terça-feira, 29 de abril de 2008

O que é que está acontecendo conosco?


Se nem isto merecer cadeia, é melhor tirar logo o homicídio do código penal!

Imaginem se aquele "pai" austríaco, que trancafiou a filha no porão por 24 anos e teve sete filhos com ela, fosse brasileiro? com certeza os especialistas na nossa enigmática justiça estariam dia e noite na TV, discutindo se havia fundamentos legais para a prisão, uma vez que o indiciado não atrapalha as investigações, colabora com a polícia, tem endereço fixo e não pretende fugir.

Estaria se discutindo até onde a vítima contribuiu para o crime cometido contra ela, se o exame de DNA foi realizado de maneira correta, a polícia seria acusada de não ter investigado outras hipóteses, e a constatação do óbvio estaria sendo taxada de pré-julgamento

Não faria muita diferença que o "pai" de cá tenha como álibi uma história da carochinha e o pai de lá tenha confessado. Se brasileiro fosse, o carrasco austríaco contrataria bons advogados que logo contestariam a confissão, taxando-a de ilegal, por haver sido obtida com a exposição de provas que ainda não eram do conhecimento do acusado. Trocando em miúdos, a polícia seria denunciada por não ter proporcionado, ao suspeito, outro direito sagrado concedido aos criminosos brasileiros: o de mentir. Independente do resultado que viesse a ter no processo, a polêmica ia render.

O clamor popular que enche as praças da Áustria com pedidos de justiça, seria taxado de vingança: afinal de contas, por enquanto, mesmo com a confissão, o pai carcereiro seria apenas indiciado, e em nome dos sagrados direitos do cidadão, haveria que se conceder, a ele, a presunção de inocência!

Para que não fosse incomodado pela turba "vingativa", o estado lhe proporcionaria uma rádio patrulha na porta, com a função de impedir que colassem cartazes ofensivos em sua garagem!

Haveria que se esperar um mínimo de 5 anos para que acontecesse o julgamento. Se condenado, mais 3 ou 4 anos, até que a sentença transitasse em julgado. Só aí se poderia considerar a hipótese da cadeia!

Nesse ínterim, claro, ele poderia viajar para onde quisesse, desde que avisasse à justiça! enfim... vida normal!

Assim como o caso Isabella, na Áustria, o caso do pai carrasco provocou mobilização e revolta da população. Com a diferença que, lá, o noticiário prioriza os direitos de cidadania daqueles que tiveram as vidas sacrificadas. Ontem, nos jornais austríacos, a ênfase do noticiário estava numa pergunta: "O que está acontecendo conosco?"

Era uma boa pergunta para o Brasil se fazer!

15 comentários:

Thiago Abreu disse...

Oi Gloria Perez!
Estou acabando a minha monografia e gostaria de te fazer umas 3 perguntas. meu tema é sobre a responsabilidade Social na televisão aberta, e ja entrevistei o Octavio Florisbal (Diretor geral), Milton Abirached (Diretor do Linha Direta), e os 2 citaram a senhora como uma otima autora e que retrata bem o que estou explicando.
Podeiria me passar um e-mail para que possa te fazer essas perguntas
Meu e-mail é
thiagosabreu@yahoo.com.br

ficarei bastante agradecido
um grande beijo
Thiago Abreu

BRASIL DE PAZ. disse...

A sociedade deve repensar rápido sobre estas arbitrariedades e toda esta hipocrisia que assola o país.
Assino em baixo de tudo que vc escreveu.
Paulo Ascenção.

Ivy Farias disse...

Gloria, o que mais gosto no seu blog são os comentários sobre a justiça deste país. Faço direito e sou jornalista e posso dizer que suas palavras são mais esclarecedoras do que a dos representantes destas duas respectivas classes. E que enquanto os juristas estão debatendo as doutrinas para os criminosos, os jornalistas, ou melhor, a mídia em geral usa como gancho: os jornais, para discutir assuntos como violência doméstica, as revistas femininas já pensam em matérias como o "Perigo a Madrasta- a quem confiar nossos filhos" e discutem esta relação de parentesco. Até a Cinderela que não tinha nada a ver com a história foi lembrada inúmeras vezes porque sofreu na mão da madrasta.
E o seu blog é diferente, ele fala do caso concreto e não tem vergonha de se indignar com mais esta impunidade que está para vir.

edson disse...

Boa pergunta o que esta acontecendo conosco? No Brasil esta faltando a mudança no codigo penal, são crimes cada vez piores,bandidos matanto gente inocente como a dani e o caso da menina Isabella,mas vai ser dificil nossos governantes mudarem as leis porque senão eles mesmos seram prejudicados,infelizmente o corja de bandidos ja começa na capital federal...

Anônimo disse...

Glória, bom dia...
Gostaria de parabenizá-la, pela força, coragem, determinaçào em fazer da sua dor , pela perda de Daniella, uma bandeira, não se curvando ao descaso de nossa justiça que mais parece proteger o crime e os criminosos e o cidadão contribuinte fica a mercê da sorte... porque tantos direitos, gastos, previlégios com criminosos em nome de direitos humanos ? Qual o direito que nós temos em vista deles !!! Chegando no hospital, tem direito a mádico, maca, pronto atendimento e o cidadão morre nas filas ... cd os direitos? os nossos direitos!!!é preciso uma reformulação no Código Civil, Penal na justiça para real proteção do cidadão, e parar de dar razão, refúgio, regalias a bandidos !! vamos parar de defender o errado, de propagar impunidade, de dar um jeitinho sempre !!!!!!vamos começar a nos consetar e assim consertar as coisas pelo menos a nossa volta, deixar de ser tão insensível como o pai de Alexandre Nardoni que em nenhum momento não expressa nenhum sentimento pela morte da neta, e o filho reflete bem como foi criado, nada sabe explicar e no momento só quer salvar-se da prisão. O povo honesto está indignado com tantas falcatruas, conserta BRASIL !!!!

Kalina Siqueira

Lilás disse...

Bom Dia, querida Glória!
A pergunta é sempre a mesma na minha e na cabeça de todos, mas o que mais me intriga é o porque as autoridades naõ param tudo e refazem este nosso código penal tão obsoleto.
Beijo.

rogério disse...

Glória as leis brasileiras não priorizam a dor das vítimas de crimes considerados hediondos ao qual de nada valeu nossa luta em 93e94 arrecadando assinaturas.Abre-se brechas para que os acusados frios o mesmo tipo de gente que assassinou sua filha Daniella concerteza este Alexandre pai da menina não a via como filha e por tanto ajudou sua mulher que muito me lembra Paula tomas ajudando-a a assassina-la. Que dor dessa mãe Ana Carolina que tão funda como a sua Glória ainda tem que lembrar que um dia o amou e ele teve coragem de ter este ato horrendo!!! contra a própria filha!!! è triste as leis do Brasil, até quando Glória? até quando? seremos expectadores de tantas tragédias.

Wilma disse...

Ótima pergunta. Glória Perez é essa a pergunta que tenho me feito a cada notícia trágica, triste, de mau gosto como as que vêm se acumulando nas páginas e TVs. Parece que tudo se inverteu. Realmente é melhor mesmo, como vc disse, tirar logo o homicídio do código penal, porque do contrário é uma AVACALHAÇÃO!!

Nanda disse...

Glória, você está coberta de razão! Muitas vezes, apesar de amar o meu país, sinto vergonha de ser brasileira.
O que mais falta acontecer para que as autoridades tomem providências para que ocorra a modificação desse nosso código penal caduco?
Será que é preciso que a violência passe também pelas suas famílias?
Fernanda Borges

LUNÁTICA disse...

Querida Glória Perez, o que é que está acontecendo conosco? É que infelizmente, o Brasil em pleno século vinte e um é totalmente atrasado, mesmo tendo 508 anos de existência. Ainda mais nas leis, que ao invés de beneficiarem as vítimas, beneficiam os ladrões, sequestradores e assassinos.
A vítima, caso esteja viva, fica de mero expectador, assistindo de camarote, o bandido estar no mesmo local, na sociedade e não preso, cumprindo a pena com rigor diante do delito que cometeu. Se não for assaltada, sequestrada ou assassinada pelo mesmo...O problema, que quem tem dinheiro é quem manda, quem não tem, chupa o dedo ou assiste de camarote ser mais uma vítima, nos índices de violência. Os nossos governantes displicentes, irresponsáveis, criminalistas de tudo que é canto do Brasil, dando palpites, questionando o trabalho da polícia, da perícia e quando chega na Justiça, o cara ser julgado e sair pela porta da frente como se nada tivesse acontecido...Assim, como foi com o casal que assassinou a Daniela...Isso que me revolta. Nunca aceitei essa situação, pois, me entristece muito. Já não gosto nem de escrever ou tocar neste assunto, mas,infelizmente, não estão se importando. Afinal, não são familiares deles, eles tem segurança pagos pela população e diante disto, estão pouco se importando.Quando isso vai mudar?

Quando todo mundo tiver consciência em saber escolher o candidato na hora de votar na urna, saber ir fazer "panelaço" em busca de mudanças, reinvindicar os nossos direitos e não aceitar mais essa impunidade que beira ao ridículo, é gente morrendo devido a insanidade, falta de cárater dos outros, responsabilidade, discernimento do que é o certo e errado. Afinal, na época das eleições, nas propagandas políticas não enfatizam que NÓS, população somos os PATRÕES deles? Quem manda somos nós e não eles.
É preciso aprender o "bê a bá" para por em prática...

Anônimo disse...

Acho que deveríamos perguntar ao Sr. Antônio Nardoni o que ele faria se o filhinho dele, Alexandre,tivesse sido assassinado assim como foi a Isabela.Certamente estaria aos brados clamando por justiça.Pois bem,justiça deve ser para todos, e é isso que queremos para Isabela.
Um abraço. Verônica.

*Muito além da percepção mundana* disse...

O mundo está ficando de cabeça pra baixo, parece que a esperança de se ter paz algum dia cada vez é menor, ninguém faz nada, nossos politicos não fazem nada, estamos naquela que só temos a Deus, eu creio que esteja ocorrendo uma revolta mundial.
O nosso planeta está doente :(

Mara Lígia

Anônimo disse...

Aqui ou em qualquer outro lugar a natureza do homem continuará a ser ruim.O que muda é onde se inibe,e onde o crime compensa.
um beijo Gloria

Anônimo disse...

BRASIL, SEU NOME É IMPUNIDADE!!!
Fico tão indignada com o caso da sua filha! Nem consigo imaginar a sua dor desde o dia do crime. Temos que mudar as leis jurássicas desse país. Um forte abraço.

Marcelo Luis Reis disse...

Glória: Sou solidário a você, principalmente quando lembramos da passagem tão linda de sua filha, a Daniela neste mundo. Ficou por pouco tempo, é verdade. Apareceu no caminho da vida os soldados do mal que interromperam a vida de uma pessoa tão querida e boa. Mais saiba Glória que Jesus nunca deixou ambas desamparadas. Todos os dias devemos orar, rezar ou conversar com Deus e pedir para que ele conceda mais uma nova vida á Daniela. Alías seria um tema muito interessante para uma próxima novela sua, a reencarnação.

Um abraço e que Jesus esteja sempre conosco.

Marcelo Luis Reis
Ribeirão Preto - SP
marceloluisreis@hotmail.com