, mas voces se inscrevem só para ter o ponto assinado, ou não frequentam os cursos ou vão so para papear.
Curso de informática tiveram um monte.
O governador de SPaulo deu um computador para cada um, computador fixo, agora vão ganhar um portátil.
A escola recebe uma verba gorda só para os xerox que se chama verba para enriquecimento curricular.
Engolem as verbas e cobram do aluno cada prova que fazem.
Morrem de prequiça de escrever na lousa e mandam aluno copiar tudo do livro.
Acho que para um educador todo salário que ele receber é pouco, que a função do educador é a mais importante que existe.
Um professor (a) como você tudo que ganhar é muito...
PARA O ANÔNIMO]
Um educador jamais escreve um palavrão, muito menos em blog como este, que o educador sabe que ele é um exemplo o tempo todo.
Um educador jamais é arrogante, ele é sempre sereno
Ser um educador é ser sereno elegante e humilde
Chamar alunos de creonça é de uma grosseria sem nome. Desmerece quem escreve e mostra a sua falta de respeito para com os alunos.
Respeito é bom, ser respeitável é melhor ainda que um professor respeitável nunca falta com o respeito com aluno nem com os pais.

Anônimo disse...

COEP:

Então eu sou um bom professor. Respeito a todos, independentemente de qualquer condição. Isso acho que fica evidente em meus escritos. Mas me reservo o direito de utilizar o vocabulário que a vida me ensinou. Não pretendo ser arrogante com ninguém. Há um porém, apenas: sabe-se que a capacidade de redigir e de ler com perfeita compreensão depende do domínio de um vocabulário amplo, fruto de muita leitura. Quem não tem esse domínio erra muito na leitura da realidade. Bons especialistas da área de Letras podem "ler" as características e as intenções do autor de um texto. Perdão, mas você não inspira confiança. E isto é uma opinião, não uma grosseria, nem uma ofensa. É apenas uma constatação que alguém bem menos do que um especialista pode facilmente fazer. Seu objetivo é bom e justo, mas falta a você habilidade com as palavras, que acabam por ofender quem as lê.Não creio que a mensageira Juliana vá aceitar a sua proposta.Ela, com certeza, vai considerar que você é perigosa, pela maneira como se expressa... Vai me classificar de arrogante, também?

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 225   Recentes› Mais recentes»