sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

perdeu o bonde andando?



Hoje fiquei horas presa num engarrafamento desses bem típicos das vésperas de natal, quando parece que todos os carros da cidade estão na rua! as pessoas buzinavam, nervosas, reclamando da loucura que estava o trânsito.

E pensar que toda aquela balbúrdia vai ser motivo de riso pras gerações futuras, a bordo de transportes que ainda nem podemos supor! da mesma forma como hoje nós achamos graça nas reações apavoradas e indignadas das geracões passadas contra a velocidade e o perigo representado pelos bondes elétricos, que já foram chamados de o perigo amarelo

olhem o que diz o Correio da Manhã, em 1906:
Não é que a Light decidiu exterminar a honesta população desta cidade? (...) Os bondes elétricos continuam a esmagar e trucidar inocentes passageiros.

E a revista Fon-Fon: 
Os estropiados aumentam e a população de tais lugares, se de todo não desaparecer, em breve ficará privada de braços e pernas.

Quem andou de bonde não esquece os reclames.  O mais famoso foi escrito por Bastos Tigre:


Veja gentil cavalheiro
o belo tipo faceiro
que o senhor tem a seu lado
e no entando, acredite:
quase morreu de bronquite
salvou-a o rhum creosotado!

11 comentários:

edson disse...

E verdade Gloria nem podemos imaginar como sera nosso transporte no futuro, apesar de eu morar numa cidade de pouco mais de 20.000 habitantes, o transito e muito tranquilo,mas no rio e nas grandes metropoles sei que e horrivel,mas faz parte da grande proporção de crescimento , pode ser que um dia minha cidade tambem tera congestionamento...Abraços

Anônimo disse...

Glória, moro no interior paulista. Minha cidade possui mais de 150 mil habitantes, e, já é um caos nos horários de banco, e agora o final do ano. Meu pequeno, com 4 anos, já se acostumou e diz"quanta gente, não mamãe". Dá pra imaginar o futuro dele nas grandes metrópoles, ou mesmo aqui no interior? Beijos, minha querida! Eliana -Mogi Guaçu-SP

elisabete do encanto disse...

Post maravilhoso!!

Glória


Já te convidei para ir lá no meu cantinho, acredito que não teve oportunidade. Caso queira ir o end. é:
elisabetecunha.wordpress.com

Tenha um Natal com muita:
PAZ, SAÚDE E ALEGRIA!
BEIJOS BAIANOS!

Cássia Valéria disse...

Glória,
Como eu moro na "roça", ou seja, no interior, não há problema com engarrafamento...ainda! rs
Mas é interessante pensar que daqui alguns anos o que nos parece novo será antigo a outros... é o ciclo da vida, tudo muda!
Grande beijo,
Val

Ps: te achei no orkut, aff, quase tudo lotado rsrs

Magaly disse...

Boa lembrança os bondes, eu ia para o jardim de infancia de bonde,tinha o cobrador tenho boas lembranças deste tempo.
Hoje bonde é sinônimo de arrastão,como mudou!

Anônimo disse...

Glória querida,
Vi uma entrevista de Cuoco dizendo que já está reservado para a sua próxima novela. Pena que ainda vem mais uma antes da sua. Gostaria imensamente que vc caprichasse na escolha do elenco, pois as novelas das 9 ultimamente andam muito fraquinhas. Além de Cuoco, sugiro os seguintes nomes: Regina Duarte, Christiane Torloni, Tony Ramos, Sônia Braga, Ney Latorraca, Natália do Valle, Débora Bloch, Joana Fomm, Bruna Lombardi, Carlos Alberto Riccelli, Irene Ravache, Selton Mello, Humberto Martins, Maria Zilda, Marco Ricca, José de Abreu, Cássio Gabus Mendes, Rodrigo Santoro, Ana Paula Arósio, Caio Blat, Laura Cardoso, Osmar Prado, Antonio Calloni, Lucélia Santos, Maria Padilha, Zezé Polessa, Guilherme Leme, Guilherme Fontes, Carla Marins, Werner Schunemann, Mayara Magri, Du Moscovis, Tânia Alves, Fernanda Rodrigues, Ana Lúcia Torre, Suely Franco, Isabela Garcia, Denise Milfon e tantos outros

Rogerio disse...

E o aviso da Light, em todos os bondes?

“Cuidado, prevenir acidentes é dever de todos”

abração Gloria, e um feliz natal

Enio disse...

Rio, início do séc.xx me faz lembrar a minissérie Desejo. Aliás está na hora de pensar em uma continuação 20 anos depois.

Odele Souza disse...

E olha só, já naquela época o bonde lotado, com pessoas às portas...
Linda a foto antiga, com um quê de saudade de nostalgia..

Um abraço.

Tyna Melo disse...

Gloria, escrevi um livro.
Mas não tenho conhecimento suficiente para conseguir publica-lo.

O livro conta a minha história mesmo,sabe sou tão fã da pequena Jane, que eu gostaria muito de ver esse livro publicado,outro dia pensei até que ela daria um personagem de muito sucesso na sua novela,eu gostaria muito de ter a oportunidade e privilegio de envia-lo para vc ler. eu coloquei o nome de "PALAFITAS DE UMA VIDA"

É UMA HISTORIA REAL E COMOVENTE.
EU GOSTARIA MUITO MUITO MEMSO DE TER A OPORTUNIDADE DE LHE ENVIAR MEU LIVRO,NÃO SOU ESCRITORA NEM ,SEI ESCREVER DIREITO.

Gloria se for você mesmo a dona desse Blog, por favor soh me passe o endereço para que eu envie o livro,que soh envie se for para ele chegar em suas mãos.

Grata nem durmirei, e todos os dias abrirei meu email na esperança de ter uma resposta sua.

Estamos na semana do Natal e esse é meu pedido para o papai noel.

Um grande abraço dessa sua admiradora.

meu email tyna_melo@globo.com

Vanessa disse...

Olá Glória, pelo pouco que se pode conhecer de você por meio da imprensa e de seu trabalho, fica claro o seu apreço pela história do seu país e o interesse pelo Rio de Janeiro.
Após ler o post sobre os bondes, decidi ter a cara-de-pau de falar sobre um livro, O Theatro do Abomminável, ainda não publicado, mas que li há 3 meses. Ele tem como cenário principal o Rio de Janeiro do período do desmanche do Morro do Castelo. E, embora seja uma obra ficcional, conta com uma precisão histórica irretocável. Assim como muitos não conseguem imaginar a vida com o "perigo amarelo", milhares de pessoas transitam todos os dias sobre áreas que não existiam e outras que foram completamente modificadas em menos de um século, no nosso estado! Quem já ouviu falar de casas de ópio na área do Saara e Uruguaiana? E de túneis que foram encontrados sob o Morro do Castelo (seriam rota de fuga ou via de transporte de míticos tesouros jesuítas?)? E quantos sabiam que Tia Ciata prestou consulta à um presidente da república?
Quanta coisa perdida em nossa falta de memória! Mas, principalmente, quanta coisa perdida por ser tão difícil em nosso país a divulgação de literatura de alta qualidade. Infelizmente, o acesso às editoras depende de quem você conhece e não do que você escreve. Por isso, peço a ajuda de outros seus fãs e a sua, se possível, para fazer conhecido esse livro. Um romance ficcional com suspense e ação, numa trama intrigante e um final surpreendente... tudo embalado por um Rio que poucos conhecemos, mas que nos é desvelado em suas ruas, esquinas, aventuras e costumes.
Seria sensacional se algum leitor pudesse dar alguma ajuda, dica de publicação ou qualquer toque ou comentário construtivo. Seria mais incrível ainda se você, Glória, tivesse um tempinho e quisesse dar uma olhada no livro. Mesmo porque, ao lê-lo, percebi grande potencial para ser roteirizado.
Como ele já está registrado, não há problema nenhum em enviá-lo por e-mail. Quem estiver interessado, sinta-se à vontade para pedir o envio no meu endereço vmenduina@hotmail.com ou pela minha página do orkut.
Desculpe alongar-me. Muito obrigada pelo espaço.
Conto com a ajuda de vocês!
Beijo à todos.