segunda-feira, 7 de abril de 2008

As castas na Índia

A sociedade Índiana se organizou em castas, da mesma forma que os africanos em tribos, que o mundo capitalista em classes, e assim vai. A casta é um sistema de estratificação social hereditário, fundamentado na religião hinduísta. Não tem a ver com a riqueza: o indivíduo nasce e morre dentro de sua casta e a transmite a seus filhos, independente de quantos bens venha a juntar ou dos méritos que venha a acumular.

Para ficar mais claro, numa sociedade de classes, o TER determina a ascenção ou a queda na escala social. A casta não é regida pelo TER, mas pelo SER. Portanto, é imutável, não permite nenhuma mobilidade.

Segundo o hinduismo, a humanidade nasceu de um único Deus -Brahma- mas de diferentes partes de seu corpo. Esse é o critério para classificar as 4 castas básicas:


brâmanes (sacerdotes, professores, sábios) - a casta mais alta, saiu da boca de Brhama
Chatrias (governantes e guerreiros) dos braços de Brahma
Vaisias (comerciantes, artesões ) das pernas de Brahma
Sudras (agricultores, prestadores de serviço) dós pés de Brahma

Já por volta de 1500 AC, o Código de Manu especificava os deveres e limitações de cada casta: com quem poderiam casar, que alimentos lhes era permitido, que ritos deveriam cumprir, que normas obedecer, que trabalhos poderiam realizar.

Os dalits, ou intocáveis, são párias: aqueles que não tem casta, a poeira sob os pés de Brahma. Eles realizam os trabalhos considerados impuros para as outras castas, como a limpeza de excrementos, a lida com os cadáveres, não podem beber água na mesma corrente de água, não lhes é permitido entrar nos templos, nem mesmo tocar, com sua sombra, um indivíduo pertencente a qualquer casta.

Gandhi lutou pela inclusão dos "intocáveis", e ele próprio passou a lavar o seu e outros banheiros, numa atitude simbólica, que tinha por finalidade demonstrar a igualdade entre os homens. Enfrentou muita resistência, inclusive de sua própria esposa. Em sua biografia, ele conta como muitos de seus adeptos abandonaram o santuário que ele havia fundado, quando admitiu um intocável entre eles.

Quando da independência da Índia, em 1947, um intocável, o dr Ambdkar, particiou da redação da nova constituição, que aboliu as castas -da lei, mas não dos costumes. Elas vigoram até hoje, mais fortemente nas regiões rurais, e o governo da Índia tem feito campanhas sistemáticas no sentido de transformar esse quadro, estimulando com prêmios casamentos entre castas e proporcionando aos dalits o direito à educação e ao mercado de trabalho.

Eles ainda têm muita luta pela frente, mas já fizeram conquistas consideráveis: entre outras, a eleição de Mayawati (não tem sobrenome), para governadora do estado de Uttar Pradesh.

26 comentários:

Lilás disse...

Querida Glória!
Que bom poder saber sobre tntos aspectos desse fantástico país que é a Índia! Assim, quando vermos sua novela, poderemos entender melhor as situações que vc colocará para os personagens.
Não vejo a hora de assistir mais um trabalho bacana que você certamente irá nos brindar.
Beijão

Pedro disse...

Nao gosto de julgar culturas, mas vejo o sistema de castas como um estratagema vil - e muito bem bolado- de manutencao do status quo. Recomendo a leitura de um livro chamado "Siva & Her Sisters", um estudo de uma antropologa inglesa de nome Karin Kapadia sobre a vida de mulheres intocaveis no sul da India. O interessante e que esse livro derruba uma ideia um pouco arraigada no meio academico de que as castas mais baixas se submetem fielmente aos valores das elites indianas. Ja esta separado aqui para voce, Gloria!

Ivonete Silveira disse...

Glória,
Realmente muito ainda há de ser feito, para que a Ìndia se torne um país de igualdades.Mas qual país é?
Infelizmente,o mundo gira em torno do SER e do TER.
Lá eles foram afortunados em terem um Ghandi como parte de sua história.
Já li sua biografia,e realmente ele fez e ainda faz a difença.Pena que pessoas como ele são raras.
Por isso admiro suas obras, pois elas também fazem a diferença, trazendo temas polêmicos e fazendo com que as pessoas pensem, por um momento que seja, sobre eles.
Se Ghandi foi um grão de areia nesse nosso oceano chamado "Mundo", com certeza vc também é.
Talvez vc ache a comparação um pouco exagerada, mas todo aquele que pelo menos tenta,significa que está no caminho certo.
Beijos.

cs_fernanda disse...

Realmente o que o Pedro disse eu percebi nesta minha ultima visita a India. Na casa dos meus sogros pude ver que os empregados nao sao submissos como pensamos nao! A senhora que vai na casa deles cozinhar eh contratada por um tempo exato, digamos de uma hora. Entao quando aquele tempo acaba ela desliga o fogao e vai embora, mesmo que acomida nao esteja pronta! Ela disse que eh muito ocupada e nao pode ficar mais tempo. A que limpa o chao tambem, no nosso casamento queria algo de ouro como presente, como nao recebeu passou dias com a cara amarrada sem falar direito com ninguem na casa.

Anônimo disse...

Prezada Glória Perez,

Confesso que não li nenhum dos seus posts e não estou aqui para comentar nenhum dos seus textos.

Dei uma passada de olhos nos textos e fiquei interessado nos temas abordados, mas estou aqui por outro motivo.
Gostaria de saber se você pode me ajudar a colher informações sobre aquele senhor que diante de um impasse (filosófico/ideológico) sucumbiu as ordens que lhe foram impostas e não consegui demolir a casa de ontrem.

Lembrei, por conta de uma entrevista concedida na época da estreia da novela 'América', e ,que ainda pode ser encontrada num link publicado pela pesquisa no Google, que você utilizou esta história no primeiro capítulo da novela.

Pois bem... Gostaria de saber se você poderia me fornecer informações mais refinada sobre este caso das que estou encontrando disponíveis no Google.

Meu e-mail é contacte.me@globo.com e qualquer informação será de grande valia.

Esteja na paz. Um forte abraço embalado por admiração e respeito,

Luiz Cláudio de Menezes.

neganinha disse...

Querida Glk´ria!
Até que enfim chegou o dia da estréia de sua obra *
Tenho prazer em começar a acompanhar Caminhos da India*
Essa novela vai ser de um valor tremendo para nós.Cultura,informação*
Tenho um interesse enorme pela cultura e costumes indianops,não sei o porque ,mas tenho*Sorte sempre*
Namaste*

Vicentina disse...

Glória,
Sou sua fã, nao vejo a hora de assistir essa novela, pra conhecer melhor a cultura indiana que é apaixonante.
Os atores são maravilhosos tenho certeza que vão fazer um grande trabalho, e como toda novela sua vai prender minha atenção do começo ao fim.
Abraços e boa sorte
Vicentina
Alfenas - MG

DIego Francisco disse...

Glória Perez,

Comecei a assistir sua novela, e pra ser sincero, estou gostando muito. O tema é forte e polêmico, pois não trata somente de um aspecto cultural, mas de um problema social que usa as tradições do passado pra continuar existindo.
Como sempre, suas novelas têm muito a contribuir em cultura. "O Clone" foi um exemplo disso, e "Caminho da Índias" também será.
Acho que a missão de um midiático deve ser mais do que levar entretenimento, oferecendo ao telespectador conhecimento de um mundo tão avesso e plural.
Parabéns e muito sucesso desde já.

Anônimo disse...

Estou fascinada pela historia, sou sua fã, por vc pela sua historia... a admiração que tenho por vc é tamanha, vc me faria a pessoa mais feliz se eu pudesse conhecer vc e a cidade cenografica dessa historia fascinante que vc esta contatndo, vc consegue nos transportar a lugares maravilhosos, foi assim com o clone, e agora ja tenho certeza que vai ser assim tbm com caminhos das indias. meu email é patricyamedeiros@gmail.com.
Por favor leia e me de a chance de conhecer vc.
mil bjs no seu coração

Brechó da Cris disse...

Glória,

Simplesmente um espetáculo, a novela está maravilhosa, muito bem acabada, figurino, texto, enfim tudo maravilhoso. Parabéns !!!!

PS: Minha filha de 2 anos já virou uma indiana, começa a novela ela começa dançar !!!

Abraços Cris

Francisco Amado disse...

A verdade é que eles usam a religião para abonar o preconceito e o egoísmo.

SÉRGIO GOMES disse...

Olá! Gloria. Excelente idéia de fazer esta novela e como ela está sendo abordada, trazendo diverso temas parabéns. Gostaria que vc abordasse também sobre o ateísmo, haja vista esse tema está em alta.Sobre o ateísmo muitas pessoas têm muito preconceito em quem é ateu.

Sergio Gomes, Historiador e especialista em História do Brasil, autor do artigo A ORIGEM SIBERIANA DOS TARAIRIÚS.

Anônimo disse...

E como eu faço pra saber minha casta

Sandrinha disse...

Glória, sou formada em Letras pela UFRJ. Quero dizer que sua novela está sendo um primor, super interessante e fascinante. Estou apaixonada! Assim como amei O CLONE e EXPLODE CORAÇÃO. Vc é ímpar na arte de nos mostrar outras culturas, como issso é bom! É uma forma de instruir. Parabéns por saber usar seu dom pra propagar cultura! Sempre me interessei por culturas diferentes da nossa e com Caminho das Índias estou louca pela cultura indiana. Sua novela é um sonho! Estou amando sonhar acordada todas as noites... Bjks cheias de carinho da sua grande fã, Sandra Lúcia.

Anônimo disse...

Glória, sou formada em Letras pela UFRJ. Quero dizer que sua novela está sendo um primor, super interessante e fascinante. Estou apaixonada! Assim como amei O CLONE e EXPLODE CORAÇÃO. Vc é ímpar na arte de nos mostrar outras culturas, como issso é bom! É uma forma de instruir. Parabéns por saber usar seu dom pra propagar cultura! Sempre me interessei por culturas diferentes da nossa e com Caminho das Índias estou louca pela cultura indiana. Sua novela é um sonho! Estou amando sonhar acordada todas as noites... Bjks cheias de carinho da sua grande fã, Sandra Lúcia do bairro de Campo Grande, Rio de Janeiro/RJ.

Marilene Bragança disse...

Glória, sou administradora de empresas e a novela caminho das Indias,além de abordar a cultura de um País para muitos desconhecida,explora, também, o mundo das empresas: os empresários, os lojistas, os comerciantes, que sob o o olho do administrador tem muito a oferecer aqueles que escolheram essa profissão que tanto contribui para o desenvolvimento de nosso País. Parabéns e muito sucesso. Sua admiradora. Marilene Bragança.

rita disse...

RITA DE CASSIA, PROFESSORA DE OSASCO,há verdade é que existe estás castas dentro de nossa sociedade, não quero falar só de cotas, más das crianças de nossa periferia,claro assisto a novela e imagino com dalatis nosso futuro.

wmonteiro disse...

Ilustre Glória gostei do seu novo trabalho, acredito ser muito proveitoso à classe desprovida de dinheiro poder conhecer um pouco da índia através dos seus trabalhos. Parabéns!

Gostaria muito de te conhecer pessoalmente.

Um admirador dos seus trabalhos.

Wagner.

Escreva-me

wmonteirosiara@gmail

Anônimo disse...

tenho uma fascinio enorme por tudo o que tenha a ver cm a india, as roupas os costumes, tdo mesmo

e naO perco nenhum episodio da sua novela.

adoro msm.

bjs*

Verônica disse...

Namaste, Glória, sei que o sistema de casta ainda é muito assim, mas esta mudando , um comerciante , pode estudar e se tornar um brahmane, um ksatria, pode montar um comercio e assim por diante, não sendo necessário nascer em uma casta pra fazer parte dela, aqui no Brasil existem muitos brahmanes, eles estudam e adquirem esse titulo através de seu guru, que aqui poderíamos chamar de mestre espiritual.Sendo assim essa questão de casta, ainda existente , esta sempre em mudança, tornando todos mais livres e mais iguais, podendo, claro vir a ser o que desejarem.

Éder Honorato disse...

Já ouvi muito falar do problema da sociedade indiana com as castas. Hoje existem muitas pessoas na índia que se dedicam à inclusão dos dalits na socidedade, porém, a discriminação ainda é forte. Em fevereiro, ouvi um caso de casamento entre castas que acabou na morte de oito pessoas. A familia da noiva(rica, que se casou escondido pela diferença entre castas), com o pretexto de fazer as pazes com o noivo, matou ele mais sete parentes à tiro e depois decapitaram todos. Infelizmente, isso acontece com uma frequencia muito maior do que pensamos...

COMUNIDADE EVANGÉLICA EM MISSÕES disse...

Amiga Glória. Tenho assistido a novela Caminho das Indiasm para conhecer um pouco mais da cultura da India.
Gostaria de deixar um comentário sôbre a novela que está ótima, bem como elogiar os papéis de:
Bruno Gagliasso e Osmar Pradonos personagens de Tarso e Manu. ESTÃO EXCELENTES; e de Cléo Pires como Shurya, está ótima.

Anônimo disse...

Gloria, vejo q a novela reflete o q temos na realidade, mas, como ficção, pode ser direcionada de acordo com a vontade daquele q escreve. Acredito q muito do q se pretende q o publico entenda e aceite é colocado de maneira intensional, outras independem da vontade do autor, é como se a ficção criasse vida. Além de outros fatores q influenciam a vontade do autor, como p. ex. a audiência. Mas, em geral, os autores colocam o q condiz com sua filosofia de vida.
Escrevo isso pq, vejo q a novela "Caminho das Indias" tomou um rumo diferente do q aparentava, na questão da relação da personagem Maya com um dalit, e o personagem parece ter ganho caracteristica de mau carater. Não sei o rumo q isso vai tomar, mas, me preocupo...
Tbem com o caso entre o Psiquiatra e a garota (com idade prá ser sua neta), deslumbrada com a posição, social do noivo, colocada como algo muito lindo e tranquilo. isso acontece mesmo na nossa realidade, cada vez mais, mas, não de maneira linda e tranquila, com algumas excessões é claro. Imagino q a intenção seja mesmo diminuir o preconceito com relaçao a diferença de idade e classe social. Mas, me preocupo com o rumo q isso tem tomado...
Não sei se soube me fazer entender, mas, gostaria q tbem fosse mostrado o lado menos bonito das coisas pq sabemos q mais do q ser simples reflexo da realidade as novelas tbem tem seu papel de influencia na sociedade. Talvez se ampliarmos o olhar e refletirmos sobre os relacionamentos descartáveis q temos, todos baseados na futilidade de SER e TER mais q o outro, possamos fazer da ficção um exemplo pra realidade.

Anônimo disse...

Olá:

gostaria de dar os parabéns a Gloriapor uma novelinha tão gostosa. E cumprimentar-lhe pelo insight que tiveste quando a Melissa, em viagem à Índia, reclamou o tempo todo do cheiro do lugar. É por aí mesmo. Um país tão lindo e tão sujinho.

Ebrael Shaddai disse...

OI Glória!!
Nunca pensei que estaria no blog de pessoa tão ilustre. Admiro muito vc, pela coragem com a qual vc engrentou uma Grande Perda, a qual poucas pessoas superariam.

Vou te confessar que não gosto muito de novelas, não pelo estilo, mas por não conseguir acompanhar cenas revoltantes que, de vez em quando, pela fidelidade ao real, passam nas novelas. O que mais indigna é a injustiça.

E vc retratou lindamente, da forma mais inteligível, e mesmo divertida, vários temas de peso> adorei!! Parabéns!! Gosto muito da cultura oriental.

Abraços!!

Anônimo disse...

oi Gloria,amo suas novelas!!principalmente a O CAMINHO DAS INDIAS.Gostei tanto,que depois da novela,fiz uma porção de amigos,no orkut,todos da india.Adoro esse povo!!espero ansiosa,por uma proxima novela.Tomara que seja novamente sobre a cultura dos meus amigos queridos [india]
volte logo!!com mais uma historia...
beijos no seu coração...