domingo, 13 de abril de 2008

a menina-deusa



Essa semana todo mundo falou muito da garotinha que nasceu com duas faces, na Índia. A menina -Lali- foi recebida como a reencarnação de uma deusa: o pessoal da aldeia já fala em construir um templo em sua homenagem e muita gente vai vê-la, para ser abençoada por ela.

Tem um aspecto que emociona nisso tudo: é a afetuosidade com que a Índia recebe e acolhe o "diferente". Tem sido um comportamento comum em pais de crianças que nascem com malformações que aqui, no ocidente, costumam ser vistas como aberrações. Como o caso anterior, da menina que nasceu com vários braços e também foi recebida como um avatar do deus Shiva.

Assim como os médicos conseguiram convencer os pais a operar a garotinha de muitos braços, provavelmente, daqui a um tempo, vão conseguir também convencer os pais da pequena Lali a submetê-la a uma operação corretiva. Mas por enquanto eles não querem nem ouvir falar disso. Estão curtindo a filha como ela veio. O pai diz a respeito dos exames:

"Qual a necessidade? Até onde sabemos, ela é como qualquer outra criança. Só queremos aproveitar o tempo que temos com nossa primeira filha, diz o pai

Esta criança é muito especial para nós, diz o avô

Quando se vê algo que não é natural, só pode ser algo de Deus. É tão mágico que acreditamos que ela seja uma deusa, diz um vizinho.

Bonito, não é?

COMPLEMENTO

A Fernanda escreveu esclarecendo que a associação está sendo feita entre a menina e a deusa Gayatri, que tem várias faces.Aqui está ela:

Fiquei curiosa para saber mais e fui ler a respeito. No hinduísmo, Shakti (a energia feminina) está personificada em muitas deusas que são manifestações do aspecto feminino das divindades que compõe a trindade hinduísta: Brahma, Vishnu e Shiva.

Gayatri é o aspecto feminino de Brahma, o criador do mundo e dos homens. Como personificação da energia cósmica em sua forma dinâmica, ela é a força energética com a qual o universo é constantemente criado, destruído e recriado por Bhrama, Vishnu e Shiva.


É tida como a mãe dos Vedas. E dá nome ao mantra mais antigo e mais poderoso (Rig Veda - III, 62:10), que se acredita composto pelo próprio Brahma. Os hindus costumam repetir o mantra Gayatri todos os dias, ao nascer do sol:

Nunca abandonem o Gayatri; vocês podem deixar ou ignorar qualquer outro mantra, mas vocês deveriam recitar o Gayatri pelo menos algumas vezes durante o dia. Ele os protegerá dos perigos onde quer que vocês estejam – viajando, trabalhando ou em casa. Os ocidentais investigaram as vibrações produzidas por este mantra e descobriram que quando ele é recitado com a pronúncia correta, como estabelecido nos Vedas, a atmosfera ao redor torna-se visivelmente iluminada. Assim, o resplendor de Brahma descerá sobre vocês, animará os seus intelectos e iluminará o seu caminho quando este mantra for entoado. Gayatri é a Mãe, a força que anima toda a vida. Portanto, dele não se descuide nunca." (SAI BABA)
Escute o Mantra:

Gayatri Mantra

16 comentários:

Carol Parisi disse...

Gloria, sou brasileira, moro na India e acompanho seu blog e estou ansiosa para a poxima novela, mas me desculpe...bonito ver uma menina como reencarnaçao de um Deus?!?! Isso é ignorância...vc sabe que aqui é proibido saber o sexo da criança por US por causa do aborto seletivo?! Os médicos aqui nao te dao informaçao nenhuma quando vc vai a uma consulta, se limitam a dar os remédios que vc deve tomar sem explicar nada, e o mesmo acontece com as gestações. Em um tetxo médico achei a informaçao que o maior numero de mal formaçoes fetais acontece na Asia em virtude da alimentaçao pobre em vitaminas e nutrientes que essas mulheres têm...isso nao é bonito, é preocupante!!!

Carol Parisi disse...

nao sei se, durante as pesquisas, vc ja leu um livro chamado "rebuliço no pomar das goiabeiras"...é uma historia de uma autora indiana que conta como sao criados os "gurus, deuses e etc" aqui na India...acho que real e interessante...fica aqui a sugestao

GLORIA PEREZ disse...

Ótima sugestão Carol. Vou procurar o livro. Quanto à menina, é lógico que não estou achando bonito o fato de uma criança nascer com deformidade. Apenas quis sublinhar a maneira como essa deformidade é recebida: mais tarde será bem menos danoso para essa criança saber que foi recebida como uma deusa, e nao como uma aberração. Concorda?

flavia rj disse...

GLORIA PEREZ
Sou sua grande fã , adoro suas novelas , pra mim são as melhores, não vejo a hora estrear logo , embora saiba q vai demorar um pouquinho rs, adorei esse universo indiano, gosto muito das suas ideia de levar diferentes cultura para as novelas , assim nao fica uma coisa monotona....
Ja q to escrevendo queria aproveitar e da uma humilde sugestao, sou tb fã da Grazielli massafera e adoraria ve la fazendo uma novela sua ui seria um sonho, existe esta chance?

beijos gloriaaa....

Pedro disse...

Me lembrou a fabula do "Patinho Feio".

Sheila disse...

Oi, Glória:

O Gayatri tem uma história muito interessante e é um mantra cuja melodia pode ser entoada de diferentes formas. Aqui está a transcrição de um trecho do livro do Prof. Paulo Murilo Rosas — A Psicologia do Tantra —, em que ele discorre a respeito da ampla significação do Gayatri na cultura hindu.




“ Gayatri Mantra – A essência dos Vedas

Gayatri é derivado de Gaya, que significa cantando, e de Tri, que vem de Tr e significa proteger; portanto, podemos dizer que Gayatri é aquilo que protege quem canta.
Gayatri é também conhecido como uma metrificação védica de 24 sílabas.

“Na Gayatryah paro mantrah”

A deidade deste mantra é o próprio Para Brahma, o Absoluto.

Toda a humanidade está envolta no sonho (Maya). O homem desconhece a sua própria força interior, e que está nele mesmo aquilo que busca. Por esse motivo, projeta a sua felicidade nos objetos exteriores, pensando que quanto mais dinheiro e bens possuir será mais forte e feliz.

Na era dos Vedas, os Rsis, os sábios, compreenderam esta dicotomia e conseguiram discernir a fonte da natureza humana. Gayatri é um dos mantras que, através da energia solar, pode renovar o nosso metabolismo. É ideal para receber as vibrações do Sol que nos encherão de entusiasmo e vigor. Já que é um mantra da era dos Vedas, Gayatri acumulou tanta força que atua em poucos dias. Ele ilumina para dar uma nova compreensão e facilitar todas as coisas.
Este mantra é especialmente eficaz para aqueles que tendem ao suicídio ou que são pessimistas. Deve ser cantado pela manhã, na saída do Sol, virado para o Oriente, de preferência na postura de Lótus e, com a ajuda de um Mala, deve ser repetido pelo menos 250 vezes. É conveniente oferecer água ao Sol depois de finalizar o mantra.

“OM bhur bhuvah swah
Tat savitur varenyam
Bhargo devasya dhimahi
Dhiyo yonah prachodayat”


“OM Três palavras sagradas
(Brahama, Vishnu, Shiva ou plano físico, sutil e causal)
Nós meditamos na grandeza do Criador
Aquele que é Brilhante (consciência)
Que ele inspire nossos intelectos.”


De uma forma mais livre, é traduzido como:

“OM Meditemos na glória de Isvara
Criador do Universo, merecedor de adoração
Aquele que é todo Sabedoria e Luz
O Destruidor de todos os pecados e da ignorância
Que Ele ilumine o nosso intelecto.”


Existem quatro pausas na repetição desse mantra. Quando se pronuncia OM, deve-se fazer a primeira pausa, depois cantar “bhur bhuvah svah”, segunda pausa; em seguida pronuncia-se “tat savitur varenyam”, terceira pausa; canta-se “bhargo devasya dhimahi”, faz-se a quarta pausa, e logo canta-se “dhiyo yo nah prachodayat”. É importante lembrar que nesta última frase, como o “h” (visarga) vem precedido de uma palavra iniciada por “p”, ele passa a ter o som de “f”.

Não deve haver pressa ao repetir este mantra. Procure sentir a melodia das palavras e com o tempo ele nos dará aquilo que desejamos, e finalmente nos libertará da roda do nascimento e morte (Samsara Chakra).

Há uma pequena história sobre este mantra, que diz:


Manu, jovem brâmane, desejava conhecer plenamente a sabedoria contida nos Vedas, mas sem lê-los. Seu pai era um grande Rsi e ele herdara as faculdades necessárias para converter-se em sábio. Mas, devido à sua preguiça, ele sempre arranjava um jeito de descartar-se do estudo dos Vedas. Para facilitar as coisas, começou a venerar Indra, o Rei dos Céus. Passado algum tempo, Indra apareceu e lhe disse: “Tuas meditações e teus esforços me alegram. Em virtude disso podes me fazer um pedido.” Manu, ansioso por uma oportunidade dessas, inclinou-se ante o Deus e disse: “Concede-me o favor de conhecer todos os Vedas sem que eu os leia.”

Indra riu diante do desejo de Manu e lhe respondeu: “Sinto muito, Manu. Não posso te dar o que desejas, pois até esta data ninguém pôde conhecer os Vedas a fundo sem antes havê-los lido”, e desapareceu.

Manu era perseverante e reiniciou as suas práticas. Depois de algum tempo, Indra apareceu de novo e lhe disse: “Na verdade, Manu, tua devoção me impressiona. Diz-me o que posso fazer por ti.”

Manu repetiu o seu desejo e Indra respondeu de novo a impossibilidade de satisfazê-lo e desapareceu.

Dias depois, Manu foi à praia e viu um homem que jogava pedras no oceano. Manu o observou por certo tempo e sem poder resistir à curiosidade, perguntou-lhe:

“Por que jogas sem cessar pedras ao mar? “O homem lhe respondeu: “Não gosto do mar e trato de enchê-lo de pedras.”

Ao escutar, Manu riu e perguntou: “Meu bom homem, acaso se pode encher o mar jogando-lhe pedras? “O homem respondeu: “Sim! Se efetivamente existem aqueles que conhecem os Vedas sem nunca os terem lido, eu também posso encher o mar com as pedras.”

Imdiatamente Manu percebeu quem era esse homem. Tocou seus pés, não era outro senão Indra. De natureza preguiçosa, Manu estava inseguro de chegar a dominar os Vedas. Assim, perguntou por um método especial para fazê-lo e Indra lhe respondeu:

“Se desejas conhecer a sabedoria dos Vedas, canta o Mantra Gayatri; ele acabará com a tua preguiça e te alegrará, sempre te sentirás bem e com entusiasmo para o estudo. Também ele aguçará teu intelecto e depois de alguns dias serás outro homem. Graças à assombrosa força da Gayatri, dominarás todos os Vedas.” Indra desapareceu.


É dito que Gayatri destrói todos os maus Karmas e dá um alívio imediato. É considerada a Mãe dos Vedas. Ao cantar o mantra brotam imediatamente os frutos do conhecimento. Aquelas pessoas que não têm força de vontade e precisam de saúde devem repeti-lo pelo menos 56 vezes ao dia, pois ele produz no corpo humano um efeito purificador e sublime. Pode-se repeti-lo mentalmente em qualquer lugar, caminhando, dirigindo automóvel, repousando ou viajando.

Gayatri pode dar origem a uma agradável vibração na sociedade se um grupo de pessoas decide cantá-lo. Produz um bem-estar geral.

Segundo os Rsis, existem quatro desejos básicos no homem:

Dharma = virtude
Artha = riqueza
Kama = sexo
Moska = liberação

Gayatri é útil para que todos sejam conseguidos durante o curso de uma só vida.

Normalmente, um mantra dará resultado se cantado 100 mil vezes. Mas para os mantras tântricos, o número varia de acordo com os fins que cada pessoa deseja alcançar.”


É isso aí, Glória. Espero que tenha gostado das informações. Achei bonita a versão do mantra postado no seu Blog, mas prefiro outra na voz de uma cantora indiana, cujo CD ganhei de presente 2 anos atrás. A voz dela é suave e melodiosa e o ritmo usado para entoar o mantra é mais dinâmico e alegre. Tentei por tudo anexar o áudio nesta postagem, mas não consegui (não sei como fazer).

Beijos, Sheila

edson disse...

Gloria entendi perfeitamante o que vc colocou sobre essa menina que nasceu com duas faces aqui com certeza seria descriminada, pois eu nasci praticamente sem o nariz e sofri muito com isso, hoje graças Deus e as modernidades da cirurgias plasticas sou uma pessoa muito mais feliz do que antes que era descriminado por muitos...

FRANCISCO disse...

Glória,
estou em Buenos Aires,onde O Clone esta sendo reprisado pela terceira vez-Um sucesso!!!
adorei as novidades da India.
besos
francisco

Andrea Albergaria disse...

Olá, Glória, sou brasileira, professora de Dança Clássica Indiana, estilo Odissi,em Atibaia, São Paulo. Minha filha chama-se Gayatri, e escolhi este nome pelo poder de força que este nome tem e a tudo que ele remete.Também foi uma forma de homenagear a mãe Índia, que tanto nos ensina e nos guia, inclusive no fato de amar o "estranho" aos olhos, como é o caso da garota das duas faces. Se quiser ver um pouco sobre a minha dedicação ao Odissi acesse http://ciamahari.tripod.com. Um abraço, Andrea Itacarambi Albergaria

Espelho Mágico disse...

Glória,
Gostaria dizer da imensa admiração que tenho por você. Adoro suas personagens, principalmente as femininas, sempre tão bem desenhadas, cheias de riqueza interior e sempre tão humanas.
Por isso mesmo, gostaria de te propor uma abordagem. Não é uma trama, longe de mim, é algo que acredito que explique a confusão em que o mundo está envolvido. Falo do significado da vida, da busca desse significado, de se intuir que não nos fazemos por nós mesmos, por mais que o homem moderno tente acreditar nisso e as escolas acabem ensinando. E essa falta de significado libera o homem para as piores atrocidades. A fé é importante, e todos, mesmo o ateu, a temos, porque senão teríamos que pedir um atestado de sanidade mental para cada motorista de ônibus, táxi ou avião, quando embarcasse num desses veículos e assim colocasse sua vida nas mãos do outro. Ter fé, saber-se dependente do outro, perceber que quase tudo nos é dado de graça, é algo que é pouco falado justamente porque não é o senso comum, e ninguém mais tem coragem de dizer numa roda de amigos “descolados” que acredita em algo. Não sei se me fiz claro, mas essa é uma abordagem que adoraria ver em um personagem, e tenho certeza que você tem sensibilidade e talento de sobra para falar disso.
Bjs
Não fique chateada, mas dá para chamar a tua “parenta”, Glória Pires, pra essa novela? Rsrsrsrs, desculpe, me excedi, estava indo tão bem, né? kkkk

Tom Dutra

Ricardo Zanon disse...

Também acho bacana a forma como estas crianças são recebidas. Aqui no Brasil as pessoas as vêem como aberração, e lá as pessoas fazem fila para as ver. Isso com certeza diminui o impacto de uma Malformação congénita.

cs_fernanda disse...

O pouco conhecimento que tenho da India eh que esse tratamento "especial" so se dah aqueles que nascem com deficiencia como essa, rara e que de alguma maneira o povo acaba relacionando com uma deidade. As criancas que nascem com deficiencias "comuns" digamos assim, sofrem discriminacao como no Brasil. Conheco um casal de indianos que mora aqui nos EUA e eles tem um bebe que nasceu surdo. Eles mesmos comentaram que agora provavelmente nao voltarao a morar na India pois la a crianca nao tera o mesmo tratamento que aqui e sofrera preconceito...nao que aqui isso nunca aconteca, mas eh um pais mais justo para com os deficientes, isso nao resta duvidas.

Cynxia Huxley disse...

Diferença imensa!!

Lilás disse...

Amei o mantra e já estou cantando com a letra que nossa amiga Scheila deixou aqui.

Rafael Chafim disse...

Gloria, meu nome é Rafael Chafim, tenho uma grande admiração por seu trabalho e tb grande interesse pelo celestial. Concordo plenamente com sua colocação. Se o avatar Shiva nascesse no Brasil, sendo de origem humilde que é, seria tomado como aberração e foco de curiosidade alienada pública. Na Índia, como berço de crença universal e mística, o nascimento de um ser como a menina de quatros membros superiores e inferiores, é tomado como acontecimento algo divino. Minha admiração por você expandiu-se no momento em que achei seu blog e pude perceber a amplitude de seu dharma!

Miriam F. P. disse...

Olá Glória, tudo bem?
Estou adorando a novela e no capítulo de ontem o Pandit cantou um mantra bastante longo....
Aqui em casa ficamos na dúvida se é mesmo o maravilhoso ator José de Abreu quem o cantou por ser muito difícil, por conter palavras de pronúncia complicada.
Foi mesmo ele quem cantou ou houve dublagem ( a dublagem não tira de maneira nenhuma os méritos do ator, certo!!!)?
Parabéns e um beijão
Miriam