segunda-feira, 24 de março de 2008

um domingo no templo

Schechtman, Bianca e Cláudia, nossa produtora internacional, prontos para entrar no templo sikh. Aqui, nessa ante-sala, a gente deixa os sapatos e tem a cabeça coberta por um devoto.



Na porta do templo fizemos muitas amizades: o indiano é acolhedor, generoso, simpático. E adora fotografias. Foi bater a primeira foto e muitos começaram a se chegar, achando graça e trazedo suas crianças pra serem fotografadas também.



Muitas dessas crianças tinham os olhos pintados assim. Dizem que isso as protege de mau olhado:

E daqui por diante não posso mais mostrar, porque é proibido fotografar dentro do templo

Mas vale a pena falar um pouco dos sikhs.  A palavra "sikh"quer dizer "discípulo", "disciplina": não basta frequentar o templo -um sikh deve viver de acordo com o seu livro sagrado, exercitando a tolerância e a fraternidade. 

Eles não tem padres nem pastores. Acreditam que só há um Deus, criador de todas as coisas. Não reverenciam imagens e acham graça na idéia de pecado original: Deus não criou o homem para castigá-lo, mas para que cumpra sua missão no cosmo, vivendo de maneira honesta. 

O templo sikh é aberto à qualquer pessoa, de qualquer religião. Muitos hinduístas o frequentam. E é muito bonita a cozinha comunitária, onde se unem ricos e pobres para fazer a comida que será distribuída a todos, durante o culto. Porque um dos princípios do sikhismo é que o devoto deve dedicar um tanto de seu tempo para fazer trabalhos que beneficiem a comunidade.

5 símbolos identificam um sikh, e todos eles começam com a letra K, por isso são conhecidos como os 5 Ks dos skhs:

1-Kesh (cabelos): usam turbante porque não podem cortar os cabelos (nem fazer barba, nem retirar qualquer pelo do corpo).

2- Kanga (pente) dentro do turbante, trazem um pente que simboliza limpeza e disciplina. E devem se pentear duas vezes por dia.

3- Kara: é a pulseira de aço, que representa sua aliança com os ensinamentos dos gurus e sua aversão às supertições.

4-Kaccha: vestem sempre por baixo da roupa um calção curto, que era usado pelos guerreiros sikhs na época em que lutaram contra os mongois.

5- Kirpan: levam sempre uma espada na cintura, que nunca deve ser usada para fazer mal, mas para proteger-se ou proteger alguém que esteja sendo atacado. 

Lord Singh, como o chamavamos, nosso motorista em Delhi e Agra, é sikh. Aqui estamos eu e Bianca, no aeroporto de Delhi, nos despedindo dele.


4 comentários:

*Muito além da percepção mundana* disse...

Oi Gloria, que coisa mais linda essa criança, muito engraçado isso de pintar o olho,é cada coisa né, lembro que minha mãe colocava uma linhazinha vermelha molhada com o cuspe dela,lá no sertão do Ceará esse ato era pra espantar mal olhado, é muito interessante essas diferenças culturais, estou cada vez mais fascinada pela Índia.
Fico feliz por tudo estar dando certo!

bjo no seu coração!
Saudades!

Mara Lígia

Anônimo disse...

querida
Q sonho estar ai,imagino como vc deve estar aprendendo com o povo ,com a cultura ,com o lugar é indubtavelmente perfeito mesmo
sorte ai
Isa
isabella barros

edson disse...

Gloria com certeza essa viagem deve ter sido fascinante pra voce nao e mesmo? Olha a riqueza de detalhes que voce nos enviou,tudo lindo, fotos, textos e muitas curiosidades que poderemos conferir em 2009 com o sucesso que esta por vir em sua obra televisiva....parabens...

linda disse...

Oi!
Você já deve saber isto, mas só para relembrar! O povo cigano, do qual falou em "Explode Coração", tem as suas origens na Índia, Paquistão (que também já pertenceu à Índia) e Afeganistão. É engraçado, por mais voltas que demos, chegamos sempre à Roma. :)

Adeus!